Petição: CP Braga-Porto em 40 Minutos

| Partilhar





Excelente iniciativa.

Pode assinar aqui e consultar o blogue aqui.

44 comentários:

  1. Boa!

    E o pessoal da parvónia, isto é, das localidades que ficam entre as duas capitais de distrito ficam com menos comboios. E depois diz o senhor Pedro Morgado, todo afrontado, que o O Norte não é só o Porto, também é Braga e tal e o Minho... e as localidades desde Lousado até Braga não são minhotas!?

    Bem ... uma resposta rápida para isto. Querem perder menos tempo, apanhem o alfa que demora apenas 50m - e é verdade! mesmo assim demora 50m e só para em Famalicão, olhem se fosse um urbano. Não sejam ridículos, ganhem juízo na tola e não cedam aos interesses das capitais de distrito.

    ResponderEliminar
  2. Hoje em dia as petições são mais que as mães! Não passam de Manif's ligeiras.

    Em tempos acreditei em algo...

    ResponderEliminar
  3. Caro "Anónimo":

    nota prévia: não sou nem subscritor nem autor da petição.

    1) Pela leitura que fiz do blog, em lado NENHUM se diz que a redução de tempo nas viagens braga-Porto se deva fazer com sacrifício das localidades intermédias (são dezenas delas);

    2) Existem comboios suburbanos (vulgo amarelos) que demoram menos um ou dois minutos que o Alfa Pendular. Confira. E isto acontece por uma razão de que falo abaixo.

    3) Ao exigir-se uma ligação Braga-Porto mais rápida não se incorre em nenhum disparate. As ligações rápidas entre grandes centros são vulgarmente tidas como necessárias por todo o mundo. Acode-se assim à necessidade de muita gente. É também por isso que existem auto-estradas - menos tempo.

    Agora, o ponto da situação.

    Em algumas horas do dia (manhã cedo e fim de tarde) NÃO É possível ter comboios de marcha rápida em alguns troços da rede ferroviária nacional tal sendo o caso do troço Ovar-Porto e Ermsinde-Porto.

    E isto sucede porque naqueles troços de via dupla se juntam, nas tais horas de ponta, muitos comboios... uns a parar em tudo e outros com pressa e sem querer parar em nenhures. Comboios potentes e comboios de mercadorias com mil toneladas às costas ou mais.
    (Por analogia, imagina-se a Rua dos Peões ou a Rua 31 de Janeiro, ou a Rua do Raio em Braga. Temos gente com muita pressa e muita gente a querer parar. E usam todos o mesmo canal. O espaço é finito).

    Se viajar no Pendular braga-Lisboa, por exemplo, no que sai de Braga às 18h04, terá a oportunidade de contemplar este fenómeno da física: os comboios não passam uns por cima dos outros. A partir de São Romão, o Pendular, cheio de pressa, começa a perder velocidade e há-de seguir até Campanhã a 40, 50 ou 60km/h. Tem dias que pára à entrada de Ermesinde. Pára onde se tiver acabado o terreno livre à frente.

    E à frente de um comboio com pressa, há sempre um comboio que pára em todas as estações e apeadeiros do seu percurso.
    E então repare no que sucede entre Ermesinde e Contumil: juntam-se os comboios do Douro (suburbanos + Regionais + Inter-Regionais + Mercadorias) com os do Minho + os de Braga (muitos por dia) + os de Guimarães. Fila indiana.

    Entre Contumil e Campanhã (2,5 km) existem cinco vias, logo este problema não se coloca.

    Entre Ovar e Campanhã, o "congestionamento" repete-se. Juntam-se os suburbanos de Aveiro-Porto, Ovar-Porto, os Inter-regionais Coimbra-Porto, os Intercidades, os Alfa Pendular, os Mercadorias. Também é frequente vermos os Mercadorias resguardado na Granja, Ovar ou Estarreja, para que sejam ultrapassados por comboios com mais pressa.

    Isto tudo para lhe tentar explicar que o problema não está em querer-se mais comboios "rápidos". O problema está em que, nas horas de mais demanda, tal é tecnicamente impossível!!!

    No eixo braga-Porto existe ainda um constrangimento adicional: a via única da Trofa, em vias de ser resolvida.

    Portanto, em boa parte esta pretensão só poderá ser conseguida com sucesso e "dranquilidade" quando acontecerem duas coisas:
    - sanar-se o atravessamento da Trofa (actualmente em via única);
    - triplicar-se ou quadriplicar-se a via entre Ermesinde e Contumil.

    Sem isto, nada feito.

    Um abraço e boas viagens de comboio.

    Dario Silva,
    TADIM - ramal de Braga.
    www.ocomboio.net

    ResponderEliminar
  4. Cara Claudette Guevara,

    Esta pretensão tem algum sentido e justeza.
    Já fez as contas ao ganho de qualidade de vida de quem viaja regularmente entre braga e porto e conseguiu trocar o carro pelo comboio?

    Depois lhe mostro as contas a 22 dias/mês e verá, por ano, cada pessoa POUPA um pouco mais de 2,500 EUR. Contas por baixo.
    São 500 contos de bónus.

    Além disso, com os tais 40 minutos (que poderão vir a ser menos mesmo com quatro paragens), o comboio torna-se MESMO mais rápido que o carro na auto-estrada (centro a centro).

    Boa viagem,

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  5. ia falar...Mas o Dario Silva já disse tudo =)

    ResponderEliminar
  6. Se se quer ligar lisboa a madrid, que são mais de 300km, pelo trajecto que tem menos paragens, porque não fazer uma ligação porto-braga sem interrupção?

    quanto à proposta o dario já disse tudo. sublinho que é uma ligação necessária, há muito tempo, e que se bem estruturada poderá poupar um pouco o ambiente (o que actualmente conta pouco, mas que virá a valer muito).

    ResponderEliminar
  7. Reparei que fizeram uma adenda à petição, exigindo não só os 40 minutos entre Braga e Porto, assim como, uma carruagem para fumadores...VIVA!!

    Obrigado, Pedro Morgado, pela solidariedade na divulgação da iniciativa! ;-)

    ResponderEliminar
  8. A ver se entendi bem:

    1.- Um comboio bem mais rápido entre Braga e Porto não faz sentido porque deixa de fora o pessoal de tadim, arentim, baguim, trim, trimtintim e entrefolhos de baixo que também são Minho. É o chamado Bragacentrismo!?

    2.- É neste canal, o tal canal, que vai passar o "têgêvê" Porto-Vigo!?

    3.- Deverá o comboio referido em 2 seguir directo de Braga para a fronteira, ou parar também em vila verde, anais, orais, vaginais e outras que tais onde nasceram e moram nos seus buraquinhos portugas que sendo minhotos de gema têm tanto direito ao TGV como o Jarbas e demais excêntricos da capital daquela soma de lugares que se pretendia região!?

    ResponderEliminar
  9. 2.- É neste canal, o tal canal, que vai passar o "têgêvê" Porto-Vigo!?

    Não. Para o TGV não têm "tomates" para fazer a mesma fraude que fizeram com o pendular. Aliás, seria interessante passar, nas zonas em que tal fosse possível, o pendular para a futura linha do TGV... Muito interessante. Se calhar nem era preciso TGV.

    ResponderEliminar
  10. Caro Jam (e bracarense curioso): não há TGV. A linha que vai ser feita é para 250kms / hora, ou seja, para Alfa Pendular.

    ResponderEliminar
  11. Olá vários intervenientes no debate,

    "Se se quer ligar lisboa a madrid, que são mais de 300km, pelo trajecto que tem menos paragens, porque não fazer uma ligação porto-braga sem interrupção?"

    Isto explica-se pelo volume da procura; a Grande Lisboa tem três milhões de habitantes, Madrid tem seis milhões. O Grande Porto tem pouco mais de um milhão e Braga tem menos gente que alguns bairros de Madrid. Além disso, o exemplo mostra-nos que as largas dezenas de cidades espanholas com mais de 100.000 habitantes não têm comboios directos para Madrid a torto e a direito.

    - "uma carruagem para fumadores..." non sense, nem nos tempos antigos era permitido fumar "em viagens de duração inferior a uma hora". Agora para as tais viagens de 40 minutos querem puxar do prego? e bolachas, pode ser?

    - "1.- Um comboio bem mais rápido entre Braga e Porto não faz sentido porque deixa de fora o pessoal de tadim, arentim, baguim, trim, trimtintim e entrefolhos de baixo que também são Minho. É o chamado Bragacentrismo!?"

    O bracarense curioso anda distraído. Quem falou em esquecer as localidades intermédias? Ou devíamos também começar a fazer comboios Braga-Lisboa a parar nas cerca de 120 estações e apeadeiros intermédios?... boa!


    - "2.- É neste canal, o tal canal, que vai passar o "têgêvê" Porto-Vigo!?" tal não ainda sabido embora se adiante que o comboio rápido para Vigo poderá, numa primeira fase, usar a Linha do Minho até Braga e, futuramente, ter um canal novo que virá do aeroporto São Carneiro a Braga. E não é "tgv", é "comboio de alta velocidade". Assim como uma lâmina de barbear não é obrigatoriamente uma "gillette".

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  12. Tem razão Pedro Menezes Simões. Mas repare que tanto eu como o amigo Jam escrevemos "TGV".

    ResponderEliminar
  13. Caro Dario Silva:

    Não discordo de si, nem da pretensão de milhares de utilizadores anuais, que pretenderem que a viagem seja diminuida no seu tempo de duração.
    O que eu tentei expressar com o meu comentário foi que este novo meio de solicitação e manifestação de vontades - petições online - leva a que muitos pensem que vai surtir grande efeito.

    Sempre me desloquei de comboio, continuo a deslocar-me de comboio. Tanto Barcelos-Porto, como Barcelos-Porto-Aveiro, como Barcelos-Braga (que é um martírio), como Braga-Porto, ou ainda Barcelos-Viana (outro martírio).

    Nada contra esta vontade expressa dos utentes dos comboios. Ainda bem que se unem e mostram vontade em fazer valer as suas opiniões.

    Mas petições Online... começo a ter dúvidas! Até que ponto surte efeito?

    ResponderEliminar
  14. "O Grande Porto tem pouco mais de um milhão e Braga tem menos gente que alguns bairros de Madrid"

    Quando se fala do Grande Porto, a comparação não deve ser feita com a cidade de Braga, mas com o Distrito.

    Assim, se o Grande Porto tem "pouco mais de um milhão", o Distrito de Braga tem mais de 800 000 habitantes.

    O Porto (concelho) tem aproximadamente 230.000 habitantes e Braga (concelho) tem aproximadamente 170.000 habitantes.

    ResponderEliminar
  15. Olá Cláudia,

    "
    Mas petições Online... começo a ter dúvidas! Até que ponto surte efeito?"

    Tem dúvidas de que a internet (em traços largos) é um instrumento que opera mudanças no mundo real?
    Tem dúvidas? não tenha dúvidas...!

    (É por isso que alguns políticos da moda antiga não gostam destas modernices: a internet rouba-lhes palco e periga-lhes o poleiro).

    Abraço,

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  16. Também faltam linhas de autocarro entre Braga e outro lugares em Minho para o aeroporto em Porto (Sá Carneiro)!

    ResponderEliminar
  17. concordo com a iniciativa. mas acho mais ridicula a linha entre Braga e Viana. Isso sim é um caso peculiar

    ResponderEliminar
  18. "Também faltam linhas de autocarro entre Braga e outro lugares em Minho para o aeroporto em Porto (Sá Carneiro)!"

    Caro Johan,

    Em Braga faltam sobretudo autocarros para Braga. Isto é sabido por todos nomeadamente por aqueles pagamos para gerir estas coisas.
    Não deixa de ser curioso o tremendo avanço dos TUB ao ter montado uma bilheteira junto das bilheteiras do comboio.
    Só é pena é que não haja um autocarro que venha à estação buscar as pessoas... há uns autocarros que passam às horas que acontece passarem e as pessoas podem embarcar neles.

    É triste de ver porque nas estações da margem Sul (serviço Fertagus), existe um autocarro para cada local à espera dos comboios.

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  19. Pode ser que com a construção da nova estação da Trofa e a duplicação da via nesse local isso seja possível.
    Mas será que já há quantidade de utentes suficiente que justifique a existência de comboios exclusivos e directos?
    Quanto às populações junto a estações e apeadeiros, os habitantes da Povoa de Lanhoso, Vila Verde e Amares não têm apeadeiros à porta, e deslocam-se para a estação - e não parece que isso seja um problema.
    Com petição ou sem ela, se houver utentes suficientes, isso acabará por acontecer. Será algo determinado pelo bom-senso.

    ResponderEliminar
  20. Anónimo:

    "Pode ser que com a construção da nova estação da Trofa e a duplicação da via nesse local isso seja possível."

    - Sim, a duplicação da via na Trofa resolve meio problema.

    "Mas será que já há quantidade de utentes suficiente que justifique a existência de comboios exclusivos e directos? "

    - Costuma andar de comboio, não?...
    E convém lembrar que uma oferta de "melhor qualidade" tira ainda mais gente da estrada. Porque será que os comboios suburbanos do eixo Caíde-Paredes-Penafiel-Porto andam cheios como latas de sardinha pela manhã?? E falo de comboios com duas automotoras (o dobro da capacidade do comboio amarelo que vem a Braga).

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  21. Que pena só existirem passageiros em Braga? E os outros? Sabem por acaso oque é um comboio suburbano, ou porque é suburbano?OK comboios rápidos, mas antecedidos por um outro até parte do percurso,(antes ceca de 15 minutos)para permitir que os "outros" cidadãos possam ser servidos até Nine, Famalicão ou no sentido inverso até Braga, a tempo de seguirem nesses comboios muito rápidos, pedidos exclusivamente para os passageiros da cidade.Enfim coisas à Portuguesa...

    ResponderEliminar
  22. Penso técnicamente não ser díficil retirar alguns minutos ao tempo de trajecto no actual horário, que contráriamente ao que dizem, não julgo mau.Talvez um ou dois comboios a mais ao fim de semana e um comboio a anteceder os sem paragem pelo menos até Nine, seria o ideal.Pior julgo ser as ligações em Nine aos comboios de Braga, para quem vá ou regresse do Minho, entenda-se Barcelos, Viana ou além? Quanto aos comboios Alfas... para passageiros de Braga, até podiam não parar até destino, considerando que partem cheios de Braga! Como é difícil pensar em termos globais...Vá lá deixem os comboios servir os da parvónia, não sejam egoístas ou pretenciosos e admitam a igualdade de tratamento entre iguais.

    ResponderEliminar
  23. Funcionários engravatados e da cidade pedem comboios privados.Têm razão, os suburbanos, aqueles das aldeias, podem ficar para trás.Nunca estiveram também, mas não querem saber dos outros. Uma ideia apenas, peçam comboios a parar até Nine e rápidos no trajecto restante onde já agora existem outros comboios e acreditem é possível mesmo assim demorar menos 10 minutos do que os actuais tempos de trajecto.Vá lá sejam iguais aos campónios das aldeias porque não são superiores...

    ResponderEliminar
  24. Caro(s) Anónimo(s),

    Já que insiste na ideia do comboio-das-aldeias, que ninguém quer eliminar...

    - "Que pena só existirem passageiros em Braga?"
    Olhe, por mim até pode meter comboios rápidos das "aldeias" para o Porto directos, vários por dia, directos! Só não sei onde é que os vai pôr a circular. Já agora, e repito, façam-se também comboios directos Porto-Lisboa mas com 100 paragens intermédias, para que não fiquem esquecidas as aldeias.

    - "Penso técnicamente não ser díficil retirar alguns minutos ao tempo de trajecto no actual horário"
    Tem razão, é sempre possível encurtar as viagens alguns minutos. Só que assim elimina-se a margem de manobra que tem permitido aos comboios amarelos manter uma óptima taxa de pontualidade, perto dos 98%. Sorte a minha, em quase quatro anos de linha nova, só andei num comboio atrasado. Seria muito mau, até psicologicamente, prometer viagens mais curtas três ou quatro minutos e depois falhar todos os dias... "os comboios andam sempre atrasados. Assim podemos sempre dizer que os comboios nunca andam atrasados.
    E conhece alguma auto-estrada onde não surjam imprevistos? Veja-se a A3 para o Porto às segundas de manhã quando chove...

    - "Quanto aos comboios Alfas... para passageiros de Braga, até podiam não parar até destino, considerando que partem cheios de Braga!"
    Treta; ocasionalmente algumas das quatro ligações directas Braga-Lisboa partem ou chegam a Braga bem compostas mas dessa excepção podermos dizer que os Alfas andam a abarrotar logo a partir de Braga... são à volta de 380 lugares x 4 x 2.

    - "Como é difícil pensar em termos globais..."
    De acordo.

    - "Funcionários engravatados e da cidade pedem comboios privados.Têm razão, os suburbanos, aqueles das aldeias, podem ficar para trás."
    Treta. Façamos então comboios das aldeias com destino a qualquer sítio, várias vezes ao dia.

    - "Uma ideia apenas, peçam comboios a parar até Nine e rápidos no trajecto restante onde já agora existem outros comboios e acreditem é possível mesmo assim demorar menos 10 minutos do que os actuais tempos de trajecto."

    O meu caro amigo Anónimo contradiz-se. Então quer comboios directos Nine ao Porto?
    Muito bem, por alturas de São Romão será altura de alcançar os comboios mais lentos, os tais que vão a parar em tudo, nas "aldeias"; ou seja, a situação de "engarrafamento" que acontece em alguns momentos a partir de Ermesinde passaria a acontecer mais cedo uns quilómetros.
    Fixe isto: o espaço é finito e os comboios não voam nem fazer ultrapassagens tão facilmente como na estrada.

    - "Vá lá sejam iguais aos campónios das aldeias porque não são superiores..."

    Eu sempre morei no espaço rural mas não me considero campónio. Nem exijo comboios directos de Tadim ao Porto. Mesmo demorando exactos 60 minutos, parando em todo o lado, é mais rápido e bem mais seguro do que ir ao Porto de carro.

    Cumprimentos,
    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  25. Ser filho de ferroviário nem sempre é bom...É um pensar diferente, daí os gráficos, a ocupação de linhas, o fluxo de circulações ou a rotação de pessoal e material.Pois é, mas nada que não possa ser superado, congratulo-me alguém se preocupe com a linha do Minho e com os passageiros das aldeias...

    ResponderEliminar
  26. Com os passageiros vizinhos da linha? com esses? E com os outros que não são vizinhos da linha? coitados.

    Haverá comboios para os vizihos da linha(alguns); e muitos mais para os outros(não priviligiados)que precisam de chegar ao destino com urgência e que sairam de casa cedo, deslocando-se de carro ou de autocarro até à estação, por exemplo.

    ResponderEliminar
  27. Caro(s) anónimo(s),

    "É um pensar diferente, daí os gráficos, a ocupação de linhas, o fluxo de circulações ou a rotação de pessoal e material.Pois é, mas nada que não possa ser superado"

    O Caminho de Ferro é um sistema.
    Tem regras de funcionamento que vêm sendo apuradas há mais de 150 anos e que, por todo o mundo, são entre si muito semelhantes.
    Todas as "regras" de funcionamento do sistema de transporte sobre carris busca duas coisas em comum: máxima segurança e máximo aproveitamento do espaço/tempo. Resumidamente.

    Daí que pensar (também) nos gráficos e ocupação das linhas, etc... não me parece nem dispiciendo nem furtuito.
    Ser filho e neto de ferroviários não me tornou obcecado pelo sistema mas antes me permitiu perceber com algum rigor (também) tecnicista como funcionam as coisas e como as coisas não funcionam.

    Sugere que tudo pode ser ultrapassado. Claro, até podemos construir quatro vias entre Braga e Porto.
    (À semelhança do que acontece no troço Campolide-Roma/Areeiro e Oriente a Castanheira do Ribatejo (VF Xira, Linha do Norte)

    A pergunta que lhe deixo é: a que preço e com que vantagem?

    O dinheiro não cai do céu e o espaço (físico) é mesmo finito.

    - Ter aqui escrito sobre o eixo Porto-Braga não invalida que não escreva sobre outros eixos do caminho de ferro. Apenas achei que estávamos aqui a falar dos "40 minutos Braga Porto".

    Fica certamente para outra ocasião e outro lugar.

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  28. Caro(s) anónimo(s):

    "Haverá comboios para os vizihos da linha(alguns); e muitos mais para os outros(não priviligiados)que precisam de chegar ao destino com urgência e que sairam de casa cedo, deslocando-se de carro ou de autocarro até à estação, por exemplo."

    Ora bem... isto merece um comentário igualmente absurdo: e todos aqueles que não moram em frente a uma entrada de uma qualquer Auto-estrada???....
    (eu quero uma auto-estrada só p'ra mim!)

    Façamos já um abaixo assinado: comboio á porta de todos os portugueses e com comboios directos para os seus destinos. JÁ!!!!

    Agora a sério: tem algo a sugerir?

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  29. RECTIFICAÇÃO:

    "(À semelhança do que acontece no troço Campolide-Roma/Areeiro e Oriente a Castanheira do Ribatejo (VF Xira, Linha do Norte)"

    A "via quádrupla" na Grande Lisboa existe, de facto, entre Entrecampos-Poente e Roma-Areeiro.
    (o espaço ocupado pelas vias entre Entrecampos-Poente e Campolide é segregado, ou seja, duas vias destinam-a a Campolide/Ponte 25 de Abril e outras duas vias destinam-se à Linha de Sintra)

    Do Oriente a via quádrupla vai apenas até Alverca e não Castanheira do Ribatejo, como disse erradamente. Neste pequeno troço da Linha do Norte aplica-se o conceito de "vias rápidas" e "vias lentas": duas vias são para os comboios de longo curso - velocidades de ponta até 220km/h). As "vias lentas" destinam-se ao tráfego suburbano (com paragens em várias ou todas as estações do seu percurso/velocidades de ponta de 140km/h).

    No Grande Porto existe apenas um pequeno troço de 2,5km de "via múltipla": entre Contumil e Porto Campanhã existem cinco vias de serviço acrescida de uma sexta via que faz o atravessamento subterrâneo das restante e permite ligar a Linha de leixões à Ponte de São João/Linha do Norte sem interferências no tráfego local do Grande Porto.

    Fica a rectificação,

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  30. ADENDA

    Esqueci de referir o troço de via quádrupla da Linha de Sintra: Benfica a Monte Abraão e futuramente até ao Cacém.

    Rectifico também que a via quádrupla da Linha da Cintura de Lisboa vai se estende Roma/Areeiro até Sete Rios (onde diverge para Sintra e Campolide) e não apenas até Entrecampos Poente, como referi.

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  31. Esclarecimento qwue se impõe.É evidente que os conhecimentos do Srº D Silva são de louvar, porém são elementos exógenos ao que se pretende.Comboios mais rápidos OK, mas não excluam nunca os clientes dos urbanos entre Nine e Braga.Convém ter presente que temos duas realidades diferentes e duas Empresas prestadoras do serviço Público.Devemos pois tentar com isenção participar no mesmo objectivo, que é comboios mais rápidos para todos...

    ResponderEliminar
  32. Aprendi hoje alguma coisa sobre comboios graças aos conhecimentos demonstrados por D.Silva e um outro anónimo.Este Blog sai enriquecido, mas evitem a polémica e apoiem a petição.Estamos em Braga e devemos resolver os problemas do nosso interesse.É possível a questão seja de fácil solução e a Empresa Urbanos do Porto atenda rápidamente o pedido.Quanto ao resto todos os clientes da CP devem merecer idêntico tratamento.

    ResponderEliminar
  33. Mas onde fica Tadim? Enfim P.Morgado está de parabens, mais uma vez conseguiu trazer uma questão de interesse colectivo a debate, teria sido intencionalmente? A questão tem interesse e demonstra que o Blog tem leitores preocupados com o que se passa na cidade e arredores.Ao que parece os passageiros entra Braga e Nine também querem ter acesso aos comboios rápidos, sugerindo ligações de forma a apanharem em Braga ou Nine esses comboios mais rápidos para Porto.Acho legitimo que o peçam da mesma forma que entendo as diferentes interpretações expressas por alguns dos participantes neste diálogo.Venham pois mais anónimos ou D. Silva dar opiniões que enriquecem o conhecimento de todos nós...

    ResponderEliminar
  34. A foto da petição parece estamos a falar dos comboios urbanos do Porto e como tal assunto do Norte e do Minho em particular.Se fosse possível chegar a Braga num comboio que pare entre Cambese e Braga a tempo de apanhar esse rápido, julgo todos ficavam bem servidos.Não vale a pena debater aqui questões técnicas, interessantes sem dúvida, mas fora do contexto.Alguns dos"escrivas" deram elementos importantes para um outro debate, é pois uma falsa questão essa das refeências históricas ou dos passageiros da parvónia, cujo termo registei num sentido rural e não pejurativo.Oxalá a CP consiga agradar a todos...

    ResponderEliminar
  35. Petições para comboios rápidos, para o regresso do eléctrico à cidade e porque não para o Metro?Também os portugueses das nossas aldeias do "vale do Rio Este" merecem mais alguns comboios a parar nas horas da manhã e fim de tarde e porque não ligações aos comboios rápidos? A questão foi até agora bem ilustrada, com "fotos" opiniões, comentários e interpretações para todos os gostos, a que não faltou uma lição sobre ferrovia e propaganda Ferroviária de interesse cultural...Esta petição sendo diferente demonstra o interesse dos cidadãos quando convidados a agir.Anónimos ou não,a verdade é que todas as questões referidas têm interesse local e provocou a participação interessante de muitos cidadãos.

    ResponderEliminar
  36. Outros esclarecimentos que se impõem,

    (à atenção dos "anónimos", ainda que eu preferisse falar para gente identificada)

    Onde fica Tadim?
    - se este anónimo viaja no comboio Braga-Porto já deve ter passado na estação de Tadim; além do mais, é uma freguesia do concelho de Braga. Cultura geral.

    "Não vale a pena debater aqui questões técnicas, interessantes sem dúvida, mas fora do contexto"

    Não creio que eu tenha trazido para o debate "questões técnicas" fora de contexto. Penso que trouxe apenas aquelas que, no concreto, têm a ver com o "problema" Braga-Porto em 40 minutos.
    Por mais romântica que possa ser a visão de cada um sobre este tema, o romantismo só resolve problemas do coração e não os problemas dos comboios mais rápidos ou mais lentos...

    Pensei que evidenciei já o suficiente que estes "problemas" assentam numa base técnica - de que procurei aqui trazer apenas ALGUNS apontamentos.

    Em todo este debate em torno do comboio de Braga, há um dado novo a que assistimos.

    Pela primeira vez, em muitas décadas, o Caminho de Ferro de Braga/região é debatido e peticionado e exige-se mais e melhor.

    Por isso, e contrariando a posição da C Guevara, a internet acaba mesmo por ser um veículo "rápido" para promover o debate.

    Enquanto apreciador das viagens em Caminho de Ferro, não posso deixar de me congratular pelo facto simples de haver (mais) gente na minha cidade/região que pretende mais e melhor serviço ferroviário.

    Debate como este e na nossa região só me lembro de ler sobre os debates de finais do século XIX por causa da chegada do comboio do Porto a Braga/Guimarães.

    Parabéns a todos. Nada mais tenho a declarar.

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  37. Olá Dário.

    Falou verdade! Nunca afirmei, nem tenho dúvidas que a internet é um bom veículo para incitar ao debate!

    Este post é exemplo disso.

    Mas não dou credibilidade a petições online, pelo menos nos termos que estão a acontecer.

    Porquê?
    Porque eu, por exemplo, posso "assinar" 5, 6 ou 12 vezes se quiser. Contra, a favor, assim-assim. [não o vou fazer com toda a certeza] E isso não tem legitimidade. Nem é coerente.

    Mas... mas! Ainda bem que este debate aconteceu. Eu gostei de ler.
    É realmente hora de se mexerem, quem poderes/quereres tem para isso.

    ResponderEliminar
  38. E mais:

    Anónimos, como assinantes da petição?
    Ora por favor...

    ResponderEliminar
  39. "Anónimos, como assinantes da petição?
    Ora por favor..."


    ehehehe... estamos cercados de "anónimos"!!!!
    Socorro

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  40. Expresso aqui o meu apoio a esta iniciativa que espero venha a ter efeitos na clara melhoria do serviço ferroviário.
    É claro que é possível ter combóios mais rápidos e outros mais lentos que sejam compatíveis nos horários, ligando lugares pequenos e grandes, é uma questão de coordenação e de equipamento ou infra-estrutura.
    Senão, como é que fazem os alemães na zona de Dortmund-Koln, ou os ingleses na zona de Manchester-Liverpool?
    O problema é que não se investe de modo acertivo. Mudam-se horários sem dar cavaco às tropas e depois admiram-se dos utentes desaparecerem porque não há horários que lhes sirvam ou as alternativas serem viajar em carruagens lotadas.
    Parece mais um problema de competência. Quem presta o serviço devia ter (ou se tem não funciona) pessoal fiscalizador da operacionalidade do sistema, que avaliasse periodicamente as condições do serviço de modo a fornecer orientações no sentido de tornar o serviço mais eficaz não só do ponto de vista económico, mas sobretudo do grau de satisfação das necessidades.
    A questão da mobilidade é essencial para a eficiencia económica, pelo que se não se responde às necessidades de transporte a eficácia do sistema não se verifica, o que promove a deserção dos utentes por outros meios.
    A questão da oportunidade é importante, pois a necessidade é agora e não no futuro. Se não se dá resposta agora, depois os potenciais clientes terão já optado por mudar de emprego, de cidade ou de país, pois não se pode ficar eternamente à espera de mudar de vida.
    Se tudo ficar na mesma, meus amigos, alguém não está a fazer o seu trabalho.
    Espero que, quando se vai arrancar com o TGV de Lisboa para Madrid, não nos venham dizer que não há dinheiro para melhorar um sistema que já devia estar a funcionar melhor desde os últimos milhões que se gastaram. Se algo não está a funcionar melhor, é porque há incompetência ou irresponsabilidade, o que infelizmente não sería novidade.

    ResponderEliminar
  41. Independentes e anónimos...pois claro, pois, daí não ser grave, desde que respeitando a dignidade dos outros e não pondo em causa factos constatáveis.É evidente não dá mediatismo ou serve de cartão de visita, mas não é isso que se pretende, em causa estão ideias,opiniões, argumentos e uma petição.Tudo isto não parece põr em causa o direito de dialogar com ou sem rosto.Repito desde que respeitando principios e valores como não pondo em causa quem aqui escreve...Seria bom que todos continuassem a falar do mesmo assunto.

    ResponderEliminar
  42. Permito-me um poema de um escritor Ferroviário"O Comboio...Para o Minho em 1877chegou,Em 1878 até Caminha avança,Em 1879 em S. Pedroda Torre parou, Em 1882 chega a Valença. Em 1875 chega a Braga e Póvoa de Varzim, Em 1878 de P. Varzim a Fontaínhas vai,E percorrendo o Minho de principio a fim, Em 1881 de FontaínhaS para Famalicão sai." João Mateus.

    ResponderEliminar
  43. Gostaria de ver tratar esta questão com isenção.Não importa saber se nasci em Nine ou vivo em Tadim, se tenho ou não antecedentes Ferroviários e muito menos se o Porto é servido por 3 ou 4 linhas.Muito menos se Tadim é estação ou simples paragem.Sejamos coerentes e objectivos, anónimos ou não, respeite-mos as opiniões que afinal são ideias e parecem coerentes.É ou não possível reduzir ao tempo de viagem Braga/Porto? Parece que sim.Então trate-se de pedir e sugerir e se possível atender a alguma paragem no R.Braga, se tal se justificar. O resto, recepção em Porto, Gráfico,cantonamento etc,etc, são questões Técnicas que pertencem óbviamente á REFER:Entendamo-nos, todos os curiosos podem ter opinão, mas deixem aos práticos a sua tarefa...

    ResponderEliminar
  44. Porque durante anos trabalhei em Braga e mais tarde em Espinho, conheço a realidade Ferroviária e entendo a importância do tempo de viagem.Habituei-me a mudanças em Nine e P.Campanhã, convivi com muitos de vós, conheci imensos Ferroviários, companheiros de viagem e mesmo em Nine entre dois cafés e um dedo de conversa, vi a camaradagem desses trabalhasdores humildes, simples e correctos.Por tudo isso compreendo os que aqui falam com o coração e os que argumentam com razões.A todos, sem excepções, um sincero obrigado por estes momentos de Diálogo intenso, crítico mas dentro dum civismo que registo com agrado.Oxalá consigam todos ser atendidos, e que a CP entenda os vossos argumentos, que julgo válidos e de fácil resolução.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores