A Praxe [2]

| Partilhar
O chefe da praxe na Universidade do Minho afirma, em entrevista ao jornal Académico, que quem quiser ser cardeal (o grau máximo na hierarquia ordinária da praxe na Universidade do Minho) «tem que ter pelo menos um chumboE explica porquê: «os chumbos são para que as pessoas tenham alguma sensibilidade, quem reprova ganha outra maturidade. O cardeal é aquele que vai aprender com os erros ao longo do ano. Sairá tão bem ou mais preparado que aquele que concluir o seu curso sem reprovar.»

Perversa e contrária aos valores da universidade, esta amostra é, toda ela, uma síntese da praxe que temos. E nada disto me espanta. Do chefe disto apenas guardo a recordação de ter perdido todas as eleições democráticas a que não concorreu sozinho. É preciso dizer mais alguma coisa?

50 comentários:

  1. A estupidez e a falta de inteligência parece-me estar ligada de forma proporcional ao "estatuto" conseguido na hierarquia da praxes. Convenhamos que o Papa da Academia atingiu o Olimpo da estupidez, como estes tristes comentários vêm comprovar.
    "Bora" lá chumbar para ganhar maturidade. Inacreditável.

    ResponderEliminar
  2. Quando soube disto pedi para me guardarem o jornal. Essa vai ser emoldurada.

    ResponderEliminar
  3. No ensino superior devia andar a elite intelectual do país (ou coisa que se pareça). Devia...

    ResponderEliminar
  4. «No ensino superior devia andar a elite intelectual do país (ou coisa que se pareça). Devia...»

    Eu diria que o Ensino Superior devia formar elites. Pelo que está visto, anda a promover a imbecilidade.

    Note-se que o cargo de Papa é o mais elevado da hierarquia interna da academia, o que diz bem das faculdades que esse tipo de circuitos valoriza.

    Bom, presumo que também não tenham muito mais competências a valorizar...

    ResponderEliminar
  5. A idade é um posto!

    haja respeito... vá...

    ResponderEliminar
  6. O facto de ter 5 matrículas é suficiente para se ser cardeal. Ou seja, no ano em que terminam o curso, quase todos os alunos da UM têm esse tal estatuto. Não é preciso reprovar para o ter.

    De qualquer da forma, já tinha ouvido o mesmo comentário da boca do próprio papa. Infeliz comentário por sinal...


    De realçar ainda, que na Universidade do Minho existe uma ligeira diferença que atenua um pouco daquilo que se disse nesta caixa de comentários. O Papa não é o aluno com mais matriculas, mas sim aquele que de entre os Cardeais recebe mais votos numa eleição realizada entre todos os membros com esse estatuto. Não desculpa de todo a hierarquia, ainda assim.

    ResponderEliminar
  7. Caro Paulo,

    A informação que me chegou é de que é necessário reprovar para se ser cardeal...

    ResponderEliminar
  8. Não sei quais foram as alterações efectuadas ao código de praxe. Porém, pelo que foi dito no jornal, este é o sentido que as coisas estão a tomar. Até porque há pessoas que excedem o número de anos do curso devido a uma transferência. Exigir um "chumbo", justificando que isso dá maturidade, parece-me parvoíce.

    ResponderEliminar
  9. A mim a informação não chegou, mas eu sei que para se ser cardeal é preciso ter mais 1 matricula que as necessárias para concluir a licenciatura. Isto é, se a licenciatura for de 4 anos, à 5ª matricula é cardeal. Se o curso tiver 5 anos, à 6ª matricula é cardeal. Portanto é preciso chumbar. Se o caro Paulo Lopes ainda frequenta a Universidade do Minho recomendo-lhe uma leitura mais atenta do código de praxe.

    Já agora, há uma situação particular em que se pode chegar a cardeal sem se ter chumbado. Se andar 1 ou mais anos num curso e depois pedir transferência para outro, mesmo que este último o faça no número necessário de anos, quando estiver a chegar ao fim do mesmo já se terá 6, 7 ou mais matriculas (dependendo dos anos que se estiveram no primeiro curso, mesmo que não se tenha chumbado). Neste caso também se é cardeal.

    Claro que isto é tudo muito parvo. Valoriza-se os burros e os bêbados que lá andam que têm os cheques dos pais a sustenta-los durante anos e anos, em vez de se valorizarem aqueles que realmente constituem o futuro...

    ResponderEliminar
  10. Nem todos os alunos com 5 matr+iculas podem ser cardeais, têm que chumbar um ano pelo menos. Nos antigos cursos de 4 anos (que agora sao de 3) so há 5.ª matrícula é q se é cardeal; nos cursos de 5 anos só com 6 matrículas; e nos cursos de 6 anos só com 7 matrículas!

    O Pedro tem razão, tem que se chumbar um ano pr se tal.

    ResponderEliminar
  11. Pergunto-me, ainda assim, se soi svós quem pagais do vosso bolso para se andarema queixar assim tanto de quem chumba.

    Chumbar não é vergonha, mas sim erminar um curso de tal forma especializado que, não tendo saída nessa área nada mais sabem fazer.

    Importa, isso sim, é que quem se gradua possa ter uma vasta formação, não apenas curricular, dominando várias competências, dando real sentido ao termo "Universitas".

    Quantos "´marrões" com super-médias não acabam na loja do cidadão ou como caixa do Continente? Eu conheci alguns!

    Importa é sair-se formado, mais do que nunca chumbar mas mal formado.

    Entretanto, ´convido a ler atentamente este e outros artigos relacionados: http://notasemelodias.blogspot.com/2008/09/notas-sobre-praxes-e-praxe.html

    Com os melhores cumprimentos.

    ResponderEliminar
  12. O comentário é, claramente, infeliz, mas, de certa forma, concordo que só chegue ao estatuto de cardeal quem possuir mais uma matrícula do que o curso em que se encontra (não necessáriamente pelo chumbo, há sempre a transferência).

    O ano passado era fitas negras por todo o lado. Havia mais cardeais do que caloiros.

    Na "legislação actual", qualquer pessoa que faça o curso normalmente (três anos do 1º ciclo + dois do 2º) é cardeal. Perde-se a mistica em volta da figura do superior. E se a praxe se baseia em hierarquias...

    Agora a desculpa da "sensibilidade e maturidade" ganha com o chumbo é que me parece de todo infeliz.

    ResponderEliminar
  13. Caro Pena (WB),

    Sugiro que releia o post porque nele não há qualquer crítica às pessoas que chumbam pelas quais, aliás, tenho todo o respeito... Simplesmente acho que não são nem mais nem menos do que as outras... Ao contrário do que entende o chefe da praxe e a sua tribo.

    ResponderEliminar
  14. Essa informação é errada. Não é preciso reprovar para se ser cardeal. No 1.º ano da universidade simplesmente entrei para um curso que não era o que eu queria. No ano seguinte mudei para outro que que a minha primeira escolha e, portanto, no último ano fui cardeal, e não reprovei nenhum ano! Nunca sequer deixei uma cadeira para trás. Um papa dizer isto só mostra desconhecimento pelas regras do código da praxe ou lá o que isso é. Quanto ao seu discurso, bem, nem vale a pena comentar de tão ridículo que é!

    ResponderEliminar
  15. Há cursos onde é quase impossível chumbar dada a facilidade que é concedida (medicina, psicologia, línguas, etc).
    Todo o precurso é feito para que o aluno tenha altas médias (tipo ensino básico agora).
    Há outros em que os alunos têm de lutar e lutar.
    Por essa razão não há cardeais em certos cursos.
    Penso eu.

    ResponderEliminar
  16. E Maturidade é coisa que não falta a este papa...32 anos e ainda está no segundo ano da licenciatura, isto depois de já ter mudado de curso pois atingiu o numero máximo de matriculas.


    E vai continuar a ganhar maturidade por muitos anos.
    O objectivo é tornar-se no homem mais maduro de Portugal.


    NS

    ResponderEliminar
  17. pena (wb):

    Sim, o dinheiro sai do nosso bolso.
    Reprovar para ganhar "maturidade" é brincar com o dinheiro dos contribuintes. Há pessoas que, mesmo com apoio social, não conseguem manter os filhos nas universidades. E há muito tempo para desenvolver actividades extra-curriculares sem reprovar.

    ResponderEliminar
  18. Passo a dar um exemplo. No próximo ano entrarei para mestrado. Concluo a minha licenciatura e passo a frequentar um novo ciclo de estudos. Vou ser cardeal, mesmo que não tenha chumbado. Deu para entender?

    Hugo,
    Quanto ao tempo que se pode dispender em actividades extra curriculares sem chumbar, obviamente que varia de curso para curso. O problema é quando falámos sem passar pelas dificuldades de cursos realmente dificeis.

    ResponderEliminar
  19. Já agora, o comentário que acaba por sair mal ao Papa, acaba por ter uma lógica que não está aqui a ser discutida. Na praxe existem exageros. Ponto final. Parece-me que alguém com mais idade, naturalmente terá uma outra sensibilidade para fazer as coisas. Conheço poucos cardeias daqueles de muitas matrículas que alinhem nas brincadeiras descontroladas que acabam em problemas graves para os praxantes e praxados que acontecem com alunos de 3 matrículas. Entre alguém com 20 e alguém de 30 anos há uma grande diferença de maturidade ou não? O facto de ele ter chumbado pode conferir-lhe um estatuto que nesta caixa de comentários estão a rotular de "burros". Mas também lhes dá outra experiência de vida. Se na hierarquia estivessem à frente pessoas de 19 e 20 anos, se calhar a praxe tinha outros problemas bastantes mais graves. Os "velhinhos" ainda acalmam as coiss de vez em quando... Até porque existe gente na Universidade, que já trabalha, está inscrito a terminar algumas cadeiras, ou a fazer um curso diferente, ou até um outro grau de ensino, e penso que a experiência e maturidade dessas pessoas
    e bem vinda nestas actividades..

    ResponderEliminar
  20. O grande problema da Universidade portuguesa, para além de gente que acha que chumbar lhes confere um estatuto especial, é o de se estar a perder a formação que cabia ás universiades dar aos seus alunos. Agora a formação (no sentido amplo da palvra) está a ser substituida por "tirar o curso". E é deste "tirar o curso" (agora em 3 aninhos para muitos dos cursos) que saem os nossos drs. Drs. que nada sabem para além daquilo que ecornaram nas sebentas...

    ResponderEliminar
  21. João disse... às 10:44h

    "Há cursos onde é quase impossível chumbar dada a facilidade que é concedida (medicina, psicologia, línguas, etc)."
    Caro João, gostava de saber quantos cursos de medicina é que já fez, para saber que é assim tão fácil!!! É que eu posso-lhe dizer que já fiz um e de 52 alunos que eramos no inicio só 40 chegaram ao fim... se quiser fazer as contas poderá ver que houve 23% de chumbos...

    Muito fácil e realmente impossível chumbar!

    Cumps,

    ResponderEliminar
  22. Sou contra as praxes estupidas!
    Mas a tirada, se aparentemente não é sustentável, não significa que de entre cábulas não saiam grandes artistas mas mais tarde...

    ResponderEliminar
  23. "Caro João, gostava de saber quantos cursos de medicina é que já fez, para saber que é assim tão fácil!!! É que eu posso-lhe dizer que já fiz um e de 52 alunos que eramos no inicio só 40 chegaram ao fim... se quiser fazer as contas poderá ver que houve 23% de chumbos..."

    Chumbaram 12?!?!?
    Que coisa extraordinária!
    E que dizer das estatísticas de cursos como LESI,MCC,Engenharia Civil ou Direito?
    A média de anos para concluir estes cursos é de 8.
    A média de reprovações é superior a 50% e as pautas estão longe dos 18 concedidos de mão beijada noutros cursos.
    E volto a dizer, em medicina como em psicologia ou línguas é quase impossível chumbar.

    ResponderEliminar
  24. João:

    «E que dizer das estatísticas de cursos como LESI,MCC,Engenharia Civil ou Direito?»

    E quantos destes não se baldam à grande e à francesa?

    ResponderEliminar
  25. João volto a dizer-lhe que se os alunos de medicina fossem tantos como os de LESI provavelmente não me diriam foram 12?!?!?!? mas sim que foram 23%...

    Já percebi que deve estudar uma dessas áreas que é "mais dificil"... mas provavelmente é mais dificil porque os alunos faltam mais às aulas, estão mais preocupados com outras actividades, porque se a média de conclusão do curso são 8 anos e não 4 ou 5 como devia ser é porque qualquer coisa aí anda mal! Ou diga-me que acha normal ou motivo de orgulho que um curso que está programado (e há gente que consegue fazer) para ser feito em 4\5 anos demore 8\10 anos a ser feito???

    Tenho dito

    ResponderEliminar
  26. Hugo Monteiro esse argumento é próprio de quem se considera o topo do intelecto.
    Os alunos de medicina, psicologia e línguas chumbam porque o curso é difícil e os outros chumbam porque se baldam?
    Acha mesmo que há centenas e centenas de "baldas" nos outros cursos que referi?
    É um facto, há cursos onde é praticamente impossível reprovar devido à própria construção do curso e há outros em que é muito difícil passar e onde a competitividade é extrema.
    Em medicina a competitividade é zero porque todos sabem que quer sejam bons ou maus alunos terão lugar no mercado de trabalho.Não há selecção natural.
    Nos cursos de ensino as médias são hiperbolizadas porque abaixo de 15 não vão a lado nenhum.

    ResponderEliminar
  27. Por acaso medicina é o curso com mais alunos a seguir a LESI.
    Quanto ao número de anos para concluir o curso, essa é uma constatação e sinal da dificuldade.
    Ou acha normal que em certos cursos apenas se vejam notas acima de 15?
    Será que os "inteligentes" estão todos nesses cursos?

    ResponderEliminar
  28. Ok João, tá mais que visto que os "inteligentes" estão nos cursos de psicologia e de medicina.

    Mas posso ver pela sua opinião que os coitados dos alunos que não passam de "espertos", que vivem num mundo competitivo e têm de "lutar arduamente" para conseguir acabar um curso de 5 anos em 8 anos estão todos no seu curso e isso é uma constatação de dificuldade do curso...

    Só é estranho que realmente haja uma cambada de "iluminados" que realmente consigam fazer o curso no tempo regulamentado, provavelmente estes também são os "inteligentes" de LESI

    Esses "espertos" que coitados, foram prejudicados pelo sistema e não conseguiram acabar o curso em 5 anos, só não o fizeram porque nesse curso a competitividade é extrema e nada tem a ver com o facto de faltarem às aulas, de poderem gozar com os outros a dizerem "estes cromos de medicina, nunca saem à noite... SÓ ESTUDAM!!!" e depois um tipo é preso por ter cão (estudar e acabar o curso sem chumbar) e por não ter (nunca saem à noite e só conseguem acabar o curso porque é muito fácil)

    Como costumam dizer, o ditado que melhor se adapta à mentalidade portugalinha:

    "the grass is always greener on the other side"

    ou em bom português:

    "A galinha do vizinho é sempre melhor que a minha"

    Cumps,

    ResponderEliminar
  29. Caro João:

    Gostaria de lhe dar os parabéns pelo mais irracional de todos os comentários aqui feitos (lá está, nem tem estatuto de raciocínio).
    Certamente está a tentar rivalizar com o comentário do papa acerca da maturidade que um chumbo confere às pessoas.

    Portanto, diga-me lá onde é que se estuda Medicina sem possibilidade de reprovar e com médias de 18 que são dadas de mão beijada... E ofereça-me provas disso, claro! Já agora, conte-me lá o nº de horas semanais de aulas desse curso de Medicina e não se esqueça de incluir o tempo de estudo em casa. E os trabalhos. E junte-lhe a vida pessoal e social.. Resumindo: deixe-se de idiotices, homem!.
    Ah! e já agora, devo dizer que tenho muitas saudades de ter notas tipo 15 (nem falo dos 18, que supostamente, me seriam dados de mão beijada... onde estão eles? :s)

    Quanto aos outros cursos que mencionou, eles realmente têm alunos que são uns baldas... ou vai querer dizer-me que não? É que eu realmente estou farto de os ver na praxe todos os dias, sempre que ando por lá. Torna-se incomodativo ver sempre a mesma massa amorfa de gente que apenas grita o nome do curso (e "algumas" profanidades) em vez de por em prática tudo o que o curso lhes coloca à disposição...
    Se se aplicassem no curso, não reprovavam tanto. (ir para lá a pensar que vão jogar jogos é uma má ideia... e infelizmente muitos ainda pensam assim).

    Se realmente acha fácil, venha para Medicina, por favor, e aperceba-se por si mesmo da estupidez que atirou com os dedos para o teclado. Depois conte-me quantas vezes chegou a casa sem nada para fazer, ou então fale-me de como nunca sentiu pressão durante o curso, ok? Espero que aceite o desafio, já que o considera tão fácil. Certamente será um médico exemplar, com essa mentalidade.

    E já agora:
    "Hugo Monteiro esse argumento é próprio de quem se considera o topo do intelecto."
    Só pode estar a brincar... Será preciso pegarmos em folhas de presenças para tirar a teima? Seria engraçado, certamente.
    Obviamente que há excepções... mas penso que o Hugo não se referia às excepções mas sim à generalidade (e sendo assim, tem toda a razão).


    Cumprimentos,
    A. Pedro
    Aluno do Facílimo Curso de Medicina na Universidade do Minho,
    Com Média inferior a 15 (e até mesmo inferior a 14, roçando os miseráveis 13, já agora).

    ResponderEliminar
  30. Caro João:

    Gostaria de lhe sugerir que nunca mais vá ao hospital ou qualquer outro posto de saúde, seja ele público ou privado, já que, sendo o curso de Medicina tão fácil, é capaz de ser morto acidentalmente por um médico incompetente que acabou o curso com uma média inferior a 15.
    Quando olho à minha volta (nos passeios que faço pela universidade do Minho para passar o tempo, já que, como ando em Medicina - curso extremamente fácil - não tenho mais nada para fazer) vejo gente de todos os cursos, especialmente de LEI e MCC, todos contentes a praxar...nunca os ouvi a queixarem-se! Mas agora que li os seus comentários, fiquei completamente ilucidada! Finalmente percebi e abri os olhos para a vida...afinal o problema dos estudantes portugueses é os seus cursos serem demasiado difíceis, e o problema de falta de aproveitamento nada tem a ver com faltas às aulas e falta de estudo! Que vida difícil têm esses estudantes...

    Curiosamente, esta é a primeira vez em três anos que caloiros do curso de Medicina vão à latada, porque costumama haver EXAMES por esta altura!

    Agora vou continuar a estudar para o meu exame de sábado, já que a minha inteligência é tão reduzida, que para passar nos exames (com notas bem inferiores a 15) tenho de estudar todos os dias, como se não houvesse amanhã!

    Cumprimentos aos crânios dos outros cursos!Espero que a vossa situação melhore brevemente!!!Vamos-nos unir e fazer um manifesto para que...
    a)dotem esses cursos da simplicidade do curso de Medicina;
    b)aumentem o número de ano desses cursos;
    c)dificultem o curso de Medicina numa escala de 1000 vezes (para ficar com um grau de dificuldade equivalente ao desses cursos - assim é mais justo) ou
    d)outro. Qual?___________________

    por favooor...

    ResponderEliminar
  31. Há aqui um equívoco, desde o início. Todos assumem que esta praxe, tal como existe hoje na UM, é algo normal, saudável e a melhor maneira de 'integrar' os caloiros. Pois esta praxe é deplorável, estúpida, ordinária, infantil, humilhante e indigna de uma instituição de ensino SUPERIOR. Com a complacência da reitoria...
    Para integrar os caloiros não bastaria uma semana de recepção? Com actividades um pouco mais inteligentes do que fazer flexões ou gritar palavrões?

    ResponderEliminar
  32. Papa, cardeais, bispos, "padres, putas e paneleiros", praxes, cabeças de porco no Bom Jesus, falta alguém para a festa ou o palhaçada pode avançar?

    Ah, chamem o Magalhães.

    É este o Ensino que ando a patrocinar?.....

    ResponderEliminar
  33. A minha afirmação continua e advém da própria opinião de ex alunos desse curso (especialmente da U.M.) e de médicos que conheço e tiveram a oportunidade (um pelo menos) de frequentar outro curso daqueles que referi.
    O vosso curso assemelha-se a uma escola primária: tutores que vos dizem o que fazer e como fazer, exames ao estilo americano, etc.
    Por esse motivo é quase impossível chumbar.
    Confirmo a opinião que já tinha porque o vosso umbigo é tão grande (não admira que depois sejam maus profissionais e tenhamos de recorrer à Guatemala) que até acreditam que os "iluminados" estão todos aí.
    Reafirmo que parte do vosso imobilismo advém do facto de não existir competitividade no vosso mercado de trabalho.
    De facto, o argumento da praxe é digno de quem não tem argumentos.
    Pelo que sei, os alunos de medicina têm feito praxe à grande e à francesa, preparam fatos elaborados, e têm ganho prémios nos cortejos...deve ser por falta de tempo...coitados, estão sempre a estudar (confirmação feita por um actual aluno de medicina).
    Querem mais um dado oficial? Entre os cursos com maior taxa de abandono por insucesso estão alguns dos cursos que referi (U.MINHO) e os motivos apontados não são o laxismo e o desinteresse dos estudantes.

    ResponderEliminar
  34. Caro João,

    1. Você mente com os dentes todos. Não há NENHUM ex-aluno do curso de Medicina do Minho que tenha sido estudante de LESI, MCC, Engenharia Civil ou Direito.

    2. Quanto ao resto, o rol de barbaridades é tamanho que não vale a pena responder. Nem a este pseudónimo nem ao outro que utiliza para escrever neste blogue.

    ResponderEliminar
  35. João:

    Conheces um aluno de Medicia que frequentou outro curso! Tanta gente!
    Olha lá, eu conheço alguns alunos de LEI/LESI que me disseram que o grande problema é mesmo as pessoas baldarem-se... E agora?
    Continuo a dizer que se achas impossível chumbar, devias experimentar o curso.

    "Pelo que sei, os alunos de medicina têm feito praxe à grande e à francesa, preparam fatos elaborados, e têm ganho prémios nos cortejos...deve ser por falta de tempo...coitados, estão sempre a estudar (confirmação feita por um actual aluno de medicina)."
    Bem, aparentemente utilizamos o tempo de uma forma melhor. Deve ser porque não o perdemos a inventar coisas acerca dos outros cursos. Ah! e eu também sou um actual aluno de Medicina, por isso certamente sei do que falo melhor que tu.

    Algo que irrita é que tu, tal como todo o ignorante, acha que nós pensamos que todos os inteligentes estão em medicina. Dizer tal coisa só prova que andas a ver o mundo por um canudo muito muito fino (para não dizer que andas cego).

    Quanto a ter argumentos ou não, discutir contigo é inútil. Quando tentamos utilizar factos para contrariar alguém que discute com base na estupidez, mais vale desistir. Infelizmente, a estupidez prevalece.

    Felizmente, podemos ignorar os teus comments a partir daqui, algo que realmente vou fazer. Discute lá com o teu umbigo, e boa sorte no teu curso dificílimo.

    PS.: Adorei a parte em que falas dos "tutores que vos dizem o que fazer e como fazer"... Deve ser por isso que o modelo tem uma grande componente de Auto-Aprendizagem... ou então alguém anda a confundir muito as coisas...

    ResponderEliminar
  36. Estes comentários são refrescantes pela novidade que nos trazem! Geralmente dizem que os alunos de Med de hoje em dia serão maus médicos porque só sabem marrar. Afinal, parece que não é bem assim, é preciso estudar tão pouco :)

    Este post contém inúmeros comentários a menosprezar o grau de dificuldade do curso. O post seguinte, que mostra o sucesso que os ex-alunos de Medicina na UM têm tido, foi comentado apenas por uma pessoa até agora. Pergunto-me porquê.

    Além de tudo o que já foi dito, gostava só de acrescentar que acho normal que alunos que entram na universidade com médias superiores a 18 e que já têm hábitos de estudo passem nos exames com nota superior a 9,5.

    ResponderEliminar
  37. Estive a ver estes comentários e realmente... Mais do mesmo! É bom ver que os tempos mudam, mas as ideias continuam as mesmas...

    O ódio visceral aos alunos de Medicina continua de boa saúde!

    As opiniões sobre a praxe continuam também elas extremas, tal como algumas coisas feitas sob alçada da "PRAXE"!

    E, para não fugir ao que é moda nos mass media portugueses... Bora aí falar mal dos médicos ou do sistema de saúde, mas como aqui se tratam de médicos em potência, vamos falar mal dos alunos de Medicina!

    Só me apraz dizer: Cómico!

    ResponderEliminar
  38. "Bem, aparentemente utilizamos o tempo de uma forma melhor."


    "Algo que irrita é que tu, tal como todo o ignorante, acha que nós pensamos que todos os inteligentes estão em medicina. Dizer tal coisa só prova que andas a ver o mundo por um canudo muito muito fino (para não dizer que andas cego"

    Quem ler a 1ª afirmação nunca pensará que vocês não pensam...

    p.s. já agora, pelos vistos o 18 de média não te deu boa educação.
    É que essa aprende-se e não se estuda.
    Por essas e por outras temos os médicos que temos e a desumanidade no SNS.

    ResponderEliminar
  39. ." Você mente com os dentes todos. Não há NENHUM ex-aluno do curso de Medicina do Minho que tenha sido estudante de LESI, MCC, Engenharia Civil ou Direito."

    Vais dizer-me em que parte é que eu digo que é da U.M..

    E eu é que sou o mentiroso?

    ResponderEliminar
  40. "p.s. já agora, pelos vistos o 18 de média não te deu boa educação.
    É que essa aprende-se e não se estuda.
    Por essas e por outras temos os médicos que temos e a desumanidade no SNS.
    "

    A ignorância é algo bastante normal em alguém que fala de algo que não conhece; não faz ideia do que está a dizer.

    E quanto à educação, que a ti te ensinou a mentir, inventar e a difamar os outros, a mim ensinou-me a diferença entre ignorância e estupidez, p ex; ensinou-me também a não inventar sobre as outras pessoas.

    Quanto ao tempo, qual é o problema em dizer que o utilizamos de forma melhor? Temos uma pressão maior para o fazer, e se mesmo assim conseguimos fazer tudo o que os outros fazem, é natural que tenhamos uma melhor gestão do tempo. Mas pronto, vamos fingir que os alunos de medicina não saem à noite e não têm vida social e que apenas estudam... está melhor assim?

    Enfim, estou como o Isaac. O ódio ao pessoal de Medicina continua bem vivo!

    P.S.: esquecem-se de que muitos alunos de Medicina até vieram de outros cursos... Mas pronto, desde que seja de Medicina, já tem que ser considerado uma espécie à parte. Que mundo!

    ResponderEliminar
  41. "E quanto à educação, que a ti te ensinou a mentir, inventar e a difamar os outros, a mim ensinou-me a diferença entre ignorância e estupidez, p ex; ensinou-me também a não inventar sobre as outras pessoas."

    "Temos uma pressão maior para o fazer" - Esta é boa!Pressão para quê? O Estado já não vos garante o tacho mesmo que sejam incompetentes?

    Em primeiro lugar quero enfatizar a falta de nível de quem permite que se publiquem insultos pessoais neste blogue.

    Em segundo lugar, as vossas palavras (ou as tuas porque é sempre a mesma pessoa com vários nomes) reflectem exactamente aquilo que eu disse.Julgam-se no topo do mundo.
    Por essa razão saõ tão maus profissionais.
    Venham lá esses médicos de leste e da américa latina porque com estes não vamos lá.

    Em 3º lugar, em nenhum momento difamei, insultei ou menti e desafio quem quiser a apresentar factos.

    Espero que publiquem este comentário porque a democracia não é só quando nos interessa.

    ResponderEliminar
  42. Caro João,

    Você também mente quando diz que é sempre a mesma pessoa com vários nomes.

    Algumas das pessoas que aqui escreveram assinaram e eu conheço-as bem. As outras usam IP's diferentes.

    Peço contrário, o anónimo João já aqui escreveu com outros pseudónimos.

    ResponderEliminar
  43. "Peço contrário, o anónimo João já aqui escreveu com outros pseudónimos."

    Prova ou cala-te.
    Atirar com calúnias quando o discurso não te convém não é correcto.
    Já agora quero saber onde está a tua avenida plural e democrática depois de me terem lançado vários vitupérios aqui.E alguns deles anónimos.
    Ou pensas que pelo facto de os conheceres e os outros não que o anonimato deixa de o ser?
    Sou tão anónimo quanto eles nesse caso.

    ResponderEliminar
  44. O autor deste post mostrou a razão pela qual não ganhou maturidade nenhuma e porque é o chefe da única instituição que premia o falhanço. Enfim, palavras para quê...

    ResponderEliminar
  45. O problema desta sociedade GLOBAL onde vivemos, é que anda tudo confuso....Já muito pouca gente sabe o que diz...e é nesta selva que a gente vive..
    Passem bem

    ResponderEliminar
  46. Meus amigos,

    Essa não sabia eu.
    Quem chumba tem outra maturidade!
    Boa!

    Se pensarmos bem, até todos nós concordamos! Quem mais chumba, mais maturidade terá na praxe! Conhecerá melhor os campus e o meio universitário, etc...
    Um cardeal quando vê um frei a praxar, sempre pensa: "que jovem imaturo a praxar. Ainda é verdinho!" :)

    Enfim...
    Até parece que quem não chumba e entra no mercado de trabalho não terá mais maturidade que qualquer jovem com 15 matrículas no ensino superior.

    Eu fui cardeal, aproveitei os meus tempos de estudante o quanto baste, mas se fosse hoje teria esforçado ao máximo para sair da UMinho com 21/22 anos.

    Nesta altura já teria muitos mais anos de trabalho e, certamente, outra maturidade...

    "Sairá tão bem ou mais preparado que aquele que concluir o seu curso sem reprovar"

    Poxa. Sim, e?

    Epá, demorei 20 anos a tirar Engenharia de Materiais, mas sai tão bem ou mais preparado que um que tirou em 5 anos. FABULOSO!

    Gastei Centenas de milhares de euros em propinas, material de apoio às aulas e em copos e festas, mas sai tão ou mais preparado que um jovem que gastou apenas alguns milhares de euros. FABULOSO!

    Perdi 15 anos da minha vida, onde podia estar a trabalhar, mas sai tão ou mais preparado que um jovem que terminou o curso com 5 matrículas e que já se encontra no mercado de trabalho há 15 anos. FABULOSO!

    Poxa, pá...

    O pior é que normalmente quem demora demasiado tempo a concluir o seu curso, acaba por sair sem saber nada! Apanhou cerca de 10 sistemas de avaliação diferentes que já não sabe a quantas anda e quando sai, acaba por inscrever-se noutro curso, pois não sabe fazer mais do que estudar, ou fingir que estuda! ahah

    Tipo um jovem que sai da prisão, volta a cometer outro crime, porque dificilmente consegue refazer a sua vida de forma honesta! ahah

    Abraço

    Rogério


    Adenda final: Não sei que ideia têm do Cabido dos Cardeais, mas é um "orgão" académico que pode ser importante (dependendo das pessoas que lá se encontrem). Na maioria das academias não há uma entidade que fiscalize e se preocupa com a praxe. É tudo ao molhe e fé em Deus. Na nossa academia nunca vi abusos como assisto na Universidade do Algarve e noutras. Aqui até alunos do secundário se fazem passar por Frei/Freiras (eles aqui chamam-se "Académicos") e praxam caloiros! São poucos os praxam trajados, logo todos podem se fazer passar por "Académicos"...
    Nós pelo menos respeitamos um Código de Praxe (no meu tempo lembro-me de ler o código).
    A nossa Hierarquia e curso estão identificados através das fitas que temos no braço, raras são as academias que têm isso!
    (parece que não, isso é importante para uma boa organização da praxe!)

    Quanto ao PAPA é apenas um espantalho. Uns são bons, outros maus, depende da personalidade e competência de cada um...

    O actual PAPA também é da Azeituna?
    O anterior, também, não era da Azeituna?

    Foi o novo Papa que disse isto, temos de aceitar, ainda não tem a maturidade suficiente para declarações em jornais académicos.
    Daqui a 5 anos, com outra maturidade, ele até dará bailinho em aparições públicas. Esperem para ver...

    Epá, mas vejam cá de fora. Tratem de acabar o vosso curso e ganhem maturidade no mercado de trabalho, isto sim, é o que deve ser feito! Ganhar maturidade ao mesmo tempo que ganham o vosso sustento!

    ResponderEliminar
  47. É verdade.
    Mas os que tem 5 matriculas e estao no 5º ano sao agora bispos, que devem ser prestigiados.
    Os cardeais claro que tem a vantagem de ja estarem a repetir as cadeiras. E se um "bispo" acaba o curso de 5 anos com media de 13, e um "cardeal" acaba com 17 (ao repetir cadeiras e melhorar tb)...o mercado de trabalho acaba por aceitar o cardeal por causa da media... Acho um pouco injusto isso apenas.

    N acho que ser cardeal implica ter maturidade, mt pelo contrario...

    ResponderEliminar
  48. Vão a cabidodecardeais.blogspot.com Arquivo de Agosto de 2009 e saquem o código de praxe. Assim informam-se devidamente dos graus hierarquicos.

    O papa n sabe o que diz.

    ResponderEliminar
  49. TUDO SOBRE PRAXE E TRADIÇÕES ACADÉMICAS: VERDADE VS MITOS no blogue Notas&Melodias (Ver listagem de alguns artigos na coluna do lado esquerdo do blogue):

    http://notasemelodias.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores