Google Street View em Braga

| Partilhar
Google street view
© ottosohn
Lisboa, Porto e [, no início do Verão,] Braga são as cidades que se seguem no Google Street View. Portugal surge assim como o nono país "registado" fotograficamente pelo serviço da gigante da Internet a nível mundial, e o quinto em termos europeus. [...]

Um caso recente é o do Reino Unido onde inclusivamente uma organização civil fez chegar uma queixa ao organismo britânico que trata a matéria da privacidade, não obtendo contudo resposta favorável. [TeK]

Não conheço estudos sobre o potencial impacto que o Google Street View tem/teve noutros (apenas) oito países, mas, servindo em parte como turismo virtual, imagino que poderá beneficiar bastante o turismo real bracarense.

Contudo, mesmo admitindo-se que não vá contra a lei (neste caso britânica), vão-se colocando (e não é pela legalidade que se deixam de colocar) alguns problemas a nível da privacidade (texto-carta original que o TeK refere). É um assunto que a representante da Google Portugal não deixa de abordar, mas que está bem presente e é sentido pelas populações.

Em todo caso, não é a mera privacidade que apoquenta alguns dos críticos: estes alegam que irá facilitar, por exemplo, o assalto a habitações. Recentemente, os habitantes de Broughton, uma terra relativamente perto de Londres, formaram um cordão-humano e "expulsaram" o carro da Google Street View, invocando esses argumentos. Será que vamos assistir a algo do género em Portugal?

8 comentários:

  1. Em meu entender, o que é visível da rua é público e deve ser permitido fotografar, filmar e disponibilizar online ou de qualquer outra forma até em tempo real. E não entendo porque é que caras ou matrículas de carros devam ser censuradas. Quem sai à rua arrisca-se a ser visto!

    ResponderEliminar
  2. A tecnologia não pára...


    João Pereira
    http://www.planetalima.com

    ResponderEliminar
  3. A ser visto sim. A ser fotografado também. Mas a ter a sua cara disponível para visualização sem autorização pode não agradar a toda a gente. Esta pode ser uma das grandes discussões deste inicio de século. Com a capacidade que a Internet tem de fazer chegar a informação na hora, e de disponibilizar um sem número de potencialidades a todo momento e em todo o local, a privacidade de cada um será invadida. A que preço?

    ResponderEliminar
  4. Mas qual é a privacidade de uma rua pública?...

    ResponderEliminar
  5. Tenho que concordar com o Jorge e o Paulo. O direito à imagem e à privacidade existe (e deve existir) mesmo numa rua pública.

    Quando se expõem os cidadãos, devem ser avaliados os custos e os benefícios e, neste caso, parece-me que os custos não superam os benefícios.

    ResponderEliminar
  6. A devassa da privacidade não está no facto de ser fotografado numa rua pública, está na publicação da mesma foto.

    ResponderEliminar
  7. "a privacidade de cada um será invadida"

    Até no meio da rua temos o direito a "privacidade". Convém é deixar de frequentar certos sítios, estão cheios de milhares de turistas que tiram milhões de fotografias todos os dias por todo o mundo... e corremos o risco de aparecer, com o tamanho de dois ou três pixeis nas fotos das férias de alguém.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores