PSD e a Petição Pelo Eléctrico

| Partilhar
Na sequência do repto que lançámos a todos os partidos políticos chegou-nos a posição oficial do PSD-Braga sobre a Petição Pelo Regresso do Eléctrico que passo a transcrever:

«Exmo. Senhor,
Pedro Morgado,

Foi com especial agrado que a Comissão Política do PSD de Braga recebeu a petição on-line pelo regresso do eléctrico por cuja iniciativa e pelos resultados da mesma merece as nossas felicitações.
Esta petição traduz uma vontade de participação cívica e e de envolvimento dos Munícipes na vida do Concelho e na Gestão Municipal que nos é especialmente cara, estando constantemente na base de várias iniciativas que vimos desenvolvendo de contacto e auscultação da sociedade civil Bracarense e das suas mais relevantes instituições.
No caso vertente, devo expressar-lhe, a título pessoal, que pese embora também simpatize com a ideia em apreço, optei por não subscrever a petição.
Como bem referiu em alguns dos seus posts, há um tempo para os cidadãos expressarem a sua vontade e um tempo para os políticos agirem (ou não) em conformidade com a sua apreciação dos factos.
Foi isso que fizemos esta semana. Uma vez terminado o prazo de recolha de assinaturas da petição e subscrevendo o essencial do seu conteúdo, submetemos para apreciação na reunião do Executivo Municipal de 11 do corrente, a proposta anexa, tendente à realização de um estudo exaustivo sobre a viabilidade e interesse desta pretensão.
Na nossa óptica, só actuando desta forma se é sério e responsável nas opções tomadas para a Gestão Municipal e, simultaneamente, se respeita a vontade expressa de forma tão clara pelo volume de assinaturas que constam desta petição.
Adaptando o repto do nosso prestigiado escritor, o cidadão sonha, o decisor ouve, analisa e avalia e, se a sua opção tiver fundamento, a obra nasce.
Faço votos de que outras iniciativas análogas possam dar sequência a esta revitalização cívica de Braga, pela qual o felicito.

Com os melhores cumprimentos,
Ricardo Rio»

4 comentários:

  1. Pedro...

    Eu acho que andam a ouvir as nossas conversas de café! LOL

    Pedro Antunes

    ResponderEliminar
  2. Sem queres entrar em políticas pois não é a minha área, concordo com esta posição. É preciso definir prioridades e para a realidade bracarense o eléctrico está longe de ser uma prioridade. Muito longe....
    Voltem-se para a realidade e para o que realmente necessita de ser discutido...

    ResponderEliminar
  3. Sim, voltemo-nos todos para o real. De facto, e segundo o comentário anónimo anterior, para quem - note-se - a política não é a sua área (se não é a área de todos os cidadãos, o que será?), os transportes públicos não são prioridade. Deixemos os partidos políticos, depois do "tempo para os cidadãos expressarem a sua vontade (..) agirem (ou não) em conformidade com a sua apreciação"...

    O que será que Ricardo Rio quis dizer com o agir (ou não)? Intriga-me bastante este "ou não"...

    Ou não.

    ResponderEliminar
  4. anónimo das 15.39
    ve-se logo que nao deves ter necessidade de utilizar o péssimo serviço de transportes públicos que infelizmente algumas pessoas tem de utilizar todos os dias...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores