A Democracia em Ruínas

| Partilhar
Os sinais são verdadeiramente preocupantes. Quando ouvi José Sócrates explicar que o governo criou condições para baixar as taxas de juro do crédito à habitação percebi definitivamente que a governação do país se converteu num delírio de difícil resolução.

Hoje, mesmo sem ser consequente, o Presidente da República teceu duras críticas à postura do Partido Socialista na questão do Estatuto Político-Administrativo dos Açores. Cavaco Silva tem razão: o PS cometeu um erro político muito grave, colocando a estratégia partidária eleitoral à frente dos interesses do país.

É a democracia em ruínas.

11 comentários:

  1. Meu caro Pedro, não podia estar mais de acordo.

    Abraço
    joshua

    ResponderEliminar
  2. Como anti-cavaquista primário concordo desta vez com ele!
    Até já nem parece arrogante - a sua imagem de marca desde que foi primeiro ministro.
    Não lembra ao diabo ser-lhe formalmente mais fácil dissolver a Assembleia da Republica do que a Assembleia Regional, além que no mero plano do direito a lei ordinária não pode alterar a lei(das leis) a que tem que se submeter...
    Até o insuspeito de socratismo(moderado), Vital Moreira está contra...

    ResponderEliminar
  3. Estou completamente de acordo com a análise do Pedro, mas lamento que só agora algumas pessoas se apercebam do ataque à democracia que há muito vem sendo feito. Como pertenço a uma classe profissional escolhida para bode expiatório - no sentido bíblico do termo -, há quase quatro anos que sinto que, de novo, me/nos querem impor aquela frase de Salazar "Está contra nós quem à obediência prefere a liberdade de acção." Contra a classe a que pertenço - quase me envergonho de a referir após 33 anos de serviço - foram cometidas todas as ilegalidades imagináveis: leis alteradas por decretos, decretos alterados por despachos, recomendações de cumprimento obrigatório sem qualquer logótipo ou assinatura, propostas "indecentes" e ilegais (para depois parecer que se recuou), etc., etc., etc... Peço desculpa pelo desabafo. Um óptimo ano de 2009.

    ResponderEliminar
  4. Grande, grande Helena Vilar: belo resumo em tão poucas palavras.

    Abraço
    joshua

    ResponderEliminar
  5. "criou condições para baixar as taxas de juro na habitação".
    Só por má fé se pode pensar que o homem se estava a referir as descidas das taxas euribor dos últimos dois meses. Acho que, por exemplo, se estão a esquecer do fim dos arredondamentos nas taxas de juros e das comissões de transferência de crédito ente bancos.

    ResponderEliminar
  6. E a posição do PSD? Votou duas vezes SIM e uma vez NIM. Que falta de personalidade...
    Já agora, lembram-se da era em que Cavaco era primeiro ministro? O desprezo pela Asembleia da República, a força do bloqueio ( quando se referia ao Presidente da República, "não passo mais de 5 minutos a ler a imprensa", etec, etc.???

    ResponderEliminar
  7. Meus senhores, não posso estar mais em desacordo.
    A Democracia está a funcionar perfeitamente porque as instituições apenas fizeram o que que lhes competia.
    A A.R.votou em acordo com a sua competência, o P.R. fez uso do veto político como é seu direito e a A.R. superou esse veto conforme a constituição.
    Isto é Democracia.
    Se me dissessem que o sistema partidário perdeu a vergonha, então sim.
    Se estivessemos perante uma violação da CRP sem hipótese de retorno então o sistema democrático estaria em perigo.
    Mas neste caso o P.R. tem a hipótese de pedir a fiscalização sucessiva do diploma e com toda a certeza, o tribunal constitucional fará o que é devido, ou seja expurgará a inconstitucionalidade.
    Será uma enorme derrota de Sócrates e do populismo partidário.
    Quanto ao PSD, bem, foi uma posição à PSD...um NIM.
    Portanto, penso que estas posições catastróficas não têm sentido.
    A Democracia está em ruinas mas a outros níveis.Corrupção, falta de vergonha, interesses obscuros, falta de justiça, etc, mas neste caso não.
    Deixo aqui uma dica.
    E se pedissem a um jurista (constitucionalista) que desse a sua opinião?
    Acredito que se faria luz sobre este assunto que todos ouvem mas que poucos sabem de que se trata.

    ResponderEliminar
  8. Ó Pedro, até posso concordar que é incompreensível que seja mais "trabalhoso" dissolver o Parlamento Português do que o Açoriano, mas responsabilizar o PS quando nenhum dos outros partidos votou contra (e só o PSD se absteve)...

    ResponderEliminar
  9. Não podia deixar de concordar com os outros comentadores... Desta vez Cavaco tem razão e foi forçado a uma posição indesejável e injusta. Mas como também o "anónimo" deu a entender o problema não é do PS, é do sistema político como um todo. Não tem credibilidade e nos últimos tempos já mostrou que tem apenas um tenue controlo do aparelho de estado.

    Numa situação destas, num país a sério, qualquer político decente preferia demitir-se e privar o seu partido do poder a arriscar a integridade do sistema político como um todo. Por cá é preciso a coisa cair de podre para alguém abandonar o cargo.

    ResponderEliminar
  10. Norte perde todo o emprego ganho nos nove meses anteriores e a taxa de desemprego aproxima-se dos 10%

    http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=1027708&div_id=1730

    Não é só a democracia que está em ruínas, é todo o sistema empresarial do norte.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores