Revolta em Teerão

| Partilhar
IRAN EXECUTION HANGING Irão Execuções Pena de morte vergonha Teerão
© r.karthikeyantamil

Mahmoud Ahmadinejad foi declarado vencedor das eleições presidenciais no Irão. Os resultados têm sido fortemente contestados nas ruas pelos apoiantes do principal candidato da oposição, Mir-Hossein Moussavi. Indiferente às acusações de fraude, o Supremo Líder do Irão, ayatollah Ali Khamenei, apela a todos os iranianos para que apoiem o Presidente eleito. Aliás, outra coisa não seria de esperar dos líderes religiosos do país, sequiosos de continuar a impor a sua doutrina a todos os cidadãos e cidadãs do Irão. Nas últimas horas surgiu a informação de que o candidato da oposição teria mesmo sido detido.

Daniel Oliveira, no Arrastão, chama a atenção para o confronto entre um «Irão moderno, jovem e urbano» que apoia maioritariamente Moussavi e «outro pobre e conservador» fiel ao Presidente Ahmadinejad. Na verdade, qualquer que tenha sido o verdadeiro resultado das eleições, é certo que há uma fatia considerável de iranianos empenhada em impor a teocracia a todos os outros, numa inaceitável ditadura religiosa que continua a violar os Direitos Humanos a um ritmo verdadeiramente assustador perante a passividade da comunidade internacional.

A ler: O despertar de um Irão livre ou a verdadeira face de uma teocracia?, por Palmira Silva; Iranian elections: live, no Guardian; Scuffles in Tehran as Ahmadinejad and Mousavi both claim victory, no Times.

Adenda: 14/06/2009, 02.00.
Latest: Tehran Streets Iran Irão Revolta Revolução Eleições Mousavi
© mousavi1388

Um dia depois de ter sido falsamente anunciado o fim do twitter, é no twitter que Mousavi, a mais recente vítima da intolerância da teocracia iraniana, anuncia a ilegítima prisão domiciliária a que foi sujeito. «Dear Iranian People, Mousavi has not left you alone, he has been put under house arrest by Ministry of Intelligence», assim se lê na página oficial do líder da oposição iraniana, cujos apoiantes levam até às ruas de Teerão a mais ruidosa das indignações perante a mais que provável fraude eleitoral. Mousavi, apoiado esmagadoramente pelo eleitorado jovem, urbano e feminino, é o rosto da libertação do Irão do jugo castrador imposto pela revolução cultural islâmica promovida pelos líderes religiosos e secundada pelo presidente Ahmadinejad.

A ler: «The government is trying to hide the fact that Mir-Hossein Mousavi won», num impressionante relato a partir de Teerão de uma estudante iraniana; Detidos cem responsáveis reformistas iranianos após noite de tumultos, no Público; Ahmadinejad responde a revolta com bloqueio a telemóveis, no DN.

45 comentários:

  1. Vi as mesmas imagens aquando da execução do Sadam.
    E foram os americanos imaginem!

    ResponderEliminar
  2. Tudo isto é assustador! E profundamente perturbante!

    ResponderEliminar
  3. Tenho que visitar o Irão urgentemente: um país governado por deus e onde as auto-gruas servem para secar corpos ao sol deve ser um imenso arraial.

    Como é que dizia o outro, as religiões são o quê?...

    ResponderEliminar
  4. Caro Dario,

    Devia saber que
    «as boas pessoas que não são religiosas se acreditassem em Deus seriam muito melhores»
    . Quem acredita em Deus é muito melhor que o resto das pessoas. Se esses líderes religiosos do Irão matam os criminosos é porque têm obrigação de limpar a sociedade dos pecadores. Deus escreve direito por linhas tortas e nós estamos cada vez mais infiéis mas um dia virá a vingança divina.

    ResponderEliminar
  5. Caro anónimo, uso a expressão caro sem ser ao desbarato. O seu comentário deixa uma sombra escura sobre a nossa realidade. Viva e deixe viver.

    ResponderEliminar
  6. Caro Francisco,

    A sombra escura é motivada pelas modernices dos nossos dias e pela desgraça e miséria a que estão associadas.

    Repare no comentário do Dário ou Dario ou lá o que é! Revela algum desprezo pelas religiões. Desprezo que será obviamente castigado. Assim como alguns textos que se lêem neste blogue e que a seu tempo serão alvo do castigo divino.

    ResponderEliminar
  7. Caro Anónimo, veja que não sou eu nem o Dário que defendem a justeza da violência.

    Aliás peço-lhe para recordar Jesus (que suponho ser o seu Maior exemplo) nas suas acções e nas suas palavras face à violência. Recorde também que morreu para que os homens pudessem escolher.

    E nessa incoerência que vejo o negro sombrio da sua devoção.

    ResponderEliminar
  8. Caro anónimo,

    " Se esses líderes religiosos do Irão matam os criminosos é porque têm obrigação de limpar a sociedade dos pecadores."

    Precisamente, a "obrigação", como diz, vem-lhes certamente de um deus que lhes fala ao ouvido, tem sido assim desde o início do mundo, há um deus que manda matar e limpar os pecadores...

    Mas não queira sequer sugerir que eu disse que "fé" ou "deus" ou "religião" são a mesma coisa.
    Porque não são. E se quiser como exemplo a fé católica romana, diga-me lá onde é que o próprio Jesus Cristo (em cuja existência histórica acredito) disse para serem queimados quem pensasse diferente. Jesus Cristo deu, pela sua palavra ou exemplo, cobertura ou apoio a alguma das muitas guerras que em nome dele (ou Dele) se viriam a travar? Ou foram os homens que assim "entenderam"?

    Mas não vamos discutir aqui religião... tenho medo de vir a ser divinamente castigado. Já não basta pagar impostos pa' burro...

    ResponderEliminar
  9. Este anónimo é crente. Mas que já pregar para outra freguesia! Eu só acredito se quiser, ok?

    Vejam bem o irão e depois digam se gostavam de ver os padres a mandar no nosso país. Religião fora da política, já!

    ResponderEliminar
  10. É por causa de uns «anónimos» como este que que qualquer religião, e eu já digo aqui qualquer, porque em todas há fanáticos destes, é sempre entendida como oposta à humanidade ou castigadora desta. É um caso claro para dizer, valha-nos Deus.

    ResponderEliminar
  11. O meu maior exemplo é Deus, cujo Filho Jesus Cristo foi enviado para nos dar testemunho da salvação. Quer acreditem ou não, Ele comanda as nossas acções e as nossas vidas e encarrega-se de colocar o mundo nas ordens naturais.
    Os homens vacilam e afastam-se dos Seus caminhos, mas em pouco tempo virá uma catástrofe que nos devolverá às trevas e depois das trevas novamente a Luz.
    Eu não sou fanático. Apenas sigo a a palavra de Deus, de Jesus Cristo, de Pedro e Paulo, de São Tomás de Aquino e de todos os sacerdotes da Igreja até Bento XVI.
    A SIDA não surgiu por acaso. Veio para castigar aqueles que se afastaram dos caminhos do Senhor. Tal como a SIDA, também agora virá a Gripe que vai reduzir a população mundial e afastar em definitivo os luxos da homossexualidade. Com a necessidade de haver mais crianças, as pessoas voltaram a viver em matrimónio justo e fiel, procriando na medida das suas possibilidade. Nesse dia, todos cumprirão o que Bento XVI diz sobre os preservativos, por exemplo, e as fábricas de preservativos serão tomadas pela ruína da falência.
    No Irão as vozes do Senhor são ouvidas e atendidas. Se tivessem lá as nossa estradas, pontes, escolas e universidades viveriam melhor que nós. A sociedade iraniana tem sido limpa dos piores e o povo iluminado por Deus atendeu com orgulho a palavra dos líderes religiosos. Por aqui, despreza-se o sentimento da Conferência Episcopal Portuguesa que já disse para não se votar no PS, nem nos comunistas nem nos trotskistas nem nessa cambada de esquerda rafeira que sobrevive a dizer mal de Nossos Senhor e das suas Leis divinas.
    O país está a afastar-se da sua matriz cultural. Reparem que hoje tanta gente falou do Fernando Pessoa e do António Variações mas ninguém se dedicou a meditar sobre a vida santa do nosso Santo António de Lisboa, exemplo maior da inteligência nacional. Isto prova que os valores nacionais estão a ser perdidos e o povo já só olha às sardinhas e às marchas quando devia concentrar-se na figura do Santo.
    Aqui no Porto, vou propor ao Dr. Rui Rio que dedique uma parte do programa das próximas festas a falar sobre a vida e a obra de São João Baptista, o profeta que precedeu Jesus Cristo e No-lo veio anunciar.
    Tenham uma boa noite e aprendam a respeitar a verdadeira natureza dos homens.

    ResponderEliminar
  12. Respeito todas as opiniões, mas fico preocupado com algumas...

    ResponderEliminar
  13. Vou copiar isto e mandar a todos os meus amigos católicos.

    ResponderEliminar
  14. "cambada de esquerda rafeira que sobrevive a dizer mal de Nossos Senhor e das suas Leis divinas."

    Quero aqui dizer que tenho dúvidas do que seja ou quem seja essa "cambada de esquerda rafeira" nem isso me faz comichão.

    Mas não tenho dúvidas de que, definitivamente, não quero ser governado por leis divinas porque ainda me penduram numa auto-grua e é coisa para a que não me sinto vocacionado.

    Fora isso, a cada um a fé ou sua "religião.

    ResponderEliminar
  15. Espero que o anónimo se flagele por ter cedido à tentação de vir escrever neste antro de imoralidade a que chamam Internet.

    ResponderEliminar
  16. Estou em lágrimas com o que escreve o anónimo... é do melhor que já li. aliás, vou mandar este comentário para as produções fictícias. é o melhor humor dos últimos tempos.

    ResponderEliminar
  17. Humor?
    Vê lá se queres sentir a força da auto-grua...

    ResponderEliminar
  18. Desvalorização do homem leva ao alheamento dos valores absolutos

    D. João Lavrador lamenta que a desvalorização do homem que está "à mercê de todas as tendências de opinião". O Bispo auxiliar do Porto criticou os "tempos de angustiosa busca da verdade" que deram origem ao "alheamento perante os valores absolutos" e à "indiferença perante Deus".

    "Cedo se passa para um relativismo moral e para uma instrumentalização da pessoa humana", advertiu o Bispo na celebração eucaristia desta Sábado, 13 de Junho, na Peregrinação Internacional Aniversária de Junho no Santuário de Fátima.

    http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=73605

    Alguém que percebe o que eu digo.

    ResponderEliminar
  19. Aonde isto já vai..... Cambada de anormais esses iranianos....

    ResponderEliminar
  20. E tudo isto num post sobre seres humanos "criminosos" que foram, por inspiração divina, castigados na medida certa ao serem dependeurados numa auto-grua num país governado, por interposta pessoa, por "deus" e que está, desde já, a proceder a algumas arrumações e limpezas lá em casa.

    É o chamado "relativismo moral".

    ResponderEliminar
  21. Adende: Ahmadinejad permanece no poder por vontade divina, está visto.

    ResponderEliminar
  22. Estive a ler o relato dessa jovem pelo twitter e estou chocado. Uma sociedade que não reconhece às mulheres iguais direitos aos direitos dos homens está perdida. Essa é uma característica invariável do discurso dos crentes: os deficientes são pessoas iguais às outras mas não comungam porque são anjinhos. as mulheres têm a mesma dignidade que os homens mas jamais aceitamos que sejam padres; elas são boas boas em casa a cozinhar e a cuidar dos filhos. os homossexuais são iguais aos outros mas não se podem casar, apenas ter uniões civis. toda a gente tem o direito a decidir sobre os tratamentos, mas não aceitamos que alguém decida deixar de ser tratada para morrer. e por aí em diante........

    ResponderEliminar
  23. Estou confiante na força do povo iraniano para vencer a tirania e a intolerância.

    ResponderEliminar
  24. Bom dia,
    Eu perdoo a troça com que se dirigem a mim e às minhas crenças. Deus está comigo e com todos aqueles que O ouvem de coração puro. O senhor padre a que se refere agiu iluminado por Jesus Cristo. Os puros dispensam a comunhão porque já estão em comunhão com Cristo.

    Sobre o Irão: aquilo que vocês ouvem e lêem nem sempre corresponde à verdade. A revolução dos religiosos iranianos era necessária porque a sociedade estava a ir para maus caminhos. Também na Europa virá o tempo da nova reforma cultural cristã. A igreja islâmica do Irão não só está a trabalhar bem como também teve aceitação do seu povo nas eleições livres realizadas. Quem não aceita o resultado das eleições é porque não quer estudar, aprender e trabalhar para servir melhor as comunidades e para servir melhor a Deus. Há gente que pensa que a vida é só sair à noite e andar de teatro em teatro e de cabaré em cabaré.

    ResponderEliminar
  25. Há quem esteja aqui a fazer uma grande confusão.
    Nenhum dos candidatos defende a abolição do regime teocrático.
    Nenhum dos candidatos defende um tratamento igualitário das mulheres.
    Todos eles fazem parte do sistema que está instituído naquele país.
    Portanto quem quer fazer crer, ou acreditar, que se está perante um salvador contra um ditador está muito enganado.
    Aliás, o próprio presidente não passa de um,a peça na engrenagem na máquina decisória iraniana.
    Parece-me que há aqui um grande desconhecimento sobre a situação polítco social do Irão.
    É o que dá falar sobre notícias de jornais.
    A outra discussão que aqui se gerou, sobre religião, só mostra que de um lado e de outro há fanatismo.
    Uns defendem a religião como um valor absoluto, outros defendem a destruição dos templos.
    Fanatismo de um lado e do outro.

    ResponderEliminar
  26. Concordo com muito do que escreve o último anónimo. O Irão é uma terrível teocracia e o liberalismo de Mousavi fica muito aquém do desejável.

    ResponderEliminar
  27. Caro Anónimo, justiça divina, meta isso no caixote, e tente pelo menos utilizar o cérebro, sem recorrer a fúteis dogmas, escritos alguns deles há milhares de anos, por alguém que tentou interpretar o seu mundo da melhor forma.

    E que agora alguns, como você, distorcem esses textos, por forma a impingir a sua interpretação aos outros. Antecipando sempre que possível a dita justiça divina, para umas penas de morte, segregações, e para cometerem os mais variados crimes, ao abrigo dos "livros sagrados"...
    Pelo menos em Portugal a igreja já foi remetida ao seu papel, e espero que ainda reduzam mais esse mesmo papel.

    As religiões deviam limitar-se a definir:
    -Que cada um tem o direito a definir o que é melhor para si, sem isso interferir com terceiros. E pouco mais... deixar o restante ao critério de cada.

    Como é óbvio Deus não existe... Espero que todos os seres humanos sejam capazes de se emancipar desse refúgio e aprendam a viver da melhor forma aquilo que "são", ou melhor "acontecem", porque na realidade nem existimos, acontecemos.
    Os que ainda não conseguem, pois refugiem-se no que quiserem, estão no seu direito, desde que não venham protelar frases como "justiça divina", "guerras santas",... tentando restringir a liberdade dos outros, e justificar crimes, que é o que se faz no Irão e já se fez um pouco por todo o Mundo, incluindo Portugal.

    ResponderEliminar
  28. «Pelo menos em Portugal a igreja já foi remetida ao seu papel, e espero que ainda reduzam mais esse mesmo papel.»

    Onde? continuam a meter-se em tudo quanto é política, são financiados também pelos nossos impostos e depois fazem campanhas políticas que envergonham.

    ResponderEliminar
  29. Continuam a troçar com as minhas crenças mas eu tenho direito a elas. O Papa Bento XVI diz o que é melhor para todos. Só segue quem quer.
    Nos países em que a Lei de Deus não é seguida, então os sacerdotes devem convencer as populações a obrigarem os legisladores a adoptarem a Lei de Deus: o casamento deve ser feito segundo a vontade de Deus, a prática da Medicina também, guardar os Dias Santos também.
    Portugal é um país que só existe porque houve cruzadas cristãs e é a Lei de Cristo que aqui deve dominar. Todos devem respeitá-La e se não A aceitam então podem ir embora para outro país. E defendo o regime iraniano embora não seja Muçulmano, porque aquele povo foi escolhido por Deus para ser evangelizado por Maomé e então o povo deve submeter-se à Lei Sagrada protegida pelos sacerdotes. Ainda bem que a sociedade iraniana se revê nisso e quem não estiver bem escusa de andar a manifestar-se nas ruas: muda de país.
    A ordem natural das coisas está a ser pervertida pelos ateus e agnósticos que são um cancro da sociedade e que nos afastam dos caminhos do Senhor. Concordo com a Igreja Católica quando defende que certos livros devem ser evitados porque são tentações que não devemos cair. O Nietzche só trouxe miséria para o mundo mais o Hitler, o Estaline, o Franco, o Salazar, o Sócrates, o Soares, o Cunhal, o Mao Tsé Tung, o Marx, o Eggels, o Putin, o Fidel Castro, o Hugo Chavez, o Bush e toda essa cambada de ditadores ateus. Todos juntos têm destruído o mundo. Mas o Senhor não dorme.

    ResponderEliminar
  30. Querido Jesus Cristo,
    sabes que eu não sou católica nem nada, mas se levas a sério essa coisa da mensagem divina, devias fazer entrevistas de emprego aos teus mensageiros (ver o anónimo fanático lá mais acima).

    A religião Católica, como primeira grande empresa multinacional, devia fazer uma melhor selecção dos seus representantes na Terra.

    É que dizer que crianças enforcadas ,por terem sido violadas, o foram justamente por serem pecadoras, não vai convencer muita gente a ir à Igreja depositar esmola para sustentar padres.

    Assim só vos espera a falência.
    São vocês ou as fábricas de preservativos e olha que eles têm bons publicitários.

    P.S. Se vocês forem à falência antes da fábrica de preservativos, já tenho planos para comprar o edifício da igreja cá da freguesia e transformá-lo num cabaret.

    ResponderEliminar
  31. Tem piada este "anónimo".
    É impressão ou está a abençoar as guerras (santas) acontecidas no passado e que nos geraram como país?
    Faz-me confusão: algumas dessas guerras (santas) foram feitas em nome do deus católico contra o deus muçulmano, o tal que inspira divinamente o cabecilha do Irão.

    Eu acho é que devíamos iniciar já mais uma guerra "santa", contra os "infiéis", os sarracenos, fazer como Santiago, matar mouros a torto e a direito para alcançarmos a redenção absoluta.... tenho a certeza de que o ateu Salazar aprovaria de imediato, assim como o compincha Cerejeira.

    ResponderEliminar
  32. É indigno e impuro que lhes chamem Guerras Santas. São batalhas em nome de Deus que se travam quotidianamente para dar ao povo as regras que o Senhor inspira. A verdadeira Guerra Santa é contra o Holocausto do Aborto, os Casamentos Anti-Natura, os pseudo-tratamentos de Eutanásia ou as anormalidades das Fertilizações de Plástico.

    Só o amor nos faz felizes (http://www.youtube.com/watch?v=OKb_WQCZp3k), mas vocês ignoram isso porque estais cegos. Há por todo o lado contradições ao que defendem os ateus.

    A todos uma boa tarde.

    Editado por conteúdos considerados ofensivos.

    ResponderEliminar
  33. Anónimo das 18:01,

    Argumentar com seriedade é um dos critérios deste blogue, assim como uma das políticas de aprovação de comentários. O seu último comentário trazia uma afirmação e um discurso repleto de afirmações homofóbicas e isso é algo que, felizmente, podemos impedir de ser publicado neste espaço.

    ResponderEliminar
  34. Guilherme Gomes Sousa14 de junho de 2009 às 19:02

    O que é que eu escrevi que fosse ofensivo??? Vou escrever todos os comentários que deixei aqui também no meu blogue que assim não corro o risco de serem apagados.

    ResponderEliminar
  35. Esteja à vontade, mas não julgue que vai aproveitar este espaço de comentários para promover as suas ideias. Há certos limites, e discursos homofóbicos e doentios são um limite (inclusive hiperligações para eles).

    ResponderEliminar
  36. Mensagens para os ateus....

    "http://teocraciaportuguesa.blogspot.com/2009/06/mensagem-para-os-ateus.html"

    ResponderEliminar
  37. Obrigado Dario. Bem sabia que haveria de aceitar as minhas palavras.

    ResponderEliminar
  38. Alice,
    É muito feio gozar com as crenças dos outros. Jesus de certeza que leu o que escreveu e agirá em conformidade.

    ResponderEliminar
  39. Alice,

    Prepara lá o pescocinho para a auto-grua, vais ser divinamente castigada.

    ResponderEliminar
  40. Caro Anónimo,

    Você consegue deixar boqueaberto qualquer um. Tem certeza que é Católico, ou é um daqueles fundamentalistas do midwest? É que eu sou Católico e francamente não me lembro de ler nada assim vindo de um Católico em pleno séc. XXI!

    Ou será que está apenas a ser irónico? Neste caso parabéns!

    ResponderEliminar
  41. Choca-me o que aqui leio. Como dizia um comentador anónimo ontem às 12:36, muito do que vemos nesta discussão é fanatismo, de um lado e de outro. Nada que me surpreenda de sobremaneira.

    Àqueles daqui que se proclamam crentes e que cegamente tentam justificar o injustificável, pergunto onde fica o Deus de Amor e de Infinita Misericórdia que nós, católicos, apregoamos. O Amor e a Misericórdia ficam só para a Eternidade, estando nós aqui no mundo condenados às mais vis penas? Aos arautos da Justiça Divina, pergunto o que os faz acharem-se como razoáveis porta-vozes de Deus, "que certamente agirá em conformidade com o que aqui se escreveu".

    Tão triste como ler alguns destes comentários é ver a reacção cega e igualmente fanática de tantos "ateus praticantes" que por aqui passaram.

    ResponderEliminar
  42. A religião deve ser utilizada para cada um tentar ser cada vez melhor perante si e os seus semelhantes. E pouco mais do que isso...

    Cada um tem o direito à diferença e à sua religião em qualquer parte do mundo onde se encontra, não vejo por exemplo a igreja católica zelar por isso.

    A falta de actualização de alguns dogmas que se perpetuam, fazem normalmente das religiões, verdadeiras ancoras e geradoras de injustiça perante a evolução da humanidade, isso reflecte-se e reflectiu-se ao longo dos tempos, tanto pelas várias execuções de verdadeiros seres pensantes da história da humanidade, passando por fases obscuras e acabando na actualidade onde em pleno século XXI temos a defesa de alguns dogmas inacreditáveis, e que indirectamente são responsáveis pela morte de milhares de pessoas, e pela doença em muitos outros.

    É o demasiado autoritarismo que sempre imperou em algumas religiões como a Católica, que leva e sempre levou a essas injustiças…

    Só não acontecem na "Europa Ocidental" execuções com base em conceitos religiosos, como acontece noutras partes do mundo, porque felizmente o papel da religião já foi diminuído.

    Em suma, para os religiosos convictos:
    Em Deus "todos" queremos acreditar, mas as religiões são todas elas feitas por "meros" humanos que tentam interpretar o seu Deus, e que por vezes ficam essas mesmas religiões reféns de interpretações mais radicais, que lhes retiram o valor positivo que elas podiam ter.
    O maior perigo quando se trata de religião está na minha opinião nos fanáticos... aprendam a pensar e a criticar a vossa própria religião e obriguem-na a evoluir de forma mais célere para que se torne mais útil à sociedade...
    Nenhum Deus pode condenar isso... todos devem poder discordar de afirmações e ideologias, mesmo que elas sejam defendidas pelo Papa, ou pelo “dito” representante de Deus na terra...

    ResponderEliminar
  43. Terroristas à solta (ainda o Irão...)

    Anda por aí uma praga de gente bem pensante que tem vindo a criticar, de forma severa e obtusa, as eleições no Irão. Insurgem-se, entre o mais, contra a vitória do ex e actual presidente iraniano, essa coisa abjecta e execrável chamada Mahmoud Ahmadinejad, alegando que as eleições não passarm de uma farsa. Até aqui, completamente de acordo. Não me venham é com a treta de tentar colocar num pedestal de honestidade e boas intenções, com direito a manchetes e textos profundamente comovedores, o candidato derrotado Mir-Hossein Mousavi. Dizem-no sensatamente moderado e profundamente reformador, apregoam-no motor do movimento pró-democrático do Irão, intitulam-no paladino de uma nova esperança...

    CONTINUA EM
    http://ocharutoaceso.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores