Praxe: Humilhação ou Integração

| Partilhar
Praxe: Humilhação ou Integração?
[Terça, 4 de Novembro, 21h30m. Puzzle Bar, Braga]
Bate-Papo Universitário organizado pelo Centro Académico de Braga (CAB) para reflectir e debater a praxe no momento actual. Mais informações aqui.

15 comentários:

  1. Imagem RIDICULA Pedro Morgado...

    Também és daqueles que faz da praxe causa de um aneurisma?

    ResponderEliminar
  2. Caro Há Dias,

    Se seguires o link podes ver que é tão somente a imagem de promoção do debate.

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente não vou lá poder estarr. Mas haveremos de trocar ideias sobre este e outros assuntos. Até breve!

    ResponderEliminar
  4. Vamos ser sinceros, a praxe é uma humilhação ritual perpetuada por pessoas emocionalmente perturbadas que sentem algum gosto nesta humilhação - já que não são "grandes" na vida podem ser "importantes" por uma semana a ofender outras pessoas.

    ResponderEliminar
  5. Praxe:um mês para integração, admitindo alguns rituais "parvos" mas sem humilhação dos caloiros...

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. As afirmacoes do Pedro Fontela nao sao reveladoras so da sua grandeza ... sao mesmo uma enormidade eu diria!

    Pedro Morgado, sabes de algum link com um resumo do debate ou algo do genero?!

    ResponderEliminar
  8. Meu caro hmag, vá a um técnico de saude mental que ele lhe dirá de onde deriva o gosto sádico pela miséria alheia.

    ResponderEliminar
  9. Caro Pedro,

    So' se me aconselhar o que o ajuda com a sua psicose, de onde deriva provavelmente a sociofobia que o afasta de "rituais perpetuados por pessoas emocionalmente perturbadas" ...

    Desde ja' ... os meus votos de rapidas melhoras!

    ResponderEliminar
  10. Caro Hélder Guimarães, as praxes não são "rituais perpetuados por pessoas emocionalmente perturbadas".
    As praxes são um hábito provinciano.

    (Ah, que falta fiz eu nesse debate!)

    ResponderEliminar
  11. Caro Filipe,

    A definicao/barbaridade nao e' minha. So citei o Pedro Fontela que do fundo da sua sapiencia nos brindou com tal perola.

    De resto, nao se iluda, "ca na provincia", o Filipe nao faz falta nenhuma!

    ResponderEliminar
  12. Caro Hélder, não creio (de forma nenhuma) que Braga seja uma cidade de província. De resto não se iluda você, que vai ter que me aturar.

    ResponderEliminar
  13. A praxe é obviamente uma humilhaçao.

    Pôr alguém a fazer figura d eurso, a ladrar, a embebedar-se, a ser injuriado, auto-inuria forçada, tortura do sono, abusos de ordem sexual é natural que não respeita os direitos humanos mais básicos.

    Ainda há quem se admire da existência de Guantanamo!

    Quando um grupo de indivíduos toma as rédeas do poder, domínio do outro pela sua subjugação, sugeição as regras sem balisas nem recursos, está criado o caldo para os "pequenos hitleres" aparecerem.

    As atrocidades que vêm a público não passam da ponta do icebergue.

    ResponderEliminar
  14. Caro António,
    É pena que não veja a praxe como ela deve ser vista. Humilhação? Não. Integração!

    Só vai para a praxe e continua nela quem quer! Ninguém obriga ninguém, se o que é PEDIDO for contra os princípios dos caloiros, pois há muita coisa que os caloiros gostam de fazer na praxe e que aos olhos dos anti-praxe sejam vistos como "poucas-vergonhas" e tudo o mais! Mas isso não é verdade! Há uma hierarquia e promove-se o espírito de união e de respeito na própria praxe, é esperar para ver!

    Repito, HUMILHAÇÃO? Não, REGRESSO AO TEMPO DA NOSSA INFÂNCIA, isso sim. Não me diga que na sua infância nunca se atirou para a lama e tudo o mais, porque isto é algo muito normal nas crianças!

    Não confunda também abusos sexuais com praxe! Separe as águas! Você mistura de tudo e mais alguma coisa com a praxe e isso só demonstra que diz as coisas sem fundamento. Eu experimentei a praxe do princípio ao fim e só posso dizer que foi das melhores fases da minha vida!!! Não houve abusos nem nada do género!!

    Deixo aqui clara a minha opinião.

    P.s. Aconselho-o vivamente a rever a sua ortografia e a estudar melhor os casos antes de começar a opinar com juízos de valor mal formados. Se a praxe fosse tanto isso já teria sido abolida e não teria tanta adesão como tem nos dias que se seguem!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores