"Papá, Vem de Comboio"

| Partilhar
Girona, Barcelona, España
© Dario Silva

"Papá, mamá, hijos, amiguetes: venid en tren. Porque no traquetea tanto y empieza a ser más puntual, el AVE y el Euromed. Venid en tren porque es más probable que lleguéis a casa sanos y salvos que yendo en coche. Además, podréis disfrutar leyendo el periódico. O paseando arriba y abajo zampándoos el bocata.

O bien mirando el paisaje por los amplios ventanales, aunque sea para comprobar la avaricia edilicia de la última década. También es posible que os ofrezcan ver una peli y os enchufen unos auriculares chungos, pero no es obligatorio usarlos. Podréis descansar un rato, ir al vagón bar o, incluso, echar una cabezadita, siempre que los vecinos no sean moviladictos. Iréis del centro al centro de la población gozando de mayor bienestar, a no ser que se desmadren con el aire acondicionado. Pero sin caravanas, sin agobios ni pitidos. No hará falta llevar pasaporte ni quitarse el cinturón al embarcar. Y las damas podrán llevar cuantos líquidos, cremas y demás potingues se les antoje.

Viniendo en tren habrás destrozado menos el territorio; en proporción usarás una décima parte de lo que ocupa el coche. E incidirás infinitamente menos en lo que a desaguisados estéticos se refiere. Viniendo en tren, contaminarás menos por el camino, pero ojo, la generación de electricidad ensucia en origen.

Mientras no exista la teletransportación, el tren seguirá siendo uno de los medios más efectivos para desplazarse. Por eso Renfe debería mejorar el servicio de Cercanías, todavía muy precario. Ir en tren debería ser más barato y potenciarse con nuevas vías y estaciones por todo el país. Sin que obligatoriamente pasen por Madrid, ni siquiera por Barcelona."


Publicado hoje aqui. E dentro de dois anos, poderás viajar, papá, entre Málaga Maria Zambrano e Paris Gare de Lyon, e mais além, a velocidades entre os 180 e os 350 km/h, e isto caso tenhas a sorte de conseguir lugar nos comboios porque provavelmente esgotaram na semana anterior.

6 comentários:

  1. Este título fez lembrar-me dos outdoors que colocaram agora nas auto-estradas, relambrando as questões de segurança: "Avô, já tens o cinto posto?", "Papá, a que velocidade vais?".

    Por acaso, seria boa publicidade para a REFER/CP, apelando ao uso dos comboios.

    ResponderEliminar
  2. Tamém quero um "quimbóio"que me ponha em menos de 45 m do Porto/Braga ou vice versa.Isto já não é pedir muito.

    ResponderEliminar
  3. Seria interessante saber quanto custa (custará) cada uma dessas viagens, e saber quantos portugueses teriam capacidade financeirea para as pagar! Muito poucos com certeza. Eu também queria um Ferrari... mas não tenho dinheiro para o comprar e nem sequer para o manter! Um pouco com o o TGV, não temos dinheiro para o fazer e nem sequer para manter os prejuizos que daí virão.

    ResponderEliminar
  4. Sim, sim, Sr. Anónimo das 10:31. Estamos todos aqui para pedir Ferraris e coisas que tal. Que isto de andar de comboio (urbanos, regionais, intercidade e alfa) é só pra ricos.

    Qual comboio normal? Eu quero um TGV Barcelos/Braga, se bem que a A11 já permite uma viagem de 15 min.

    Se calhar vou ser menos exigente e pedir uma ligação directa em comboio urbano (ui, que maluqueira!) Braga/Barcelos, para não ter de pensar três vezes em meter-me num percurso de 1h, quando podia ser feito em 20 min.

    ResponderEliminar
  5. anon imo das 10:31

    quantos portugueses tem possibilidade economica de ir de aviao para Moscovo e NY e Paris e por ai fora??

    Mas eles andem ai..e nem falo de low costs

    ResponderEliminar
  6. O texto citado faz a apologia do transporte ferroviário e não apenas da "Alta Velocidade" (que em Espanha responde por uma dezena de denominações comericiais).
    Não será por mero acaso que o scretário norte-americano da área dos transportes viajou há cerca de um mês na linha de alta velocidade Madrid-Barcelona a fim de apreciar as soluções desenvolvidas por Espanha; não será por acaso que a Espanha, através das suas empresas vai a breve prazo exportar tecnologia ferroviária para os EUA.
    Não será por acaso que, na década de 70, o caminho de ferro espanhol era tão mau como o nosso; não será por acaso que, na década de 80-90, a Espanha até encerrou 50% da sua rede ao passo que nós só o fizemos com cerca de 25%; não será por acaso que, em 2010, a RENFE será a empresa ferroviária europeia com a frota mais moderna da Europa; não será por acaso que a rede de "comboio" de Madrid vai crescer mais 115 km nos próximos anos, a que acresce o aumento da rede de metro e "tram".
    Mas também há coisas menos boas no transporte ferroviário em Espanha.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores