PSD em Tempo de Catarse

| Partilhar
laranja

«Obviamente, há limites à liberdade de expressão no partido para os militantesAssim fala Pedro Santana Lopes numa espantosa mostra da irracionalidade que se acerca de muitos dos que aceitam alistar-se nos partidos políticos. Veja-se como a militância os despoja de um dos mais elementares princípios da democracia - a liberdade de expressão.

«Deus nos livre do Santana», clamava hoje uma idosa no Mercado de Braga. Se o PSD ainda tiver emenda, há que livrar-se bem depressa da ala populista encabeçada pelo menino-guerreiro. Qualquer devaneio nesta matéria seria um prolongar da agonia em que o partido se vem arrastando desde 1995.

Pedro Passos Coelho, pela irreverência das suas propostas e pela coerência do seu liberalismo, é o único candidato capaz de trazer novos ventos ao cinzentismo esquizofrénico que se apoderou da política nacional. Mesmo sem se converter num Partido Popular à espanhola que desbarataria a 'matriz liberal' cunhada por Sá Carneiro, o PSD precisa de se distinguir do PS. Contudo, já se percebeu que o jovem candidato será travado pelos sectores mais reaccionários e católicos do partido que entregarão a liderança a Manuela Ferreira Leite.

Mesmo sem quotas, o PSD será o primeiro grande partido português a eleger uma mulher para a sua liderança. O que se seguirá será um interessante duelo entre a insolência léxica de José Sócrates e a aspereza do carácter de Ferreira Leite. E a maioria absoluta cada vez mais longe...

28 comentários:

  1. Com os debates que já vi... dá-me ideia que o Passos Coelho ainda tem muita sopa para comer até conseguir lá chegar. Talvez daqui a uns anos. Já a "irreverência" e a "coerência" têm muito que se lhe diga... se viste os debates, saberás que afinal até não é bem assim como a blogoesfera tem vindo a pregar. Há propostas 'liberais' de algibeira em que ele nem toca, o que deixa muito a ideia de que é um "liberal por conveniência". Mas o tempo o dirá...

    Já a Ferreira Leite vai ter de enfrentar toda uma geração que se manifestou contra ela, Ministra de Educação, há 10-15 anos atrás. Vai ser interessante. Será interessante ver o que ela consegue e não consegue fazer contra isso e contra a outra memória viva do último governo enquanto Ministra das Finanças. Parece-me que se o PS perder a maioria absoluta (e provavelmente perderá) será mais pelo desgaste da governação do que pela presença da MFL que, coitadita, imagina como vai ser atacada pelas gentes exteriores ao partido.. se já nos debates internos fica sem resposta.

    ResponderEliminar
  2. Partilhamos a mesma opinião! :)

    ResponderEliminar
  3. Same here.
    Para mim Santana Lopes é sem dúvida nenhuma o único com bagagem para fazer face a José Sócrates e isso foi por demais evidente no debate da SIC.
    Agora, já muita boa gente a fazer passar a mensagem de que o Santana é populista e demagógico quando isso é uma pura mentira.

    ResponderEliminar
  4. Desigualdade diminui após forte correção de dados pelo INE.
    O Instituto Nacional de Estatística (INE) procedeu a uma acentuada revisão dos números sobre a desigualdade na repartição do rendimento. Embora não tenha alterado a posição de Portugal como campeão do fenómeno na União Europeia, a alteração fez com que o primeiro ano de governação de José Sócrates - 2005 - deixasse de poder ser apontado como o período com maior fosso entre pobres e ricos de que há registo.

    in http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=318396

    É que por vezes, e não poucas, a Opinião Pública é intoxicada pelos "paineleiros" habituais...

    ResponderEliminar
  5. Não vi nada de novo.Aliás o PSD corre um perigo imediato, dividir apoios entre uma candidata do passado e um jovem à procura de afirmação politica, talvez bom teórico mas a necessitar de conhecimentos reais sobre o verdadeiro País, que é diferente do vivido nos corredores de S. Bento.Seja quem for o vencedor, nada vai mudar e Sócrates só vai perder o poder, porque efectivamente já perdeu a base "SOCIAL" de trabalhadores que o elegeram.Governa tendo por cenário a cauda da Europa e obedecendo cegamente aos objectivos economicistas...esqueceu depressa o País que somos, a nossa realidade, os problemas decorrentes de reformas ousadas mas não devidamente acompanhadas de medidas correctivas tão necessárias para combater ou evitar o aumento do desemprego e das enormes desigualdades.O salve-se quem puder, vai ter um fim triste e como sempre é o povo que paga a factura da crise.É uma vergonha falar em reformas de mais de 6000E ao mesmo tempo que temos Fome, porque, por exemplo um trabalhador que cai no desemprego com 50Anos, ao fim de 4 ou 5 Já nem subsídio tem para viver, e não pode reformar-se.A política social do PS falhou rotundamente e pior não tem alternativas.

    ResponderEliminar
  6. Qualquer candidato que se proponha a destruir uma das maiores conquistas constitucionais do 25 de Abril merece ouvir um rotundo não!
    Passos Coelho cometeu o seu hara kiri político ao defender esta medida - abolição do sistema nacional de saúde universal e (tendencialmente) gratuito.
    Quanto a Ferreira Leite, resta dizer que por mais competente que seja a sua tecnocracia militante, não tem estofo político, populista, carismático.
    Quanto a Santana, apercebeu-se do erro do 1º (apesar de pensar como ele) e tem tudo aquilo que a sengunda não tem, excepto credibilidade política.
    Venha o diabo e escolha..

    ResponderEliminar
  7. Veio a calhar esta eleição...os próprios militantes pareciam escondidos ou envergonhados, descrentes.Finalmente aí está o candidato(a) a Primeiro Ministro.Vamos continuar na mesma, como é normal e sucede á 30 Anos.O País com bons Tachos...os afilhados, uns quantos bem pagos e depois talvez 8 milhões quase a pedir esmola.É este o legado dos Governos PS e PSD, não há volta a dar.Também pouco haverá a esperar dos restantes, porque vivem a gritar sem mostrar algo que cative o povo.Enfim teremos o que merecemos, mas gostava de ver ao menos um Governo que não deixasse os Portugueses passar FOME.Ficamos mal na UE, agora que lá estamos.Somos muito pobres, apesar dos grandes eventos para Estrangeiro ver e dos salários e reformas a nível dos melhores da Europa de alguns Politicos e reformados previlegiados.

    ResponderEliminar
  8. Populismo: advogar a descida dos impostos sobre os combustíveis numa época em que o petróleo é um bem escasso e cada vez mais caro. Seria dar o incentivo errado (música celestial para muitos ouvidos) a toda uma classe média automóvel-dependente e dizer aos agentes económicos que não vale a pena racionalizarem o seu gasto em combustíveis nem procurarem energias e meios alternativos de transporte. É isto o que Passos Coelho advoga. Se isto não é populismo eu declaro que, a partir de hoje, sou o pai Natal!

    A propósito disto leiam:

    http://www.porto.taf.net/dp/node/4012

    http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1330629

    ResponderEliminar
  9. Eu tenho que confessar que não vejo em Manuela Ferreira Leite uma pessoa capaz de liderar o maior partido de oposição. Parece-me uma líder fraca, sem ideias, incapaz de quebrar barreiras e de construir uma alternativa credível ao actual governo.
    Quanto aos restantes candidatos, Santana Lopes parece-me "queimado" demais para enfrentar as "guerras" políticas que estão para vir e quanto a Passos Coelho, que seria sem dúvida a minha escolha caso eu pudesse votar, parece-me que apesar de um pouco "verde" poderia construir uma alternativa com ideias e projectos capazes de combater Sócrates.
    Mas num aspecto estou completamente de acordo com o Pedro Morgado, Ferreira Leite irá ganhar, mas uma coisa também tenho a certeza em 2009 irá perder.

    ResponderEliminar
  10. "petróleo bem escasso"????
    no pólo norte existe 1/4 das reervas mundias por explorar...não caiam na treta dos especuladores.o que não falta por aí são combustíveis fósseis.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo disse...
    "petróleo bem escasso"????
    no pólo norte existe 1/4 das reervas mundias por explorar...não caiam na treta dos especuladores.o que não falta por aí são combustíveis fósseis.

    17:44

    É verdade. Há coisas que não são nada escassas: a idiotice! Mas por enquanto ainda não queima nos carburadores.

    ResponderEliminar
  12. os mesmos que advogam que o petróleo está em vis de desaparecer são os mesmos que o diziam durante a crise dos anos 70como é possível dizer-se uma enormidade destas?com desobertas consecutivas das maiores jazidas nos últimos tempos?será que não sõ capazes de perceber que esta subida apenas começou aquando da quebra do mercado imobiliário?os especuladores de sempre trocaram um oasis por outro simplesmente.

    ResponderEliminar
  13. mas alguém aqui afirmou que o petróleo está a desaparecer? afirmou-se que é um bem ESCASSO e CARO. se o 'anónimo' não sabe o que significam estes dois conceitos económicos seria bom que se informasse antes de comentar.

    Lá por existir muito petróleo na Noruega julga por acaso que os noruegueses estão interessados em vendê-lo todo duma vez?

    ResponderEliminar
  14. quanto ao "caro" é subjectivo...lembra-se quando o barril custava uma ninharia de 20 dólares? a especulação caro alves, a especulação como já referiu a própria OPEP.

    ResponderEliminar
  15. Caríssimo António Alves, há 20 anos que não se fazem carros com carburadores...

    ResponderEliminar
  16. a coisa mais difícil do mundo é tentar esclarecer quem não quer ser esclarecido. espero ao menos que tenham percebido a questão da gestão de stocks do petróleo: ninguém produz petróleo. alguns países gerem os stocks que a natureza lhes deu. e garanto-vos: nenhum deles pretende vende-los todos de uma vez, principalmente numa época em que o consumo aumenta exponencialmente. mas isto talvez seja demais para as vossas mentes castrejas.

    os carburadores, além de não "queimarem" na realidade combustível, são uma figura de estilo.

    ResponderEliminar
  17. o antónio alves é do tempo da outra senhora.precisa de figuras de estilo antiquadas para se exprimir.deixem-no a falar sozinho.
    parece-me que este senhoreco não entendeu a questão da especulação.enfim, algumas mentes não chegam a tanto.

    ResponderEliminar
  18. ó anónimo, eu apresento argumentos para defender as minhas teses. explica-me lá as tuas para provares a especulação se fores capaz. limitas-te a afirmar e não a fundamentar. o que é pratica muito comum na imensa legião de idiotas a quem a internet libertou do redutismo da escrita em cagadeiras públicas.

    ResponderEliminar
  19. E já agora: o PPC, tal como eu previa, não venceu a Ferreira Leite porque foi incapaz de assumir uma posição clara no tema 'regionalização', perdendo aqui votos para Santana, e pela posição absolutamente imperdoável de ter resvalado para o populismo fácil de advogar a descida do ISP, perdendo aqui para Ferreira Leite. Que lhe sirva de lição.

    ResponderEliminar
  20. antónio alves, a tua verborreia de latrina classifica-te e quanto ao isso nada há a dizer.
    relativamente à especulação, recorro às palavras dos responsáveis da OPEP qe afirmaram recentemente que o mercado está louco devido à especulação.eu não invento nada mas se quiseres continuar a pensar que o petróleo vai acabar dentro de 50 anos, apenas cairás no ridículo.

    TSF:

    "O secretário-geral da OPEP diz que o mercado petrolífero está louco e que a organização pouco pode fazer para parar a subida do preço do crude. Depois de ter atingido os 135 dólares na quinta-feira, o preço do petróleo desceu para perto dos 131.
    O secretário-geral da OPEP considerou que o mercado petrolífero está louco e que a organização nada pode fazer para baixar os preços do crude, que passaram, na quinta-feira, os 135 dólares nos mercados norte-americanos e de Londres.


    Para Abdullah al-Badri, a subida dos preços do petróleo podem ser relacionados com as tensões geopolíticas, com a especulação e com ma desvalorização do dólar e não como uma eventual falta de oferta de matéria-prima."

    Por último (se ainda não te confrontaste com a tua ignorância) resta-me dizer que não é coincidência que os preços tenham começado a subir desde a crise do mercado imobilário nos EUA e a desvalorização do dólar.

    ou será que na tua cabecinha há menos petróleo hoje do que em Janeiro de 2008 e que tal facto justifica esta escalada?

    ResponderEliminar
  21. já agora, está provado? ou as declarações da OPEP não chegam? se tens problemas com a democratização dos blogs, faz um e escreve para ti.pode ser que as paredes te ouçam.

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  23. cada um enfia a carapuça que lhe serve. achada numa latrina ou não.

    1) eu nunca afirmei que o petróleo vai acabar daqui a 50 anos. estou longe de acreditar nisso. mas tal não invalida que seja cada vez mais escasso e caro. quem o tem pretende faze-lo render o mais possível e cada vez mais haverá quem o queira comprar mesmo caro. quem o tem vendê-lo-à o mais caro possível e a menor quantidade que puder. pretenderá levar a durabilidade do seu stock até o mais longe possível. o único limite ao preço é aquele em que ele se tornaria de tal modo elevado que outras fontes de energia possam possam passar a ser alternativas reais. e estamos ainda longe disso. se vc conhecer a maneira de meter dentro duma garrafa de litro uma tão grande quantidade de energia, e com a mesma portabilidade, como aquela que consegue com um simples líquido mal cheiroso como a gasolina, é um homem rico.

    2) a OPEP é o maior e mais poderoso cartel que se conhece. É também um especulador do mais refinado que existe. Se vc acredita na OPEP, já não tem salvação.

    já agora leia alguém credível:
    http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1330629

    ResponderEliminar
  24. António Alves já não tens solução.
    só tu e o Pedro Romano para fazerem rir o povo.

    ResponderEliminar
  25. António Alves e as suas "tiradas" de catraio.

    ResponderEliminar
  26. ó anónimo: não há coisa mais difícil que tentar iluminar a teimosia ignorante de gente como tu. é uma tarefa verdadeiramente ciclópica.

    ResponderEliminar
  27. és um catraio pá. fala com o romano.os dois pregariam um excelente discurso no deserto.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores