Declaração de princípio

| Partilhar
Discordo frontal e abertamente do conteúdo desse cartaz afixado em Lisboa por essa espécie de partido chamado PNR. Mas até agradeço que o tenham colocado.

Pode ser que as pessoas percebam o que está em causa com o crescimento da extrema-direita tão bem personificado na nostalgia salazarista que parece invadir o país.

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou contra a possibilidade de existência legal deste tipo de partidos. Acho que atentam contra a essência da liberdade.E antes que me apareça um maluquinho de direita a dizer que sou associado do pcp acrescento: o mesmo é válido para TODOS os partidos que têm aspirações a destruir as liberdades individuais.

    ResponderEliminar
  3. Para mim é apenas a opinião de uma minoria... Conta apenas como tal, uma opinião!!!

    ResponderEliminar
  4. Caro Pedro Morgado, não julgo haver assim uma tão directa ligação entre a "nostalgia salazarista" e o crescimento da extrema-direita. Talvez a origem de ambos seja comum: o descontentamento com a situação política/económica/social portuguesa.

    A "nostalgia salazarista" vem do distanciamento com que agora vemos o Estado Novo e o homem e estadista que foi Salazar, sem os demónios e fantasminhas que até agora haviam assombrado estes temas.

    O crescimento/saída da penumbra da nojenta extrema-direita julgo ser um fenómeno diferente, bastante diferente...

    ResponderEliminar
  5. Só quem anda a dormir é que poderá discordar deste cartaz....

    Deixem continuar a vir prostitutas e travestis do brasil...são sempre bem-vindos...

    Porugal ao portugueses e a quem quer trabalhar e fazer pela vida. Fora com gente que só vem prejudicar o nosso País!

    ResponderEliminar
  6. Claro, anónimo! As putas brasileiras que venham, que aqui tomamos bem conta delas!

    Ah, e a terra a quem a trabalha! Sim!

    ResponderEliminar
  7. Nunca ouviste dizer que "vozes de burro .... " - não lhes vamos dar assim tanbta importância , pois não?

    ResponderEliminar
  8. Eu também gostava de sol na eira e chuve no nabal...

    Poder colocar mão de obra portuguesa no exterior sem a correspondente contrapartida de abertura das fronteiras portuguesas...

    Mas os nossos portugueses/franceses de 2ª geração também já pensam assim, infelizmente...

    Eu tenho sobrinhos que já nasceram em França e que agora são "Le Pen"...

    ResponderEliminar
  9. Adoro mulher brasileira, deixa entrar, tá?

    É muito mais doce e meiga que a mulher portuguesa e vem embaretecer o produto chamado "vagina".

    Além de que fazem muito bem o "fellatio" ( com preservativo, claro).

    E só ficam cá o máximo de 6 meses, saindo depois (ricas) para o Brasil!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores