Obama nas Alturas

| Partilhar
Apanhei o sermão assim pelo fim. Sermão - sim - porque haverá poucas homilias com mais louvores a Deus e à sua criação. Ainda agora saltou para lá outra figura em pregação difusa e escancarada - arrancou uns améns da populaça que enche aqueles jardins imensos diante do palanque onde pregava o agora novo presidente dos Estados Unidos da América.

Segue-se o Hino e a Bandeira, a intensidade ao fundo no Capitólio imaculado como uma basílica. Faltam os sinos, têm-se as filarmónicas. Fosse Obama cumprimentar os presentes em cima de um andor de flores brancas e julgaria estar naqueles dias em que o choro na "Procissão do Adeus " enche a quase plenitude das emissões televisivas nacionais pelo 13 de Maio.

7 comentários:

  1. Excelente post. E diziam-nos que iria haver "Mudança"!

    Daqui a pouco as TVs gritarão " Obama nas Alturas" e todos de joelhos, Amen.

    ResponderEliminar
  2. caro Victor Pimenta...aonde está a sua ESPERANÇA?
    O fim da esperança é o começo da morte.

    ResponderEliminar
  3. Para além das imagens excrementícias a que Obama já nos foi habituando, tivemos apenas mais do mesmo: produção hollywoodesca com a bênção do deus que melhor souber fazer pipocas. De resto, nada de novo. A lengalenga circularmente enfática que mitiga a sede dos doutos e "esperançosos" fiéis seguidores do guru Hussein. As Oprahs, os Foxx, as Beyonces, todas a sorver da impoluta seiva obamiana a escatologia suficiente para fazer uma poia boiar. Os americanos falam de qualquer tema com a profundidade típica de quem não pensa com a mesma frequência com que fala. E falam tanto, tanto, ó deus deles...

    ResponderEliminar
  4. Depois de Bush, a esperança é enorme!
    Mas haverá milagres?
    Será possivel reconquistar o mundo arabe e muçulmano (os não seguidistas como a Arabia Saudita...)depois de Bush?
    Será possível ainda dizer a Israel que não pode bombardear bairros inteiros de civis, sem que corra o risco de que isso se chame genocidio, sujeito a julgamento por crimes de guerra?
    Será possivel vir a reconhecer que os States devem uma indemnização de guerra ao Iraque, por invasão e destruição à revelia do direito internacional e sob pretexto (as armas quimicas) que se veio a revelar inexistente?
    Eu não acredito!Mas nada será como dantes...

    ResponderEliminar
  5. Voltemos aos comentários:
    Claro que está a dar resultados:
    1º Congelamento de Salários do seu staff.
    2º Inicios para o fecho de Guantanamo.

    3º telefonar aus seus homlogos do Médio-Oriente e apelar á Paz.
    YES WE CAN.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores