Ódios de Deus

| Partilhar
iraqi gay
© Bilal Hussein/AP

Centenas de homossexuais têm sido perseguidos, humilhados, torturados e assassinados por milícias islâmicas no Iraque, numa barbárie que tem requintes da pior malvadez. Segundo conta o jornal The Guardian [via], as milícias infiltram-se em chatrooms na internet para melhor atingirem os seus alvos, espalhando o terror entre a comunidade homossexual daquele país.

As organizações de Direitos Humanos não se cansam de denunciar casos de violência contra gays nos países islâmicos perante a passividade quase completa das Nações Unidas. Em Dezembro de 2008, foi aprovada, sem qualquer consequência, uma moção contra a homofobia e a discriminação pela orientação sexual que contou com a oposição de alguns países da Liga Árabe e do Vaticano.

A violência contra homossexuais e a promoção da homofobia é um dos traços que mais fortemente tem unido a maioria dos dirigentes e dos apoiantes mais fervorosos das três grandes religiões do livro. Refira-se, a título de exemplo, que o Vaticano tem sido muito activo na campanha contra o reconhecimento de direitos civis aos homossexuais, mas não se lhe conhece qualquer intervenção concreta relativamente aos atentados contra a vida que são perpetrados quotidianamente nos países que continuam a criminalizar (com pena de morte), a perseguir e a matar sumariamente os homossexuais.

11 comentários:

  1. Cada homosexual que é morto é menos um "demónio" aos olhos da igreja a espalhar a homossexualidade pela cidade... O mais crítico é que falamos, ou deveríamos, de pessoas com formação e informação. Se não gera receita à empresa, pode ser abatido: não vai dar prejuízo...

    ResponderEliminar
  2. Imagem terrível a troco de nada.Estas religiões são fundamentalistas e perseguem homens seus irmãos em vez de reflectirem sobre preceitos e direitos. Tudo que é radicalismo reflecte os piores sentimentos da Humanidade...tal como o sal na comida, nem demais nem de menos.

    ResponderEliminar
  3. Tratando-se de um texto de Pedro Morgado, não é de admirar a sua conclusão. Por vezes dá a impressão de que, mesmo que o parágrafo inicial fosse sobre a beterraba que a conclusão iria ter à Igreja Católica.
    Querer comparar ou colar a morte sangrenta de pessoas com uma opção ideológica, onde nesta a acentuação é colocada sobre a opção sexual e não sobre a pessoa, parece-me pouco honesto. É certo que podemos dizer que antes de um acto está uma ideia ou ideologia. Mas não me parece que eu possa dizer que a partir da opção ideológica da Associação Ateísta Portuguesa, se possa dizer que estes estão a um passo de começar a matar cristãos ou pessoas que fazem uma opção por um deus.
    Mas já agora, na mesma linha de preocupação do Pedro Morgado: Quantos textos conhece da OpusGay ou Associação Ilga a condenar a morte de centenas e centenas de cristãos no mesmo Iraque? Será que a vida de uma pessoa que se afirma cristão vale menos que uma vida de uma pessoa que faz uma opção cristã? E neste blog quantos textos apareceram a condenar essas mortes?
    Tantos umas como outras são desprezíveis, pelo menos para mim, mas não me parece que aqui se dê o mesmo destaque e se faça a mesma reprovação.

    ResponderEliminar
  4. As fotos são um pouco chocantes...

    Infelizmente ainda há este tipo de discriminação. E infelizmente não é único. Junta-se às perseguições politicas, religiosas, etnicas, etc...

    Ainda estamos num mundo selvagem!

    ResponderEliminar
  5. «Querer comparar ou colar a morte sangrenta de pessoas com uma opção ideológica, onde nesta a acentuação é colocada sobre a opção sexual e não sobre a pessoa, parece-me pouco honesto.»

    Podia elucidar-se primeiro antes dos bitaites, não?

    ResponderEliminar
  6. Por amor de Deus.

    Chega de por sempre a religião, Deus e os crentes como os maus da fita, como pessoas sem coração.

    Gostava de o ver a trazer à sua Aveniba bons exemplos da religião, dos crentes e concretamente dos cristõas.

    E olhe que há muitos. Se não alargue a sua avenida.

    Obrigado pelo espaço...

    ResponderEliminar
  7. Caro JAC,

    Tenho trazido bons exemplos da religião. Concordará que os bons exemplos não podem servir para justificar e/ou encobrir os maus.

    ResponderEliminar
  8. Obrigado Pedro

    Fiquei extremamente esclarecido!

    O que está aqui em causa nesta horrenda chacina é o fundamentalismo e o extremismo de crenças e de atitudes.

    Eu também não pactuo com elas. E critico-as veementemente. E tenho a certeza que Deus também não as quer!

    cmprimentos

    ResponderEliminar
  9. Deus é sempre uma boa desculpa para justificar o ódio dos Homens...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores