Braga: Cenas da Vida na Província

| Partilhar
«A cerimónia de inauguração da nova sede com que a Junta de Freguesia assinalou mais um aniversário da data de implantação da República ficou marcada pela forte presença do discurso religioso. O sinal claro de que a orientação de José Sócrates para retirar o espírito cristão dos símbolos republicanos e laicos não tem acolhimento no país real foi deixado aquando da intervenção do pároco de Celeirós, que substituiu o colega de Aveleda na cerimónia da bênção da nova casa que acolhe o executivo liderado pelo socialista Fernando Vilaça. «É bom que Deus esteja sempre presente em todas as pessoas que frequentam esta casa, que é símbolo do poder do Estado», afirmou o padre Fernando Apolinário Marques. O breve discurso religioso em dia de República acabou por revelar-se convergente com o tom eleitoralista que marcaria a intervenção do presidente da Câmara Municipal de Braga. O pároco de Celeirós e Vimieiro não deixou de enaltecer o que classificou de «onda de mudança», que afirmou estar a ser promovida pela Câmara de Braga. Fernando Marques referia-se ao vasto rol de obras concretizadas pelo município nas freguesias. «São escolas, sedes de Junta, equipamentos desportivos e de lazer e equipamentos sociais», vincou o sacerdote, que colocou em relevo «a capacidade» da autarquia «em concretizar um projecto muito grande para uma freguesia média, que custou cerca de 500 mil euros». Mas os números revelados pelo sacerdote seriam corrigidos pelo presidente da Junta de Freguesia, que colocou em 645 mil euros o preço final da obra.»

Um presidente e duas vereadoras. Um rancho folclórico e uma churrascada. Uma intervenção em jeito de comício e um convite final: «as pessoas que receberam convite podem dirigir-se à mesa aqui ao lado. As outras que quiserem associar-se à festa, podem usar as mesas onde estão os porcos». A expressão pouco feliz referia-se aos animais imolados no churrasco. Assim terminou a breve alocução do “speaker” que interveio imediatamente após o discurso de Mesquita Machado, que parece ter contagiado o líder concelhio do PPM. O presidente da Junta de Freguesia de Fraião, eleito nas listas da coligação “Juntos por Braga”, esteve sempre na primeira linha da plateia de Aveleda, ao lado das vereadoras Palmira Maciel e Ana Paula Morais. Também acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia de Celeirós, António Veiga, da mesma coligação, António Machado chegou mesmo a assumir o papel de força motriz no arranque das palmas ao discurso de Mesquita.» [Diário do Minho, 06.Out.2008]

2 comentários:

  1. O «sistema» bracarense em toda a sua gloriosa podridão!!

    ResponderEliminar
  2. A Igreja está com todos, da xuxa ao tacho.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores