Falperra, Hoje, Como Há Mais de 3000 anos...

| Partilhar
Avenida Monumental
© Freguesia de Esporões

Finalizando hoje o Avenida Central a sua existência, de indiscutível importância para a cidade de Braga, em virtude da discussão de praticamente todas as áreas que a Braga dizem respeito e de um conjunto de aspectos de relevo nacional, muitas vezes marginalizados, não quis deixar de assinalar aqui também este encerramento com um último texto. E para o efeito faço aqui uma referência a um aspecto ligado ao que foram as minhas intervenções na ínfima participação que tive no blogue: o património arqueológico. E dentro da temática, uma referência à Falperra, monumento sobre o qual nunca aqui escrevi.

Não pretendo descrever, que para tal não sou o mais indicado, os vestígios arqueológicos existentes no topo do monte que completa o cenário envolvente da cidade de Braga, e que integra a simbologia e o imaginário dos Bracarenses, mas recordar, como Sande Lemos fez neste blogue, a necessidade de a Câmara de Braga se consciencializar que deve à cidade a “devolução” do monte de Santa Marta das Cortiças. “Devolução” sugerida pela Unidade de Arqueologia da UM, no interessante projecto que apresentou.

Devolvido à cidade como espelho onde se reflecte uma grande parte da história de Braga, desde há mais de 3000 anos. Por essa altura e pelos séculos fora, a considerável elevação atraiu a atenção dos homens, por vezes como habitat, por outras como fortificação, por outras como santuário… Como hoje continua a atrair, agora como janela para um passado impressionante e culturalmente rico.

1 comentário:

  1. A velha história. Da janela do meu quarto vejo a capelinha da Santa Marta das cortiças ali tão sozinha.... a não ser quando profanada por amantes do 4x4. Ja insisti em vários comentários sobre este assunto mas simplesmente não me cabe na cabeça como é que permitem tais actividades num local onde há vestígios de megalitismo, povoado da idade do ferro e restos de um palácio do Reino Suevo que, para os entendidos, tanto fez do Minho o que ele é. E abominável a estupidez do povo. E ao domingo la anda os meninos bonitos dos concelhos de Braga e Guimarães a escavacar um legado preciosos nos seus pópós e motinhas bonitas. E isso não falando da heresia cometida quando em pleno domingo aceleram desvairados pelas alamedas arrepiando a espinha a quem está na missa das 10 na Santa Maria Madalena, ou aterrorizando os idosos que passam ali os dias, debaixo das carvalhas, a jogar duas de sueca. Mas, qualquer dia, a polícia deixa de ser um bando de gordos acomodados e terá de começar cascar nessas pessoas e, de preferência, apreender-lhes as máquinas que, no caso de motas e moto 4, raras vezes tem matrícula.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores