A Prostituição Não Existe!

| Partilhar
Em Portugal, a prostituição não existe. Habituados à hipocrisia bafienta, vamos lidando com a tradicional displicência com um assunto que é de saúde e segurança públicas.

Em Guimarães, os moradores da Colina Sagrada revoltaram-se contra uma actividade legalmente inexistente, ameaçando dar porrada a quem se prostituir naquela zona. De qualquer modo, as gajas até se toleram. «O que está a causar a fúria dos moradores é a proliferação da prostituição masculina no circuito das Ruas D. Mafalda, D. Urraca e João Xavier de Carvalho.» [via]

Triste país.

46 comentários:

  1. estes seres queixam-se dos politicos que nos governam e fazem oposição,,mas estes so reflectem o pensamentos mediocre dos portugueses.

    ResponderEliminar
  2. Guimarães no seu melhor...

    ResponderEliminar
  3. Isto é definitivamente de capital europeia e de cultura.....

    ResponderEliminar
  4. Como não poderia deixar de ser, estou solidario com os moradores de Guimarães.

    Havia uma maneira de resolver facilmente a situação, levar a prostituição gay de Guimarães para Braga, mais concretamente para a Rua onde mora o Pedro Morgado, tudo devidamente legalizado. A prostituição ia de Guimarães para Braga e toda a gente ficava feliz, os de Guimarães porque se viam livres dela, e os de Braga porque iam te-la legalizada.

    ResponderEliminar
  5. Grande Capital Europeia da Cultura….Muito bom exemplo!!!... Já não me lembrava que a cultura é só ir de vez em quando ao teatro… peço desculpa!

    ResponderEliminar
  6. Como se o problema fosse exclusivo de Guimarães...
    Eu é que su o bairrista, mas não viram ninguém em Guimarães dizer que Braga era uma terra de racistas porque houve um anormal a agredir uma negra. Este é um retrato de um povo que existe em TODO o país.

    Além disso, a questão nem é nova. É mais um exemplo de jornalismo maquinador, preconceituoso e irresponsável.

    ResponderEliminar
  7. "Havia uma maneira de resolver facilmente a situação, levar a prostituição gay de Guimarães para Braga"

    Eu compreendo que o Suevo, como potencial frequentador deste tipo de "comércio", gostasse que esses encontros ocorressem num local mais decente, o problema é que os bracarenses não estão interessados em atrair para a cidade esse tipo de clientela...

    ResponderEliminar
  8. "É mais um exemplo de jornalismo maquinador, preconceituoso e irresponsável."

    Boa desculpa!

    ResponderEliminar
  9. Não é desculpa. Se conhecessem o jornal em causa percebiam que é capaz de, por exemplo, colocar uma ecografia a ilustrar um texto sobre o aborto ou um inquérito de rua em que apenas selecionam as opinioes de leitores que estão de acordo com a opinião dominante.

    ResponderEliminar
  10. Em Guimarães, nem é costume perseguir aqueles que têm "gostos" diferentes...

    ResponderEliminar
  11. Não é só no campo desses “gostos”, passa também pelo desporto, lembrem-se do que aconteceu a casa do FCP de Guimarães… e ás pessoas que dizem que são do VSC, sendo de outros, só com receio de agressões ou descriminações… Uma cidade com “cultura” de outras épocas…

    ResponderEliminar
  12. A mim não me incomoda nada que haja prostituição gay em Braga. Até podem abrir cá uma casa do FC Porto que por mim não há bombas nem ameaças.

    ResponderEliminar
  13. A imbecilidade de trazer para o plano do debate cívico a arruaça futebolística é mais um exemplo do atraso cultural de TODO o país a que aludia no primeiro comentário.

    ResponderEliminar
  14. Pegando no comentário do "deixa tar que eu faço", a verdade é que ainda não consegui parar de rir.

    O Pedro, como bom cidadão, e como alguém com preocupações a nível de saúde pública, lançou aqui no blogue, um tema do mais elevado interesse.

    Parecia-me que a vontade de discutir a necessidade, ou não, de liberalizar e regulamentar esta actividade. Que existe. Que é um facto inegável. E que sem “rei nem roque” pode realmente motivar focos de criminalidade, violência e extorsão sobre as próprias profissionais, e alastramento de, por exemplo, DST’s.

    ResponderEliminar
  15. Mas ao invés disto, apareceram meia-dúzia de bairristas bracarenses, e/ou braguistas, a atribuir o problema em exclusivo a Guimarães, e a confundir mentalidades de gente idosa que ali vive, com mentalidades de quem vive do desporto, ou até mesmo da cidade que vai receber a CEC.

    Por muito que pareça que vieram fazer uma grande serviço, só vieram dar mau nome à cidade em vivem, e aos seus habitantes. Mas eu não caio no vosso erro de generalizar criticas. Tudo isto cheira-me fundamentalmente –, e permitam-me a vaidade de ser orgulhosamente vimaranense, e mais, alguém que de certa forma pensa de forma diferente (heterossexual sportinguista, que gosta da cidade e do clube, e nunca foi perseguido) – a alguma dor de cotovelo.
    Queriam ser CEC? Queriam um clube como o vitória? É problema de quem não o tem

    ResponderEliminar
  16. Imbecilidade ou talvez não… a cultura de um povo civilizado reflecte-se me todas vertentes caro Samuel. As pessoas que apreciam futebol não culturalmente diminuídas, mas sim a sua forma de viver eventos desportivos é que são reflexo da sua evolução civilizacional das pessoas ou um povo, com em tudo na vida.

    ResponderEliminar
  17. Imbecilidade ou talvez não… a cultura de um povo civilizado reflecte-se me todas vertentes caro Samuel. As pessoas que apreciam futebol não culturalmente diminuídas, mas sim a sua forma de viver eventos desportivos é que são reflexo da sua evolução civilizacional das pessoas ou um povo, com em tudo na vida.

    ResponderEliminar
  18. Claro.
    E em Braga nem há nada disso.
    Nem é a terra dos 3 P's nem nada...
    Arranjem uma vida e deixem de falar dos outros.

    ResponderEliminar
  19. Claro que o assunto não tem nada a ver com Guimarães. É uma questão transversal a toda o país.

    ResponderEliminar
  20. Perdoem-me a insensatez, mas nunca vi um problema de mercado (porque é de oferta e de procura que se trata) levantar tanta discussão. O que fica do texto é que o busílis da revolta advém da operacionalidade fáctica das leis do mercado e de como estas teriam funcionado em sentido divergente da (presumida) maioria silenciosa, a heterossexual. Se calhar é só gente endinheirada que os pobres não se podem dar ao luxo de excentricidades dessas.

    Preços altos das chamadas telefónicas? Portagens de preço exorbitante? Deputados feridos por incompatibilidades gritantes? Negociatas nas câmaras? Medicamentos unidose "proibidos" por "Socialistas"? Desemprego com taxas históricas?

    Qual quê, nada disso fustiga o beneplácito do português. Agora que Deus nosso senhor não permita que na sua rua haja mais Putos (brasileirismo) que Putas, isso não...

    ResponderEliminar
  21. “o problema é que os bracarenses não estão interessados em atrair para a cidade esse tipo de clientela...”

    Vocês bracarenses estão contra as manifestações do povo de Guimarães, eu estou com essas populações e contra a prostituição gay nas ruas dessa cidade. Por isso mesmo é que sugeri que levassem essas práticas exclusivamente para Braga, assim todos ficariam felizes.

    Estes progressistas estão convencidos que dar a outra face, que sustentar imigrantes, que defender as adopções gays é muito “in”, ao passo que consideram aqueles que são contra “atrasados”, “retrógrados”, enfim, estes progressistas são hilariantes. Julgam-se mais inteligentes porque não são conservadores, não são “racistas” nem são heterossexuais, enfim dão vontade de rir. E mostram que até nisso são culturalmente vassalos de Lisboa.

    De facto o futebol pode ser revelador dum atraso cultural, e esse atraso é visível pelo número de benfiquistas que existe em Braga. Eu sei que vocês preferem as instituições da mouraria às da vossa própria terra, deve ser por isso que aí são contra a regionalização.

    ResponderEliminar
  22. Em Braga não são 3 P's, mas sim 5... Mas pelo que parece nós temos a fama e voçÊs (vimareneses) o proveito! Vê-se logo que são de duas caras, apontam o dedo ao vizinho para afastar a culpa deles! Mas qual é o vosso problema com o gays? Tem medo de cair na tentação?! por mim quantos mais melhor, ASSIM MAIS GAJAS SOBRAM PARA EU COMER!!!

    ResponderEliminar
  23. "Se conhecessem o jornal em causa percebiam que é capaz de, por exemplo, colocar uma ecografia a ilustrar um texto sobre o aborto ou um inquérito de rua em que apenas selecionam as opinioes de leitores que estão de acordo com a opinião dominante."

    Ahahaha
    É que gosto de gente que tem a mania que sabe tudo e divulga aos quatro ventos, mas que no fundo coitados, como o Samuel, de nada sabe.
    Tem juizo Samuel e volta pra correspondente em Barcelona...

    ResponderEliminar
  24. Infelizmente sempre que a palavra "Guimarães" vem à cena alguém que aproveita a oportunidade para fazer uma critica qualquer. Nem que seja um membro das claques do Benfica a dizer que em Guimarães há violência no futebol!!Vá lá... um pouco de pomada nesses cotovelos que isso passa!

    ResponderEliminar
  25. Não me parece que este problema seja de Guimarães ou de Braga. Até porque, se bem me lembro, ainda há relativamente pouco tempo os moradores da zona do Mercado Municipal de Braga manifestavam a sua indignação por algo do género.

    O que me apetece destacar é a discriminação. Enquanto houver para ali umas mulheres, tolera-se. A partir do momento em que há homens, pensa-se já em corrê-los à pancada...

    Será que a “invisibilidade” da prostituição ao longo destes anos todos não aconteceu por ser uma actividade maioritariamente “feminina”? A partir do momento em que há mais homens já passa a ser um problema?

    É preciso encarar de uma vez por toda a prostituição como uma questão real, que existe independentemente da geografia e do sexo do quem se prostitui e de quem, muitas vezes, é obrigado a prostituir-se.

    Não tem nada a ver com ser ou não capital da cultura, até porque Braga também queria ser, lembram-se?, e prostituição não falta na cidade. Da mesma forma que não tem nada a ver o clube de futebol. É um fenómeno transversal.

    Como já tive oportunidade de referir, quando o Vítor Pimenta levantou a questão da legalização da prostituição, não tenho certezas absolutas sobre este assunto. No entanto, dada a dimensão desta questão, não me parece boa ideia continuar a fazer de conta que nada se passa. Porque isso abre caminho para o pior que nós temos: a violência.

    ResponderEliminar
  26. Prostitutas e gays há em todo lado. Em Braga e em Guimarães! Mas que o povo de Braga tem mais civísmo e tolerância, disso ninguém duvida!

    ResponderEliminar
  27. Sauda�es Ditatoriais!

    Antes de mais queria dizer que sou contra as meretrizes. Mas quando se trata desses torcidos! Isso provoca-me asco!
    E passando ao que passou a interessar:
    Alastrou a moda dos candidatos a ditadores.
    O an�nimo anterior dizer que: disso ningu�m duvida! n�o? porqu� as pessoas definem-se pelo local de nascimento? N�o! � assim porque eu mando. Bem jogado...
    Eu nasci na Georgia, cresci na URSS, estou a morar em Guimar�es h� dois anos e vou morrer � Sib�ria para me redimir dos meus pecados.
    Sou como os de Guimar�es porque moro c� n�o �?
    O Suevo, � claramente fam�lia de um colega meu de profiss�o. O senhor por acaso n�o � primo do Adolfo? Voc�s t�m pra� impregnadas umas ideias muito parecidas.
    J� o deixa-me rir, mostrou que sabe muito bem a li�o. Gostava de saber com qual de "N�s" andou a aprender. Ora o senhor passa por c� e diz: Voc�s que nada sabem v�m para aqui falar. volta l� pa tua terra.
    Nem mais!
    Despe�o-me com mais uma li�o, de um livro que um dia publicarei: "1001 passos para ser Ditador", ou ainda "Ditadores for dummies" : Regra n� 56 "Se fores limitado e estiveres numa discuss�o, n�o apresentes argumentos. Insulta, ou perder�s a raz�o"

    ResponderEliminar
  28. "De facto o futebol pode ser revelador dum atraso cultural, e esse atraso é visível pelo número de benfiquistas que existe em Braga."

    Ó Suevo, para que saibas, há mais benfiquistas fora de Lisboa do que em Lisboa.

    E então no Porto... Nem falemos!

    ResponderEliminar
  29. Já agora, uma boa percentagem de benfiquistas de Braga (distrito) são de Guimarães (“Bi-clubistas”)...
    Quanto ao assunto principal… A prostituição existe em todo lado… por isso é necessário legalizar esta profissão para pagarem os seu impostos e terem condições básicas se saúde…

    ResponderEliminar
  30. É interessante verificar que de prostituição se passou a falar de futebol? Eu sei que estes mundos se ligam muito, pelo menos pela parte dos jogadores, mas isto é sintoma de quê?
    É muito interessante verificar a necessidade de policiar os gostos. Muito interessante.

    ResponderEliminar
  31. "Queriam ser CEC? Queriam um clube como o vitória? É problema de quem não o tem"

    Quem pouco tem, com pouco se contenta...

    ResponderEliminar
  32. Como é que se começou a falar de futebol durante um assunto totalmente distinto? Enfim...

    Sei que não é verdade, pois até tenho família em Guimarães, mas alguns vimaranenses fazem questão em passar a ideia ao país que em Guimarães é o Vitória e mais nada. Fale-se do que falar e eles só argumentam com o futebol. Não conseguem falar de mais nada da vossa cidade?

    Também sei que a maioria dos vimaranenses não se orgulham do que alguns fizeram com a casa do Fcp de Guimarães nem se orgulham com estes comentários preconceituosos em relação aos gays. Cabe na cabeça de alguém tolerar-se a prostituição de rua feminina mas a masculina não? Que critério é este?

    Estes actos transmitem ao país uma imagem de Guimarães retrógrado, preconceituoso e fechado. Um terra que apenas tem o clube de futebol e pouco mais.
    É um desperdício. Uma cidade bonita, que tem uma interessante actividade cultural, que tem a Praça da Oliveira, o Toural, o castelo, o Palácio, bons restaurantes, gente boa etc Quase ninguém conhece esta realidade, só se conhece o futebol e pouco mais.

    Braga, a minha cidade, não tem adeptos tão fervorosos pelo clube da cidade mas não é tão fechada aos de fora como é Guimarães. Os gays começam timidamente a terem o seu espaço na sociedade bracarense e quem quiser abrir uma casa de um clube de futebol qualquer pode fazê-lo que ninguém vai deitar fogo à casa. Sinais dos tempos, não se pode parar em ideais da idade média.

    ResponderEliminar
  33. "Ó Suevo, para que saibas, há mais benfiquistas fora de Lisboa do que em Lisboa.

    E então no Porto... Nem falemos!"

    O facto do Sport Lisboa ser o clube com mais adeptos em Braga não faz com esse clube deixe de ser lisboeta.

    Quanto ao Porto, também temos por cá vassalos, mas há menos vassalagem aqui do que nas outras localidades.

    ResponderEliminar
  34. até têm um nucleo da claque dos dragões, bem grande, e até perigoso...

    ResponderEliminar
  35. até têm um nucleo da claque dos dragões, bem grande, e até perigoso...

    ResponderEliminar
  36. ó Samuel ainda não entendi o teu problema... Se é notícia é para ser dada. Se existe um maior número de pessoas (homossexuais ou não) a incomodar os residentes e quem por lá passa e não tem nada a ver com o assunto naquelas ruas é para ser noticiada a indignação, não achas?
    É que ainda não entendi qual o teu problema? Algum tipo de frustração, recalcamento ou ambição?
    faz-te à vida puto.

    ResponderEliminar
  37. Esta é para o Samuel Silva...

    Sabes com quantos paus se faz uma canoa?

    ResponderEliminar
  38. Botaram discussão com os rotos que se pagam e foi-se desenvolvendo para os rotos que todos nós vamos pagando.
    Futebol, municípios, rivalidades, pruridos mentais (ou anais?).

    ResponderEliminar
  39. Samuel agora já és um idolo. Até tens aqui um amigo de estimação. Deve ser do tal jornal ou algo parecido e do benfica (sendo tão crescido intelectualmente...restam poucas duvidas). Isto é tão ridiculo que já nem se discute o que realmente poderia interessar. Gentinha tacanha.

    ResponderEliminar
  40. Quando se fala aqui de Guimarâes o dia esta ganho, realmente Guimaraes é importante,

    ResponderEliminar
  41. Guimarães nem devia ser capital da cultura com essa gente mesquinha a morar aí

    ResponderEliminar
  42. Para o anónimo que chama ao Samuel de Idolo:

    Não sou de nenhum jornal e muito menos do benfica. Sou um dos muitos moradores de uma daquelas ruas que está de acordo com aquilo que foi dito no jornal, entendes?

    Isto nem deveria ser motivo de discussão porque foi uma notícia com todo o fundamento. São homens que lá andam e não mulheres. Não tem nada a ver com discriminação. Quem conta a história é um dos meus vizinhos: "HOMENS COM HOMENS" entendes?

    Queria me rir se fosses tu a chegar a casa e a meter o carro na garagem e a ser incomodado...
    Se querem acasalar entre eles que o façam nos montes mais longíquos da minha casa. entendes?

    Enfim, gente tacanha são pessoas como tu...

    ResponderEliminar
  43. Conservadorzinho de algibeira

    ResponderEliminar
  44. Caro amigo o que esta em causa não é o facto do jornal publicar ou deixar de publicar, sendo o seu dever efectivamente informar. Tirando o facto de ser sensacionalista e isso nós sabemos, a questão é fazer eco das amarguras de morradores desta forma. Também eu já tive problemas desses perto de casa, sobretudo droga e curiosamente também sempre que estava para meter o carro na garagem. Ora, também várias vezes me apeteceu correr com aquela gente toda à chapada. Tirei fotos e envie ás autoridades e camâra. A custo lá foram resolver o problema. No entanto, sei que dali o problema foi para outro local qualquer. Tb no caso que referes o correr com essa gente resolve apenas o problema à tua porta. Se calhar ficas mais descansado, o que não censuro. Todavia, quando coloquei o outro comentário tinha apenas por objectivo (e perdoa-me algo menos próprio)dar a perceber exactamente isso: que esta gente devia, se o querem fazer, ter locais próprios e isso não me chateava nem a ninguém. O que esta em causa é aceitar esta hipocrisia e deixar tudo como esta, ainda que pontualmente se possa resolver o problema, ou discutir amplamente a questão com o objectivo de a resolver, sendo certo que sempre haverá prostituição, onde quer que seja (já agora tb em Braga e deixem os bairrismos senhores braguistas)e nas mais variadas formas. Portanto, parece-me que talvez não estejamos de acordo apenas num ponto: ser homens! Ok, é mais complicado de entender mas a situação é a mesma, ou seja, devemos sim é tentar resolver o problema da prostituição como um todo.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores