Minho: O Melhor e o Pior de 2007

| Partilhar
O Melhor do Ano
1. Ferrovia na Agenda Política do Minho
Passaram mais de 18 meses desde que António Magalhães lançou o repto até que Mesquita Machado se pronunciou publicamente a favor da ferrovia no quadrilátero urbano do Minho. Mais a norte, foi anunciada a extensão da ferrovia ao porto de mar de Viana do Castelo até 2013. Pelo meio, um extenso debate que levou a uma enorme exposição pública da blogosfera minhota, cujo ponto alto foi a Petição Pelo Eléctrico moderno em Braga. Aconteça o que acontecer, a ferrovia entrou na agenda do Minho e o mérito também é nosso.

2. Minho: Região do Conhecimento
Instituto Ideia Atlântico, Instituto Ibérico de Nanotecnologia, nova Escola de Ciências da Saúde, CampUrbis e AvePark configuram as apostas certas para o Minho. Está visto que só através do conhecimento podemos aspirar fazer do Minho uma região de nome internacional. Com epicentro na Universidade homónima, está em marcha uma verdadeira revolução na ciência e tecnologia Made in Minho.

3. «Cidade dos Arcebispos» disse SIM à Despenalização da IVG
Nem o facto do maior movimento regional pelo NÃO ter sede em Braga, travou a emancipação dos bracarenses relativamente ao estatuto de segunda maior cidade do catolicismo nacional. Mesmo após uma enorme campanha levada a cabo pelos pastores da Igreja Católica, o voto urbano deu um claro e inequívoco sim à despenalização da interrupção voluntária da gravidez.

O Pior do Ano
1. Encerramento da Bracalândia
A Bracalândia fechou ao público no dia 30 de Setembro. Perdeu-se um dos espaços mais emblemáticos da cidade e uma marca distintiva de Braga que trazia uma enorme quantidade de turistas provenientes de todo o Portugal e da Galiza. A Bracalândia fechou e não há parque novo que repare a perda.

2. O Minho Acabou
«Porto e Norte de Portugal» é o novo eufemismo que nos identifica. Acabou o Minho e os coveiros estão entre nós, a começar pelo Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo e pelas regiões de turismo do Minho que nunca se conseguiram entender. Seja como for, Braga e Guimarães, Gerês e Lindoso serão «Porto e Norte de Portugal». O Bom Jesus e o Castelo de Guimarães serão destinos acessórios no «Porto e Norte de Portugal». A prioridade chama-se «Porto e Norte de Portugal». Chora Minho!

3. Idosos de Cabeceiras «arrastados» pelo PS para fazer número em Lisboa
Nem dez anos chegarão para que se apague a imagem de populismo repelente que alguns autarcas do Minho deram ao país. Não lembraria ao diabo levar idosos de Cabeceiras de Basto para agitar bandeiras partidárias numas eleições autárquicas distantes, mas lembrou aos autarcas de Cabeceiras a troco, imagine-se, de uma devota paragem em Fátima, o altar do país.

Personalidade do Ano
Lúcio Craveiro da Silva (1914-2007)
Em 13 de Agosto de 2007, Portugal perdeu um dos mais ilustres bracarenses. Ainda que nascido em Tortosedo, Covilhã, o nome deste padre jesuíta ficará para sempre ligado à cidade de Braga. Membro do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e da Academia das Ciências de Lisboa, o Professor Lúcio Craveiro da Silva foi o primeiro reitor eleito em Portugal, tendo exercido o cargo de reitor da Universidade do Minho entre 1981 e 1986. Nome maior da cultura bracarense, foi Superior Provincial dos Jesuítas portugueses de 1960 a 1966 e viu o seu nome ser dado a uma das maiores e mais dinâmicas bibliotecas da cidade de Braga.

Acontecimento do Ano
Descoberta do Teatro Romano da Cividade

Manuela Martins, Professora Catedrática do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho e Presidente da Unidade de Arqueologia, liderou a equipa que devolveu à luz do dia uma parte do Teatro Romano da Colina da Cividade. Classificada como uma «descoberta extraordinária», abrem-se portas à valorização da Braga Romana que poderá servir de alavanca para a aposta na protecção do património da cidade. Os próximos passos não se conhecem, mas a perspectiva de que o Teatro poderá ser completamente desenterrado acabou por entusiasmar a Câmara Municipal e o Ministério da Cultura.

5 comentários:

  1. boas escolhas. não faria melhor!!!

    Parabens!

    ResponderEliminar
  2. Apenas quero realçar que concordo na generalidade, mas estás a ser injusto a referir que apenas os idosos de Cabeceiras de Basto estiverem na Festa do António Costa em Lisboa. Pessoalmente condeno a atitude do PS local, mas não queria ver apenas os idosos de Cabeceiras de Basto serem os sacrificados, quando naquela sala do Hotel Altis estavam cidadãos de várias zonas do País, como por exemplo da secção concelhia da Covilhã, entre muitas outras certamente.

    Acho que e demasiado o fardo nos idosos de cabeceiras. Eles são os únicos que não têm culpa nenhuma em todo este filme. deverias sim criticar o modo de organização dos partidos, o os meios com que estes praticam actividade politica e partidária.

    Já agora...não é a primeira vez, nem será a última, que as máquinas partidárias mobilizam militantes e cidadãos para zonas bem distantes do local de residência.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  3. o ponto dois do "pior do ano" só confirma algo que já se suspeitava: que afinal as "elites" bracarenses contam muito pouco no Minho. Frutos do umbiguismo exacerbado.

    ResponderEliminar
  4. Caro António,

    Há elites em Braga???

    Abraço,
    PM

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores