Poder a Todo o Custo

| Partilhar
«Quem faz a interpretação do programa de Governo somos nós»
[Alberto Martins]

A urdidura de que se tece a decisão do Partido Socialista em matéria de casamento entre pessoas do mesmo sexo demonstra que os políticos não são, na generalidade, pessoas em quem se possa confiar. A estratégia montada tem a manutenção do poder como único fim e isso descredibiliza a política, enfraquece a democracia, expõe o estado lastimável do sistema e coloca as maiores desconfianças sobre a qualidade da relação entre eleitores e eleitos.

4 comentários:

  1. Pedro,
    A frase que citas do Alberto Martins é mafiosa. Não a devias citar porque eu como cidadão que votou no PS tenho vergonha dela.

    Envergonha-me porque tal como dizes descredibiliza o sistema democrático.

    Se fizeram isto para ganhar votos, informo-os que perderam o meu. Não que isso conte muito, mas no PS não volto a votar!

    ResponderEliminar
  2. Eles fazem a interpretação que quiserem mas depois nós votamos em que quisermos. Depois admiram-se que perdem votos para partidos mais radicais.

    ResponderEliminar
  3. Caro Pedro,
    Na realidade é mesmo assim. Infelizmente nem todos têm a liberdade de espírito necessária para votarem em quem quiserem!

    Caro Luís,
    Mafioso não diria, embora a frase seja, como dizes, muito perigosa.

    ResponderEliminar
  4. Posso fazer uma pergunta muito simples?
    Acham que o momento que o país atravessa exige um referendo sobre este tema?
    Uma coisa vos garanto, seria derrota certa.
    Quanto ao PS, cada um acredita no que quer, tal como com o PSD.
    Depois não digam que se foram enganados.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores