Sete Fontes em Perigo

| Partilhar
«A Estradas de Portugal (EP) vai avançar com a variante ao novo hospital de Braga com o viaduto sobre o complexo setecentista. A Câmara é contra e a Junta de S. Vítor reprova a desorganização na preservação patrimonial.» [JN]

Ainda que a Câmara de Braga esteja contra a solução apontada pela Estradas de Portugal, a verdade é que o abandono a que foram entregues as Sete Fontes e o atraso na classificação como Monumento Nacional são os principais determinantes do desprezo com que a Estradas de Portugal tem olhado para o complexo aquífero do Século XVIII. Lamentavelmente.

6 comentários:

  1. Trinta e tal anos de monarquia mesquitista não foram capaz de promover soluções para coisas verdadeiramente importantes.
    Agora é que vai ser!…

    Ainda muito mais se há-de ver, concerteza.

    ResponderEliminar
  2. A Câmara é contra? Ninguém sabe qual é a posição da Câmara porque isso nunca foi alvo de debate. O Porto está em crise e nós na iIdade Média. Está certo!

    ResponderEliminar
  3. Caro Pedro, creio que o jornalista do JN deve ter percebido mal a explicação do Dr. Firmino Marques, Presidente da Junta de S. Victor, pois em momento algum da reunião se provou que o traçado ou a solução encontrada era do desagrado da CMB. Pelo contrário, na reunião informou-se a delegação que partiu de Braga, de que o projecto é da CMB, pelo que à E.P. apenas competirá a fiscalização do projecto e a execução da obra.
    Lamentável é todo um processo de obscuridão que paira sobre este tema, além de que as entidades estão pouco disposta a colaborar com quem deseja o melhor para as Sete Fontes, tendo em conta que estão pouco receptivas a assumir novas ideias, cerrando o diálogo logo à partida. Foi assim com o IGESPAR. Foi semelhante com a E.P. . Não sabemos com a CMB, pois foi a única entidade com responsabilidades directas sobre as Sete Fontes que ainda não nos recebeu. E posso afiançar que é, ainda, lamentável que aquilo que foi apresentado a Braga, em Maio, pela CMB, como um estudo rudimentar para as Sete Fontes, seja o mesmo projecto que está na E.P. como projecto final de execução. E é preocupante como o IGESPAR coloca à discussão pública o alargamento da Zona Especial de Protecção das Sete Fontes e o estudo de impacto da obra não muda, nem tão pouco a E.P. mostrava abertura para sugerir à CMB alterar o projecto. Creio que neste momento é tudo prioritário menos o famoso Parque Verde das Sete Fontes e os monumentos que dão nome àquela zona.

    ResponderEliminar
  4. Afinal parece que quem mais prejudica Braga não é o Porto. Imagine-se um cacique iletrado como Mesquita Machado que Braga promoveu à qualidade de Rei Iluminado a governar o Minho? Quem quer?

    ResponderEliminar
  5. e a vergonha vai passeando por Braga...
    João Rodrigues

    ResponderEliminar
  6. Quem votou no Eng Mesquita que tire as suas ilações!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores