Enterro da Gata no Estádio Municipal de Braga (II)

| Partilhar
Jorge Palma protagonizou mais um concerto fantástico, o espaço é muito mais adequado ao evento e os transportes públicos funcionaram bem. Balanço do primeiro dia: nota positiva para a mudança.

18 comentários:

  1. Não querias dizer Gabriel, o Pensador?

    ResponderEliminar
  2. Confesso que não vi esse concerto. Apenas assisti ao espectáculo do Jorge Palma.

    ResponderEliminar
  3. Os transportes funcionaram bem? Funcionaram pessimamente... Mas compreendo que adjectives como "bem", se não procuraste embarcar na meia hora final (entre a 1h30 e 2h) - e se viste o Jorge Palma não procuraste, com toda a certeza. Final... como quem diz; com as pessoas que ainda lá estavam quando eu consegui entrar num autocarro, ainda era coisinha para bastante mais tempo. Duas da manhã é demasiado cedo para que os tranportes na direcção do Estádio deixem de funcionar.

    Nota semelhante para a hora do fecho. Ainda estava muita gente quando começaram a enxotar as pessoas. Porquê? Porque os autocarros acabavam...

    Outro ponto que funcionou mal: os bilhetes. Não que seja um problema do dia, simplesmente, pelo menos em Gualtar, os bilhetes não estiveram à venda com a antecedência aconselhável. Só em meados desta semana é que se viu algo de mais concreto para vender os bilhetes.

    Quanto ao espaço... é uma mera coincidência. Positivo foi a opção de tornar as coisas mais organizadas. Essa organização era possível em qualquer lado. Mas é impossível deixar de reparar que o recinto continua a ser propositadamente pequeno... para parecermos muitos.

    E é impossível, também, deixar de referir o atraso de duas horas nos concertos. Algo bastante positivo, pois apenas significa que abriram os olhos a tempo.

    ResponderEliminar
  4. Caro JLS,

    De facto eu usei os transportes fora da "hora de ponta". Cheguei ao recinto pouco depois das 23.30 e saí às 4.

    ResponderEliminar
  5. Foi das poucas vezes em que vi um gajo no palco mais bebado que o pessoal que assistia. Grande Palma!

    Mas o mais giro foi ver que a maior fila do enterro da gata foi as dos borlistas. A coisa andava pelas duas horas de espera para convites. Nada mau, não senhor.

    Quanto ao resto, está um festival de música jeitoso. Com o nível de sofisiticação que a coisa atinge, aquilo já não é bem uma "Queima".

    ResponderEliminar
  6. Que pena eu não te ter visto.
    Tenho tantas saudades tuas, amor...

    ResponderEliminar
  7. Colegas, o recinto não é pequeno. A dada altura a malta é que começa a ver em duplicado... Ah, e os autocarros também não estão bem pensados, as portas são muito estreitas e os degraus muito altos...primeiro dá um trabalhão acertar na porta... e depois pensam que é fácil levantar uma perna sem perder o equilíbrio, não?
    Tá bem que a malta é tudo doutores e engenheiros, mas andar sóbrio já é pedir de mais...

    ResponderEliminar
  8. Olhem que os exames começam já...

    ResponderEliminar
  9. Recinto excelente... Bom som... Boas condições (menos as casas de banho), boas bandas, transportes sempre a passar... E não se chateia os vizinhos...

    Acho que se encontrou um local de eleição para festivais de musica...

    PARABÉNS...

    ResponderEliminar
  10. Um bom sítio, óptimos músicos, um péssimo público...Enfim, não se pode ter tudo, não é?

    ResponderEliminar
  11. É pena que não refira o lixo que fica espalhado pelo chão, nem a destruição de plantas e árvores nos terrenos em volta.
    O povo quer é festa, certo? e os estudantes, tão cosmopolitas e educados, não fazem coisas dessas.

    ResponderEliminar
  12. quem não sabe não fala... Meu caro amigo, não eram borlistas... eram colaboradores e imprensa. Talvez por existir um Enterro da Gata tão bom, as expectativas das pessoas fossem mais elevadas.
    Os balanços deixo para o fim. Ah é verdade... o típico portguês tem que ir sempre no último autocarro. Mas porquê ???

    ResponderEliminar
  13. Festa Grande e talvez grande Festa.Pena acabar já Sabado, pois estes esforçados alunos que estão preparados para uma Maratona de Exames de "Bolonha" sem recurso, estão OK para enfrentar "Oliveiras" e outros, ciosos de os reprovarem, para assim confirmarem sua competência como Mestres, numa área que começa a decair.Coragem e esqueçam os fantasmas ...

    ResponderEliminar
  14. Péssima organização das bilheteiras no primeiro dia (cenas de pancadaria e imbecis à mistura), bem corrigida no segundo.
    25 casas-de-banho (leia-se para senhoras) para um público de cerca de 8 a 10 mil pessoas (?)... MUITO MAU!!!

    ResponderEliminar
  15. Péssima organização das bilheteiras no primeiro dia (cenas de pancadaria e imbecis à mistura), bem corrigida no segundo.
    25 casas-de-banho (leia-se para senhoras) para um público de cerca de 8 a 10 mil pessoas (?)... MUITO MAU!!!

    ResponderEliminar
  16. Então onde está o civismo dos Doutores e Engºs? Pancadaria na Festa da Academia? Onde já se viu? Não envergonhem os que pela UM passaram.Respeitem-se.De vocês os Portugueses, todos os que pagam impostos, esperam lições e não decepções.Não chega ser formado é preciso ser EDUCADO.Tb é verdade que a UM não wensina esses principios de Educação e Civismo, mas em casa devia ter sido estudada a lição.Bons EXAMES.

    ResponderEliminar
  17. Parece o anónimo anterior adivinhava outras "parvoíces" de Doutores ou Engºs.Lamentar é pouco, urge punir de forma severa, quem abusou duma colega mais nova, são estas atitudes que fazem a diferença entre o ser racional e o irracional escondido atrás duma capa.Aqui está um exemplo dum suposto Doutor, dum estudante, dum individuo supostamente com cultura acima da média.Pois mas a Educação, a responsabilidade , o respeito para com os colegas onde ficou? Assim vai o sucesso de alguns jovens com futuro...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores