Um País de Desigualdades [2]

| Partilhar
São apenas 22 empresas do Minho na lista das 500 maiores de Portugal, sintoma de um país de enormes desigualdades. Do terceiro maior distrito do país constam 18 empresas enquanto que Viana apenas coloca 4. A maior do Minho, a Continental Mabor de Lousado, é a 46ª da lista, enquanto que o sector mais representado é o da construçao civil com 5 empresas entre as 22 mairores.

1 (46) – Continental Mabor – Indústria de Pneus, SA (Braga)
2 (58) – Blaupunkt Auto Rádio Portugal, Lda (Braga)
3 (153) – Portucel Viana – Empr. Prod. De Papeis Indistriais, SA (Viana)
4 (157) – Norace – Construção de Auto-estradas do Norte, ACE (Braga)
5 (171) – Casais – Engenharia e Construção, SA (Braga)
6 (186) – Ilídio Mota – Petróleos e Derivados Lda (Braga)
7 (204) – Safebag – Ind. Componentes Seg. Automóvel, SA (Viana)
8 (278) – Domingos da Silva Teixeira, SA (Braga)
9 (287) – FDO – Construções, SA (Braga)
10 (290) – Estaleiros Navais de Viana, SA (Viana)
11 (313) – Solidal –Condutores Eléctricos, SA (Braga)
12 (359) – Coindu – Comp. Para a Indústria Automóvel, SA (Braga)
13 (404) – Carlasse – Comércio de Automóveis, SA (Braga)
14 (410) – Construções Gabriel A S Couto, SA (Braga)
15 (440) – Dalphi – Metal Portugal, SA (Viana)
16 (450) – Irmãos Vila Nova, SA (Braga)
17 (455) – Cooperativa Agrícola de Barcelos, CRL (Braga)
18 (459) – Cabelauto – Cabos para Automóveis, SA (Braga)
19 (468) – Lameirinho – Indústria Têxtil, SA (Braga)
20 (487) – Gabor Portugal – Indústria de Calçado, Lda (Braga)
21 (497) – Riopele Têxteis, SA (Braga)
22 (498) – JSGomes – Sociedade de Construções do Cavado, SA (Braga)

* Dados da Revista Focus de 17/09/2008. Entre parêntises a posição no ranking nacional.

12 comentários:

  1. O distrito de Setubal deve ter menos sedes e tem seguramente muito maior, melhor e mais bem remunerada oferta de trabalho para os seus habitantes.

    As empresas de construção de Braga trabalham em todo o país e são de Braga. Todas as agências bancárias de Braga são empresas de Lisboa e Porto quando em boa verdade são empresas de Lisboa porque o Porto só tem sedes sociais.

    O que se pretende realçar neste post também tem outra leitura no que toca a desigualdades:

    BR/GMR/VNF/VC quantas empresas têm das 22 maiores minhotas?

    A provincia não é em grande parte culpada destas assimetrias?

    Vejamos: A provincia adora shoppings. E o que é um shopping? Uma empresa de Lisboa ou Porto que assegura a presença de Lojas de referência (leia-se empresas com sede e contabilidade centrada em Lisboa). Juntos rebentam com o comércio da pequena burguesia de cada localidade. Logo...

    ResponderEliminar
  2. Norace – Construção de Auto-estradas do Norte, ACE é do Porto! Será que mudou de sede!?

    ResponderEliminar
  3. Outro desafio: quantas de entre estas 22 estão representadas na internet?

    ... o verdadeiro "choque".

    ps: No ano de 2008, não deveriam estar representadas online pelo menos as 500 maiores empresas portuguesas?

    ResponderEliminar
  4. Se me permitem, vou colocar a pergunta d'outra forma. Se fossem um empresário, e quisessem instalar uma grande unidade fabril em Braga (concelho), onde a colocavam?


    Ao fim de lgumas procuras, facilmente chegaram à conclusão que não existe local preparado (no PDM) em Braga para alocar tal unidade fabril. Este, na minha opinião, é que é o maior problema de todos. As zonas industrias criadas em Braga são mixurucas, sem serviços de apoio, e, tirando a de Celeirós e Sequeira, longe das infra-estruturas de transporte (como o terminal de mercadorias de Aveleda).
    Pergunto também se sabiam que já existiram grandes empresas com intenções de se instalar em Braga, mas tal não aconteceu devido a este facto?
    Pelo que me disseram, não estou 100% seguro, a última foi a Honda que queria instalar uma unidade fabril de componentes automóveis. Pelo menos ficou no Minho, vai para Famalicão.

    ResponderEliminar
  5. "em serviços de apoio, e, tirando a de Celeirós e Sequeira,"

    Celeirós, aquele parque industrial cuja avenida principal parece Beirute nos anos 80?

    ResponderEliminar
  6. Ora o Caesar coloca aqui muito bem a questão. E se querem uma cidade competitiva, vale a pena pensar nisto. É o urbanismo, senhores!

    ResponderEliminar
  7. Caro Dario,
    Referia-me ao facto de estar perto do terminal de mercadorias em comboio, Marn e várias auto-estradas, e não da qualidade do mesmo.

    ResponderEliminar
  8. “A provincia não é em grande parte culpada destas assimetrias?

    Vejamos: A provincia adora shoppings. E o que é um shopping? Uma empresa de Lisboa ou Porto que assegura a presença de Lojas de referência (leia-se empresas com sede e contabilidade centrada em Lisboa). Juntos rebentam com o comércio da pequena burguesia de cada localidade. Logo...”

    Como facilmente podes constatar, a grande parte de shoppping´s em Portugal estão na AML e AMP (uma na província do Douro Litoral e outra na província da Estremadura).

    O que está em causa é o governo que orienta pouco grandes industrias multinacionais para estas zonas do país, a par disso as autarquias não tem capacidade interventiva para reclamar grandes projectos industriais.

    Existem muitos exemplos:
    Fábricas IKEA - Inicialmente para Ponte de Lima--> Depois Penafiel;
    Qimonda SA - Inicialmente entre Braga e Porto (Possivelmente V.N. Famalicão )--> V do Conde;
    Etc…

    É necessário inverter esta tendência…

    ResponderEliminar
  9. “A provincia não é em grande parte culpada destas assimetrias?

    Vejamos: A provincia adora shoppings. E o que é um shopping? Uma empresa de Lisboa ou Porto que assegura a presença de Lojas de referência (leia-se empresas com sede e contabilidade centrada em Lisboa). Juntos rebentam com o comércio da pequena burguesia de cada localidade. Logo...”

    Como facilmente podes constatar, a grande parte de shoppping´s em Portugal estão na AML e AMP (uma na província do Douro Litoral e outra na província da Estremadura).

    O que está em causa é o governo que orienta pouco grandes industrias multinacionais para estas zonas do país, a par disso as autarquias não tem capacidade interventiva para reclamar grandes projectos industriais.

    Existem muitos exemplos:
    Fábricas IKEA - Inicialmente para Ponte de Lima--> Depois Penafiel;
    Qimonda SA - Inicialmente entre Braga e Porto (Possivelmente V.N. Famalicão )--> V do Conde;
    Etc…

    É necessário inverter esta tendência…

    ResponderEliminar
  10. “A provincia não é em grande parte culpada destas assimetrias?

    Vejamos: A provincia adora shoppings. E o que é um shopping? Uma empresa de Lisboa ou Porto que assegura a presença de Lojas de referência (leia-se empresas com sede e contabilidade centrada em Lisboa). Juntos rebentam com o comércio da pequena burguesia de cada localidade. Logo...”

    Como facilmente podes constatar, a grande parte de shoppping´s em Portugal estão na AML e AMP (uma na província do Douro Litoral e outra na província da Estremadura).

    O que está em causa é o governo que orienta pouco grandes industrias multinacionais para estas zonas do país, a par disso as autarquias não tem capacidade interventiva para reclamar grandes projectos industriais.

    Existem muitos exemplos:
    Fábricas IKEA - Inicialmente para Ponte de Lima--> Depois Penafiel;
    Qimonda SA - Inicialmente entre Braga e Porto (Possivelmente V.N. Famalicão )--> V do Conde;
    Etc…

    É necessário inverter esta tendência…

    ResponderEliminar
  11. Caro Caesar,

    Não discuto - claro! - da centralidade do PI de Celeirós. É inegável de tão óbvia.
    Mas, que tem mau aspecto... tem.

    O "jardim" da rua central é uma amostra de Beirute dos telejornais de há vinte anos atrás.
    Não há regras ou compromissos para a gestão destes espaços? - pergunto eu.

    ResponderEliminar
  12. Se eu tivesse um restaurante, loja de pronto-a-vestir ou gabinete de contabilidade em Braga davaa-me um gozo do c****** saber que a Honda vai para Famalicão só por Minho!

    O que me interessaria era saber porque não tem a CMB uma reserva de terrenos para solicitações deste tipo. Anda a pagar um estádio de 20 minhões de contos? Já sabia!

    Agora aguenta Braga que o tempo do teu fulgor já foi!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores