O que nasce torto...

| Partilhar
As coisas são como são. Vamos aos factos:

1) Em 5 de Junho, a Câmara anunciou que «a intervenção, a iniciar em Julho, visa a remodelação e reforço do pavimento. [...] A Direcção Municipal de Obras e Serviços Urbanos prevê o início da obra para Julho, época recomendável face à especificidade técnica de fabrico e aplicação dos materiais a utilizar, que exige boas condições climatéricas.»

2) Em 12 de Novembro, «o autarca [vereador Carlos Malaínho] garantiu que os trabalhos estão a ser executados dentro dos prazos previamente definidos, embora a conclusão das mesmas esteja somente prevista para o início de Dezembro

3) Na mesma altura, o Director do Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Braga, João Paulo Mesquita, escreve num comentário que «a intervenção que está a ser feita -- que vai além da mera aplicação de uma nova camada de desgaste -- traz melhorias substanciais a quem usufrui daquela via e a quem reside próximo dela: menos ruído, mais segurança. [...] A drenagem de águas pluviais torna-se mais fácil, o ruído do tráfego é substancialmente diminuído...»

4) O cenário actual é o que a imagem documenta. Aguardam-se mais esclarecimentos.

25 comentários:

  1. Vergonha! Enquanto habitante de Braga EXIJO esclarecimento sobre este assunto!
    Tal como TODOS os habitantes de Braga (e não só) fui prejudicado pela excessiva morosidade da obra e agora ainda tenho de "gramar" com a falta de qualidade da mesma.
    Trata-se, tão somente, de mais um caso de absoluta i-n-c-o-m-p-e-t-ê-n-c-i-a de quem adjudica, faz e fiscaliza a obra pública.
    Já não há paciência!

    ResponderEliminar
  2. Desde o início da empreitada defendi:

    Mais importante que o prazo é a qualidade da obra.

    E essa está agora à vista de todos...

    ResponderEliminar
  3. já agora!! Já se sabe qual foi a multa aplicada ao empreiteiro pelo não comprimento do caderno de encargos?

    ResponderEliminar
  4. A pressa sempre foi inimiga da qualidade.

    ResponderEliminar
  5. Já tinha lançado a proposta. Eu não passo lá(mesmo com todos os sacrifícios pessoais). Porque será que os fuinhas da oposição, os brácaros, os estrangeirados toda a cambada não interpõe uma acção popular contra a Câmara? Como se faz uma coisa destas? Lanço a proposta Sr. Pedro.

    ResponderEliminar
  6. De facto a incompetência desta tropa é inqualificável, e não me refiro só à questão do piso. O método utilizado para a separação dos sentidos é criminoso, ultrapassando tudo o que é minimamente razoável em segurança rodoviária. A colocação de redes separadoras, transformam estas em autênticas guilhotinas, em caso de acidente, para quem circula na faixa da esquerda no sentido contrário.

    Este método peculiar, e criminoso, está a ser repetido agora na Av. João XXI.

    ResponderEliminar
  7. Além de todos os problemas descritos, devia também ser prevista nesta via circular a colocação de radares para limitação da velocidade.

    A redução da velocidade máxima permitiria reduzir o número de acidentes e o ruído neste local, melhorando assim a qualidade de vida dos que residem nas proximidades e a segurança dos que por lá circulam.

    ResponderEliminar
  8. Concordo com o anónimo das 14h17. A colocação de radares urge. Eu defendo que são precisos 3. Dois têm que estar à saída do túnel, em ambos os sentidos. O terceiro no sentido Carrefour - Feira Nova logo a seguir à descida.
    Na VCI, no Porto, só quem não quer ver diz que não surtiram efeito.

    Quanto ao resto é uma mistura de amadorismo com falta de pudor, polvilhado por arrogância e falta de sentido de responsabilidade.

    Votem outra vez no senhor que está lá há mais de 30 anos (T-R-I-N-T-A. Que há muitas piscinas e pavilhões para jogar à bola. E mts shoppings! UAU! E muitas zonas verdes (nas rotundas, sejam elas ovais ou não, e triângulos, mas há!).

    GS

    ResponderEliminar
  9. Não sejam mauzinhos. Afinal tambem estava prevista na obra testes sobre a capacidade de impremeabilização do novo alcatrão inventado na UM e como vêem resulta não deixa passar uma gota sequer

    ResponderEliminar
  10. Pedro,

    Sugiro que publique no Avenida Central o artigo do PMS sobre Metros, Lisboa, Porto e Minho.

    ResponderEliminar
  11. Porque se queixam? Não são vocês que votam no mesquita? Então? Só têm o que merecem....

    ResponderEliminar
  12. CHEGOU A HORA DE LIMPAR O LIXO DA CÂMARA!

    ResponderEliminar
  13. "Porque se queixam? Não são vocês que votam no mesquita? Então? Só têm o que merecem...."

    Caro amigo,

    Se o Ricardo Rio ganhar e se coisas destas continuarem a acontecer, eu estarei aqui para criticá-lo, como critico actualmente o Mesquita.

    Conto, é claro, que toda esta massa crítica bracarense me acompanhe...

    ResponderEliminar
  14. É evidente que só mentes muito retorcidas poderiam aproveitar este pretexto para pedir responsabilidades à Câmara Municipal.

    Obviamente que a autarquia não tem culpa da inundação da via. O culpado é, claramente, S. Pedro, que resolveu abrir as comportas do céu, se calhar influenciado pela pressão da oposição, sempre desejosa de pretextos para criticar.

    Como toda a gente sabe, não é expectável que chova em Braga e muito menos em pleno Inverno. Esta foi, logicamente, uma situação anómala...

    Será???

    ResponderEliminar
  15. CHEGA!!!

    O Sr. Mesquita apenas defende os seus interesses e os dos seus "amigos".

    BRACARENSES, abram os olhos e nas próximas eleições votem no Ricardo Rio.

    Fazer pior que este INCOMPETENTE é Impossível!

    Braga cada vez se está a afundar mais, e já mete nojo viver aqui!

    ResponderEliminar
  16. Mas a oposição tem que se mexer se quer ganhar!

    É que a trupe do Sr. Mesquita vai votar em peso...naturalmente! Estão todos a mamar do mesmo!

    Há que fazer uma campanha agressiva, forte e coesa para destronar todos os incompetentes que continuam a ARRUINAR a cidade de Braga.

    Todos devem ir votar...lembrem-se, é aí que têm a oportunidade para mudar algo!

    ResponderEliminar
  17. "BRACARENSES, abram os olhos e nas próximas eleições votem no Ricardo Rio."

    Venha o diabo e escolha!

    ResponderEliminar
  18. «A redução da velocidade máxima permitiria reduzir o número de acidentes e o ruído neste local, melhorando assim a qualidade de vida dos que residem nas proximidades e a segurança dos que por lá circulam.»

    Anónimo, você tem noção de que a única razão por que foram colocadas as redes, foi para que a velocidade máxima pudesse ser maior, não tem?

    ResponderEliminar
  19. «O Sr. Mesquita apenas defende os seus interesses e os dos seus "amigos".

    BRACARENSES, abram os olhos e nas próximas eleições votem no Ricardo Rio.»

    Pelo que se tem visto... também não faltam amigos ao Sr (ou Dr.?) Ricardo Rio. Nada de anormal, contudo. Então na eventualidade de sair vencedor é que vão chover amigos... Amigos não é um "mal" do Mesquita, infelizmente. É a tendência natural das coisas.

    ResponderEliminar
  20. "Anónimo, você tem noção de que a única razão por que foram colocadas as redes, foi para que a velocidade máxima pudesse ser maior, não tem?"

    Caro Jam,

    Tem consciência que a velocidade máxima é agora de 70 km/h.

    Acha que esta velocidade está a ser cumprida?

    Não será necessária a colocação de radares para obrigar ao seu cumprimento?

    Como nota final, em minha opinião 50 Km/h só se justifica em locais como a Avenida Central, na circular 70 Km/h é uma velocidade razoável.

    ResponderEliminar
  21. acedam:


    http://bp2.blogger.com/_2-tQM3K_Wd8/R4uznJ8dryI/AAAAAAAAACI/MOyZ6jJALoo/s1600-h/papagapespelhos.jpg

    ResponderEliminar
  22. Não. Acedam antes a
    http://bp0.blogger.com/_Kq0rIi0Jh1Q/R4ih4e3pXvI/AAAAAAAAABs/3i0hOn1WUJc/s1600-h/papagaio.jpg

    ResponderEliminar
  23. Podem sempre consultar este cartoon original (e outros) em geracaobraga2009.blogspot.com

    ResponderEliminar
  24. Talvez o cartoon mais fraco que vi na minha vida...

    Quem é o autor?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores