Teatro Romano em Braga: Uma Descoberta Extraordinária

| Partilhar
A Câmara Municipal de Braga e Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho anunciaram hoje a existência de um anfiteatro romano com 80 metros de diâmetro, anexo às Termas Romanas da Cividade. Manuela Martins, Professora Catedrática da Universidade do Minho afirma tratar-se de uma descoberta «extraordinária, pois representava o segundo teatro romano arqueologicamente identificado em território português, sendo o primeiro conhecido em todo o noroeste da Península Ibérica.» O facto do Teatro Romano se encontrar numa área protegida vai facilitar o estudo e a exposição do mesmo, estando a escavação integral apenas dependente do interesse e apoio das instiuições públicas.

Esta notícia só pode encher de orgulho todos os bracarenses. Descoberto mais um pedaço do que ainda resta da Braga Romana, é urgente investir no restauro e dinamização do património, por forma a tornar Braga na capital do turismo do Noroeste Peninsular. O caminho a percorrer é muito longo, mas, havendo vontade(s), será certamente bem sucedido.

13 comentários:

  1. Será muito pedir a destruição daqueles "patos bravos", para um melhor enquadramento, e reconstruir o teatro? Até podia ser um projecto polis, será que ainda existem?

    ResponderEliminar
  2. Turismo??? ahuhauhau Já viste a envolvente? Betão e mais betão, prédios baratos, de má qualidade e de péssimo gosto como é habitual em Braga. Acabem mas é com essas ruínas para nenhum turista estrangeiro distraído vir a Braga e deparar com a aberração urbanística desta cidade cada vez mais horrível.

    ResponderEliminar
  3. eh pa...porque é que braga é tão feia? a sério. a única vez que me lembro de lá ter ido foi numa tarde de chuva e fiquei com uma sensação de estar não numa cidade central mas num subúrbio gigante pontilhado, por vezes, com edifícios de um outro tempo. para quando o cumprimento de projectos urbanísticos que incluam o belo em vez do betão? vejo esta imagem e a paisagem desfeia tanto as ruínas descobertas que elas não parecem mais que isso - bocados de pedra sem sentido.
    deixa-me triste ver cidades feias. tenho um amigo que gosta de cidades assim para trabalhar, porque diz que assim pode ir embora sempre que quiser pois não guarda saudades...
    estou em crer que infelizmente se daria muito bem em braga. ao menos, deixem ficar a pilinha do bispo!

    ResponderEliminar
  4. O anfiteatro romano corresponde ao 1º ou ao 2º plano da fotografia ?

    ResponderEliminar
  5. acerca das cidades feias, e da cidade feia que dizem ser Braga, só tenho a dizer que é facílimo apontar na direcção do feio e criticar o excessivo betão (que não é excessivo, digo eu. parece "apenas" como um baralho de cartas atiradas ao ar, tipo aquele jogo "40 apanha").

    na minha infância, ia a Braga com os meus pais para fazer compras no Feira Nova e esporadicamente ao Bom Jesus dar um passeio. Há cerca de dois anos comecei a conhecer "outra " Braga, através do olhos de alguém que nela mora há quase 30. Apaixonei-me por Braga porque soube como filtrar o mau e agarrar-me ao que é bom. Talvez os "olhos de ver" que me ensinaram a ter na faculdade ajudou.

    Gosto de chegar de comboio, ir pela Porta Nova e por aí ficar até ser hora de jantar. Gosto de me imaginar a morar num apartamento ali perto da Rua da Violinha ou perto do Largo de S. Paulo e Frigideiras da Sé. Talvez no alto da cividade, naqueles apartamentos porreiros a 50.000€ dos anos 80 (precisam de uns toques de magia).

    Gosto de ir a pé até à FacFil e passear ate à N. Sra de Guadalupe. Gosto de ver o antigo estádio aproveitado para as bandas ensaiarem em salas renovadas para o efeito, a troco de uma renda mensal das próprias.
    Gosto de, ao entardecer, ir para a ponte que passa por cima da A11, para os lados de Ferreiros e ver as luzes da cidade a surgir.
    Também me agrada muito ir para o largo/rua em frente à Sé, olhar aqueles palacetes abandonados e imaginá-los reconvertidos em Albergarias.

    Critico muito, passeio pelos bairros sociais, de carro, e vejo a porcaria de Guetos que foram construídos como se grande obra de beneficência se tratasse... mas a "outra" Braga fascina-me!

    Imagine-se!... Às vezes vou até ao Parque do Bom Jesus para caminhar muito, até ficar cansada, como forma de exercício físico. E não é que sabe mesmo bem? Às vezes depois do jantar subo de carro pela Falperra e vou para o escadório do Sameiro tirar fotografias. Dali, Braga é uma maquete real bem bonita! (apesar da zona do Carrefour meter dó... blharg!!! e alguns consideram zona de luxo...).

    Bem, que o Núcleo de arqueologia tenha os fundos necessários para fazer o trabalho que lhes compete. Que se mostre ainda "outra" Braga para além das que existem.

    ass. Cláudia

    ResponderEliminar
  6. Adoro estas gentes, que se dizem inteligentes, e as suas criticas à cidade de Braga. Costuma-se dizer que “só faz falta quem cá está”, e reparem que estão cá cada vez mais pessoas. Braga tem sido das poucas cidades de média/grande dimensão que tem aumentado a população. Não desculpando alguns erros urbanísticos, eu gosto de viver em Braga. É claro que preferiria viver na cidade utópica que alguns conhecem, mas que infelizmente eu ainda não, com casas de um só piso, integradas em florestas verdejantes, com imensos percursos pedestres, com as famílias todas a fazerem as suas refeições ao ar livre, em que ninguém perde tempo a ver televisão e estão na rua em perfeita segurança pela noite dentro e em que cada casinha destas com três quartos custaria a quantia simbólica de apenas 1.000.000 (UM MILHÃO) de euros. Afinal em Portugal todos nós temos esse dinheiro para gastar de um dia para o outro.
    Quem não se sente bem por cá pode realmente ir-se que provavelmente não deixará saudades, mas na busca de melhor que vá ali à Foz do Porto, que tem uma construção ao nível da de Braga e quando lhe pedirem 175.000 euros por um T1 e precisar de carro ou de horas nos transportes públicos para ir a qualquer lado que não reclame, afinal de contas em Braga pode viver no centro da cidade por três vezes menos e a pé estará a cinco minutos de tudo.
    Só critica a vivência na cidade de Braga quem certamente nunca de cá saiu. Experimentem. Digo-vos já que a nossa Cidade está repleta de filhos pródigos.

    ResponderEliminar
  7. “Braga deve ser a única cidade deste País que tem um caos urbanístico… O resto das cidades estão todas bem planeadas com praças, zonas verdes, boas construções, etc…pobre esta cidade que é tão feia que deveria de desaparecer num buraco negro… “ Deixem-se de treta de intelectual de algibeira, Braga tem de tudo, zonas bem planeadas, mal planeadas, muito património histórico um centro histórico fantástico, etc… Estas pessoas que vem para aqui falar mal nunca devem ter saído de casa… Nuca foram ao Porto, Coimbra, Leiria, etc.. Estas cidades também são exemplo de um grade caos urbanístico que ninguém critica, porque?
    Braga é uma cidade bela e sempre será!!!

    ResponderEliminar
  8. ó mariana, o porto, tirando a ribeira é LIIIINDO de morrer..

    que mais se pode fazer quando alguém usa frases "o porto é uma nação"...

    é típico de gente cega e tapada que não consegue nem quer ver para além do bairrinho onde vive. nem se dá ao trabalho de explorar. eu, para gostar do porto, precisei de anos e anos, descobrir coisinhas pequeninas...

    porque dizia o mesmo "o porto é feio que dói!!".

    e sinceramente, de todoas as cidades onde já vivi, a mais feia.

    ResponderEliminar
  9. Cláudia, essa Braga que tanto gostas é a Braga onde ainda me revejo. A Braga que já existia antes daquele rapaz ter chegado à câmara há 30 anos atrás. Braga está horrível sim mas por culpa total dos bracarenses que são o povo mais acomodado e ignorante que alguma vez conheci. E olha que eu já morei em alguns países e um deles é africano.

    A população de Braga tem crescido unica e simplesmente por uma razão: excesso de oferta imobiliária barata e de má qualidade. Braga é uma cidade dormitório, um suburbio de outras cidades. Assim se explica que Braga tenha a população a aumentar mas não tenha qualquer vida: bares e restaurantes vazios, teatros vazios, estádios vazios, etc . Sou bracarense e orgulho-me das raízes dos meus avós mas não recomendo a nenhum amigo para um dia viver em Braga.

    Outras cidades têm locais mal planeados em termos urbanísticos mas nenhuma chega ao absurdo que é Braga. Quem frequentou a Faculdade de Arquitectura do porto sabe que Braga é o exemplo frequente de cidades com péssimo urbanismo. O Porto não é nenhum exemplo excelente mas consigo identificar uma série de novas áreas por lá que são bons exemplos, em Braga não me ocorre nenhum exemplo. Esta é que é a verdade. Preparem-se que a tendência é só piorar: os campos da rodovia, a zona envolvente do estádio 1º de maio, o Picoto...vem aí mais betão e prédios horríveis.

    Espaços verdes em Braga? Onde?

    Uma vez trouxe uns amigos estrangeiros para mostrar Braga e fiquei ainda mais desiludido. Ficamos uma manhã em Braga e fomos de tarde para Guimarães. Eles apaixonaram-se por Guimarães (marcaram lá na Pousada e preferiram ficar lá) e depois do jantar disseram-me com alguma delicadeza "porque o centro de Guimarães é tão bonito e animado e Braga está vazio e tudo tão feio?".

    É triste.....

    ResponderEliminar
  10. Não devemos ser da mesma cidade!!! Só pode :-)

    ResponderEliminar
  11. Anónimo das 15:13, concordo contigo.
    O facto de Braga em Agosto morrer pura e simplesmente, com a "Braz" como quase único ponto de encontro faz-me uma confusão dos diabos. Como se os moradores fossem a única razão de existência do comércio e serviços.

    A rodovia, falando de um outro aspecto, veio matar demasiadas zonas e cortar demasiadas ruas importantes de ligação às freguesias envolventes.
    Para se ir para a Cónega, p.ex., é um atrofio: entra na rodovia! sai da rodovia! entra outra vez e sai mais uma vez, dá uma curva de quase 360º e está na Cónega! Com aquelas casas adoráveis e bairros porreiros. Mas essa rua da Boavista começa um pouco abaixo do Campo da Vinha! Como explicar que de repente essa malha urbana importantíssima se transforma em túnel para peões, de segurança duvidosa?

    Outra questão, sobre as zonas bem planeadas. Penso que a "aldeia do macacos" (só lhe conheço este nome) e parte da zona envolvente ,continuando pela 31 de Janeiro acima, está bem conseguida. Não conheço a nível de segurança, mas parece-me muito bem, urbanísticamente.

    E por falar em 31 de Janeiro... irrita-me tanto que "as famílias" saiam daquelas casas (vivendas) para fazerem outras vivendas maiores e majestosas em Fraião e Nogueiró dando espaço a que Clínicas, Empresas e Escolinhas se implementem nesses lugares... e a cidade vai ficando deserta...

    Mas parece-me sim, que o problema está na tacanhês de tanta gente. No comodismo, tanto do pseudo que se impõe pela negativa, como do novo rico que nem lhe interessa o seu património.

    ResponderEliminar
  12. Só mais uma coisinha que me intriga...
    Tanto betão? As cidades são feitas de cimento, pontuadas com espaços verdes. Agora o caso é que há zonas tão mal qualificadas, mas tão mal, que todos ficamos com um nó na cabeça. E as zonas verdes existentes ou não oferecem o suficiente à população, ou a população não sabe sequer o que tem! E claro, a pior das hipóteses (a verdadeira), não há locais suficientes, nem suficientemente bem projectados.

    E não digo mais senão não me calo!

    ResponderEliminar
  13. Eu nom escrevo o portugues, polo tanto so poso dicer:Claudete di verdade!
    Es una de las ciudades mas bonitas que conozco, tiene las Termas, lo que dicen es Anfiteatro, y el nuevo museo
    Diogo de Sousa, a mas de gente amable
    y correcta, y una cocina estupenda.
    Amigos Bracarenses,deberiais estar orgullosos.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores