Por Quem os Sinos Dobram? (IV)

| Partilhar
Ainda às voltas com o polémico comunicado da Câmara Municipal de Braga, Henrique de Almeida escreve no Diário do Minho:

«Obviamente que todos nos podemos pronunciar sobre tudo, mas convém que cada um saiba ocupar “o seu lugar”. Não é o que acontece com este comunicado (no mínimo) trauliteiro do gabinete da presidência da CMB assinado pelo Sr. Mesquita adjunto. E justifico. O comunicado, pretensamente de um organismo público, responde pelo presidente que devia ser o de “todos os cidadãos”, toma a posição clara e inequívoca do secretariado do seu partido. [...] Há, ainda, neste tipo de comunicados uma linguagem cheia de ironia, por vezes a roçar alguma má criação que, não sendo original mas desculpável nas refregas partidárias, reflecte o nível por onde anda o “gabinete da presidência” da CMB pago pelos impostos de todos nós. E eu não quero pagar para este tipo de “serviço (que devia ser) público”! A “parceria Mesquita e Mesquita” devia mudar-se imediatamente para instalações próprias, pagos por dinheiros próprios, na Avenida João XXI, e deixar a Praça do Município à exclusiva governação da polis.»

Pode ler sobre este assunto no Avenida: 1, 2 e 3.

16 comentários:

  1. Pedro, não percebi mesmo a razão deste post. Afinal, o assunto ainda pode ser comentado nos anteriores sobre este assunto... Será que o Pedro tem algo de novo a dizer sobre o assunto? É que o este post não diz nada de novo... São manobras de diversão?... OK.

    ResponderEliminar
  2. Pergunto ao anónimo anterior qual é a razão de ser desse comentário???

    Tratando-se de uma citação, é óbvio que o autor do blogue não diz nada de novo... apenas demonstra mais um exemplo daqueles que não se acomodam diante da bovinidade geral!

    ResponderEliminar
  3. Pedro, também não percebi que não tenha percebido que os sinos dobram... pelo Cónego Melo. Você é premonitório...

    ResponderEliminar
  4. Ao anónimo 20:14
    Se a bovinidade é geral, não achas que é pretensiosismo a mais enfeudares-te na caprinidade?
    Desculpa a linguagem, foi só para estar à altura. Eu sei que o Pedro removerá rapidamente este comentário...

    ResponderEliminar
  5. Ainda por cima tinha que ir citar o candidato do PSD à Junta de São Vicente... Embora Afonso Henriques, de seu nome, não quis lutar mais contra os mouros. Abandonou o seu lugar na oposição. Não estava para trabalhos de base, dizem.

    ResponderEliminar
  6. O Sr. Afonso Henriques de Almeida tem razão. há 32 anos que o ganinete do presidente da Câmara de Braga espera a chegada dos conquistadores. Ainda não consegui perceber o que é que o comunicado tinha de mal.Não tratava mal ninguém, que me tenha parecido. Se tratava, é pô-los no tribunal.

    ResponderEliminar
  7. deixem-me perguntar ao anónimo posterior -- sim, a esse que vem a seguir -- porque é que não prefere discutir a democracia dos psd's de Braga. Uns querem a estátua do cónego, outros que nem pensar.

    ResponderEliminar
  8. Só para tirar a razão aos autores do comunicado, obrigaram o menezes a demitir-se. Já estou a ver o próximo comunicado a referir-se ao putativo candidato do partido-da-manuela-ferreira-leite. Bem,ó por isso valeu a pena.

    ResponderEliminar
  9. Ò Senhor Henrique de Almeida, o senhor até poderia ter alguma razão... Mas repare na linguagem que o seu candidato à Cãmara utilizou na reacção ao comunicado:
    «Ignoro os juízos com que sonharam - do "lançamento da pré-campanha", do "reconhecimento do fracasso pela organização" -, a soberba oca e os insultos desbocados que tive o privilégio de receber do "Autarca lambe-botas do Sócrates" e do seu papagaio de serviço».
    Não estão bem um para o outro? Quer dizer: de candidato-do-partido-sem-líder para o adjunto?

    ResponderEliminar
  10. Eu cá, prefiro Honoré de Balzac, no espanhol Café Toural:
    «O Putativo, o Papagaio, o Lambe-Botas e a Dor-de-Corno

    Cá por estas bandas, isto tem andado um pouco parado, por falta de matéria. Em Guimarães anda tudo muito certinho, e não fora o Presidente da Junta de Sande, o Clemente, a revelar-nos que na sua freguesia há anciãos com memória de mastodonte, capazes de recordações que vão, pelo menos, até ao tempo dos castros, e isto andaria com absoluta falta de novidades e de sal.
    Já aquela terra onde mora o senhor arcebispo, que fica para lá da Morreira, anda com outro salero. Ali, a política é um combate excitante, que se trava com grande elevação e uma certa inovação no uso da língua, mesmo antes da entrada em vigor do famigerado acordo ortográfico.

    Aqui há dias, a oposição ao redil mesquiteiro, acusava o Município de estar “de costas voltadas para o conhecimento científico que é produzido nas diversas esferas de investigação” das “Universidades de B#*$*”.

    A resposta veio em forma de comunicado do Gabinete da Presidência do Eng.º Mesquita, assinado por Mesquita, adj., profundamente inovador e criativo ao nível da linguagem da comunicação institucional, em que criticava o “pretenso recandidato do "partido-de-luís-filipe-menezes"”, a quem chama de “putativo”, palavra que, como todos sabemos, costuma usar-se quando se quer atirar um mimo a alguém através da interposta pessoa da senhora sua mãe, sem se usar expressão mais abreviada, o qual pretenderia mostrar “que, se e quando chegar ao poder, líderes académicos e dirigentes políticos não passarão um dia que seja sem que consertem o futuro do concelho ao sabor do mesmo prato e do mesmo copo e ao som de um trompete afinado pelo mesmo diapasão”. Porque, como ninguém poderá ignorar, “o Município de B#*$* sempre se assumiu e foi assumido como parceiro privilegiado das várias instâncias universitárias bracarenses, participando activamente nos projectos que desenvolvem”. (Claro que sim, ninguém duvida: basta recordar, por exemplo, o que aconteceu com a intentada candidatura do Minho a Região Europeia da Cultura).


    A este comunicado respondeu o Jiminy Cricket da terra braguesa, que se revolta até ao nojo e atira que o comunicado camarário é “inacreditável para quem lê, é infame para a terra e é desonroso para a democracia”, classificando-o ainda como “um documento cujo conteúdo não vai além da política de sarjeta, servida num estilo trauliteiro, soez e brejeiro”, uma evidência da sua prévia constatação de que, por ali, a política “é raivosa, bafienta e pérfida”.

    O visado pelos comentários subtis, delicados e graciosos do comunicado autárquico, o putativo, sai então a terreiro, com uma réplica à altura da elevação da discussão, a denunciar, “a soberba oca e os insultos desbocados que tive o privilégio de receber do "Autarca lambe-botas do Sócrates" e do seu papagaio de serviço”.

    Até aqui, tudo nos conformes. Linguagem límpida, pensamentos cristalinos, conversa asseada. O problema foi quando um leitor resolveu deixar no blog do putativo um comentário enigmático, que rezava assim:

    “Eu acho que é uma grandessíssima "DOR DE CORNO"!”

    Aí, o putativo perdeu o pé, e provavelmente o tino, se não a razão, e descambou por completo, quando ia tão bem!, dando-lhe para se encher de pruridos e atirar uma advertência severa ao comentarista:

    “Apenas deixei passar esse excesso de linguagem porque está ao nível do comunicado. Mas tente evitar esse tipo de expressões.”

    Porque, como todos sabem, os papagaios, especialmente os papagaios dos lambe-botas, não têm cornos».

    ResponderEliminar
  11. Pedro Morgado, você está a ficar lelé da cuca? Outra vez este assunto. Você não lhes larga o osso. Só não sei se quer dar porrada no autor material, se no autor moral do crime. Desculpe, mas está a ficar chato.
    Sempre a considerá-lo.

    ResponderEliminar
  12. É verdade é, confirmei n site do PSD e lá está ele a suplente. Tem bigode à Afonso Henriques e tudo.
    Diz a ficha partidária:
    Nome: Afonso Henrique De Almeida Cardoso
    Actividade Profissional: Técnico Administrativo
    Condição: PPD/PSD
    (http://www.psdbraga.com/munivere.aspx).

    ResponderEliminar
  13. "And now, for something completely diferent..."

    ResponderEliminar
  14. Meu caro Pedro...
    Eu já nem sei que lhe diga...
    Não achei muito digna nem coerente com o percurso até então desenvolvido, a abordagem que fez deste assunto, mas enfim...
    Agora, tanta persistência???
    Acho que é melhor criar uma petição para pedir pelas alminhas ao Sr. Adjunto do Presidente para fazer outro comunicado que é para ver se "vira o disco".
    Mas com esta atitude acho que acabou por responder à questão que lança pela quarta vez: os sinos dobram por um blog que, em vez de "Avenida Central" deveria alterar a designação para "Braga 2009 II".
    Bom trabalho.

    ResponderEliminar
  15. Obrigado, obrigado, obrigado!
    Mil vezes obrigado!
    Quando sofrer de insónias já sei onde recorrer. A monotonia em que caiu o seu blog é um sonífero milagroso.
    Já há algum tempo que não dormia tão bem como desde ontem por volta das 20h00. Só foi um pouco chato porque fiquei com as marcas do teclado no rosto.
    Mas para a próxima já sei, levo o portátil para a cama e acesso ao seu blog a partir de lá.
    Mais uma vez obrigado, acho que a sua técnica para pôr o pessoal a dormir até devia começar a ser prescrita pelos médicos.
    Bons sonhos...

    ResponderEliminar
  16. Ah, já me esquecia...
    Como, com o tempo, este post é capaz de criar habituação e, como sabe, deixar de fazer efeito, será que já podia ir pensando no "Por quem os sinos dobram? (V)"
    Obrigado

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores