A Peixeirada

| Partilhar
«De passagem, entre eleições do PSD e selecções em jogo, uma notícia sobre "peixeirada" na lota de Matosinhos. Assim mesmo, o título: um tom levemente jocoso, de quem não leva muito a sério o que se passou. Em Espanha, o pescado foi distribuído a quem se chegasse à frente; em Portugal, mediante a possibilidade de ser entregue à caridade, destruído a pontapé.»

Foi mesmo assim. Estas palavras ilustram bem a naturalidade com que meio país, autoridades e governo incluídos, assistiram ao bloqueio de estradas, à revista compulsiva de automóveis particulares e à destruição da propriedade de terceiros. Mesmo não concordando com as razões do protesto, respeito-o e não vou tão longe quanto a Margarida quando afirma que «a cultura política deste país parou em 75». No entanto, parece que entre os que trazem Abril na guelra, há muitos que ainda não perceberam a verdadeira dimensão da liberdade em democracia.

8 comentários:

  1. Com milhões de crianças a morrer à fome...

    ResponderEliminar
  2. já diz o ditado: em casa que não há pão todos ralham e ninguém tem razão.
    Estas situações irão repetir-se devido ao constante clima de perturbação e sentimento de desigualdade que aumenta no nosso país.
    São efeitos de vários governos que se fixaram unicamente no economia e deixaram de lado a vertente social...afinal de contas, a mais importante.

    ResponderEliminar
  3. Pensava que te referias à peixeirada entre o Luís Filipe Menezes e o Peixeiro..caramba..e o Pacheco Pereira..

    ResponderEliminar
  4. Não é politicamente correcto mas, às vezes, contra a "injustiça democrática" também se deve reagir, indo além da mera indignação, muitas vezes insuficiente...
    É que para grandes males grandes remédios e são precisos heróis mesmo que venham a pagar com a justiça dos tribunais democráticos.

    Sou pela democracia mas também acho que umas "caneladas" que não matam e só aleijam, não ficam mal de todo...

    O mercado às vezes também se regula á porrada...

    ResponderEliminar
  5. Todos têm o direito à greve e a manifestarem-se mas, não contemplo em democracia, um conjunto de civis obrigarem todos que tentam sair de uma lota, a parar o carro e a mostrar o que levam na mala. Não têm legitimidade para tal... Também me choca entrarem na lota de Matosinhos e destruir tudo quanto era peixe que por lá existia.

    "A minha liberdade termina quando começa a liberdade dos outros..."

    ResponderEliminar
  6. Afinal de quem é a culpa da forma como agimos? De Abril? Do antigamente? Ou a Democracia exige gente bem Educada? Temos ou não um défice Educacional e cultural? De quem é a culpa de comportamentos tão "rebeldes"? A Greve é um Direito, que necessáriamente colide com outros Direitos.A peixeirada deveu-se a qualquer coisa, que antes não devia ter acontecido!

    ResponderEliminar
  7. Em PORTUGAL há FOME!Mas também há quem estrague o que faz falta a outros.Estranha forma de ser pessoa!

    ResponderEliminar
  8. Mas não é o capitalismo que destrói laranja, tomate, etc,quando em excesso para fazer subir os preços (ou para evitar que desçam...), em ordem a uma suposta sobrevivência (não duvido...)?

    Não é isso anti-mercado?Se há produção elevada baixa o preço, não é?É tanas...

    Destroi-se (ai a fome...)para manter um preço alto (sim alto porque artificial por via da redução da oferta).

    Afinal o capitalismo, quando lhe convém, também é anti-mercado...

    Não há regulador que resista...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores