Comentadores Que Fascinam

| Partilhar
«A imagem de Jorge Jesus está a cargo de Moreno, que Deus iluminou no preciso momento em que resolveu acabar com as madeixas na alva cabeça do treinador.» [Alexandre Pais]

Isto é uma pequena amostra da crónica que Alexandre Pais escreve no Record. No fundo, a demonstração cabal do amontoado de lixo em que se tornaram os jornais desportivos de Lisboa. Leiam as barbaridades que ele escreve para que melhor saibamos separar o trigo do joio jornalístico.

9 comentários:

  1. Deixa lá porque me Braga temos o Correi do Minho.

    ResponderEliminar
  2. Achas mesmo indispensável a referência a "Lisboa"? Se o jornal é mau, para quê a referência a Lisboa? Se o jornal fosse bom, referirias que se trata de um jornal de Lisboa?

    ResponderEliminar
  3. Caro Filipe,

    Acho necessária porque se nota a diferença entre o comportamento dos jornais com sede no Norte (O Jogo e Jornal de Notícias) e aqueles que têm sede em Lisboa.

    Aliás, o Record é um jornal que sistematicamente dá destaque a assuntos menores dos clubes de Lisboa.

    ResponderEliminar
  4. Caro Pedro, eu sei perfeitamente que o Record é completamente anti-Porto. Mas nisso tem o apoio de muitos (não todos!) benfiquistas e sportinguistas espalhados por todo o país (não só em Lisboa). É para eles que o Record escreve, e são eles (não só em Lisboa) que o compram e que tornam essa (triste) linha editorial comercialmente viável. Se precisas de referir que o Record é "de Lisboa" para apontares (justamente) o monte de lixo que contém, da próxima vez que elogiares alguma matéria do Público, do DN ou do Expresso agradeço que refiras que são jornais "de Lisboa."

    ResponderEliminar
  5. Caro Filipe,

    Eu estou-me nas tintas para o Porto... Não gosto do tratamento que o Record dá ao Braga e disso darei nota sempre que entender pertinente.

    Quanto ao Expresso, digo muitas vezes que está longe de ser um jornal nacional... Achas possível que tenha alterado uma edição nacional por causa de um feriado local em... Lisboa?

    O DN também tem um critério para as notícias de Lisboa e outro para as do resto do país.

    Quanto ao Público, vai-se distinguindo dos outros, talvez por os donos serem do Porto. Talvez seja, juntamente com o JN, um dos únicos jornais verdadeiramente nacionais.

    ResponderEliminar
  6. "Não gosto do tratamento que o Record dá ao Braga e disso darei nota sempre que entender pertinente."

    Claro, pá. A questão não é essa: é tu designares o Record por "jornal de Lisboa". É o ser de Lisboa que faz dele um mau jornal? Não há jornais razoáveis em Lisboa? Não há jornais maus no Minho?

    "Achas possível que tenha alterado uma edição nacional por causa de um feriado local em... Lisboa?"

    A questão se bem me lembro não era essa. Tinha a ver com as últimas eleições autárquicas intercalares. É uma política do Expresso sair às sextas antes de eleições (para poder publicar as últimas sondagens). Será que umas autárquicas só em Lisboa justificam isso? Francamente não sei. Olha que as eleições em Lisboa eram um laboratório para a política nacional e tiveram implicações nacionis (demissão do Marques Mendes) que nenhumas outras teriam. O Expresso se não o fizesse ficaria em desvantagem com os diários que publicaram as sondagens na 6 feira. Mas compreendo a tua indignação e a de quem não se interesse pelas eleições de Lisboa. O Expresso achou que a maioria dos seus leitores se interessava. É uma questão interessante. Percebo o teu ponto de vista, mas percebo o Expresso. :)

    ResponderEliminar
  7. Caro Filipe,

    1. Eu acho que este jornal dá o tratamento que dá ao Braga por ser de Lisboa e, pior do que isso, por ser centralista.

    2. O Expresso alterou a edição por causa do Santo António que foi em Junho e as eleições foram em Julho.

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Peço desculpa por destoar do coro de protestos, mas não me parece que o jornalista no artigo em questão tenho sido ofensivo para com o Sr Jorge Jesus. Antes pelo contrário. Limita-se a constatar uma série de factos que se aplicam não só a ele, mas a outros treinadores como Manuel José, Manuel Cajuda, só para exemplificar, que apesar de terem um percurso sólido, muito mais do que José Mourinho tinha antes de chegar ao Porto e ser campeão da taça uefa e liga dos campeões, nunca passaram para o grupo de treinadores que só treinam grandes clubes.

    ResponderEliminar
  9. Essa conversa sobre jornais «de Lisboa» é um bocado provinciana, não é?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores