Três Breves Notas Sobre o Eléctrico

| Partilhar
Quando escrevi este post e respondi às perguntas do Diário do Minho sobre o futuro da proposta da Coligação Juntos por Braga estava longe de imaginar que Mesquita Machado já tivesse assinado um acordo com a Direcção Geral dos Transportes para a realização de um Estudo de Mobilidade. A Antena Minho adianta que «vai ser efectuado pelos Transportes Urbanos e pela Universidade do Minho». A informação é muito escassa e, como tal, não farei mais que três comentários muito genéricos:

1) A mobilização popular que se gerou em torno da matéria justifica total transparência na condução do processo político.

2) O estudo não pode deixar qualquer dúvida quanto à sua independência, pelo que deverá ficar a cargo de uma entidade externa ao Município.

3) É de esperar o envolvimento de uma equipa multi-disciplinar que integre elementos das Escolas de Engenharia, Economia e Ciências Sociais da Universidade do Minho.

Registamos com muito agrado que executivo e oposição estejam de acordo quanto à urgência da realização de um estudo sobre mobilidade, reforçando a necessidade do «estudo e planeamento do regresso urgente do eléctrico à cidade de Braga».

6 comentários:

  1. Olhei para a foto e disse... eu conheço isto... pois claro... é a foto do tram de Clermont... onde estão a morar os pais da minha mulher... este tram anda sobre pneus, pois foi "patrocinado" pela michelin, ou não fosse clermont a terra do Shôr Michelin... acho que foi imposição deles mesmo...
    Pelo que eles me dizem é um sucesso (como o de Estrasburgo, mas salta fora da linha guia muitas vezes... :)

    1 abraço!

    ResponderEliminar
  2. Venho a este blog pela primeira vez, depois de ter tomado conhecimento da sua existência pelo JN de quarta-feira.
    Penso que esta questão é um pouco além-eléctrico, ou seja, a mobilidade na cidade de Braga é um assunto que há já muito tempo preocupa quem mora nesta cidade, estando à vista que os TUB, por si, já não são solução para os problemas que se vêm acumulando. Por isso, eléctrico, metro ou segway, penso que os bracarenses anseiam por uma resposta a este problema, mais do que pelo regresso do eléctrico. Claro que a carga emocional de se tratar de um meio de transporte com história na cidade pesa muito nesta mobilização mas, no meu ponto de vista, essencial é mesmo corrigir falhas como as que levam a que uma pessoa que queira fazer o percurso U.M. - Maximinos às 20h10 seja forçada a recorrer ao seu próprio automóvel por falta de alternativas.

    ResponderEliminar
  3. Caro Nrows,
    Obrigado pelo contributo. Ao longo da discussão pública que se foi gerando sobre este tema, fomos repetindo que o regresso do eléctrico à cidade de Braga não significava um regresso ao eléctrico de antigamente.

    Caro Carlos,
    É verdade. Foi aqui colocado porque o Presidente da Câmara referiu-se a ele na conferência de imprensa de hoje.

    ResponderEliminar
  4. Era ainda o ano de 2003, talvez mesmo já 2004, e anunciava-se na rádio que a CMB tinha encomendado um "Estudo de Mobildiade" à Universidade do Minho a prever e a pensar no Europeu de Futebol.

    Esse estudo, ao que me lembro de ouvir, apontava precisamente o estabelecimento de um transporte sobre carris - chamem-lhe os nomes que quiserem - entre a Estação ferroviária e a UM.

    Ora bem, ponto final.

    Quanto a essa linha, é curioso notar que a mesma já existiu embora em assuma que in illo tempore não havia rotundas em Gualtar ou nas Piscinas ou mesmo junto à estação do comboio.

    Por hoje, abstenho-me de comentar a inexistência de uma carreira dedicada de bus Estação-Centro ou até mesmo Estação-Centro-UM.

    (Parece que só mesmo cidades menores se fazem ligar à sua estação de Caminho de Ferro, tais sejam Ermesinde, Valongo, Paredes e - assombro - Vila Nova de Foz-Côa. Isto para não mencionar o Barreiro, a Guarda, todas as estações do chamado Eixo Norte-Sul, Albufeira!)

    Nesse aspecto da intermodalidade, Braga é uma espécie de ave rara onde o passageiro do comboio terá a sorte de apanhar um autocarro - há-de passar um! - que o leve para algures, até mesmo para o Centro da cidade.

    Ah! - também gosto bastante do ar roliço e cavernoso da "central de camionagem". Chega a ser "Very Typical". A de Mirandela ou a Foz Côa são mais arejadas.

    DS.

    ResponderEliminar
  5. Estou muito desconfiado quanto ao facto de se ter solicitado um estudo aos t.u.b., penso que devia ser uma entidade fora de braga, de resto penso que a universidade foi bem escolhida, é a tal cooperação que se pedia entre a camâra e a u.m.

    Visitem o meu blog:

    http://wwwwbragablog.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Sim, parece que Braga é Geminada com Clermont, se for igual é capaz de ser a melhor opção... pois o número de carris usados é menor...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores