Braga por um Túnel

| Partilhar
O processo de construção do prolongamento do túnel da Avenida da Liberdade tem suscitado legítimas dúvidas e, à medida que o tempo passa, a história tem ganho contornos de novela.

Apresentado como projecto essencial para a requalificação do centro de Braga, o túnel esteve no epicentro da polémica com o anúncio de que uma empresa particular iria comparticipar a obra. Mais recentemente, veio a saber-se que uma construtora faz o túnel por um preço inferior em 5 milhões de euros ao dos outros dois concorrentes e, num momento em que a decisão da escolha do consórcio ainda está por tomar, Mesquita Machado antecipou-se, afirmando, de forma peremptória, que «ou ganha a Britalar ou o concurso é anulado».

Com o calendário a jogar contra os interesses eleitorais da maioria socialista, é bem provável que Mesquita Machado deixe cair um projecto que permitiria «aumentar em 10.000 metros quadrados a área de lazer dos bracarenses» e construir à superfície «um jardim do século XXI». Nada que não possa aguardar por tempos eleitoralmente mais oportunos.

12 comentários:

  1. Quem souber como se processam estes concursos públicos nas autarquias percebe logo que a Britalar furou um acordo alargado de outras empresas que pretendiam tirar lucro para todas.

    Em si o sistema é muito simples e eficaz, a não ser que alguém surpreenda à última da hora como fez a Britalar.

    O que me admirou neste caso foi a Britalar não se juntar à panelinha que estava combinada...

    ResponderEliminar
  2. Realmente é tudo muito estranho, lá recebi o mailzinho da propaganda do Mesquita, também reparei nisso.

    O cenário pode ser o do afectado, mas também pode muito bem envolver negócios paralelos, concessões e contratos futuros que "suportem" a diferença de preço. Não que perceba alguma coisa do assunto, mas 8 milhões de euros também me parece-me demasiado, realmente. Mas por 3 milhões... o pobre desconfia.

    Pedro, não me parece que o Mesquita deixe cair a obra. As eleições são daqui a um ano. E é melhor ir começando, porque se correr como a colocação do novo asfalto na via rápida... Se fores a ver, ele ainda não fez nada digno de registo nestes 3 anos. Nem uma obrazeca. Nem uma encomendada no mandato anterior e inaugurada neste. Nada digno de registo. Esta obra será mesmo a grande aposta dele, a par do parque desportivo lá para os lados do Estádio. Mas por ser no centro da cidade, se esta avançar, é a que marcará mais. Piscinas não faltam...

    ResponderEliminar
  3. O xiquinho perdeu completamente a pouca vergonha que ainda tinha na cara....

    ResponderEliminar
  4. Nao sei se é pouca vergonha, optar por nao fazer a obra pelo preço "acordado" entre alguns concorrentes, quando o mesmo pode ser feito muito, mas muito mais barato.

    Os construtores não podem julgar mandar nos interesses dos municipes, e pensar que alguma vez, por interesses eleitoralistas ou outros, alguem poderá adjudicar uma obra 300% mais cara...

    É certo que se quer fazer, mas não a todo o custo...

    ResponderEliminar
  5. Parece-me óbvio que pela disparidade de valores apresentados há algo que não está bem. A diferença é abismal. Pelas leis, tanto quanto sei, os valores apresentados a concurso têm que coincidir com os valores finais da obra, ou pelo menos não pode haver uma derrapagem muito grande. Olhando para o projecto custa muito a querer que se faça uma obra destas por tão pouco. Será que os valores são mais uma vez só para ganhar o concurso? há valores escondidos? compensações? O povo sempre disse "Quando a esmola é muita o contribuinte desconfia"

    ResponderEliminar
  6. desculpem o erro. custa muito a crer e não querer.

    ResponderEliminar
  7. Não poderiam proceder à divulgação do projecto e respectivas propostas, na Internet, por exemplo, ou torná-la de fácil acesso público?
    De tal forma que as pessoas pudessem tirar as suas conclusões.
    Uma diferença destas - 5 milhões de Euros (cerca de 1 milhão de contos), não tem grandes e boas justificações.

    ResponderEliminar
  8. Este post é para quebrar o azedume...
    Estranho seria ver um PC não defender o interesse colectivo.
    Penso que não restarão dúvidas entre os internautas de que o caderno de encargos distribuido pelos concursantes foi o mesmo.
    O mercado tem mesmo destas coisas... Tanto nos permite comprar um barrete XPTO por umas centenas de euros, talvez milhares, ou um outro barrete de pura lã virgem, costurado na retrosaria da esquina pelas mãos de uma "fada do lar" que escolheu melhor destino para a mais suave cobertura ovina que em tempo de calor se torna inoportuna ao animal, por pouco menos de um punhado desses mesmo euros. Aos que sonham que um dia comprarão um chapéu. Desenganem-se. Chapéus há muitos!!!
    O melhor é escolher o barrete certo pois de pouco valerá ficar com os bolsos vazios,... pouco se aproveitará também se nenhum barrete se comprar obrigando a passar um Inverno com as orelhas ao frio.
    Ambos os barretes tapam a careca e cobrem o frio nas orelhas. Omelhor é não enfiar o barrete com o negócio.
    Caro amigo. Não queira comprar o barrete errado, enfiando um barrete!
    Este não é difícil de escolher.

    (PC – Presidente da Câmara)

    ResponderEliminar
  9. Braga precisa de mais residentes, mete pena o deserto em que se transformou a cidade depois das 19 ou 20h.Afinal quando decidirá o Senhor Presidente esta questão? Quando apoiará o Comércio local que morre aos poucos, cercado por grandes superficies? Que interesse haverá em manter a desertificação da cidade...Obras públicas para quê, se não há gente na cidade, todos de lá fogem ao cair da tarde.

    ResponderEliminar
  10. Aquele Centro e pouco mais, não temos quase nada que mereça referência.Temos parques caros e transportes carissimos, temos pouca gente e muitos socialistas, que mais desejam...

    ResponderEliminar
  11. Engraçado que se alguem fz alguma coisa pelo comercio é a Camara, com a animação e decoração dos espaço do centro, e com programas de divulgação da restauração de Braga, entre outros... enquanto a Associação Comercial de Braga, preferes as acções de formação e investir em um espaço em Vila Verde para iniciativas que nada tem a ver com os seus associados...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores