Fim de Linha

| Partilhar

10 comentários:

  1. Alcatrão é que está a dar.

    ResponderEliminar
  2. Se não irradiam do Grande Porto e da Grande Lisboa, para quê recuperar?

    ResponderEliminar
  3. Discúlpame por no hablar portugués, es una pena no poder disfrutar de los paisajes de Tras Os montes en tren, espero que esta denuncia que realizáis tenga buenos resultados y modernicen las lineas.Gracias por el reportaje.

    ResponderEliminar
  4. "Se não irradiam do Grande Porto"

    Todas as vias férreas a norte do Douro irradiam a partir do Porto.

    ResponderEliminar
  5. é os envestimentos feitos pela m... dos nossos governos, todos muito fraquinhos, que entreguem as linhas aos envestidores Espanhois, esses vão fazendo qualquer coisa... triste sina a de ter sapateiros como governantes... mas que fazer, é o que temos.

    ResponderEliminar
  6. Mais uma reportagem que nos confirma o que já sabemos: Estamos atrasados 'anos luz' em relação ao país vizinho. Portanto, e infelizmente, sou obrigado a concordar com o último comentário. Mas ainda vou ser mais radical: Devia-se entregar também o governo deste país aos nossos vizinhos. Talvez assim saíssemos da 'cepa torta'...

    ResponderEliminar
  7. Desenvolver de novo o caminho de ferro em regiões onde ele existiu seria um acto de justiça para as populações que não têm alternativas.A questão de via para essas linhas encerradas seria, salvo melhor opinião, a questão principal.Oxalá alguém entenda um dia, as vantagens do comboio e o serviço público que presta.

    ResponderEliminar
  8. "para as populações que não têm alternativas"

    Um reparo: na Europa moderna, o comoboio não pretende ser a alternativa para quem nada mais tem, pretende antes ser a ESCOLHA.

    É assim um bocado como o Braga-Porto, quase toda a gente ali tem carro mas preferem o comboio por uma série de razões.

    ResponderEliminar
  9. viva,
    só um reparo nos comentários que acabei de ler... tem um comentário que é indicativo de ser escrito por um espanhol... não deixa de ser um pouco irónico quando um outro comentador diz: "triste sina a de ter sapateiros como governantes" agora vejam lá se um espanhol não poderá pensar que se estará a referir ao zapatero de Espanha, que também é governante... tenha lá cuidado anónimo das 18:24h

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores