A Ejaculação Precoce

| Partilhar
Portugal Fans
Fotografia: © Kianoosh

Quando eu era pequenino exploravam as vitórias do futebol até à exaustão. Filmavam-se jogadores desnudados nos balneários, entrevistava-se a assombrosa mulher do presidente da colectividade e visitava-se a capelinha do bom agoiro, numa síntese capaz de deleitar tanto o mundo dos amantes do futebol quanto o universo (sobretudo) feminino severamente desligado dos pormenores da coisa. Agora que as mulheres descobriram os seus prazeres e suspeitando-se da impotência desta nova geração de talentos, exploram-se os preliminares até ao tutano, numa extemporânea ejaculação precoce de contentamento pelos feitos a haver.

O espectáculo de hoje foi ridículo e deprimente, mas não deixa de ser metáfora do país. Esta ânsia de festejar antes do tempo, paradigma de uma sociedade de gente fútil, farta de tudo sem esforço nenhum, habituada ao sistemático premiar da mandriice e da indolência, desabituada de prestar contas e profundamente crente num Estado capaz de resolver todas as (ir)responsabilidades individuais, é o sintoma mais evidente da doença grave que se abateu sobre Portugal.

À medida que a crise social se adensa, o país vai oscilando entre a depressão psicótica e a euforia delirante num ritmo assustadoramente doentio. Por muito que custe e, tal como António Barreto escreve no Público, é preciso trabalhar, trabalhar. Deixemos a euforia para depois.

23 comentários:

  1. O que há uns anos atrás se considerava ridiculo, até típico de um país da America Latina, é hoje visto como um exemplo a seguir.

    Grande parte da população deste "rectângulo" revela uma inversão gritante dos seus princípios e das suas prioridades.

    Veja-se o exemplo de ontem, em vez de se boicotar as grandes fornecedoras de combustíveis, uma causa fundamental para o bem colectivo desta nação, andaram (os portugueses) a fazer figuras tristes atrás de um autocarro, a adorar a selecção.

    Meus amigos, a cultura latina parola de terceiro mundo chegou e veio para ficar.

    Nos próximos dias, o ponto alto desta histeria colectiva, será a colocação de bandeiras nas janelas dos lares deste país.

    Enfim...

    ResponderEliminar
  2. não podia estar mais de acordo. tem é que se aplicar a tudo

    ResponderEliminar
  3. O que se passou Domingo na televisão, com as três estações a transmitirem em directo cada espirro e coçadela da selecção ao longo de uma tarde inteira e retomando o assunto ao menor dos pretextos durante o resto do dia, só pode ser classificado de pornografia vermelha e verde.

    ResponderEliminar
  4. É tão fácil criticar um povo! Mas alguém acha que a mentalidade de um país muda de um dia para o outro? Querem que as pessoas seja diferente? Então sejam diferentes. Dêem o exemplo. Parem com o treino de bancada. É inútil. E parem de criticar muita gente que pouco mais aprendeu do que ler e escrever!

    Este país não precisa de mais opiniões! Precisa de acções, não só da parte dos políticos, mas, acima de tudo de todos os cidadãos comuns!

    ResponderEliminar
  5. @Anónimo:

    Só não percebo porque é que o boicote às grandes fornecedoras de combustíveis é uma causa fundamental para o país, nem sequer vejo efeitos práticos em tal atitude.

    Fundamental para o país é reduzir a dependência do petróleo.

    ResponderEliminar
  6. não sei do que se queixam. um povo que baba de prazer assistindo à ignominia do massacre que os mesquinhos e invejosos fazem àqueles que ousam com organização e profissionalismo libertar-se da mediocridade endémica, merece todo este espectáculo pimba e patético. merece-o e foi especialmente realizado para ele: para o povo que 34 anos depois do 25 de abril continua ignorante, com um país onde as desigualdades sociais são as mais altas da europa ocidental e américa do norte, com um país onde as desigualdades entre uma região priviligiada e as outras aumentam cada dia que passa, e onde a liberdade de expressão começa cada vez mais a estar ameaçada em muitos grupos profissionais.

    o mais fantástico ainda é ver que é nos bairros mais pobres e entre os emigrantes, aqueles que são mais rejeitados e prejudicados pelo sistema, que o 'patrioteirismo' campeia. é nos bairros sociais que se vêem mais bandeiras nas janelas, são os emigrantes que fazem as mais feéricas manifestações de apoio à 'selecção'. o patriotismo foi inventado pelas oligarquias a fim de melhor dominarem a massa ignara. é uma receita já velha, cuja génese acompanha o nascimento dos estados soberanos da idade moderna e a ascenção da burguesia, teve o seu apogeu no século xix e 1ª metade do século xx, foi responsável por vários ignóbeis holocaustos, mas continua eficaz. VIVA A SELECÇÃO CARAGO!!

    ResponderEliminar
  7. Mas apesar de tudo e felizmente, existem criaturas excelsas como vocês, que pairam sobre a "parolada" e não se cansam de alumiar os "escuros de espírito" como nós ... bem hajam

    ResponderEliminar
  8. E eu a pensar que tinha sido a única incapaz de "fintar" a magnificiência da nossa programação.

    Sem querer desmerecer os jogadores de futebol - até porque eu sou fã do desporto - enquanto as pessoas olharem para os mesmos e virem figuras a idolatrar não há muito a dizer sobre o país.

    ResponderEliminar
  9. Concordo inteiramente com a crítica. A histeria, a falta de critério, a repetição ad nauseum de cada lugar comum futeboleiro irritaram no dia ontem. Vão continuar a irritar enquanto durar a participação nacional no Europeu.

    No entanto, estou em desacordo com o Pedro quanto às explicações. A ansia de festa não é a prrova de um país de "gente fútil, farta de tudo sem esforço nenhum, habituada ao sistemático premiar da mandriice e da indolência". Penso que é exactamente o contrário. É a prova de um país cansado de se esforçar sem ver o seu esforço premiado, que se agarra à primeira e vaga luz de esperança para libertar a frustação de um país pobre e desencantado, transformando-a em euforia excessiva e hiperbólica. É um recalcamento às avessas, se assim quisermos. E os media, como sempre, acriticamente, vão na onda, exultam-na, exaltam-na e amplificam-na. Esses sim, senhores do ócio e da malandrice, com que se enche um dia de emissões com recursos mínimos e redundância máxima.

    ResponderEliminar
  10. CONCORDO EM ABSOLUTO COM ESTE POST. ESTE POVO NÃO TEM PONTE POR ONDE SE LHE PEGUE.MERECE VIVER NO ESGOTO EM QUE SE ENCONTRA.

    ResponderEliminar
  11. Usar o futebol como forma de libertação das frustrações só evidência a falta de cultura deste povo.

    ResponderEliminar
  12. este post e correspondentes comentários só me fizeram uma coisa...rir!

    bravo, bravo, bravo! é só gente culta e educada que por aqui anda, coitado do povinho que não aderiu ao boicote das gasolineiras (talvez porque o povinho saiba que isso não daria em nada!), coitado do povinho que foi para as ruas ver a selecção (e vocês que fizeram? zaping pelos três canais?), coitado do povo que não tem cultura porque saiu á rua para dar força aos jogadores (se ninguem tive-se ligado é que era! eramos um país cheio de cultura!)...

    por favor deixem de ser assim, olhem para o vosso umbigo! com certeza verão lá algum cotão...

    ResponderEliminar
  13. Rapidamente passarão de bestiais a bestas e os mesmos que se prostraram à sua passagem para venerar tais ídolos não terão pruridos em os insultar no caminho de regresso vergados pelo peso da derrota

    ResponderEliminar
  14. É muito fácil para alguns cair na tentação de falar mal dos portugueses e de Portugal, mas concordo com Agostinho da Silva nas conversas vadias, quando dizia que o povo português é um grande povo - e temos aí a História para o provar.
    O que os portugueses precisam é de grandes projectos mobilizadores (temos povo com garra necessária para os concretizar).
    Mas temos um grande problema: as elites do país não estão ao nível do povo - são medíocres e de vistas curtas.
    Se não temos um povo mais instruído, é porque não se investiu nas pessoas.

    ResponderEliminar
  15. Ontem e hoje não vi televisão.

    Não vi o Presidente da República a receber uma equipa de desportistas, não vi o povo a empurrar um autocarro sem gasóleo Galp no deposito, não vi os desportistas a entrar no avião ou a fazer o chichi, a comer a azeitona, a palitar os dentes, a coçar a virilha.

    Serei burro?

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  16. Nuno , com muito orgulho em ser português!2 de junho de 2008 às 22:56

    ridículo e deprimente , do mais estupido que vi ultimamente, foi este post e consequentes comentarios...enfim...tipico de pessoas k se julgam mais importantes ou mais cultas apenas por ser do contra...nunca pus ,nem porei kalker bandeira na janela,ate pq n preciso de demonstrar a minha fe a ninguem(tenho a bandeira estendida na parede do meu quarto 365 dias por ano)...mas emociono-me ao ver tanta união e apoio ,não a uma ekipa ou desporto,mas a um pais!!!e é isso k está aki em causa.as pessoas n foram apoiar o ronaldo ou o simão! foram apoiar o pais ,numa demonstração de união impressionante.
    mais uma vez vejo aki criticados,tb ,os emigrantes em vez de os enaltecerem pelo apoio (e não comemoração do k ker k seja)demonstrado...é triste de vossa parte...
    Sou português,identifico-me com o meu pais!adoro artes e principalmente musica alternativa mas tb o futebol ,a festa , a tradição ,a união popular e muitos mais valores tão tipicamente portugueses ... e custa-me a compreender o vosso ponto de vista ... a não ser ,como é obvio , a enchurrada de informação repetitiva k a partir de agora,e com o aproximar do euro, se verá na televisao...
    Akilo m me faz sentir orgulho ( e a tantos milhoes) em ser português é o k vos faz sentir envergonhados...pensem bem e reflitam se sentem portugueses ou se estão no pais certo...

    ResponderEliminar
  17. As pessoas não apoiaram nem uma equipa de desportistas (ainda que o "desporto - este desporto - se tenha transformado num negócio chorudo e pago pelos meus impostos) nem um país.

    As pessoas apoiaram a metáfora do sucesso, do sucesso grupal, do sucesso "nacional", algo a que não estamos habituados desde o Achamento do Brasil
    As pessoas idolatram heróis e o que eles representam, precisamente o que não são nem têm.

    É só amor.

    ResponderEliminar
  18. Simplesmente um espectáculo de primente.Um circo bem montado por um bando de chulos que não querem que o povo seja mais culto e comece a exigir mais e melhor saúde,melhor educação,justiça mais célere e igual para todos,melhor distribuição da riqueza e paz social.

    ResponderEliminar
  19. ..."reflitam se sentem portugueses ou se estão no pais certo..."

    Caro Nuno,

    O patriotismo mede-se pela forma como as pessoas se apercebem da realidade, se preocupam, participam e lutam pelo seu país.

    O futebol é meramente uma batalha virtual.

    Ao contrário do que diz no seu comentário, a mim entristece-me ver os portugueses entretidos com os jogos do coliseu, sem terem noção das verdadeiras causas do seu país.

    Na minha opinião, este povo que se deixa iludir pelo "circo" não tem um grande futuro.

    ResponderEliminar
  20. Ninguém diz que é manipulado...até ter a noção de que é manipulado.
    Antes era Futebol, Fado e Fátima. Agora é Futebol, Futebol e Futebol, e quem não percebe porque o futebol é cada vez mais o ópio da nação, não percebe como as elites portuguesas manipulam este povo. Antes do 25 de Abril e depois.
    Quem sabe o que é Bilderberg? não, não é um novo reforço do Benfica.

    ResponderEliminar
  21. Vou vos dar uma pistazinha , quem quiser saber quem nos manipula, estão aqui todinhos....

    http://www.semanario.pt/noticia.php?ID=2573

    ABRAM OS OLHOS!

    ResponderEliminar
  22. Eu ainda acredito que o Elvis é vivo, daí ao Bilderberg é um saltinho.


    ......

    ResponderEliminar
  23. Espero que esta ejaculação d~e força á selecção lol

    até rimou

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores