O Marketing Religioso | 2

| Partilhar
2-febrero-08blog

Tal como em Espanha, a Igreja Católica Portuguesa prepara-se para entrar no jogo eleitoral apelando ao voto nos partidos de direita. Será que os capelães hospitalares, pagos a expensas do erário público, também farão campanha eleitoral?

10 comentários:

  1. Tem a certeza do que está a dizer??
    Veremos.

    ResponderEliminar
  2. Uma imagem que vale mais que uma página de retórica num jornal.
    Perfeito !

    ResponderEliminar
  3. Tal como em Espanha, os partidos de esquerda captam votos no universo eleitores das classes operárias e/ou desfavorecidas, ou seja, fazem todos pela vidinha como podem.

    Os capelães incomodam-me menos que as altas patentes (capitães e majores)- tem certamente a noção do tamanho da fatia do orçamento para pagar vencimentos à miríade de generais, almirantes e quejandos...

    ResponderEliminar
  4. todos têm o direito a defender aquilo em que acreditam! estejamos de acordo ou não com essas crenças, temos de respeitar.

    ResponderEliminar
  5. Não concordo nada que a "Deus" se meta em assuntos de "César", mas há cada argumento!
    Até nos fazem mais religiosos, pois apetece-me logo dizer «Meus Deus»! :)
    Pergunto, os prestadores de serviços, funcionários públicos, fornecedores e outras pessoas/entidades perdem direitos por serem pagos pelo estado? Fora da sua relação com o estado os seus direitos mudam?
    É que este é o argumento do «respeitinho».
    Uma coisa é achar que não deveriam ter essa relação, outra é dizer que por causa dela perdem o direito de opinião.
    É que sendo assim um professor não se poderia manifestar contra o governo.

    ResponderEliminar
  6. O amigo Pedro Morgado andava «desaparecido»... Voltou, mas parece que as férias não lhe fizeram bem...
    Já agora diga aos sr.s da RTP para não aceitarem dinheiro do estado, podem não ter direito a opinião por causa disso. E já agora desde quando o Dinheiro do Estado significa que não se pode fazer campanha?! Todos os partidos políticos não recebem dinheiro do ESTADO?! Então não deveriam fazer campanha...

    ResponderEliminar
  7. Esqueci-me de perguntar: onde leu que foi feito um apelo ao voto nos partidos de direita?! Como não li isso em lado algum, gostava de ajuda.

    ResponderEliminar
  8. O Miguel Braga parece ser muito básico. Não me parece que tenha percebido o que o Pedro escreveu, mas é típico dos que defendeu o absolutismo religioso dos católicos e acham que têm o direito de o impor a todos...

    ResponderEliminar
  9. Caro Anónimo!
    Sabe que o básico é o essencial. Sem o básico não se consegue «construir» qualquer esquema de pensamento. Mas se não me respondem ao meu básico, como posso querer saber algo mais profundo? Mas não existe alguém mais «básico» ou «iletrado» do que aquele que conclui ou afirma sem ler o documento. Mas dizem as estatísticas que esse é um dos grandes problemas da nossa sociedade portuguesa...

    ResponderEliminar
  10. O meandros da Igreja e da sua ligação, eu diria "esquisita" com a direita, é algo com a qual vivemos em Braga há alguns anos.

    Não queria chamar à questão os 10 mandamentos, nem a doutrina, mas sem dúvida que se as coisas do estado e da politica exigem separação de poderes (sim, porque se trata mesmo de poderes), pelo estado laico e para todos, a igreja católica também devia praticar mais os ensinamentos que diz ensinar.

    Pagos ou não pagamos pelo estado é triste ver uma igreja católica a perder-se continuamente na sua missão, mas as pessoas estão mais atentas e são mais letradas, veja-se o caso da IVG.

    Pedro Morgado, pela coragem de trazer todos os assuntos à discussão, Parabéns, mesmo que noutras questões não concorde tanto, mas assim é a democracia sem interregnos de 6 meses e como emprego para todos, portugueses e estrangeiros, porque ser cristão é praticar todos os dias e para o bem de todos e não só de alguns.

    Venha 2013 para surgir uma nova geração de políticos à altura da sua missão (mais uma boa politica de Sócrates), talvez seja um bom exemplo para a Igreja e surgir com novos actores e doutrinas à luz da actualidade.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores