A Anatomia de uma Campanha

| Partilhar
Há uns dias, o jornal Semanário noticiou que assessores de Cavaco Silva estavam a colaborar na elaboração do Programa de Governo do PSD. Na sequência da notícia, disponível no site do PSD [via Jugular], dois dirigentes do PS teceram duras críticas ao envolvimento de membros da Presidência da República na campanha do PSD. Hoje, através de uma fonte da Casa Civil do Presidente, o Público faz saber que a Presidência da República teme estar sob do Governo.

Tudo isto é grave. Demasiado grave para ser considerado um disparate de Verão. Dadas as circunstâncias políticas e o período eleitoral que se vive, o silêncio de Cavaco Silva sobre a matéria pode vir a tornar-se demasiado pesado depois das picardias que têm marcado as relações entre Belém e São Bento ao longo deste verão. É que, se o Presidente dá crédito às afirmações do membro da sua casa civil, não lhe resta outra solução que não passe por demitir o Governo; se não lhes dá crédito, então deve ao país uma palavra de confiança nas instituições e a consequente demissão da tal fonte autorizada da Presidência que prestou declarações ao Público.

4 comentários:

  1. Esta "notícia" da fonte da Presidência sobre a alegada vigilância do governo ao PR tem todos o aspecto de estar inserida na tática política do Prof. Cavaco que, há uns meses a esta parte, tem levado a cabo para dar uma mãozinha à sua cara amiga, Dra MFLeite. também não parece por acaso ter sido o Público a noticiar a fonte de Belém, jornal assumidamente contra José Sócrates.
    No entanto, estão a ultrapassar-se alguns limites e a brincar com coisas demasiado sérias. A alegação de que o governo anda a vigiar os serviços do PR é demasiado grave para passar em claro. E, ou há provas para suportar tal alegação e o PR tem que agir em conformidade, ou não as havendo o Prof. cavaco tem também que agir. Não pode é ficar calado. E já agora, já chega de ajudinhas ás hostes laranjas. Ele tem que ser o árbitro imparcial. O povo português é suficientemente esperto para decidir sem jogadas de bastidores a pender para um lado organizadas a partir de Belém. A continuar assim é a reeleição do Prof. cavaco que será posta em causa.

    ResponderEliminar
  2. O problema é que a vida política, de tão poluída que está, já considera este tipo de episódios como banais. É a normalização da anormalidade.

    ResponderEliminar
  3. Creio não passar de coisinha de Verão.Porém o que estará por saber é...porque não diz o Srº Presidente, responsável por tudo que se diga na sua casa civil,lgo como um desmentido? Porque não se faz um inquérito? E o srº Primeiro Ministro, porque não exige esclareçam o caso?Não seria assunto para o MP investigar?Se pelo contrário existir estratégia política neste caso quem beneficiou?

    ResponderEliminar
  4. A questão está longe de ser pacífica e gera mal estar entre Governo e PR.Na verdade devia haver um desmentido que tarda e o Governo também devia exigir explicações aos autores da denúncia.Isto promete não ficar por aqui, em campanha voltarão ao assunto.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores