Chora, Minho!

| Partilhar
O Governo de Lisboa decidiu: o Minho acabou.

Um Requiem ao Minho
Um Requiem ao Minho (II)
Um Requiem ao Minho (III)

22 comentários:

  1. O Minho nunca acabará... Não são regiões de turismo, que são o que são, que definem o espaço a cultura e as gentes do Minho.

    Espero sim que os novos organismos dedicados ao Turismo façam o trabalho até agora não feito, especialmente quando dizem de boca aberta que se tem de investir no turismo em Portugal.

    ResponderEliminar
  2. amigo Morgado,

    Se o Minho é uma região com tradições próprias, sentimentos próprios e gentes próprias como amiúde fazes aqui constar, não se percebe os teus receios. Trata-se meramente de uma definição turística. Nada mais. Vale o que vale. E, no caso presente, era racionalmente necessária e impunha-se.

    um abraço

    ResponderEliminar
  3. Governo de Lisboa eleito por pessoas do Minho tb, diga-se de passagem....

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Olhando para os jornais de hoje percebe-se porque é que o Minho nunca consegue ter voz: continua dividido.

    O presidente da Região de Turismo do Alto Minho aplaude a decisão, considerando que a “criação de um só organismo para o Norte irá favorecer a região no seu todo” (http://jn.sapo.pt/2007/12/13/ultima/novas_regioes_turismo_dividem.html).

    Por seu turno, o presidente da Região de Turismo Verde Minho diz que a decisão é “um disparate” e “um mau serviço prestado ao turismo da região” (http://www.diariodominho.pt/noticia.php?codigo=31812).

    Quem é o senhor que se segue?

    ResponderEliminar
  6. Pedro,

    O Público trás hoje uma reportagem sobre expansão do metro do Porto que custaria metade da Ota, sabendo-se que existem alternativas muito mais baratas como o António Alves já publicou no Norteamos e Baixa do Porto.

    Ora aqui está uma oportunidade de criticar o Portocentrismo e defender alternativamente investimentos na ferrovia Braga-Guimarães ! É preciso que Braga critique os erros do Porto assim como os portuenses criticam os de Lisboa.

    Abraços
    José Silva

    ResponderEliminar
  7. Não tinha jeito haver no Minho duas Regiões de Turismo e por isso mesmo e considerando que os donos das duas capelas ,bacocamente,não se entendiam com vista a uma fusão,lá vem de fora o ditame de como deve ser.Autonomia para o Minho,já.Assim acabam os bacocos e os ditames estranhos

    ResponderEliminar
  8. Curioso é que Lisboa é uma única região.
    Fico surpreendido por não haver só 2 regiões: Lisboa e "o resto".
    Faz-me lembrar aqueles jogos da bola quando era pequeno: Portugal vs Espanha, ou todos contra todos.

    ResponderEliminar
  9. Caro José Silva,

    Estou a reunir informação. É um tema a que, obviamente, voltarei em breve.

    Abraço,
    PM

    ResponderEliminar
  10. Caro José Silva,

    Estou a reunir informação. É um tema a que, obviamente, voltarei em breve.

    Abraço,
    PM

    ResponderEliminar
  11. Seguindo o teu raciocínio também se poderá dizer:
    "Chora Douro litoral": O Douro Litoral acabou.
    "Chora Trás-os-Montes e Alto Douro": Trás-os-Montes acabou.
    Porque estas províncias, com a regionalização, também ficarão designadas somente a: Norte.

    Ou já agora querias que com a regionalização reunissemos estas províncias todas e lhe chamassemos: Minho.
    Esse teu bairrismo exagerado é quase doentio.

    ResponderEliminar
  12. À Helena Antunes,

    Comentaste no post errado. Neste post não há nenhum bairrismo... Quando muito seria regionalismo porque o Minho é uma região e não um bairro.

    Além do mais o ataque pessoal é desnecessário. Neste caso também é muuito injusto. Se há alguém que se tem batido contra o barrismo, sobretudo entre Braga e Guimarães, esse alguém é o autor deste blogue...

    ResponderEliminar
  13. Sim, um regionalismo quando se refere ao Minho. Peço desculpa pelo lapso.
    Mas bairrismo acaba por estar incutido porque suponho que para ele a sede administrativa até devia ser em Braga.

    E acho que o Morgado sabe defender-se sozinho sem recurso a advogados de defesa.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  14. Cara Helena, acho despropositado esse teu comentário, ainda mais o tal ataque pessoal.

    Tens dúvidas que o grande beneficiado desta situação toda será a região do Douro? Ou vês alternativa a todas as apostas nesta nova região não se centrarem lá?

    E se a regionalização é para transformar Trás-os-Montes, Alto-Douro, Douro Litoral e os dois Minhos num só (isto dando o benefício da dúvida, pensando que as Beiras, ou a Alta, ficarão de fora desta mega-região) numa só região, não sei se o benefício será assim tanto...

    ResponderEliminar
  15. Não fiz nenhum ataque pessoal. Só considero injusto que se pense que só o Minho será o único prejudicado e, por sua via, só o Minho terá de ser o beneficiado.
    Comentário despropositado porquê? Não podemos pensar só no Minho, a futura Região Norte englobará mais do que isso. Se O Minho fica a perder,Trás-os-Montes possivelmente ainda mais, e talvez até mesmo o Douro. É natural que todas estas províncias percam um pouco da sua identidade porque se fundirão numa só.
    Se partirmos do pressuposto que é o Porto/que é o Douro que vai ficar a beneficiar, então não conseguiremos nada.
    Cabe não só ao poder central fazer mais por nós, como sobretudo cabe a nós valorizar e manter aquilo que nos é característico, ao invés de atirarmos as culpas aos outros (Douro)porque conseguem mais do que nós.

    Abraço, Tiago.

    ResponderEliminar
  16. A região de turismo Norte é um erro que vai beneficiar o de sempre (Porto). Numa altura que a procura é mais exigente, quer conhecer com mais detalhe as particularidades locais (culturais/ arquitectónicas/ etc…), vamos “vender” ao exterior, a parte norte do país como um global, como se fosse uma região única com uma miscelânea de locais que nada estão relacionados.
    Imagino o quanto a zona de Vinhais ou Mirandela, entre outras, vá ser promovida e ser beneficiadas por essa região de turismo ….

    ResponderEliminar
  17. A região de turismo Norte é um erro que vai beneficiar o de sempre (Porto). Numa altura que a procura é mais exigente, quer conhecer com mais detalhe as particularidades locais (culturais/ arquitectónicas/ etc…), vamos “vender” ao exterior, a parte norte do país como um global, como se fosse uma região única com uma miscelânea de locais que nada estão relacionados.
    Imagino o quanto a zona de Vinhais ou Mirandela, entre outras, vá ser promovida e ser beneficiadas por essa região de turismo ….

    ResponderEliminar
  18. D. Helena:

    Agora o bairrismo é doentio?

    Conhece em Portugal cidades mais bairristas que Porto e Lisboa?

    ResponderEliminar
  19. O Minho não acabou, até acho que vai começar agora na minha opinião, agora, apesar de irmos na boleia do Porto e do Douro, passamos a estar mais fortes..Dantes não iamos na boleia de ninguem mas também não iamos a lado nenhum. Espero que o futuro me de razao.

    Quanto à região turistica só do Minho que tanto se falou aqui, volto a frisar o que vem ao encontro daquilo que disse em relação ao post do metro: Para investimentos o Minho é o distrito de Braga, para o turismo como o Alto Minho tem uma qualidade bem superior (PNPG,praias,Corno do Bico,paisagens,gastronomia,locais lindissimos como voces bem sabem) já somos todos Minho..
    Desculpem mas não concordo

    ResponderEliminar
  20. Amigo Salem:
    Concordo consigo e como bracarense deixo aqui um repto. Direcção de Turismo com sede em Viana do Castelo no Forte da Barra.
    Cumprimentos,
    Bernardo Pereira

    ResponderEliminar
  21. Tanto drama...

    Pessoalmente, anseio pelo dia em que a Euro-região Galiza-Minho/Norte de Portugal seja criada.
    http://www.coe.int/t/e/legal_affairs/local_and_regional_democracy/areas_of_work/transfrontier_co%2Doperation/euroregions/default.asp

    Aliás, nós somos dos poucos países, talvez mesmo o único, que ainda não se meteu nestas coisas...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores