Os Facilitadores

| Partilhar
Cadeiras atiradas no jogo Braga-Benfica (31/10/09)© Bruno Simões

Já no estádio, rapidamente as preocupações deixaram de ser o jogo e transferiram-se para o repetido olhar por cima do ombro, para ver o que ia caindo. É verdade: o Sporting de Braga colocou as claques encarnadas na bancada superior. A ideia, saída dos sábios pensadores bracarenses, seria a seguinte: como por baixo das claques benfiquistas vai estar um sector de adeptos do Benfica, se lhes acontecer alguma coisa, azar: ninguém os manda não ser do Braga. Infelizmente, esta táctica estava manca: a massa benfiquista espalhava-se muito para lá dos adeptos benfiquistas, cobrindo cerca de metade dos adeptos bracarenses colocados na bancada Nascente.

É amplamente conhecida a propensão dos vândalos das claques encarnadas (de todas, na verdade, mas no caso em questão, são as do Benfica) para a pacatez e a não propensão para a violência. Petardos, tochas a arder, cigarros acesos, cadeiras: you name it. Quem queria ver alguma acção nas bancadas só tinha de olhar para cima e ver o que, desta vez, as claques atiravam. Eu sei que parece inacreditável, mas as claques estavam sozinhas: não havia nenhum cordão de segurança ao pé dos adeptos e apenas se vislumbravam dois elementos da segurança privada do clube a “zelar” pela segurança de quem estava cá em baixo. O arremesso de objectos dependia, naturalmente, do livre arbítrio dos benfiquistas. [ComUM]

Este é um excerto da crónica que publico no meu espaço quinzenal no jornal ComUM. Analisa os preços exorbitantes do jogo do último sábado e a insana decisão de colocar adeptos do Benfica por cima de adeptos do Braga.

19 comentários:

  1. De todos os seus comentários ao jogo, este é o único com o qual concordo plenamente.

    E como adepto benfiquista envergonham-me certos comportamentos das "claques" (o benfica não tem claques oficiais).

    Não deixo de mencionar as provocações a que assisti à entrada para o recinto (com a polícia a escoltar as claques encarnadas e adeptos do braga a aproximarem-se e insultarem os mesmos) e durante o jogo com o já conhecido "slb slb slbs filhos da **** e fazendo manguitos por parte dos adeptos bracarenses na nascente inferior para a claque que se encontrava na nascente superior.

    ResponderEliminar
  2. Colocarem as claques adversárias na Nascente Superior não foi exclusivo deste jogo, mas tem sido prática habitual. Já em vários jogos se viu que a ideia era descabida (Guimarães no ano passado e Porto, especialmente), mas continuam a colocá-las lá.

    Essa hipótese que avança não tem grande lógica, porque grande parte dos lugares anuais é vendido na bancada Nascente Inferior até ao sector A6, onde por acaso tenho a minha. Curiosamente, ao meu lado estavam os únicos cinco benfiquistas que vislumbrei nas imediações e um deles até tinha um golpe na cabeça antes do início do jogo - mas isso não interessa para o caso.

    Mas sim, é uma perfeita estupidez permitir que os sócios e adeptos do Braga se sintam inseguros no próprio estádio. É revoltante ver crianças em pânico porque há otários que não sabem que a derrota é um dos resultados possíveis num jogo de futebol.

    ResponderEliminar
  3. "o benfica não tem claques oficiais"

    mentira. o benfica não tem é claques legais. oficiais tem porque inclusivamente são apoiadas directa e indirectamente pela direcção. existe inclusivamente um inquérito em curso que envolve o próprio presidente da agremiação.

    «De acordo com este relatório, Vieira reuniu-se, a 18 de Junho de 2008, com ‘Zé Gago’, elemento dos No Name Boys, “oferecendo-lhes total apoio, afirmando que iria devolver a sede à claque, despedir o chefe de segurança Paulo Dias por ajudar a PSP e autorizar o uso de tochas dentro do estádio”.»

    http://dn.sapo.pt/desporto/benfica/interior.aspx?content_id=1236213

    ResponderEliminar
  4. É lamentável. Já houve incidentes semelhantes, num Benfica - Porto, com adeptos do Porto.

    ResponderEliminar
  5. António Alves, isso já foi ao ar.

    Liga arquiva processo contra Benfica por apoio ilegal claques [link]

    ResponderEliminar
  6. Eu só questiono uma coisa... quando o jogo é considerado de alto risco, nao é a PSP a responsavel e coordenadora da segurança no Estádio?! Na verdade, por norma, as claques nunca ficam no patamar de cima! Seja como for, e independentemente de colocar a claque mais acima ou abaixo (ate os poderiam colocar no topo da bancada... era capaz de nao haver tanta confusao), acho q um cordão de segurança seria o minimo razoavel para a situação...
    Mais estranho ainda... é verificar que os pseudo agentes de autoridade estavam junto ao relvado a ouvir as queixas das pessoas e o que faziam eles? Limitavam-se a olhar...

    ResponderEliminar
  7. Caro Bruno, o que parece inacreditável é que ainda haja quem vai ao estádio para arremessar cadeiras contra os outros ou para incendiar com tochas incandescentes o cabelo de uma criança de 12 anos que por ali se encontrava. Parece também inacreditável que aceitemos a violência como uma inevitabilidade... Por este andar, ainda hão-de castigar o Braga por jogar num estádio com cadeiras que podem ser selvaticamente arrancadas e arremessadas por adeptos impróprios.

    Quanto ao preço dos bilhetes, é uma falsa questão. Em primeiro porque no jogo com o Porto, os bilhetes de valor mais elevado custavam €50 e destinavam-se aos sectores mais centrais. Em segundo, porque no jogo com o Porto foram disponibilizados bilhetes a €20 tal como no jogo com o Benfica foram disponibilizados a €22. E, em terceiro, porque é preciso ter-se muita presunção para achar que o Benfica pode cobrar bilhetes entre €22 e €65 para um jogo entre os actuais segundo e terceiros classificados e o Sporting de Braga não pode cobrar bilhetes entre €22 e €65 para o jogo entre os líderes.

    ResponderEliminar
  8. Se os adeptos do benfica fossem bem educados, nada disto acontecia

    ResponderEliminar
  9. João, parece-me que é urgente, então, pensar em alternativas para colocar as referidas "claques" nas bancadas inferiores. Ou, vá lá, caso não seja possível, ter aquilo bem protegido, com cordões de segurança ou coisa que o valha. Tanta brigada de Intervenção a ver o espectáculo sem nada fazer, para que serve? Ninguém se sentia protegido debaixo daqueles vândalos. Nem braguistas nem benfiquistas.

    Pedro, já falámos sobre o assunto e sei que achas que tudo o que foi feito foi bem feito. Se leres o meu texto vês que em ponto algum defendo, ou tento desculpar, a atitude das claques. Mas colocá-las assim, com adeptos rivais em cima dos da casa sem nada a detê-los de atirarem coisas para baixo, é brincar com o fogo. A violência não é uma inevitabilidade, mas se nada se fizer para a impedir, claro que ela toma forma - daí o título, porque se facilita que a violência se instale.

    Como diz o Jorge Sousa e como eu afloro no meu texto disponível no ComUM, o jogo Benfica-Porto serviu de exemplo. O MAI concluiu que colocar adeptos rivais em cima dos da casa não se pode repetir. A venda dos lugares anuais deveria contemplar essa questão.

    Quanto aos bilhetes, admito que o preço mais elevado não tenha sido aquele que, erradamente, referi. Mas, ainda assim, não deixa de haver diferenças entre um e outro jogo (50 - 65€).

    ResponderEliminar
  10. A verdade é que para este jogo foi criado um clima que deu no que deu.
    Quanto ao preço dos bilhetes não procurem desmentir o muito que se escreveu. O Braga falava em encher os cofres, etc.. Desconheço quantos bilhetes de cada preço foram colocados à venda (preço dos ingressos variou entre os 12 e os 15 euros para sócios do clube bracarense. Para o público em geral, os bilhetes mais baratos custam 22 euros, havendo outros a 35, 40, 60 e 65 euros) mas o preço médio para o público era de 40 e para o FCP foi de 20. Basta fazer umas pesquisas na net para verificar isso.
    Paga-se 40 euros, leva-se com uma cadeira e ouve-se “eu não posso fazer nada”. É normal?
    Concordo consigo quanto às claques, são todas iguais e acabava com todas elas. Aliás, eu entendo que a solução passaria não por criar zonas de adeptos a e b. Eu recordo-me de ir ao futebol e ver tudo misturado sem problemas. Foi com a ideia das claques que tudo mudou. É muito triste ver a polícia a proteger uma claque e ela dentro do cordão a insultar os outros adeptos. São todos uns heróis, mas é com as costas quentes. Eu acabava com todas essas medidas especiais de protecção e reforçava o policiamento normal. Ou então criava um código de conduta especial para os membros das claques, algo que multiplicasse por 4 qualquer pena. Envolveu-se em lutas, x horas de trabalho comunitário a varrer ruas e x euros. Insultou, a mesma coisa. Foi apanhado com armas, o mesmo para pior. Deixava era de proteger os “palhaços” para que pudessem fazer as suas “palhaçadas”. Quantos aos clubes, para terem claques deveriam ter que cumprir determinados requisitos de logística e segurança e serem fortemente responsabilizados pelas mesmas. Eu sei que já existe uma lei, mas é tudo uma treta.

    ResponderEliminar
  11. Já se sabe como esses animais se comportam em qualquer lado. Pena o futebol ter gente assim. De qualquer forma, também é sabido que as claques devem ser devidamente acompanhadas, antes, durante e após o jogo. A organização do jogo falhou nisso. Ou a PSP. Ou quem quer que devia tratar disso.

    ResponderEliminar
  12. «Liga arquiva processo contra Benfica por apoio ilegal claques»

    isso é piada não?? mas alguém acredita na isenção ou hombridade dos actuais órgãos da liga?? esta liga condena quem os tribunais iliba e iliba aqueles que a polícia acusa e o DIAP investiga. Para uns apressa-se a condenar antes dos tribunais; para outros iliba ainda antes das autoridades terminarem os inquéritos. O processo vieira-no name segue no DIAP.

    Se existe 'coisa' sem o mínimo de credibilidade é o conjunto de truões que fazem parte da direcção desta 'liga'

    ResponderEliminar
  13. só fala do que lhe interessa! ainda me lembro das agressoes dos red boys em chaves e este ano em alvalade...

    ResponderEliminar
  14. Oh caríssimo Sr. Alves…
    Realmente uns “truões” esses “ratos do bueiro” que confundem uma cândida sessão de aconselhamento matrimonial e familiar com corrupção… Só porque estavam envolvidos na consulta o “capo” de uma agremiação e o juiz que iria apitar/julgar o primeiro… olhe, é uma vergonha… Já não se pode oferecer um “cafézinho” nem uma “frutinha” de boa vontade que vem logo uma horda de maldizentes atacar tão puras personagens…

    ResponderEliminar
  15. O ComUM sempre foi ANTI-BRAGA e isso transparece neste texto cheio de mentiras. Ao menos retrate-se. Acusar o Braga de aumentar 200% quando os bilhetes aumentaram uns 20 a 30%. Lametável este denegrir da imagem do Braga por tudo e por nada. E mau perder.

    Também vai fazer um posto sobre os preços no Estádio da Luz?

    ResponderEliminar
  16. Caro anónimo das 14h55,

    o ComUM sempre foi anti-Braga? Com que bases diz isso? Como haveria o ComUM de ser anti-Braga quando o Braga é o clube da cidade onde o ComUM "estuda" e cujos jogos cobre sem qualquer falha (e muito profissionalismo)?

    Lembro-me que para os adeptos do Vitória, o ComUM já foi anti-Vitória, agora é anti-Braga... quer-me parecer que, qualquer dia, o ComUM vai ser anti-Minho e anti-Portugal e teremos que trabalhar em Espanha.

    Já assumi o erro num comentário acima. Quer que me ponha de joelhos e peça desculpa na presença de um notário?

    ResponderEliminar
  17. Sr. Pedro Morgado:

    Sou benfiquista mas durante perto de 8 anos fui sócio do SC Braga. Ia a todos os jogos excepto aqueles contra o Benfica. Vi muitas vitórias do Braga e em todas elas vibrei com os golos. Nunca deixei de ir quando o Braga estava em fases menos boas. Ia, porque gostava do clube da minha terra e queria que ganhasse. que fizesse boa figura e que honestamente desse luta aos grande e pudesse ter o mérito de ser considerado o enorme como vocês o chamam. mesmo benfiquista, sempre quis que o braga tivesse sucesso. que fosse a imagem da nossa cidade pela europa fora, já que é o melhor que esta cidade pode exportar.

    deixei de ir ao estádio, e o ultimo jogo que vi, salvo erro, foi um Braga x Gil Vicente. Nesse jogo e de principio ao fim não me lembro de um unico cântico de apoio ao clube, apenas o jogo todo a insultar um certo clube que nem jogava com o Braga, O benfica. isso já se verificava embora esporadicamente, mas quando começou a ser norma, acabei a ligação ao clube da minha terra.

    como já escrevi, apesar de benfiquista, sempre apoiei da maneira que conseguia o clube da minha terra. desde então nunca mais pus um pé naquele estádio pois recuso-me a ser insultado por um ganque que se auto-intitula claque.

    em relação ao ultimo jogo com o benfica, posso-lhe garantir que do meu grupo de amigos, de uma duzia deles 4 são verdadeiros braguistas sem qualquer ligação sentimental a outro clube. os outros, e alguns desses, com cadeira anual, são simpatizantes e adeptos dos outros 3, ditos grandes, da mesma maneira que eu o era. e quase todos estavam lá, com cadeira anual e sendo adeptos também do FCP, Sporting e Benfica.

    como benfiquista tinha medo de ir ao estádio do braga, e como adepto de futebol e pai de familia recuso-me a levar o meu filho a qualquer estádio.

    R.C.

    ResponderEliminar
  18. miope moes...

    quando os argumentos faltam parte-se para a fantasia.

    essas 'estorinhas' já não convencem ninguém. mas este ano vai ser uma festa: a agremiação salazarenga está à beira da falência e o desespero é muito mau conselheiro. o braga vai ser a vítima porque é aquele que pode fazer com que os vermelhos possam ir definitivamente à banca rota. basta-lhe ficar num dos dois primeiros lugares.

    ResponderEliminar
  19. Adeptos que provocam distúrbios só têm que ser identificados e impedidos de entrar nos recintos desportivos. Deviam existir entidades com poderes e capacidade de decidir de forma célere estes casos.

    Nos USA e em Inglaterra não se vêem claques organizadas, e não é por isso que os espectáculos desportivos perdem.

    Se as claques são a origem de crimes, as que os praticam devem ser combatidas por todos os que gostam de futebol, sejam elas do Benfica, Braga, Porto, Guimarães, Sporting, ...

    Este caso é mais um exemplo lamentável e impune, a juntar a muitos outros praticados também por claques de outros clubes...

    P.S. Quanto ao comentário de RC é totalmente verdade, nas minha familia existiam pelo menos 5 sócios do Braga que já o deixaram de ser, e pelos mesmos motivos, os adeptos do Braga que insultam os conterrâneos durante os jogos por estes simpatizarem com outros clubes deviam ter o mesmo tratamento, identificados pelas forças de segurança e impedidos de entrar nos estádios caso fossem reincidentes.

    Mas este mundo é dos vencedores, e se o Braga continuar a vencer a politica do insulto continuará a imperar e cada vez existiram mais apelidados de "100% Braguistas" para continuarem esses cânticos do FDP SLB, etc...
    Terão um estádio cada vez mais Salazarista, e menos Democrático como gostam tanto de citar essa época, em que o Benfica era "o clube mais democrático" e que mais honrava Portugal.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores