Guimarães ou Viseu?

| Partilhar
Aqui Nasceu Portugal!
© Manuel Lopes

Segue animada a disputa entre Guimarães e Viseu sobre o local onde terá nascido D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal. Da leitura da opinião de uns e de outros resulta que ninguém sabe onde foi, mas são muitos os que afirmam com toda a certeza haver nascido por ali.

Depois de assentar a poeira mediática dos últimos tempos e a menos que se conheçam novos documentos históricos, estou certo que Guimarães continuará a ser o berço do primeiro rei no ideário da maioria dos portugueses. Isto se a maioria dos portugueses ainda souber quem foi o primeiro rei.

22 comentários:

  1. Há historiadores a defender a tese que o filho do Conde D. Henrique e D. Teresa nasceu com graves problemas de saúde e que depois foi trocado pelo filho de Egas Moniz para garantir a sucessão. Se esta teoria for verdadeira, e tem algum fundamento, o rei fundador terá nascido em Rebordelo.

    ResponderEliminar
  2. Meu caro Pedro,

    Peço desculpa, mas quando escreve que "todos afirmam com toda a certeza ter nascido ali", com link para aquilo que eu escrevi, é capaz de dar ideia de que, nesta matéria, eu afirmo "com toda a certeza" que Afonso Henriques nasceu em Guimarães. Ora, aquilo que eu afirmo, com toda a certeza, é que não sei onde o rapaz nasceu. Jamais disse o contrário. É a única certeza que alguém pode ter à luz das fontes históricas. O resto, é folclore e propaganda.

    Saudações.
    AAN

    ResponderEliminar
  3. Caro AAN,

    Tem toda a razão. Fiz uma pequena alteração. Tenho seguido com atenção as suas posições, marcadas por inegável isenção nesta matéria.

    Quanto aos "uns", refiro-me, concretamente, a Barroso da Fonte e à sua certeza não demonstrável.

    Saudações,
    Pedro Morgado

    ResponderEliminar
  4. O Afonsinho foi feito em Braga,mas nasceu em Guimarães.Então não foi o pai,arcebispo de Braga, que o foi ajudar,na batalha de S.Mamede para vencer a então depravada Tareja e a mandou encarcerar no castelo de Lanhoso,mandando posteriormente chegar-lhe fogo?Um pai ajuda sempre um filho e esse pai não foi o bispo de Viseu.

    ResponderEliminar
  5. Viseu até estava por Espanha na contenda.

    ResponderEliminar
  6. Egas Moniz o Arrependido22 de junho de 2009 às 12:55

    "Viseu até estava por Espanha na contenda."

    A Espanha ainda não existia à época. A questão foi com o reino de Leão.

    O local de nascimento é irrelevante. O senhor tinha base em Guimarães quando decidiu partir para a sua aventura pessoal como marioneta da ordem de Cluny. quem fundou Portugal foram estes religiosos e mais ninguém. Afonso Henriques na sua ignorância fidalgo medieval nem sequer atingia tais considerações. E, na realidade, o país foi fundado (melhor será dizer: libertado ou refundado) alguns séculos antes com a conquista do Porto por Vímara Peres.

    ResponderEliminar
  7. Foi em condeixa.
    Eu estive lá.

    ResponderEliminar
  8. Aconselho a leitura de "Viseu, Agosto de 1109, Nasce D. Afonso Henriques", do historiador medievalista A. de Almeida Fernandes. Esta tese - publicada, pela primeira vez, na Revista Beira Alta (1990-91)- resultou de uma encomenda feita pela Unidade Vimarenense - Associação para o Desenvolvimento de Guimarães e sua Região.
    José Mattoso já corroborou a tese defendida, por A. de Almeida Fernandes, de que D. Afonso Henriques terá nascido em Viseu.
    Em 2007, a Fundação Mariana Seixas (Viseu) publicou de novo a tese, que se encontrava esgotada.

    ResponderEliminar
  9. Bem, tendo em conta que só agora vi os links do post, o meu comentário será desnecessário. Já percebi que a notícia da Lusa fala precisamente daquilo que mencionei. Como tenho a obra, e a li de uma ponta à outra, parece-me que a tese de A. de Almeida Fernandes merece credibilidade.

    ResponderEliminar
  10. Uma coisa é certa D. Afonso Henriques está no Panteão Nacional de Santa Cruz, em Coimbra.

    O local de nascimento é pura imaginação...uns querem mais protagonismo que outros.

    O Fundador nasceu no local que o historiador mais criativo quiser.

    ResponderEliminar
  11. Cara Raquel,

    Eu também li, de uma ponta à outra, a biografia de Salazar escrita por Franco Nogueira e cheguei à conclusão que, afinal, o Fascismo não existiu.

    ResponderEliminar
  12. Guimarães é o berço da nação não por D. afonso I ter nascido ou não em guimarães mas sim por, em guimarães se ter começado a formar o pais que hoje somos, mais nada!!!

    ResponderEliminar
  13. Nem me diga isso, Vimaranense, que até fico envergonhado! Guimarães não tem culpa de nada...

    ResponderEliminar
  14. As más-línguas dizem que Afonso Henriques nunca devia ter batido na mãe...

    ResponderEliminar
  15. A Historia OFICIAL de Portugal conta que D.A.Henriques nasceu deficiente das pernas e moribundo. A sua salvação, reza a historia que foi a Virgem que apareceu a Egas Moniz e que lhe prometeu a cura se ele encontrasse uma imagem dela enterrada algures...

    Obviamente, quando Egas Moniz volta com um rapagão e com esta versão das coisas, D.Teresa não acredita e começa logo li a suposta luta entre mãe e "filho".

    Estava claro que D.Teresa, interessada em manter a Galécia dentro do reino de leão era um obstáculo a egas moniz que ambicionava ficar com as terras do sul doadas pelo papa a quem as reconquistasse.

    Eu não acredito em milagres.

    ResponderEliminar
  16. A história baseada apenas e só em factos documentais é uma história lacunar sem provas fisicas que a sustentem. Na verdade as fontes documentais sempre estiveram ao serviço das elites de poder transcrevendo apenas e só o que tais elites encomendavam (mais ao menos como agora veja-se o caso do Correio do Minho sem qlq independencia relativa ao poder local). Assim as fontes documentais carecem de contraprova arqueologica e/ou antropológica. Neste caso creio que o projecto da Eugenia Cunha (conceituada antropóloga da UCoimbra) poderia aclarar esta situação. Eugenia pertendia exumar os restos mortais de D. Afonso Henriques e realizar teste de ADN, com isto e até pq existem restos mortais conservados por parte do Conde D. henrique poderia ser esclarecido se este faria ou não parte da familia ou se efectivamente era filho de Egas moniz. Poderia-se se aclarar se ele tinha alguma deficiencia ossea ou não. O que não se poderia saber era onde havia nascido.

    Porém este projecto foi rejeitado pela ministra da cultura Isabel Pires de Lima

    ResponderEliminar
  17. "mais ao menos como agora veja-se o caso do Correio do Minho sem qlq independencia relativa ao poder local"

    isto tem alguma coisinha a ver com o facto de Mesquita Machado, autarca da apregoada 3ª cidade do país, ter visto um processo judicial reaberto ontem mas "esquecido" no jornal do regime, sempre tão atento à vida autárquica??

    É triste, é triste.
    A História não esquecerá e há-de levantar monumentos a todos os heróis da cidade!

    ResponderEliminar
  18. Resumindo...

    O D. Afonso Henriques é o culpado do país que somos hoje...

    Tenho pena do meu país.

    ResponderEliminar
  19. Guimarães capital do Reino, capital histórica de Portugal, primeira cidade de Portugal,
    Guimarães cidade-berço!
    O resto é irrelevante, ou não...

    ResponderEliminar
  20. Foi em guimarães! Como só há merd@ neste país, ele só poderia ter começado em guimarães!

    ResponderEliminar
  21. Por lamentável esquecimento, não tinha assinado o comentário das 22:21 .

    ResponderEliminar
  22. Uma coisa é certa. É mais provável Dom Afonso Henriques ter nascido em Viseu do que Viriato, cujo mito de ter andado nos montes Hermínios e de ter nascido em Viseu foi criado em inícios do sec. XX, por um alemão, Schulten. Isso sim devia preocupar os viseenses, rever todo o mito cultural absurdo no qual se baseia boa parte da sua identidade.
    A importância de Guimarães na fundação de Portugal não é afectada pelo facto de D. Afonso Henriques ter ou não nascido lá.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores