PSD vence Eleições, Bloco em Terceiro

| Partilhar
Eleições Europeias 2009

00h23
. Fica ainda a lista dos candidatos efectivamente eleitos. Falta apenas o 3º do Bloco - Rui Tavares.

23h47. Com 32 consulados apurados, de 71, a abstenção está em 98%, com apenas 2300 votantes. Talvez as formas de voto tenham de ser um pouco flexíveis.

23h41. Abstenção 62,84% PSD 11,78% PS 9,88% BE3,99% PCP 3,96% PP 3,11% Brancos 1,72% Nulos 0,74%. Uma grande vitória para todo o sistema político.

23h39
. Rangel: Ferreira Leite "é a grande vencedora", Sócrates sofreu "derrota pessoal", no Público. BE em festa no Fórum Lisboa, no JN. PSD vence e Bloco de Esquerda elege três eurodeputados, no DN. PSD passa atestado de óbito ao governo socialista, no i. PS em queda. Manuela pode ser primeira em Setembro, no i.

23h18. Verifica-se uma derrota estrondosa do PS, mas uma vitória relativamente modesta do PSD. Lembra a TSF que este é o pior resultado PS+PSD desde 1985. Apesar de tudo, a grande derrota do PS, não corresponde a uma grande vitória do PSD.

PS, CDU e BE conseguem cerca de 48% dos votos enquanto o PSD e PP cerca de 40%. Apesar disso, pode o PSD ainda conseguir o 9º deputado (já agora, pois tratam-se de eleições europeias) e assim roubar ao BE o 3º deputado e conseguir um "empate" a 11, entre deputados à direita e à esquerda.
Se depender do estrangeiro, onde o PSD tradicionalmente é muito forte, talvez o deputado fuja ao BE.

23h16
. Com 2 freguesias por apurar, o Bloco de Esquerda está mais próximo de eleger o último deputado.

22h52. José Sócrates assume resultado decepcionante. PSD reclama vitória clara. CDS-PP vai apresentar moção de censura ao Governo. MMS lamenta falta de reconhecimento de novas opções pelos portugueses.

22h30. CDU e BE discutem, taco a taco, o 3º deputado. BE vai com quase mais 2000 votos do que a CDU neste momento.

22h20
. Não deu para o empate (em 7 deputados) entre PS e PSD, como especulei (Jorge Sousa), mas é agora certo que as sondagens saíram furadas. Os partidos falharam em capitalizar cerca de 6% dos votos, face ao PS, que se revelaram nulos ou em branco (4,64%). Fica o BE tão longe do 3º deputado como a CDU, mas o maior falhanço é o do PS, que acaba com 26,5%.

Comparando com Espanha, a diferença superior a 3,5%, que lá existiu entre PP e PSOE, poderá dever-se, precisamente, aos votos em branco. Em Espanha foi 1,41% e cá 4,64%. Assim se explicará, em parte, essa diferença e a vitória mais clara do PSD.

21h40
. A título de comparação e com 97% dos votos apurados, em Espanha houve apenas 214 mil votos em branco, num universo de 15 milhões de votantes. Nós em Portugal já ultrapassamos os 144 mil, entre 3 milhões de votantes.

21h30
. É notável que cerca de 140000 sejam votos em branco. Quase 5%. E se existissem cadeiras vazias?

21h20
. Com cerca de 10% de votos divididos (para já) entre brancos, nulos e votos noutros partidos (que não os cinco grandes), as projecções saem furadas. Ainda com muito por contar, PS tem, para já, menos do que o é projectado (26%). Por outro lado, sabe-se que o forte do BE são os centros urbanos, mas, para já, está longe do 3º deputado e dos 13% que algumas sondagens avançam. Como o BE, também o forte do MEP estará nos centros urbanos. Para já, tem 1,39%. Espera-se que suba e "roube" votos a alguns partidos.

21h05. PSD vence em Gualtar (Braga). Nas últimas eleições o PS tinha vencido com 48,31% dos votos. PSD e Bloco de Esquerda em subida acentuada no Minho.

20h55. Leitura das sondagens à boca das urnas, por Jorge Sousa

O PSD e PP (que em 2004 correram juntos) subirão cerca de 7%. O Bloco subiu cerca de 8-9%. PS desce 14%. Logicamente, conclui-se que o PS foi penalizado. Como afirmava o António Costa há pouco: em 2004, quando se deu a penalização do PSD-PP, o PS obteve 44%. O PSD ficar-se-á pelos 34%, no máximo. Uma vitória muito relativa pois, no panorama geral, os partidos mais à direita perdem claramente para uma esquerda que cresce. Segundo as sondagens, a direita não elege mais do que 10 deputados. Sobram 12.

Do ponto de vista Europeu, o PPE sai a perder, em Portugal. Do ponto de vista nacional, quem, apesar de tudo e com menos votos, tem melhores condições de governar é o PS, em coligação. Como referi há dias, em democracia, não vence - e governa - sempre quem tem mais votos.

Há ainda duas notas a acrescentar. Primeiro, em 2004, cerca de 5% dos votos foram para partidos mais pequenos que nem sequer constam destas sondagens, pelo que os resultados finais dos "grandes", provavelmente, não irão corresponer ao valor mais alto que lhes é atribuído nas sondagens. Um cenário de empate (em nº de deputados) entre PS e PSD não é de descurar. Segundo, entre PS e PSD há o factor (positivo) Rangel e o factor (negativo) Vital, que poderão ser enganadores, quanto a uma leitura legislativa.

20h42
. «Previsão baseada na média das Projecções: Último deputado será o 8º do PS, o 3º do BE ou o 3º da CDU. Nesta disputa BE está à frente.», via @joaomiranda.

20h28. Ricardo Costa: «é uma grande derrota do Primeiro Ministro.» (SIC)

20h21. PSD+PP sobem pouco mais de 7% e Bloco sobe cerca de 8-9%. PS desce 14%. Já se grita vitória na sede do PSD.

20h06. PSD agradece confiança aos Portugueses.

20h04. Todas as projecções dão vitória ao PSD e colocam o Bloco de Esquerda em terceiro lugar.

9 comentários:

  1. Primeira vitória dos professores! Em Outubro será ainda pior! Fim da ditadura camuflada de democracia!!!

    Socrates! Foste e leva contigo a Lulu!!!

    Hip! Hip! Harrrahhhh!!!!

    ResponderEliminar
  2. I looove the semell of napalm by the evening

    ResponderEliminar
  3. «Primeira vitória dos professores!»

    Face ao nível da abstenção, essa não será uma conclusão (para mim) muito segura. Se é óbvio que o PS foi penalizado, os +60% de abstenção são uma penalização a todo o sistema político. Face à contestação de rua que existiu, sobretudo no ano passado, esperava mais.

    ResponderEliminar
  4. «Esperava mais»

    Caro colega, deve ter andado distraído. Alguma sondagem antes das eleições dava um cenário parecido com o resultado? Nem de perto nem de longe! Isto foi uma derrota estrondosa porque surpreendeu o próprio ditador!

    ResponderEliminar
  5. Como referi na actualização das 22h20m, os partidos falharam em capitalizar 6% dos votos. O voto em branco teve uma expressão enorme. Foi uma derrota do PS, claramente. Nem discuto isso. Mas é também um sinal para todos os partidos. Não estão a fazer boa política e não se estão a revelar como solução alternativa.

    Apesar de tudo, o PSD, se isto fossem legislativas, não tinha, de todo, condições de governabilidade.

    A derrota clara , "estrondosa" do PS não é sinónimo de vitória clara do PSD, como o Rangel afirma. 31% não são uma vitória estrondosa. 44% em 2004 foram uma vitória estrondosa, que prometiam essas condições de governabilidade.

    Se estes fossem os resultados das legislativas, mesmo com o PSD a ganhar, essas condições de governabilidade encontrar-se-íam à esquerda.

    ResponderEliminar
  6. O PSD a cantar de galo é difícil de engolir, a % é pequena, como lembrou Louçã, semelhante à derrota histórica de Santana. Vencedores claros apenas 2, Bloco e CDU.

    ResponderEliminar
  7. Eu devo andar a ver mal "Vencedores claros apenas 2, Bloco e CDU." É preciso ter cá uma paciência...

    ResponderEliminar
  8. Bibó o Salgueiros.É vermelho(não encarnado)e é popular.

    ResponderEliminar
  9. Excelente a vitória do PSD, com 5% de vantagem sobre o PS. Uma grande vitória de Manuela Ferreira Leite pela escolha do excelente cabeça de lista que foi Paulo Rangel. Uma vitória da forma de fazer política, de verdade, de seriedade, de honestidade. Uma vitória de um partido que apresentou propostas, ideias e estratégias.

    Uma derrota inequívoca de José Sócrates e do PS. Passam de 12 para 7 eurodeputados, perdem nos Açores (onde recentemente ganharam as Regionais) e ganham apenas em 2 distritos (sendo que em Lisboa foi apenas por 0,5%).

    Não pode haver a desculpa da crise internacional, que castigou os governos. Sarkozy, Merkl e Berlusconi venceram, enquanto que os governos socialistas de Brown, Zapatero e Sócrates perderam. Foi a derrota da politica socialista que é despesista, premeia a partidarite no lugar do mérito e do trabalho, apoia e legitima a corrupção.

    No contexto europeu, o PPE (onde se inserem PSD e CDS) será o maior partido com cerca de 260 deputados, contra os cerca de 150 dos socialistas (onde está o PS). A Europa teve consciência e sabe que rumo quer tomar.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores