A Chantagem

| Partilhar
Mãos ao ar
© Filipe Dâmaso Saraiva

Quando os camionistas perturbaram a ordem pública do país ganharam como recompensa um conjunto de benesses oferecidas pelo Governo e pagas pelos contribuintes. A cedência do Governo à chantagem dos camionistas abriu um precedente muito grave ao qual os diferentes grupos profissionais não ficaram, obviamente, indiferentes.

Esta semana foi a vez dos militares. A chantagem, as ameaças de perturbação da ordem constitucional e as insinuações sobre o futuro da democracia são graves e imorais. E o silêncio dos responsáveis é altamente perturbador.

2 comentários:

  1. É evidente que com o afastamento dos militares da vida politica, todos os governos "abusam" da consolidação da democracia e da integração europeia para ignorar os militares,já que sabem que nao há condições para golpes militares..
    O problema é que os militares devem ser tratados com dignidade, claro no quadro da redução da despesa pública de que já vêm sendo vitima os funcionários públicos.
    Só que, em tempo de paz, a redução da despesa militar deve ser obtida pelo lado dos investimentos, isto é, não a submarinos, não a aviões de guerra sofistificados.Isto é, os americanos é que devem pagar o equipamento de guerra (mesmo mandando sucata) para as operações de Portugal no exterior.As responsabilidades da NATO devem ser pagas pelos paises ricos e não por Portugal,embora, dou de barato, possa incluir forças, mas só na Europa...
    Só que os nossos governos, todos pró-americanos, não vêm isto...
    Pronto, que continuem cegos...

    ResponderEliminar
  2. Está na hora dos operários, reformados, pensionistas e a malta do RMG cortarem as estradas.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores