Ideias para Braga: Um Museu Internacional

| Partilhar
Braga football stadion - panorama

A escolha do Centro Cultural de Belém para receber o Museu Colecção Berardo desalojou o Museu de Design. O espólio do Museu tinha sido adquirido pela Câmara Municipal de Lisboa em 2002 que prontamente encontrou uma nova solução - o museu vai ocupar o antigo edifício do Banco Nacional Ultramarino em plena baixa pombalina. Este é um exemplo da excelente intervenção da autarquia lisboeta na criação de pontos de atracção capazes de potenciar o turismo e a cultura daquela cidade.

Depois do sucesso do Museu da Imagem, é tempo da Câmara Municipal de Braga investir numa colecção que coloque a cidade e a região no roteiro das grandes mostras de arte internacionais. Quanto a mim, o espaço para receber o Museu está encontrado e não pode deixar de ser o Estádio Municipal de Braga. A escolha só é surpreendente para os mais incautos, na medida em que aquele recinto desportivo é a obra mais marcante da arquitectura bracarense no último meio século.

A instalação do museu no interior da bancada poente do Estádio Municipal de Braga obrigaria a algumas alterações pontuais na estrutura e na funcionalidade interna do edifício, mas teria o mérito de conjugar a melhor arquitectura da cidade com aquela que seria a melhor colecção de arte fora de Lisboa e do Porto. Por outro lado, os milhões investidos no estádio estariam ao serviço das populações durante 365 dias por ano e não apenas nos eventos desportivos e nos espectáculos musicais que vai acolhendo pontualmente.

Um estádio, dois museus é mais uma ideia para Braga.

9 comentários:

  1. Mas caro Pedro, onde iria a câmara arranjar uma colecção desse tipo?? Elas não caiem do cedo todo o dia! Já agora, acredita mesmo que há alguém na gestão do município que perceba algo que seja de arte contemporânea? Não me parece...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. O ideal seria que este buraco nunca tivesse sido construído. As futuras gerações terão de pagar mais um dos devaneios deste executivo camarário.
    Um estádio de futebol, nada mais.E agora tenta-se encontrar uma solução para o rentabilizar.Ridículo.Não se deveria ter pensado nisso mesmo antes de construí-lo?
    Para que serve este mamarracho?
    Para visitas guiadas?É para isso que serve?
    Quer se queira ou não este estádio não é mais do que uma obra de vaidade.Não bastava construir um novo estádio.Tinha de ser uma coisa do outro mundo.Por acaso somos um país abastado.Quando passo por um país nórdico e vejo os estádios deles fico a pensar: "será este o factor decisivo do desenvolvimento de um país?Não!
    E o mais engraçado é que nem para ver futebol serve...
    Tudo o que se queira fazer para além da utilidade que ele deveria ter (estádio desportivo e quiçá universitário ou centro de alto rendimento) não passa de uma tentativa frustrada de tapar o buraco com remendos.


    Será que este comentário também "calca os calos" a alguém?

    ResponderEliminar
  3. Como Braga não é Lisboa, logo não vai cair nenhuma colecção no sapatinho, nem o estado vai de moto próprio adquirir uma, só pode seguir o modelo adoptado no Porto pela Fundação de Serralves: juntar mecenas privados e empresariais e depois, com um projecto consolidado e já notável, pressionar o estado a contribuir. A Uminho pode - e deve!- ter um papel liderante nesse desiderato.

    ResponderEliminar
  4. uma outra hipótese, a exemplo de Matosinhos, é tentar obter uma extensão de Serralves para Braga. talvez esta seja bastante mais plausível e, se calhar, desejável.

    ResponderEliminar
  5. Que colecções adquirir? ou que colecções estão disponíveis para compra/mecenato?
    O museu de ciências do Liceu Sá de Miranda?
    O museu dos transportes urbanos com todo o material que foi conservado?
    A colecção de material ferroviário de Braga?
    O restante da colecção da foto aliança que anda perdida?
    Toda a "arte moderna" adquirida pela autarquia nos últimos 30 anos?
    A colecção de santinhos do Cardoso da Saudade?
    Eu sou um incauto!
    Tapem a pedreira deixa de dar prejuízo!

    ResponderEliminar
  6. O espólio da Escola Secundária de Sá de Miranda é mais valioso do que aquilo que se pensa...

    ResponderEliminar
  7. E porque não transformar aquilo numa cervejaria...? isso é que era...
    Não, melhor, com a escadaria que aquilo tem talvez não fosse mal pensado canalizar para lá todos aqueles bravos de coração que diariamente (sobretudo ao fim-de-semana) passeiam pela fantástica ciclovia de lamaçães e arredores... Pelo menos era mais seguro...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores