Lapso Infeliz nas Festas de São João

| Partilhar
Vários bracarenses iniciaram hoje uma onda de contestação à organização das Festas de São João de Braga por terem passado músicas alusivas a um clube de Lisboa nas colunas que estão colocadas nas ruas da cidade. A situação, simbólica é certo, não deixa de ser infeliz num momento em que os principais clubes da cidade (Sporting de Braga e ABC de Braga) estão a ganhar algum terreno diante da hegemonia dos três principais clubes nacionais.

25 comentários:

  1. Não se trata de um lapso infeliz,é apenas a provocação de um lampião.Espero que a Comissão de Festas corram com essa corja,senão terão de ser os bracarense de gema a silênciar tal provocação.

    ResponderEliminar
  2. É, sem dúvida alguma, uma tristeza. Aliás, nem deviam passar músicas do Benfica nem de nenhum outro clube. É misturar as coisas. Ou então passava-se de tantos outros clubes da cidade. Era uma alegria. Não vejo é razão para tanto alarido, no fórum de que deixaste o link. Li apenas uma página e pouco, e muito me ri. Para não chorar.

    "Bando de f d p! è saber quem é o responsavel e dar-lhe um enxerto..."

    "Eu vou descobrir quem foi esse cabrão que andou a meter lá a musica e depois já lhe conto uma história"

    "para estes anormais, só à porradinha, e uns olhinhos à belenenses nunca fizeram mal a ninguem."

    "isto so la vai qd houver sangue, é dar um enxerto de porrada num lampião pa servir de exemplo aos outros (bem que podiam começar com alguns elementos neste forum) e queimar a casa dos porcos em Braga"


    No fim, para coroar, um dos mais zangados decide que o S. João deve ser um dia antes:
    "É por estas e por outras que no dia 22 sempre deviamos ir todos ao S.João com camisolas do ENORME!"

    Nota-se bem o amor à cidade neste comentário. Nota-se bem que são "vários bracarenses", como os apelidaste.

    Sou bracarense, nascido e criado, adoro a minha cidade, adoro as festas de S. João e nunca a vida teria uma reacção destas. Vale que há quem tente resolver as coisas por outras vias. Menos mal.

    ResponderEliminar
  3. É pôr uma fogueira grande na Avenida e queima-los a todos... Ou apedrejá-los...
    Promover uma queima geral de camisolas, cachecóis e chapéus, avisar o povo que quem não tiver uma camisola igual á vossa é bicho papão, come criancinhas ao pequeno almoço, é comuna, infiel e deve ser sovado...

    E preparar uma enorme onda para os correr daqui para fora,não???
    O pluralismo é uma treta engraçada... Ou será lapso infeliz?

    ResponderEliminar
  4. O tempo do imperialismo já terminou há muito. Colocar uma música de uma instituição privada que nada tem a ver com a nossa cidade é um provocação indecente que a Câmara deveria investigar e sancionar.

    Não é uma questão de pluralismo mas sim uma questão de respeito pelas instituições do concelho, não só o Sporting de Braga e ABC mas também o Hóquei Clube de Braga. Todas elas representam com muito suor para verem publicidade gratuita aos outros na nossa festa.

    A cidade ganha com os êxitos dos seus clubes e é um erro a Câmara de Braga fazer publicidade a clubes que são rivais e que não nos dizem nada. Alguém me explica como é que a Câmara pode permitir uma coisa destas sem um pedido de desculpas?

    ResponderEliminar
  5. O Mesquita Machado andou a fazer uma grande algazarra quando foi da cena das arbitragens mas foi só para aparecer. Agora que a Câmara faz asneira grossa não aparece a pedir desculpa aos bracarenses. Sicneramente.........

    ResponderEliminar
  6. o engraçadinho do linguas devia era copiar isto:

    «Mas mais engraçado disto é que o tempo do Braguinha já lá vai a muito tempo... E agora não perdem a oportunidade é para nós provocar... MAs é muito bom sinal, é sinal que não lhe somos indiferentes!»

    ResponderEliminar
  7. Linguas e moes, comentários mesmo de gente que não sente. Devia ser engraçado passar o hino do Braga nos bairros de Alfama. Isto há com cada um!

    ResponderEliminar
  8. As reacções do fórum são ridículas.

    ResponderEliminar
  9. Dizem-me que foi a 1ª acção de campanha de Luís Filipe Vieira.
    A ideia terá partido de Jorge Jesus, profundo conhecedor da realidade bracarense.

    ResponderEliminar
  10. O tempo do colonialismo benfiquista já passou! Agora trazem meia dúzia de gatos pingados ao estádio e só nos ganham porque num jogo TÊM AJUDA DO ÁRBITRO e no outro AJUDA DO TREINADOR ADVERSÁRIO.

    ResponderEliminar
  11. O Mesquita permitiu uma coisa destas sem intervir e sem apurar responsabilidades??? vendidos.

    ResponderEliminar
  12. A Little Bit Of Anarchy, gente que não sente o quê? Não leste a parte em que digo que é mau terem passado isso? No entanto, não é nada melhor querer resolver as coisas à chapada. Coisa de miúdos, coisa de quem tem muito pouco na cabeça. Vale que houve gente a mandar mails e a fazer telefonemas. Ainda há alguém que tenta resolver as coisas da melhor forma.

    Anónimo das 0:59, nem vou entrar por aí. O que recrimino é a forma como algumas pessoas querem actuar. Entrar em comparações entre Benfica e Braga é perder tempo com nada.

    ResponderEliminar
  13. Acho que essa é uma boa razão para ressuscitar as extintas fogueiras de São João e a não menos oportuna, quanto imensamente antiga, montaria ao Porco Preto que os Bracarenses faziam no Monte do Picoto nesta data.

    ResponderEliminar
  14. Ui tanta gente que viu a sua dignidade posta em causa... txxx realmente por musicas do benfica na festa de s.joao é algo que me vai atormentar para o resto da via é isso e o facto de o tempo dos carrinhos choque ser cada vez mais reduzido. Pessoal a sério acordem para vida passar a musica é uma falta de respeito sem duvida que é e deviam saber quem era para que se possa punir porque a partida utilizou as instalaçoes sonoras sem autorização, mas dar uma "carga" de porrada??? a serio o pessoal só sabe que estamos no século XXI porque temos os portateis e as playstations porque em termos de mentalidade estamos muito la para tras no tempo...

    ResponderEliminar
  15. Os sonoplastas confundiram o Sta António de Vila Verde com o S João de Braga

    ResponderEliminar
  16. Também não era mau que os bracarenses se empertigassem com notícias como aquela (Diário do Minho, 2009.06.18) de que a competência para mandar cortar as silvas da estrada de acesso ao Bom Jesus passou para a EP de Vila Real!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Quando por contraponto leio no Faro de Vigo de hoje que dezenas de milhar de pontevedrenses saíram à rua em defesa da sua capitalidade, entendo melhor a quantidade de açorda que Braga ainda tem de comer até se afirmar como terra de causas que valham a pena em detrimento do Jesus ou do altifalante do Benfica.

    ResponderEliminar
  17. Caro El Salvador:

    depende da perspectiva! As tuas prioridades são tuas, não são as do resto do mundo e apenas são as ideais... para ti!

    Só se percebe isto quando se vê o SC Braga como um símbolo da nossa terra coisa que tu nunca perceberás...

    ResponderEliminar
  18. O país (e a cidade de Braga) está como está porque muita gente acha que o que melhor nos simboliza são instituições e personalidades ligadas ao futebol.

    Um símbolo da cidade é o Bom Jesus, o Sameiro, a Sé, seriam as ruínas romanas, se fossem devidamente tratadas, etc... Juntassem-se assim para obrigar o Mesquita a tratar como deve ser o sub-solo da nossa cidade e ganharíamos todos muito mais.

    Para ver futebol, vêm de fora da cidade (deixar dinheiro no comércio, restauração e hotelaria) meia dúzia de gatos pingados, 2h por fim-de-semana. Para ver o nosso património vêm milhares de turistas, que ficam mais do que um dia.

    Mas, lá está, são prioridades.

    ResponderEliminar
  19. Caro Anónimo,

    Estive no Jamor em 66 e não fui ao colo de ninguém, já tinha 11 anos. Tu também foste?

    Só que não embaralho prioridades!
    Dá lá uma ajuda e vai cortar as silvas do separador da rodovia. Aquilo está uma vergonha.

    ResponderEliminar
  20. Caro Linguas,

    Penso que será justo reconhecer que aqui damos bastante destaque aos aspectos de património e da história da cidade. Isso não invalida que também falemos de futebol. Relembro que a maior instituição com o nome "Braga" é o Sporting de Braga e é também aquela que mais publicita o nome da cidade fora de portas.

    ResponderEliminar
  21. Pedro, o meu comentário não foi contra o blog. Nem pensar. Acompanho-o há muito e, apesar de achar que quando falas de futebol perdes um bocado o rumo, sei muito bem que muito lutas para que coisas como o nosso património sejam preservadas. Respeito muito o que se faz neste blog, no que toca a esse tipo de assuntos.

    O comentário foi para o anónimo que falou de prioridades.

    ResponderEliminar
  22. Caro Linguas,

    Ok ok! Os não braguistas por norma não gosto quando falo de futebol. É o preço de quase não haver opinião afecta ao Braga e... é bom sinal que não gostem ;)

    Abraço,
    PM

    ResponderEliminar
  23. Eu queria era ver tanto empenho na defesa do património da cidade.

    Para dar enxerto a alguém que coloca uma musica reúnem-se logo 1000 marmanjos, mas para defender o verdadeiro património que tem sido destruído, nem inteligência têm para saber do que se trata, quanto mais para o defenderem...

    ResponderEliminar
  24. Sou... Soooouuu. Sou, souuuuu Beenfiiiiicaaaa!!!

    ResponderEliminar
  25. Que tal a criação de um Guantanamo em Braga para todos os...não braguistas?!?
    O bairrismo podia ser uma coisa muito interessante se não fosse sinónimo de fanatismo.
    Está na moda para alguns bracarenses este fanatismo exacerbado contra clubes de Lisboa (mas são só os de Lisboa......)
    Eu como bracarense, e sócio do Sporting Clube de Portugal só me posso rir. Se a vossa evolução é a inquisição, então sejam muito felizes com esse braguismo que parece uma cópia mal tirada do "vitorianismo" doentio. Há outras formas mais nobres de defender o nome da cidade, como por exemplo a inteligência, o desenvolvimento social, cultural, o apoio aos mais carenciados, a defesa dos direitos dos animais na nossa cidade, a luta por uma melhor qualidade de vida, e podia continuar com muitos outros exemplos. A tolerância é um valor fundamental.

    P.S. é óbvio que a culpa dessa música ter passado, como dizem, nao é dos lisboetas, nem dos benfiquistas, nem de mais ninguém a não ser o próprio que a meteu. Ou não tinham pensado nisto? E as responsabilidades numa sociedade dita ocidental e democrática apuram-se por exemplo com um processo disciplinar.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores