Legislativas 2009: O Que Está em Causa?

| Partilhar
«O eleitorado não parece preocupado com a ingovernabilidade, seja por ausência de maioria absoluta seja pela dificuldade em se conseguir um acordo pós-eleitoral consistente.» [Expresso]

De todas as sondagens conhecidas, resulta claro que nem PS nem PSD poderão governar com estabilidade coligados com outro partido à esquerda ou à direita que não os próprios PS e PSD coligados entre si. O assunto é sério e deve fazer pensar o eleitorado do centro. Mesmo não havendo dúvidas de que os partidos do centro merecem ser castigados por forma a expurgarem-se da clientela bafienta que os sustenta, das juventudes partidárias medíocres que os projectam e da profissionalização política que os corrói, parece evidente que esta não é a melhor oportunidade para aplicar o correctivo.

A decisão do próximo dia 27 de Setembro é, cada vez mais, uma escolha entre José Sócrates e Manuela Ferreira Leite. Aconteça o que acontecer, um deles será Primeiro Ministro e conduzirá o governo durante um, dois, três ou quatro anos, dependendo da composição da próxima Assembleia da República. Mais do que o interesse particular desta ou daquela corporação, é a governabilidade do país que está em causa quando chegar a hora dos portugueses escolherem a constituição da Assembleia da República. Como tal, pense muito bem antes de entregar o seu voto a alguns aventureiros políticos que andam por aí...

5 comentários:

  1. Deus Nosso Senhor vai ajudar a uma vitória da direita reformadora, a única capaz de restituir os valores seculares do país ao país. Basta de tolarémias do Sócrates. Vamos devolver a moral a Portugal.

    ResponderEliminar
  2. Há um aspecto que não está a ser suficientemente realçado: essa sondagem dá 19% de indecisos.

    ResponderEliminar
  3. O que é isso da "ingovernabilidade"? Eu conheci países ingovernáveis, como Moçambique e Angola durante a guerra civil. Todos nos recordamos da violência na Somália e associamo-la a esse conceito. Agora, uma coisa é certa: nenhuma dessas situações de ingovernabilidade foram provocadas por opiniões livremente expressas pelos cidadãos. falar de "ingovernabilidade" em relação ao resultado de umas eleições, é um insulto à Democracia. É dizer às pessoas "prescindam das vossas opiniões legítimas e contentem-se com a mediocridade das nossas para evitar a...ingovernabilidade".

    ResponderEliminar
  4. Uma escolha entre mais do mesmo?

    Dois partidos que abandonaram qualquer réstia de ideologia e coerência para irem ao sabor das marés e dos grupos de interesse que reclamaram e domesticaram para servir um e outro, alternadamente?

    Quem os distingue? São irmãos no tachismo e na promiscuidade que traçou o percurso político carreirismo-cargo publico-posto na industria- novo cargo publico-e por aí em diante!

    Neste caso, desculpe-me, compreendo a primeira parte do post mas neste caso prefiro o diabo
    que desconheço do que destes dois diabos que o país está a pagar por conhecer.

    Cumprimentos

    ps. A governabilidade do país já está em causa e estamos com uma maioria absoluta...

    ResponderEliminar
  5. Então é para votar num dos dois partidos que “merecem ser castigados” por estarem a ser sustentados por uma “clientela bafienta”, projectados por “juventudes partidárias medíocres” e corrompidos por “profissionais da política”? Será que é porque os "aventureiros políticos que andam por aí” (o Bloco, o CDS e o PC, supõe-se) não garantem a mantenção do clientelismo bafiento, da mediocridade e da corrupção dos partidos do Centrão?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores