Vamos Discriminar o Preconceito?

| Partilhar
«E, se fomos obrigados, a admitir que hoje em dia todos os homens são homens, apressamo-nos a excluir aqueles a que chamamos 'desumanos'.» [Edgar Morin]

Do fim de semana político retenho o som boçal das vaias e apupos quando Alberto João Jardim se referiu aos homossexuais no comício do Porto Santo. Já foi tempo em que estas manifestações aconteciam nos comícios dos conservadores quando se falava de pretos. Agora acontecem quando se fala de homossexuais.

O momento é triste e cobre de vergonha a própria organização do PSD que, acto contínuo, lançou música para disfarçar a manifestação preconceituosa e homofóbica dos seus próprios adeptos e militantes. Convém salientar que estas vaias e apupos não são alheias aos boatos alimentados por Pedro Santana Lopes na última campanha, à posição do partido em matéria de igualdade de direitos e às declarações de Manuela Ferreira Leite sobre o assunto. Quando os responsáveis do partido alimentam o heterossexismo mais primário, outra postura não seria de esperar das bases.

Poderá pensar-se que este é um assunto que não nos diz respeito e, em boa verdade, que cada um pensa o que quiser e expressa-o da forma que bem entende. Contudo, quando perdermos a capacidade de nos indignarmos perante os que não respeitam os outros já nada nos resta. Pelos vistos, e porque ainda ninguém do partido repudiou a manifestação homofóbica, o PSD já perdeu essa capacidade.

16 comentários:

  1. Um partido que quer ser Governo não pode ser preconceituoso com uma parte significativa dos cidadãos do país. Pior que isso, há muitos dirigentes e apoiantes do PSD que também são homossexuais e que se sentem incomodados com isto.

    ResponderEliminar
  2. Desde há 30 anos que AJJ afirma o que bem entende, sem qualquer preocupação sobre o que diz o partido e os seus líderes nas mais diversas matérias. Imputar culpas e denegrir o PSD apenas porque um líder regional afirma o que afirma, parece-me pouco correcto.

    Mas o texto vai mais longe, no sentido de fazer uma analogia das declarações de AJJ com os responsáveis do partido e a suposta defesa de "heterossexismo primário". Adorava perceber como é que num partido em que várias personalidades destacadas, como Paulo Rangel ou Pedro Passos Coelho, que já se mostraram a favor do casamento de pessoas do mesmo sexo, esta afirmação tem algum cabimento.

    Não nos vamos esquecer que o PSD deu nesta matéria liberdade de voto aos seus deputados, enquanto o PS usou da disciplina de voto e chumbou o diploma do casamento, por motivos meramente eleitoralistas. Se alguma dúvida existia em como este é um tema pelo qual o PS usa e abusa apenas para proveito político, isso devia ser agora claro.

    O PSD, como bem referiu o CAA num debate da SIC-N, não pode ficar refém na matéria do casamento de pessoas do mesmo sexo. As prioridades são outras. Isso não invalida que novamente haja liberdade para votar a questão, mas pelo menos não afasta a discussão sobre temas essenciais para a próxima eleição e que certamente o PS gostaria de ver afastados da ordem do dia. Sim, porque todos sabemos que este tema suga toda e qualquer discussão num raio de meses. A crise económica, o problema da justiça e o clima de claustrofobia democrática que actualmente se vive no país, entre muitos outros, podem e devem ser discutidos antes das eleições.

    O seu a seu dono. Considerar que AJJ esteve mal e merece ser denunciado, tudo bem, mas que não se generalize as críticas e as denúncias apenas para ataque político.

    ResponderEliminar
  3. Bruno,

    1. O meu texto não é tanto uma crítica ao AAJ, mas sim à postura homofóbica e preconceituosa dos militantes do PSD no comício do Porto Santo.

    2. Nem Paulo Rangel nem Pedro Passos Coelho são ou alguma vez foram líderes do PSD. Pedro Santana Lopes e Manuela Ferreira Leite sim. Concordarás que a postura deles muito contribui para que os militantes se sintam legitimados a este tipo de manifestações. Com certeza que também há homofóbicos nos comícios do PS, mas não acredito que tivessem esta postura se Sócrates ou outro dirigente do partido se referisse às pessoas com essa orientação sexual.

    3. O PSD peca por omissão Se ninguém no partido se sente incomodado por estas atitudes preconceituosas e homofóbicas num comício do partido, então é um sinal muito grave que o partido está a dar ao país.

    ResponderEliminar
  4. Eu ainda não sei se voto PSD ou MEP. Gostei muito da situação da Madeira porque é sinal de que o povo português tem memória e se orgulha do passado do país.

    Deus nos livre dos homossexuais serem reconhecidos com iguais direitos. AAJ diz que não tem nada contra, mas isso é uma forma de dizer o que pensa: gente que não merece direitos.

    Deus Nosso Senhor vai encarregar-Se de nos livrar do PS de Sócrates e destas ideias.

    ResponderEliminar
  5. Pedro,

    Indirectamente foi certamente uma crítica a AJJ, pois se os "militantes" tiveram aquela postura foi em resposta às palavras do líder do PSD.

    O facto de Paulo Rangel e PPC não terem sido alguma vez líderes do PSD não lhes retira nem mérito, nem credibilidade no seio do partido. Em primeiro, porque são duas figuras de destaque do partido e que simbolizam a diversidade da matriz social-democrata. Em segundo lugar, porque o PSD não é um partido autoritário e com uma doutrina rígida, daí que Santana Lopes e Manuela Ferreira Leite possam ter a opinião que bem entendem, sem isso se confundir com o partido em si e as opções dos seus militantes. Again, foi na liderança de MFL, que a liberdade de voto foi concedida na discussão e votação do diploma.

    Fazer exercícios de especulação sobre se os comícios do PS seriam menos ou mais homofóbicos que os do PSD, não passam disso mesmo, especulação. Acredito que o ambiente e a localização geográfica seja um factor mais preponderante. Fazendo um comício PS no Porto Santo, creio que as manifestações pudessem ter o mesmo impacto. Da mesma forma, que um comício do PSD em Lisboa não teria certamente esta reacção, digo eu.

    Quanto ao tipo de declarações que putativos dirigentes do PS pudessem fazer, é possível que nenhum tivesse este tipo de palavras, mas a explicação até é bem simples e em nada relacionada com serem mais ou menos homofóbicos que os PSD. O PS de José Sócrates não tolera qualquer opinião contrária ao do líder, seja em que tema for. Estes últimos 4 anos de José Sócrates demonstram bem isso.

    Por último, não tendo o PSD uma posição oficial na matéria (e não necessita de a ter), não vejo porque razão iria condenar as atitudes da população num comício, em que o dirigente social-democrata apenas referiu a sua oposição ao casamento e até concedeu tolerância e respeito aos homossexuais (o que já foi um avanço para AJJ). Tal como não teria que se manifestar se o oposto ocorresse e AJJ pressionasse a direcção para se manifestar contra.

    ResponderEliminar
  6. Bruno,

    Discordo, e muito, do teu exercício de especulação.

    Tu confundes ser contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e ser-se preconceituoso contra pessoas que têm uma orientação sexual. A vaia é prévia ao tema do casamento, o que pressupõe que as pessoas estavam a vaiar os homossexuais e não o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Se alguém num comício se referisse aos pretos e houvesse uma vaia, tenho a certeza que o PSD se demarcaria. É nisto que se distinguem os conservadores do progressistas - daqui a uns anos (ou décadas) o PSD também ficará envergonhado com este tipo de atitudes que estarão restritas a grupos extremistas como o PNR. Foi sempre assim longo da história e, nesta matéria, assim será.

    Quanto ao PS, não me parece que Manuel Alegre tenha sido excluído das listas por José Sócrates. Já Passos Coelho....

    ResponderEliminar
  7. Pedro,

    Eu não estou a confundir. Aliás, eu não comentei a reacção da população. Eu apenas critiquei os contornos políticos que retiraste de toda esta problemática, nada mais.

    E quanto às listas, ao ler a opinião que José Sócrates não impôs os seus desejos, não consigo evitar um sorriso. Eu não falo de Manuel Alegre. Falo da guerra pela escolha do cabeça de lista pelo Porto, falo na quantidade de ministros que são cabeças de lista por vários distritos, falo da bonita história das listas PS por Santarém, e por aí além. O problema é que tendo um líder autoritário e que não permite fugas de informação e debate interno, acaba-se por discutir apenas as do PSD. Isso e o facto de o PS ser o partido no poder...

    ResponderEliminar
  8. Aquilo aconteceu no comício de um partido! Quando os adeptos de um clube manifestações racistas os clubes é que são punidos.

    ResponderEliminar
  9. Em tempos tive a infelicidade de ficar numa pousada da juventude no mesmo quarto com 2 homossexuais.
    Eles não se importaram que aquilo era lugar de gente séria e tiveram contactos sexuais.
    Vergonhoso e indecoroso.
    Esta gente é sub humana e não merece respeito porque nem sequer respeitam os outros.
    E depois vem a pedofilia e outras anormalidades.
    Casais normais têm respeito.
    Estes comportam-se como animais.

    ResponderEliminar
  10. Nota ao comentário anterior: apesar de violar as regras de comentário no blogue, fica exposto para que se conheça a natureza da homofobia que ainda persiste na sociedade portuguesa.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo,

    O bom ou mau comportamento em pousadas da juventude não tem a ver com a orientação sexual, mas sim com o carácter das pessoas. O seu comentário é preconceito do início ao fim.

    ResponderEliminar
  12. @Anónimo (23 de Agosto de 2009 23:39):
    Além de ser reaccionário, o seu comentário é extremamente capcioso.

    1. Há anos atrás também estive numa pousada de juventude no norte e no quarto ao lado estava um casal hetero que passou a noite toda a fazer sexo como se não houvesse amanhã, incomodando-me com o seu barulho.
    Logo, essa questão tem mais a ver com a educação cívica de cada um do que a orientação sexual.

    2. Segundo as estatísticas nacionais, a maioria dos casos de abuso sexual de menores ocorrem em famílias heteros e os agressores são maioritariamente masculinos.
    Logo, associar a pedofilia à homossexualidade, além de ser redutor, é sinal de ignorância.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo de 23 de Agosto de 2009 23:39, não vou sequer discutir o ridículo de partir de um incidente isolado para generalizações absurdas.
    Com certeza que se indigna com casos de violência sexual contra crianças. Com certeza que se imagina incapaz de desrespeitar e se aproveitar destes incidentes terríveis. Daí que talvez queira rever o seu comentário e não misturar pedofilia com homossexualidade. A maior parte dos pedófilos não sentem qualquer tipo de atracção sexual nem por mulheres nem homens adultos, mas apenas crianças. O perfil de um pedófilo é o de um homem casado (com uma mulher, entenda-se...), que abusa de crianças no seu seio familiar.

    E agora um momento de humor, muito a propósito, de militantes do PNR muito preocupados com a protecção das crianças (portuguesas, pois claro). Tão preocupados, que jamais seriam incapazes de se aproveitar destes casos trágicos.
    http://www.youtube.com/watch?v=-hkoZFTyUPg

    Há aberrações e aberrações...

    ResponderEliminar
  14. É uma pena haver certos comentários como alguns dos que aquo leio!!! Mas não são capazes de ofuscar a clareza de espírito e mensagem do texto do Pedro Morgado!
    Não há orientações sexuais indecorosas, mas sim comportamentos, sejam eles homossexuais ou heterossexuais...é trite haver gentinha pobre de espírito e inteligência!

    ResponderEliminar
  15. o que é lamentável, é a ampliação que a imprensa faz da boçalidade que o dito senhor alardeia a propósito de qualquer assunto. talvez um boicote sereno a imbecilidades como aquelas a que assistimos o incomodassem de facto.
    assim, incomodamo-nos nós. e ainda bem.

    ResponderEliminar
  16. "Casais normais têm respeito.
    Estes comportam-se como animais."
    LOL este anónimo vive na idade das trevas...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores