O Crime Compensa

| Partilhar
«Paulo Baptista assinou a arbitragem com maior influência no resultado a que assisti nos últimos anos. É inaceitável que uma equipa de arbitragem possa demonstrar tamanha incompetência. Casos como este, no Benfica-Sp. Braga, demonstram diversas coisas: 1) Os erros dos árbitros fazem parte do jogo e isto é algo que dirigentes, treinadores e jogadores não devem esquecer; 2) Antes de pensarmos em grandes tecnologias, é fundamental trabalhar com os árbitros, para que possam ser melhores. 3) Também é fundamental que a Liga puna de forma exemplar os árbitros que, como Paulo Baptista, influenciam os resultados.
Esta é a segunda vez que abro excepção à regra que estabeleci para mim próprio: dar pouca importância às falhas das equipas de arbitragem, evitando assim participar em linchamentos públicos. Mas há momentos em que denunciar o mau trabalho de quem apita é a única possibilidade para quem tem o dever de emitir opinião.
» [Mais Futebol]

Num só dia, a Comissão de Disciplina da Liga Portuguesa de Futebol conseguiu dar vários tiros na credibilidade que ainda lhe restava. Ao arquivar o inquérito à suspeita alteração do árbitro nomeado para o jogo entre Benfica e Braga e ao castigar aqueles que tiveram coragem de denunciar a incompetência atroz dos árbitros nacionais, a Liga Portuguesa de Futebol deu provas da podridão que grassa nas altas instâncias desportivas do país. Como se não bastasse, a Liga anunciou castigo a Lisandro Lopez por simular um penálti no jogo com o Benfica, fechando os olhos à simulação de Di Maria no jogo contra o Braga.

Saliente-se que para o arquivamento do processo relativo à nomeação de Paulo Baptista, muito contribuiu a postura verdadeiramente inacreditável de Mesquita Machado. Depois de tanta algazarra televisiva, o autarca bracarense não colaborou com o processo de investigação e faltou a todas as inquirições.

Todas estas decisões e posturas contribuem para acentuar a degradação da clima desportivo nacional e para afastar dos estádios os adeptos que ainda restam. A incompetência dos árbitros continua a passear-se de forma escandalosamente descarada pelos estádios. Enquanto isso, o Benfica ganha Taças... Haja decoro!

6 comentários:

  1. Esta encenação toda do sr.(com letra minuscula de propósito)Mesquita Machado,tinha só o fim de provar que é um grande actor de teatro.E que com papas e bolos se enganam os tolos.

    ResponderEliminar
  2. Fez bem, não tinha provas...
    Eu também sei muita coisa, só que não tenho provas...

    ResponderEliminar
  3. O Árbitro do jogo Braga-Porto vai ter o mesmo fim.
    Os dirigentes e treinadores do Braga é que certamente não serão tão punidos, pois foram muito mais contidos.
    Porque será?
    Por Jesus ter uma promessa de contrato?
    Ou pelo corruptor (desportivamente condenado) Pinto da Costa, com presença assídua em lugar "VIP" do Estádio Axa, ter feito uns negócios "amigos"?


    Falando do que interessa, os erros vão continuar a acontecer, os árbitros têm que ser classificados em conformidade.
    Se criarem condições para termos melhores árbitros, esses melhores árbitros têm que conseguir atingir o topo da arbitragem portuguesa.
    Nada mais do que isto.

    Tudo o resto, não passa de coação, como todos o fazem quando se sentem prejudicados.

    ResponderEliminar
  4. Pedro, é que o lance do Di Maria com o Braga não reune os tais 5 requisitos regulamentares que incidem sobre o caso Lisandro...
    Desde logo o penalty não entrou nem influenciou,objectivamente, o resultado do jogo.
    Casos como os de Leandro são excepcionais mas muito justos e até o árbitro Proença contribuiu para o desenlaçe quando escreveu no relatorio que o jogador do Porto tinha sido rasteirado (nunca o foi...)como reconheceu que errou (um dos tais 5 requisitos).
    Quando ao facto de ter sido um jogador do Porto a inaugurar esta penalidade regulamentar, por mim não fico chateado (já agora se isso se refletisse com perda de pontos com o Amadora, já que com o Vitória nunca poderia jogar,melhor ainda, mas era bom de mais...), mas que sirva de exemplo para situações futuras.
    A próxima parte do regulamento de disciplina a aplicar, já agora, seria a condenação do jogador que pede cartão amarelo para o seu adversário (feio e nada ético, já que só tem o direito de reclamar...
    E depois no estrangeiro esquecem-se que o árbitro não perdoa...

    ResponderEliminar
  5. Ridículo o castigo a Lisandro. Mais uma prova de que não há coerência alguma no futebol português. Por dezenas de motivos.

    ResponderEliminar
  6. O futebol português está podre!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores