Social Democracia e o Castigo de Sísifo

| Partilhar
Eleições Europeias na Europa
© via arrastão

Para além de uma crescente radicalização do voto sobretudo à custa do aumento dos partidos de extrema-direita e dos anti-europeístas, é inequívoco que a Europa virou à direita nas eleições do passado dia 7 de Junho. Num clima de crise cujo principal culpado identificado é o neoliberalismo selvagem importa reflectir sobre os motivos pelos quais os eleitores castigaram a Esquerda democrática.

A ler: A Esquerda funda-se quando imita a Direita, no publico.es.

14 comentários:

  1. Neoliberalismo selvagem. Ora aí está mais uma expressão guarda-chuva que serve de muleta a muita gente. Uma espécie de etc da Economia/Política.

    Os entendidos na matéria é que se borrifaram para as etiquetas, e votaram contra o mal ainda maior.

    ResponderEliminar
  2. Se o neoliberalismo selvagem não existe porque é que há gente a ganhar milhões de euros enquanto outros nem têm para comer?

    ResponderEliminar
  3. Suponho então que o neoliberalismo selvagem exista desde que existe humanidade.

    ResponderEliminar
  4. Sr Luis Lopes, quando descobrir essa resposta, pode ir à Coreia do Norte explicar-lhes porque no único país isento de neolib, há pessoas a morrer (morrer MESMO) à fome, enquanto uma elite se delicia com laranjas portuguêsas.

    É o neolib da Coreia do Norte.

    ResponderEliminar
  5. Tanta gente a tentar explicar ao europeus que a culpa da crise era do neoliberalismo, e mesmo assim os eleitores "castigaram a Esquerda democrática" que nos prometia salvar desse neoliberalismo...

    Se calhar os europeus não são assim tão estúpidos/cegos como a "Esquerda democrática" pensa.

    ResponderEliminar
  6. «aumento dos partidos de extrema-direita e dos anti-europeístas»... «Esquerda democrática».

    Caro Pedro Morgado só falta agora no meio acrescentar o medo do «monstro». Uma Esquerda democrática» (note-se, com maiúscula), esta verdadeiramente angélica e salvação da humanidade, contra os partidos de «extrema-direita e dos anti-europeístas» (note-se, com minúscula, e, interpretação minha, certamente dizendo o mesmo da direita sem extremo), estes o verdadeiro monstro que ameaça papar toda esta Europa que, conduzia pelos angélicos, mostrava estar a tomar um rumo humanista e democrático...
    Já agora gostava de saber onde estavam todos estes angélicos quando foram definidas estas selvagens regras económicas as «únicas» culpadas por estarmos, Portugal, há mais de uma década em crise...

    ResponderEliminar
  7. Será porque já ninguém a sabe distinguir do resto? (se calhar era de pensar que já nem é uma questão de percepção... os vários sectores realmente já não se distinguem sem ser nos aspectos decorativos)

    ResponderEliminar
  8. Miguel Braga, não precisa de ir mais longe :)

    Esquerda tem que ser escrito com o adjectivo "democrática", para a gente entender :)

    Direita é escrito sem adjectivos. E é assim que deve ser. Obrigado!

    ResponderEliminar
  9. (...)à Coreia do Norte explicar-lhes porque no único país isento de neolib, há pessoas a morrer (morrer MESMO) à fome, enquanto uma elite se delicia com laranjas portuguêsas.

    Caro João Fernandes, não vá por aí. Não seja demagógico.

    Veja-se o caso (entre muitos em África e por este Mundo fora) que há cerca de 18 anos aderiu à "causa" neoliberal.

    No entanto, a fome mata e muito e a elite repasta-se.

    ResponderEliminar
  10. Caro Marco Gomes. Já ouviu falar do Botswana? Então, quando vier com exemplos de países no continente africano, não venha cá com ditadurazinhas pejadas de nepotistas a servir de exemplo de vítimas do neoliberalismo.
    O Socialismo Africano, no seu esplendor e expoente máximo de Mugabe, tem tudo a haver com neolib.

    ResponderEliminar
  11. Caro João Fernandes,

    Por lapso esqueci de nomear o país africano que me referia: é a Etiópia
    .

    Este país que aderiu há cerca de 18 anos ao neoliberalismo (imposto,pois claro, mas isto são outras contas do mesmo rosário). E a fome perdura.

    Já agora você afirmou que: «(...)não venha cá com ditadurazinhas pejadas de nepotistas a servir de exemplo de vítimas do neoliberalismo.».

    Digo o mesmo sobre os seus comentários(a comparação com a Coreia do Norte):(...)não venha cá com ditadurazinhas pejadas de nepotistas a servir de exemplo de vítimas do socialismo..

    Já agora sobre um outro seu comentário, («Esquerda tem que ser escrito com o adjectivo "democrática", para a gente entender :)

    Direita é escrito sem adjectivos. E é assim que deve ser. Obrigado!»
    )

    Pois, agradeça em grande parte à «esquerda democrática» que quebrou a «Direita, sem o adjectivo democrática» (antes de 1974) para hoje poder cuspir para o céu e colar algumas insinuações.

    De nada!

    ResponderEliminar
  12. Etiopia? Não me faça rir! Então Mengistu era um neo-liberal? Um regime que DESTRUIU o país, lançando-o em fomes e guerras civis; e a "culpa" agora é do neo-liberalismo. E porque não do Aquecimento Global? Pois, não era moda na altura.

    O sr pode arrolar todos os regimes que pretender, mas nunca chegará aos números de mortos causados pelos paraísos na Terra: URSS, China, Vietname, Coreia do Norte, Etiopia. E a Venezuela para lá caminha. Espere mais um pouco, e o Socialismo Popular lá mostrará os seus efeitos.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores