Norte Sem Norte

| Partilhar
Santuario Santa Luzia - Viana do Castelo - Portugal
© SGandara

O Jornal de Notícias dedica um conjunto de reportagens à situação difícil em que se encontra o Norte de Portugal, encravado encalhado entre os seus próprios defeitos e os defeitos do país. Curiosamente, na lista do que o Norte tem e não tem, 11 das 13 categorias são dedicadas ao Porto. E este é o primeiro sintoma da doença do Norte: goste-se ou não, o portocentrismo é asfixiante para o Norte. Na verdade, quando se fala na crise do Norte quer-se dizer crise do Porto porque o Norte para além do Porto nunca saiu verdadeiramente da crise em que vive desde a Idade Média.

22 comentários:

  1. Fazer uma lista daquelas e não mencionar os largos quilómetros de linha de comboio que são abandonadas/encerradas é, no mínimo, um insulto.

    ResponderEliminar
  2. Pedro,

    Não me admira a lista que o JN apresenta porque ele, JN, também parte do Porto que fracassou.

    ResponderEliminar
  3. Pois... é por essas evidencias que quem analisa os relatórios do PROT-N e as actividades da CCDR-N, corre sempre o risco de ser apelidado por alguns de Anti-Porto.

    A injustiça do Portocentrismo vs restante norte, é tão gritante, que chega a parecer intencional.

    Braga como centralidade de Equilibrio Regional, é a que mais é injustiçada por este Norte centralizado no Porto.

    Só existem EN a ligá-la às principais localidades, o resto são AE das mais caras do país, e apenas a sudoeste da cidade.

    O PROT-N recusa o IP para Chaves e o IC para Monção e foram realizadas estradas de menor importância como alternativas a esta como o troço Fafe-Vila Pouca de Aguiar.

    O potencial turistico de Braga para ser "City Break" não aparece mencionado, e a Cidade Romana, Medieval e Barroca, continua por estudar, musealizar, recuperar, "rentabilizar".

    O Hospital Central e Universitário da UM aguardado desde 1978, será afinal de ~280M€ e não será a referência para todo o Minho(construção e equipamento) tendo este que recorrer também ao São João, enquanto que o novo Hospital de Gaia (com o Santo Antonio e São João próximos) vai custar ~410M€ (construção e equipamento). Já para não falar do novo da Povoa do Varzim que custará 230M€.
    Centralização absurda no Grande Porto também na saúde. Que vai receber ainda mais dois novos centros hospitalares, além dos 2 novos Hospitais.
    Dos 5 principais hospitais de todo o Norte, 4 e os 2 de excelência estão numa faixa de 30km, e no Grande Porto com 1,2M habitantes. Todo o norte tem direitos aos "serviços básicos" e a excelência e serviços de topo fica mais uma vez centrada apenas no Grande Porto... Que cobertura racional é esta...

    Podia continuar... mas para quê...

    ResponderEliminar
  4. Concordo. Se é um facto que o Porto, dentro da realidade portuguesa,tem perdido muito; nós, mais a norte, temos sido até ignorados.
    Será necessário um dia instalar novas "antenas" e novos "radares" apontados para a Galiza.
    Isso vai acontecer, mais tarde ou mais cedo, mais geração menos geração, porque aquele povo também é o nosso.

    ResponderEliminar
  5. Bem, se o Norte ainda não saíu da Idade Média, então é o Porto que está em crise. Está correcto.

    ResponderEliminar
  6. Criticam o Porto mas só falam de Braga.

    A doença é a mesma com origens diferentes.

    ResponderEliminar
  7. Quando me referi às linhas de comboio, incluí o Minho, mas acima de tudo Trás-os-Montes.

    ResponderEliminar
  8. O JN decomenta a crise do Porto e não do Norte, mas arrastando o Norte para seu beneficio. Porto é para o Norte como Lisboa para o pais, a crise está em todo lado.

    ResponderEliminar
  9. Autonomia para o Minho,já.Acordem Minhotos,deixem de ser levados por lorpas.Vejam o exemplo da Galiza.

    ResponderEliminar
  10. ora ora ora... em Braga (que não pode falar pelo Minho tal como o Porto não pode arrogar-se a representar o 'Norte') calam-se perante o centralismo a troco do primeiro prato de lentilhas que lhe estendem: o nanolaboratório, por exemplo. fazer mira ao Porto é um excelente expediente para enganar os papalvos e manter o colaboracionismo com a abjecção centralista.

    P.S. fartei-me de rir quando vi a imagem de Santa Luzia. há quem não olhe a meios... LOL

    ResponderEliminar
  11. É evidente que a regionalização do norte reforçaria inequivocamente o portocentrismo...
    Se calhar a Região Norte teria que excluir a area metropolitana do Porto...
    Só assim haveria desenvolvimenro sustentado.
    Os centros fortes tendem a ser macrocefalos.

    ResponderEliminar
  12. Esperava-se outra coisa?

    ResponderEliminar
  13. Braga e o Minho pouco podem esperar duma Lisboa egocentrica com milhares e milhares de funcionários públicos apinhados em repartições, institutos e quejandos que fazem que defendem o país inteiro mas que na realidade só servem para servir clentelas. Para calar os mais irreverentes ainda «olham» para o Porto, mas com uma certa sobranceria. O resto para eles é «provincia». Ainda há muitos que pensam no Minho como aldeias governadas por «João Semanas». O futuro para o Minho não direi a curto prazo, será de facto a Galiza, com quem poderemos ter relações muito mais estreitas e vantajosamente económicas do que estarmos sujeitos à lei dum país que asfixia as regiões e despreza tudo que não seja Lisboa ou Porto. Para eles o Minho é bom para férias e para comer uns petiscos no Verão como diz um amigo meu de Lisboa. É a terra do padres diz outro em sentido pejorativo.

    ResponderEliminar
  14. A regionalização só será vantajosa se se separar Lisboa e Porto do resto do país.

    Para pior já basta assim!

    ResponderEliminar
  15. Para o anónimo das 11:49

    E o que é que os Vianenses podem esperar de Braga?

    Bem menos do que Braga pode espera de Lisboa, que é NADA.NADA.NADA. como bem se tem visto.

    Até as Auto Estradas A3, A7 e A11, terminam e passam bem longe de Viana do Castelo. Eu sei foi pura coincidência como a Universidade do Minho só estar num Distrito, Braga.

    Tenham vergonha na cara.

    Já agora, quando falares do Minho não fales em nome de quem não te delegou procuração.

    Quanto à foto, estou como António Alves, deve ser uma piada.

    Vianense e Alto Minhoto.

    ResponderEliminar
  16. Este vianense tem um IP de fora de Viana :)

    ResponderEliminar
  17. Este Vianense anónimo das 21.40 tem uma dívida com a educação. Eu sei, não é fácil dialogar quando se é «provinciano» de facto, ou pelo menos assim se age. Sugestão: Com a sua educação colabore com a Avenida Central..... de Viana.

    ResponderEliminar
  18. Caro anónimo "vianense":
    O traçado das autoestradas e respectivo preçário que refere foi todo cozinhado aqui em Braga que, como sabe, é a esse nível um importante centro decisório.
    A Universidade foi criada no Outono de 1973 pelo Prof. Veiga Simão, conhecida figura do lobby Coimbrão, perdão Bracarense, que tudo fez ele e nós para que Viana não tenha o seu Politécnico a exemplo de todas as capitais de distrito sem universidade.

    E já agora para rematar só uma dúvida: Pode o Sporting de Braga continuar a utilizar a "marca" Guerreiros do Minho sem a sua autorização? É que a ver pela foto da basílica de Santa Luzia pode ser uma apropriação indevida e hegemónica.

    Melhores Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  19. "o Hospital de S. João resolveu celebrar os seus 50 anos, lançando para o futuro um arrojado projecto, a construção de um hospital pediátrico de raiz, com dinheiro unicamente vindo da sociedade civil e empresas. Já existem os recursos financeiros à primeira fase da obra, que será iniciada em Fevereiro próximo. Existem ainda múltiplas acções em andamento, orientadas para auxiliar as crianças internadas a crescer humana e intelectualmente, dado que o período de internamento é cada vez mais prolongado, por doenças que até aqui eram mortais agora passarem a ser crónicas. Hoje, a idade pediátrica vai até aos 18 anos, pelo que este projecto terá uma escola de ensino básico e um espaço de ciência viva - para mais informação recomendo a leitura da entrevista do Prof. Caldas Afonso ao Grande Porto."

    quando as 'elites' da Braga subserviente do centralismo, cidade de funcionários que se alimentam da exploração do espaço rural circundante, for capaz disto poderá ganhar o respeito dos outros. até lá que se remeta ao silêncio dos vendidos.

    ResponderEliminar
  20. Pelos vistos a verdade dói e por mim irá continuar a doer.

    Para o Sr.Pedro Morgado lamentável o que tenta transmitir na sua mensagem, que não sou Vianense.

    Realmente o IP não é de Viana é de Viana do Castelo e se continuar a afirmar o contrário dir-lhe-ei que é muito pouco sério, para não dizer outra coisa, como fácilmente lhe poderei provar.

    Quanto ao anónimo da 11:53, só "lhe" dou um conselho, conte as vezes que usa o termo "provinciano" nos seus comentários e "tente" perceber as origens deste "seu" complexo.

    Já agora e para terminar, pois não quero ficar contagiado com esta doença, dir-lhe-ei que estarei aqui, para sempre que se referirem directamente ou por sugestão, ao meu Município.

    De um Vianense e Alto Minhoto, sim Alto-Minhoto.


    Ps: Quanto à educação e o tratar V.Exª por tu, são dos ares da Galiza que o Senhor pensa conhecer. Se algum dia for lá tenha cuidado e não lhes chame "malcriados"

    ResponderEliminar
  21. Para o anónimo das 11:53

    Tinha-me esquecido mas na Avenida Central de ....Viana não tem nenhuma foto do Bom Jesus de Braga.

    ResponderEliminar
  22. Para o El Salvador que em tempos longinquos dizia que vivia em Viana do Castelo.

    Olhe lá do que me fui lembrar.

    No seu comentário, tenta usar de algum "humor" ou "ironia" depende do ponto de vista, na sua tentativa de resposta, e olhe que até lhe achei alguma graça.

    No entanto, e apesar de já lhe ter respondido em tempos a estas mesmíssimas questões, não quero que fique convencido que "calei aquele Vianense".

    Quanto à questão da Universidade a melhor resposta foi dada pelo actual Reitor da UM, na sua tomada de posse quanto ao reencontro com Viana do Castelo.

    Do que ele se foi lembrar.

    Hoje começo a acreditar que se aconselhou consigo.

    O que se descobre na Internet.

    Quanto aos Guerreiros do Minho é em tudo idêntico aos telefones do Minho, pelos vistos, só se desligaram em Braga.

    Para terminar e quanto a Santa Luzia.

    É indiscutivelmente a foto mais bonita que vi até hoje sobre este Monumento e aí dou os meus parabéns, só tem um problema.

    Está completamente fora do contexto.

    É exactamente a mesmíssima coisa quando chamam ao Fato à Vianesa de Fato à Minhota.

    Não é nem nunca foi "Fato à Minhota" pela simples razão que este, NÃO EXISTE.

    Compreendo que exista muita gente que se queira apropriar do maior simbolo nacional depois da nossa Bandeira, mas ele é nosso e só nosso, é dos Vianenses.

    Quanto às AE. Já lhe respondi em tempos. Se não se lembra, paciência e vá ao arquivo.

    Retribuo os cumprimentos.

    VIANENSE E ALTO MINHOTO

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores