O Parque da Cidade Que Não Temos

| Partilhar
Qualquer cidade de média ou grande dimensão tem um parque da cidade. Em Braga, depois de anos de promessas e promessas, o melhor que conseguiram arranjar foi um minúsculo jardim público [Parque da Ponte] anexado a um monte [do Picoto] no outro lado da estrada. E nem esse passou das intenções.

10 comentários:

  1. O parque já lá estava antes do edil chegar...
    E uma área com potencial como as 7 Fontes está praticamente votada ao esquecimento...

    ResponderEliminar
  2. Particularmente sempre gostei do parque da Ponte de S. João aparentemente sossegado durante alguns anos.Agora o que ali vai ou não ser feito, não conheço e como tal não ouso comentar.Já quanto a um verdadeiro Parque na cidade, é discutível qq localização, tal o estado da cidade e aproveitamento feito até ao momento em favor do cimento.Talvez ali, um pouco abaixo da estação dos comboios ainda sobre terreno disponível por agora, mas é apenas uma ideia.

    ResponderEliminar
  3. Já agora que falamos de Parques...alguém sabe dizer se existe EIA( estudo de impacto ambiental) quanto à Alta velocidade, Porto/Braga e Braga/Valença e qual a zona limite de cada estudo? Tanto se falou em transporetes e urbanismo, que agora tudo parece foi metido na gaveta.Ainda vigora essa Resolução que impede a construção em 500m de espaço, ao lado da via actual de comboios?Consta que a Refer decide de forma diferente, quanto a possíveis licenças, conforme a zona de prevenção? Será que já existe um traçado efectivo delineado?

    ResponderEliminar
  4. Sobre o TGV e limites de reserva há este site.
    Neste momento e durante 2anos não se pode construir no canal de reserva que é à volta de 200metros.
    https://enegocio.refer.pt/sig/MedidasPreventivasEPV/Default.php

    ResponderEliminar
  5. Pelos vistos o orgão de comunicação social do PSD, com tiragem nacional, deve ter tido acesso às sondagens laranja acerca de Braga, e não referenciou Braga na ultima edição como uma câmara que "dará luta"!

    O "SOL" lá saberá porquê...

    ResponderEliminar
  6. Na semana passada estive num senhor parque nas Caldas da Rainha.

    ResponderEliminar
  7. Até os Parques criam emprego.Não faltam pequenas Obras públicas, mesmo de conservação ou manutenção para embelezar o País e ocupar os desempregados.Um Parque, um jardin, umas árvores, uns terrenos baldios a cultivar, parcerias com os agricultores, acordos com autarquias e Empresas Públicas, enfim criar emprego.Um parque Público vigiado e bem apretechado, servia os cidadãos, embelezava a cidade e contribuía para a convivência cada vez mais rara entre pessoas.

    ResponderEliminar
  8. Histórias deparques e jardins...já vi e ouvi muitas.Também eu já fui feliz num parque.Mas falando de coisas sérias, a cidade merecia um verdadeiro Parque, onde mesmo os visitantes pudessem descansar, almoçar e conviver antes de prosseguirem viagem.Onde as crianças e adultos gozassem momentos de lazer, jogando, brincando ou conversando, ou ainda se pudesse circular a pé em circuitos de manutenção.Um parque onde fasse possível a leitura e o jogo da sueca, ouvir música ou dormir´, contemplar a paisagem ou andar de barco, olhar as aves e os cisnes, ver na água o reflexo da paisagem envolvente...mesmo sem sereias.Um verdadeiro Parque na cidade e para o Povo.Mas esta política não agrada aos que pretendem ver cimento e alcatrão em todos os cantos.

    ResponderEliminar
  9. ...cimento, alcatrão, estádios de Futebol, campos de Golfe(para os trabalhadores...),TGV para os Políticos,Moradias no Bom Jesus,negócios rentáveis...Votem neles e depois queixem-se.Quando um Deputado ganhar menos e tiver de trabalhar 40 horas semais, quando os politicos tiverem uma fiscalização ao Património antes e depois dos mandatos, quando o Povo merecer o respeito de quem Governa...talvez aí comece a verdadeira Revolução.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores