No Comments

| Partilhar
Canal Informativo da Câmara Municipal de Braga (5.Jun.2007)
«Oito empresas candidataram-se à execução da empreitada de “Reabilitação do pavimento da Variante Sul”, cujo acto público de abertura de propostas ocorreu hoje (5 de Junho), ao final da manhã, na Câmara Municipal de Braga. A intervenção, a iniciar em Julho, visa a remodelação e reforço do pavimento das avenidas Frei Bartolomeu dos Mártires e Francisco Salgado Zenha. [...] Conforme referido, a Direcção Municipal de Obras e Serviços Urbanos prevê o início da obra para Julho, época recomendável face à especificidade técnica de fabrico e aplicação dos materiais a utilizar, que exige boas condições climatéricas.»

Jornal de Notícias (12.Nov.2007)
«Tratando-se de uma via de acesso directo à A3 (Braga/Porto) e A11 (Braga/Guimarães), o autarca garantiu que os trabalhos estão a ser executados dentro dos prazos previamente definidos, embora a conclusão das mesmas esteja somente prevista para o início de Dezembro.»

Nota - Agradeço ao César o extenso arquivo das newsletters da Câmara Municipal de Braga.

42 comentários:

  1. Em Braga vale tudo.
    Braga já não é uma cidade.
    É o parque de diversões do Mesquita.
    Vivemos como ele quer, onde ele quer, ao ritmo que ele quer.
    Pode ser que, um dia, não haja quem queira.

    ResponderEliminar
  2. E quem ganhou a obra quem foi?! ABB..porque será?!

    ResponderEliminar
  3. É preciso ter lata para mentir tão descaradamente!!!! E é preciso ser um jornalista muito servil para não confrontar o vereador com estes dados...

    ResponderEliminar
  4. se percebessem minimamente de processos de concursos, não vinham para aqui dizer barbaridades, os processos de concursos tem prazos, periodos de reclamações, etc, etc ... o que leva muitas vezes às dilatações dos prazos de inicio de execução

    ResponderEliminar
  5. Uma VERGONHA!! Não encontro mts mais palavras para descrever esta autêntica palhaçada e falta de respeito pelas pessoas que o senhor MEsquita Machado e amigos demonstram pelos bracarenses.
    As news-letteres que a CMB envia, e que eu tb recebo, são autênticos atestados de estupidez que passa aos bracarenses.
    Este caso é tão vergonhoso, tão terceiro-mundista, que não percebo, não consigo perceber nem que me façam um desenho, o silêncio da Oposição... Será que o Ricardo Rio sai na Cruz qd regressa do Porto e não sabe o que se passa na cidade? Bem, poupa um euro e mt chatice, isso é verdade, mas perde uma oportunidade de ouro para encostar a CMB à parede. E os bracarenses não têm nada a dizer?
    Meu deus! E os senhores jornalistas do burgo, nem uma perguntinha, nada???
    V-E-R-G-O-N-H-A!!!
    GS

    ResponderEliminar
  6. Caro aj,

    Pelos vistos, quem não percebe de concursos é a própria Câmara que anunciou o início das obras para Julho. Eu não fiz um único comentário à questão. Apenas coloquei duas transcrições.

    ResponderEliminar
  7. Ao menos que fique uma obra bem feita, penso que irá pois a mesma está a ser acompanhada pela Universidade do Minho, ao menos isso.

    ResponderEliminar
  8. Caro Pedro:
    De facto, a obra em apreço foi alvo da reclamação de um concorrente, o que protelou a sua efectiva adjudicação para além do era desejável.

    Obviamente, ninguém aprecia obras em curso. Todos ficamos ansiosos pela sua conclusão.

    Todos queremos usufruir delas rapidamente, embora, em consciência, sabemos que qualquer intervenção na rede viária provoca sempre incómodos.

    No caso em apreço, a intervenção que está a ser feita -- que vai além da mera aplicação de uma nova camada de desgaste -- traz melhorias substanciais a quem usufrui daquela via e a quem reside próximo dela: menos ruído, mais segurança.

    Por alguma razão o Laboratório de Engenharia Cicil da Universidade do Minho foi implicado no seu estudo...

    A drenagem de águas pluviais torna-se mais fácil, o ruído do tráfego é substancialmente diminuído...

    Quando estiver concluída, o que dirão os utentes e moradores das proximidades?!...

    Temos que ser razoáveis...

    JPM

    ResponderEliminar
  9. Gostava apenas de lembrar que, embora estejamos a falar de uma via fundamental para a circulação viária na cidade de Braga, ela registou o voto contra da oposição quando foi apreciada pelo Executivo municipal...

    Então, não era precisa... Agora, a sua reparação é demorada...

    Apenas para reflectir...

    JPM

    ResponderEliminar
  10. Já agora alguém conseguirá explicar o que aconteceu aos Outdoors da JSD que foram colocados pelo arrastar das obras dessa via?

    Pelos vistos foram colocados e misteriosamente desapareceram...

    Quem souber que explique...

    ResponderEliminar
  11. Exacto, temos de ser razoáveis...se queremos uma coisa bem feita temos de ter paciência!!! ou não?
    Se ficasse uma obra mal feita havia motivo para críticas...epá é só criticar, porque não esperamos? com a colaboração da UM podemos esperar uma obra de grande qualidade com os materiais necessários etc. Deviamos estar contentes porque dentro de pouco tempo iremos contar com mais uma obra que melhora a qualidade de vida dos bracaros.

    ResponderEliminar
  12. São significativos os comentários aqui deixados em defesa do indefensável. É significativo que o próprio João Paulo Mesquita, ajunto do presidente da câmara se sinta na necessidade de "esclarecer". É muito significativo.

    Mas o senhor João Paulo Mesquita deve pensar que somos todos estúpidos, com certeza. E bem pode deixar de lado as politiquices dos votos contra ou a favor da oposição porque não é disso que aqui se trata! Há mais cidadania para além da política, como aliás o Partido Socialista o comprovou nas recentes eleições presidenciais...

    Pelos vistos o JPM não deve utilizar muito aquela via ou as a ela interligadas, que são muitas e que influenciam quase toda a cidade. Fica-se pela praça do Município, com certeza. Caso contrário não teria a desfaçatez de tentar explicar o inexplicável.

    Esta obra não está a ser executada dentro dos prazos previamente definidos. Tenham a honestidade de o admitir e não atirem areia para os olhos das pessoas. Isso é que é ser razoável.

    "Obviamente, ninguém aprecia obras em curso". Mas que obras??!! É que não se vêm obras nenhuma!!! Está-se à espera que comece a chover para aquilo demorar ainda mais e depois atribuir-se a culpa a S. Pedro?

    "Todos queremos usufruir delas rapidamente, embora, em consciência, sabemos que qualquer intervenção na rede viária provoca sempre incómodos". - Não enviem, então, propaganda para as caixas de correio electrónico dos bracarenses a prometerem o que não sabem se podem cumprir. Amadores.

    "No caso em apreço, a intervenção que está a ser feita -- que vai além da mera aplicação de uma nova camada de desgaste -- traz melhorias substanciais a quem usufrui daquela via e a quem reside próximo dela: menos ruído, mais segurança". - Uma sugestão para obras vindouras: fazer as coisas bem de raíz para evitar "intervenções" posteriores que possam redundar nesta trapalhada.

    "Quando estiver concluída, o que dirão os utentes e moradores das proximidades?!..." - É preciso ter muita lata e ser mt demagógico de facto...

    GS

    ResponderEliminar
  13. Caro JPM,

    Com este post apenas pretendi chamar a atenção para o facto de que as obras deveriam ter começado em Julho como a própria Câmara assumiu. A possibilidade de haver reclamações neste tipo de concursos não era desconhecida e, como tal, isso devia ter sido previsto no planeamento da obra. Nunca me referi à pertinência das obras que, aliás, entendo como muito necessárias.

    As críticas devem ser entendidas numa tónica construtiva. O que se deseja é que, de futuro, a CMB planeie as obras necessárias com maior cuidado para evitar todos os transtornos que esta obra tem causado aos bracarenses e que seriam minimizados se tivessem decorrido durante os meses de Verão.

    Quanto aos melhoramentos, apraz-me saber que trarão diminuição do ruído para os habitantes das áreas limítrofes.

    Cumprimentos,
    Pedro Morgado

    ResponderEliminar
  14. NUMA CIDADE COMO BRAGA OBRAS DESTAS DEVERIAM SER FEITAS DA NOITE PARA O DIA. 2000 HUMANOS. EXERCITO. QUALQUER COISA. E´ UMA VERGONHA.

    ResponderEliminar
  15. Ó Pedro Morgado, que politicamente correctos que nós somos... Basta um representante da CMB vir a terreiro para o tom mudar radicalmente. Isso é a ambição política a latejar, é?
    GS

    ResponderEliminar
  16. Caro(a) GS,

    Há quem me acuse do contrário. O comentário está exactamente no mesmo tom do post.

    Cumprimentos,
    Pedro Morgado.

    ResponderEliminar
  17. Será que os transtornmos seriam minimizados se as obras se realizassem no Verão? Os meses de Outubro e Novembro têm sido fantásticos em termos climatéricos.
    O que na minha óptica é criticável, é a falta de informação sobre as obras e os condicionamentos existentes e de planeamento (?) (por que não remodelar a via num sentido e depois tratar da outra, no sentido contrário?).

    ResponderEliminar
  18. Adenda ao comentário para o JPM:

    Esqueci-me de fazer notar que o senhor - e através de si a CMB - mostra ter mais respeito por um blog e pelo seu autor do que pelos bracarenses em geral.

    Ou seja, quem não ler este blog (e calculará que, apesar do seu sucesso, é a esmagadora maioria da população), nunca saberá que houve uma reclamação de um concorrente que motiva o atraso.

    Porque não incluir essa informação numa news-letter?? Não é essa a sua função? Recebi uma no dia 09/11 em que apenas alterava as datas de encerramento dos troços de uma anterior news-letter! Porque não uma conferência de imprensa a dizer exacatmente o que o JPM veio explicar num comentário de um post de um blog?

    Não deve ser difícil o Correio do Minho e a Antena Minho estarem presentes. E a fotografiazinha do da praxe do grande líder não faltaria, estou certo. O povo compreenderia, ao jeito, aliás, do "povo" que aqui veio, voluntariamente, colocar-se ao lado da CMB contra os que nada percebem e criticam apenas por criticar.

    GS (o)

    ResponderEliminar
  19. Os cartazes da JSD foram roubados(!) no dia seguinte a serem colocados! Grande democracia esta, a da nossa cidade!

    ResponderEliminar
  20. Os cartazes da JSD foram roubados um dia depois de serem colocados! Grande democracia esta, a que no Burgo se pratica!
    In Diário do Minho de hoje

    ResponderEliminar
  21. Caríssimos,

    Braga está-se a transformar numa cidade tenebrosa, e muito por culpa de Mesquita e dos seus pares. Será que o JPM pensa que uma mentira dita muitas vezes se torna realidade.É MENTIRA que a oposição tenha algum dia votado contra a realização de obras na variante. É preciso pôr cobro a este conjunto de dislates que saiem da boca desse senhor, que mais não faz do que propaganda falsa e enganosa.
    Queria ainda alertar para as variadíssimas tomadas de posição da dita oposição sobre esta matéria: conferências de imprensa; outdoors e artigos de opinião - o último dos quais pode ser lido aqui:http://bracara2009.blogspot.com/2007/10/avariante.html

    ResponderEliminar
  22. Vamos lá pôr ordem nisto!
    Eu sei que nem todos temos obrigação de conhecer em detalhe as leis que regem os concursos públicos.
    Por outro lado, nenhum de nós gosta de obras (bem vísiveis estas - parece-me q ainda não passou por elas GS!).
    É claro que daqui a duas semanas, quando a obra terminar, toda a gente vai gostar do que se fez.
    Entretanto, andaram aqui alguns catraios do Ricardinho Rio a quererem envenenar a opinião de algum leitor mais desatento.
    Sr. João Paulo Mesquita, deixe os miúdos brincar e continue a fazer o seu trabalho, que ao contrário do que foi aqui dito por aqueles que se dizem defensores da democracia participativa e nada fazem por ela, presta um óptimo serviço ao munícipe, mantendo-o informado de tudo o que se faz na autarquia.
    Pode ter a certeza, Sr JPM, que a maioria reconhece e agradece tão nobre tarefa.
    Claro que com isso está a dar informação aqui aos miúdos para eles mostrarem serviço ao dono.
    MS

    ResponderEliminar
  23. Uma coisa é certa.
    A blogosfera está a mexer com o poder instituído.
    O JPM, testa de ferro do MM veio a terreno cumprir as sua funções: falar para não estar calado.
    Quem diria há meia dúzia de anos, que o papel do JPM se iria inverter .... Será que ele apareceu em público para matar saudades junto dos seus correligionários? sei lá, sei lá...

    ResponderEliminar
  24. É isso mesmo MS.
    Eles querem é tacho!
    António

    ResponderEliminar
  25. Caro Zé de Braga,
    Quero lembrar-lhe que sou, de facto, profissional de comunicação. Não pretendo vender gato por lebre... Utilizo este suporte como qualquer cidadão o pode fazer. Estou grato ao Pedro Morgado por assim o permitir. Retribuo-lhe disponibilizando a informação de que disponho e assim contribuo para "animar" este blogue. Gosto de discutir e ver discutir ideias e propostas que possam melhorar a vida de todos nós. Quanto ao resto, deixe lá... é preferível elevarmos o nível.
    JPM

    ResponderEliminar
  26. Caro MS,
    obrigado pelas referências profissionais. É bom saber que o trabalho que desenvolvemos aos Bracarenses. Grato. JPM

    ResponderEliminar
  27. Caro MS,
    obrigado pelas referências profissionais. É bom saber que o trabalho que desenvolvemos agrada aos Bracarenses. Grato. JPM

    ResponderEliminar
  28. Isto acabar por ser um mero pormenor insignificante, no dia em que se sabe que presidente do PSD, candidato a primeiro-ministro, é presidente da Câmara Municipal mais endividada do país. Mais mesmo que Lisboa.

    ResponderEliminar
  29. MS:

    A sua intenção de pôr "ordem nisto", desculpe que lhe diga, mas saiu furada. Assim como a intenção da CMB ter a empreitada da Variante Sul concluída em Julho, sendo que esta promessa não cumprida é, como facilmente imagina, bem mais grave que a sua.

    Se as obras são bem visíveis, os trabalhadores devem fazer umas pausas exactamente quando por lá passo...

    O que está em causa, caro MS, a ver se percebe, não é quando as obras estiverem concluídas. Por essa ordem de ideias, não haveria prazo para qualquer obra, bastava dizer: "no fim vai ficar óptimo!", não se sabendo se esse "fim" demoraria meses ou anos.
    Tal argumento já foi, aliás, utilizado com o Theatro Circo. Agora dizem maravilhas - e está de facto -, mas não podemos esquecer que esteve 7 (sete, s-e-t-e) anos fechado!!! Claro, não deve interessar.
    O problema, mt grave, é com as promessas não cumpridas e com a falta de informação prestada aos cidadãos.

    Essa dos "miúdos" não percebo quem quer atingir, a mim não será certamente, mas pergunto-me se sabe a idade do autor deste tão elogiado - e justamente, a competência não tem idade - blog (até pelo JPM).

    JPM:
    O senhor diz-se um profissional de comunicação. Seja, mas concretamente é um assessor do senhor presidente da câmara para a imprensa e para a gestão da informação por ela gerada e que lhe diga respeito. Por isso, essa de "Não pretendo vender gato por lebre..." fez-me rir a valer.

    Mas na sua resposta volta a dar-me argumentos para a minha estupefacção: então dá informação que dispõe ao Pedro Morgado para "animar" este blog?!?!? Como??!?! Importa-se de repetir?? Não tem mesmo umas news-letters realmente informativas para enviar?? E 'dê' mais qq coisinha aos jornalistas locais pq o que leio nas NL que recebo na minha caixa de correio electrónica encontro depois, praticamente igual, nas páginas do Correio do Minho.

    PAra acabar:
    Não leve a sério os elogios do MS. Fique a saber que o trabalho que desenvolvem não agrada a muitos milhares de bracarenses.

    GS

    ResponderEliminar
  30. As obras eram mais que necessárias, disso não duvido. Não por a CMB ter dito, mas por ter estado muito próximo dos estudos do Laboratório de Engenharia Civil da Universidade do Minho sobre a via em causa. A presença do grupo de Vias de Comunicação do Departamento de Engenharia Civil da UM, à partida é uma boa garantia de sucesso nestas obras. Claro que, como tudo, podem falhar... mas não acredito nisso.

    Quem realmente souber algo sobre obras rodoviárias sabe que é um perigo fazê-las nesta altura. Sendo esta via crucial ao tráfego em Braga é inacreditável que sejam nesta altura. O tempo tem ajudado e muito, mas isso é sorte. Em condições normais já tinham caído umas chuvadas... e se caírem umas chuvadas valentes as obras têm que parar. E depois? Prolonga-se o caos do tráfego que passa naquelas vias?

    Obviamente as obras deveriam ter sido realizadas no verão, onde além da maior probabilidade de condições atmosféricas favoráveis, haveria significativamente menos tráfego.

    Facto que eu poderia ter apostado antes de ser conhecido o resultado do concurso é que a obra iria ser realizada pela ABB. E não era preciso ser bruxo ou adivinho... basta andar com os olhos abertos. Claro que há quem pense que em Braga toda gente os tem fechados e por isso brinca aos concursos.

    ResponderEliminar
  31. Por insignificâncias mais pequenas já tivemos neste blog grandes posts, com imagens e tudo...

    ResponderEliminar
  32. Quem anda na blogosfera tem que estar reconhecido ao JPM pelo contributo que ele dá para animar os vários blogs e por fazer o esforço de dar informações de dentro sobre as matérias em discussão.
    Isso obviamente faz parte das suas funções! São uma espécie de canais informativos alternativos.
    E tal como no Canal Informativo ele passa mais tempo a divulgar o que os outros fazem do que aquilo que a Câmara faz (por falta de tema) também aqui ele passa mais tempo a criar alter-egos (MS, mm, JPM, ...) do que a dar a sua opinião.
    Essa, a que não está sujeita ao dever de lealdade profi$$ional, só quando perder as grilhetas em 2009...

    ResponderEliminar
  33. Que ironia: para um post intitulado “no comments”, este já vai com bastantes comentários....

    Por muito que custe aos acérrimos defensores do trabalho da Câmara Municipal de Braga, temos de admitir que neste caso, como noutros, seria certamente possível encontrar soluções alternativas em relação ao timing da obra, à metodologia da intervenção e à forma como ela foi explicada aos bracarenses.

    Este post conseguiu, no entanto, ter o condão de alargar o debate para além da mera questão dos engarrafamentos, do pó e do alcatrão. Ele conseguiu chamar a atenção para a memória ou para a falta dela. Sejamos honestos: quantos se lembravam do comunicado da autarquia a apontar uma data para a realização das obras? Quantos se lembram de tantas promessas que vão sendo feitas pelos políticos? Seguramente muito poucos...

    Teremos nós visto grandes movimentações de cidadãos, que leram atentamente as newsletters da edilidade, a reivindicarem explicações sobre a intervenção em curso? Pois não. Logicamente que, neste cenário, não seria de esperar que fosse a Câmara a tomar a iniciativa de vir a público assumir voluntariamente que falhou o seu objectivo. Uma das regras básicas das relações públicas é destacar os aspectos positivos, de maneira a que eles façam esquecer os negativos...

    Confesso que tive dúvidas em relação à participação de JPM nestes debates. Por exemplo, no livro “No reino do anonimato – estudos sobre o jornalismo online”, José Pedro Castanheira analisa a forma como o caso da Fundação Jorge Álvares, criada por Rocha Vieira, foi seguido no Expresso Online. E uma das questões que destaca é que, nos comentários, havia pessoas a assinarem com o nome de personalidades públicas, entre os quais constava o do ex-governador civil de Braga Pedro Bacelar. Por isso creio que a minha interrogação é legítima.

    A ser verídica esta participação, julgo que ela poderá indicar a valorização da blogosfera, à semelhança do que está a acontecer um pouco por todo o mundo, até com a acreditação de bloggers para terem a acesso a locais e eventos onde até há bem pouco tempo a participação lhes era vedada.

    Mas poderá também ser lida como sinónimo de profissionalismo – defender a instituição em todos os meios onde ela for posta em causa – ou de ocupação do tempo livre por parte do responsável pelo sector da comunicação.

    Temos que reconhecer que a estratégia de comunicação do município não é brilhante, quer internamente, quer na projecção externa da imagem da cidade. Mas cumpre os objectivos, tendo em conta as solicitações. A máquina dá o que se puxar por ela e não vejo que alguém esteja a obrigar esta máquina a dar o máximo...

    Com certeza que todos gostaríamos de poder assistir a um “duelo” entre o jornalista JPM e o assessor JPM. Seria certamente muito interessante...

    No dia-a-dia bastam algumas visitas, festinhas, conferências de imprensa banais, comunicados escritos sem erros ortográficos e respostas redondas a questões ocasionais. E não se pode criticar a Câmara quando vemos que as notícias que saem na imprensa são iguais às newsletteres que se recebem por e-mail. Ela está a cumprir o seu papel. Os órgãos de comunicação é que não!

    ResponderEliminar
  34. Infelizmente os nossos órgãos de comunicação social locais são assim.

    Fraquinhos, fraquinhos...

    O DM completamente vendido à causa ribeirinha, já não consegue distinguir o que é de interesse público daquilo que interessa aos patrões laranjas.

    O CM, preocupado em mostrar que não serve os interesses de ninguém, mas sem competências para fazer informação que preste.

    Resta-nos esperar que apareça alguém com vontade de mudar o panorama da comunicação local.

    Johannes Guttenberg

    ResponderEliminar
  35. Meus senhores,
    fico satisfeita por assistir a tão inflamada discussão devido ao suposto não cumprimento do prazo inicialmente previsto para a execução de umas obras numa das vias de maior circulação automóvel de Braga. De facto é lamentável e os transtornos esses, são legítimos e inúmeros: esperas intermináveis, aumento do gasto do combustível, eventuais danos nos veículos de condutores mais desatentos, enfim...
    Sim, acho bem que o "dedo seja apontado". Mas, ressalvo, uma coisa é chamar a atenção para algo que nos incomoda a que acreditamos poder ser resolvida de forma mais eficaz, outra é por em causa todo o trabalho feito por uma autarquia e, mais concretamente, pelos cidadãos que lá assumem cargos. Para que, à partida, não me sejam atribuídos partidarismos, afirmo-me, desde já, não residente em Braga (cidade onde trabalho e desenvolvo toda a minha vida activa)e, finalmente, totalmente apartidária.
    Contudo, não creio ser de boa índole e reflexo de uma boa dose de desconhecimento, ou ignorância (como preferirem) as reacções que surgiram à intervenção do Sr. Assessor de Imprensa do Presidente da Câmara Municipal de Braga neste blog. Não é legítima e mesmo louvável a tentativa de esclarecimento da situação em causa por parte do Sr. Paulo Mesquita? Só se considera satisfeito com esse esclarecimento quem quer. Será que os blogs só são bem vistos se forem usados como via para a crítica destrutiva? Será que as elucidações e mesmo um diálogo civilizado não cabem na blogosfera bracarense? Pelo que vejo, o Sr. Pedro Morgado tem feito muitos esforços no sentido de dignificar este domínio.
    Quanto à assessoria de imprensa, neste caso praticada pelo Sr. Paulo Mesquita,profissional contratado pela CMB, é sim uma actividade de comunicação, tão reconhecida e talvez mais honesta, na sua essência, que muitas formas de jornalismo que por aí se praticam. Assim, nada de mal vejo no facto do Sr. João Paulo informar sobre as actividades da CMB ou simplesmente emitir a sua opinião, pessoal ou profissional, num blog. Relativamente ao "Canal Informativo", aqui várias vezes apelidado de "News Letter", simplesmente pergunto, porque não? Alguém se queixava de ter recebido a mesma informação, apenas com as datas alteradas. Mas recebeu a informação, não foi? Teve conhecimento, de forma antecipada, do que ia acontecer na sua cidade, correcto? Pois, acredito que o objectivo deste canal é esse. Dar a conhecer ao cidadão, em tempo útil, o que vai acontecer em Braga. Não será preferível este método aos obsoletos boletins municipais, repletos de fotografias e relatos das actividades do Presidente da Câmara, que residentes doutros municipios recebem em casa? Penso que sim. Agora, concordo que por vezes as caixas de correio entopem, é um facto, mas é também uma prova de que este Senhor trabalha e não se remete à inércia com que muitas vezes são identificados os funcionários de instituições públicas. Mas, para os mais insatisfeitos, a possibilidade de remoção é sempre possível. Basta um e-mail com o assunto "Remover" e já está. Simples, não? Contudo, o Canal Informativo é apenas uma pequena parte, talvez a mais visível, de todo o trabalho que implica a assessoria de imprensa da CMB, por isso, não considero correcto transformar em alvo de críticas menos elegantes o trabalho de alguém que todos os dias faz, com todo o profissionalismo, o melhor pela instituição que o contratou. E se todos fizessemos o mesmo? Talvez, o país já estivesse um pouco melhor.

    ResponderEliminar
  36. Cara Matilde Castro:

    São tantas as suas incongruências que o melhor é começar pelo princípio. A ver se eu entendi: é a favor de "apontar o dedo", mas com moderaçãozzzzz, como diria o Diácono Remédios. Decida-se. Ou se aponta, ou não se aponta.

    2. Pergunta se "não é legítima e mesmo louvável a tentativa de esclarecimento da situação em causa por parte do Sr. Paulo Mesquita". Mas essa pergunta não origina qq resposta com interesse precisamente pq não faz qq sentido.
    O cidadão JPM faz o que quer e bem lhe apetece na blogosfera: comenta, manda postas de pescada, provoca, espia, conta piadas, manda bitaites, ri, chora, pragueja, tudo.

    Mas o assessor de imprensa/ajunto do presidente da Câmra Municipal de Braga, JPM, já tem que ter outro cuidado qd comenta e dá informações em blogues. Especialmente porque é nessa condição que ele aqui se apresenta, como se pode ler nos comentários acima.

    O que eu julgo que é pernicioso é o facto de o JPM prestar este tipo de esclarecimento a um blogue e não aos órgãos de comunicação social locais. Ninguém lho pediu? Aqui mt menos.

    Qt à assessoria de imprensa ser uma actividade da área da comunicação reconhecida como a de jornalista, obrigado pelo seu douto parecer; qt a ser mais honesta, adivinharia que não sabe do que fala.

    Qt às news-letters: acho mt bem que existam, se não forem apenas propaganda da câmara. Não percebeu a minha questão das datas. Eu, e mts milhares de bracarenses com certeza, recebi duas NL num espaço de uma semana com a mesma informação (sobre o corte ao trânsito de troços da Circular Sul, que deviam ter sido em... Julho...), mas como aquilo não anda nem desanda alteravam apenas as datas dos cortes! E nada diziam sobre a obra ter sido alvo de um processo de reclamação de um concorrente, o que terá originado este atraso todo! No entanto, num comentário a um post deste blogue, o senhor JPM, responsável pelas NL, esclarecer a questão. Percebeu agora a diferença e a
    gravidade da coisa?? As NL, na prática, e neste caso concreto, nada mais foram que simples propaganda política.
    Ora, não será para isso que os dinheiros públicos deverão ser canalizados, julgo eu.

    Cumprimentos,
    GS

    ResponderEliminar
  37. Algo nao bate certo GS... Se a newsletter so foi emitida agora e não em Julho é porque os cortes para o alcatroamento da via que os obriga surgiram agora...

    Se a obra não iniciou em Julho pelas razoes referidas porque diabo vai enviar uma newsletter em Julho com os cortes da via???

    Sou utilizador da via e recebo as newsletters do Sr. JPM, não percebo esses defaçamentos...

    A semana passado foram cortadas no sentido sul-norte em 3 fases terminando no Domingo... Esta semana no sentido norte-sul em 2 fases terminando espero que quinta conforme anunciado...

    Teremos assim a variante sul devidamente renovada como era necessário...

    A comunicação social essa sim deixa muito a desejar, ou nao recebe as newsletter da câmara?

    Pelas transcrições que vejo entre os emails que recebo e as noticias publicadas no DM e CM...

    O que me parece é que a comunicação social só quer sangue, mesmo que signifique mal informar...

    ResponderEliminar
  38. Caro Gs,
    Incongruente? Não me parece...

    Ou será que não sabemos separar as águas? É muito mau quando começamos a ver tudo a preto e branco e deixamos de perceber todas as outras tonalidades que andam aí pelo meio. Mas é compreensível, ainda gostamos muito de ver as coisas de forma restrita: ou é bom, ou é mau.Assim é mais fácil, não nos obriga a pensar muito ou... a sermos razoáveis... Mas a vida não é assim, todos são capazes do melhor e do pior, de momentos mais ou menos acertados. Se não me fiz entender correctamente com o meu comentário tentarei de novo: não acho correcto que, perante o atraso no prazo de execução de uma empreitada que é da responsabilidade da CMB, se coloque em causa o trabalho de assessoria de imprensa que é prestado a esta entidade pelo Sr. já inúmeras vezes referido.
    Não percebo que, pelo simples facto de ter introduzido um comentário,ao jeito de esclarecimento, perfeitamente inóquo, no sentido de não pretender gerar polémicas,se tenha tornado no alvo de críticas deste nível, como se fosse o próprio o responsável pela situação. A meu parecer, o Sr. JPM apenas considerou pertinente a apresentação, neste blog, de uma informação que era do seu conhecimento e que poderia, eventualmente, justificar a situação tantas vezes denunciada.
    Se essa informação foi ou não passada aos media, não sei. Mas uma coisa não invalida a outra.
    Contudo, na verdade, percebo, embora ache incorrecto, o protagonismo que estão a dar a este senhor, designadamente nesta situação.
    É funcionário da CMB, com um cargo que exige proximidade do Sr. Presidente, fez uma escolha polémica (mas indiscutivelmente legal - e correcta, se ele assim o entendeu) ao trocar o jornalismo pela assessoria, tem visibilidade pública pelo Canal Informativo que gere e assina e que, como tudo, agrada a uns e aborrece a outros.Em resumo, tem visibilidade, tornou-se num alvo fácil.
    Caro JPM não se admire, ou melhor, não se chateie. É normal, mas como deve saber, isto passa-lhes...

    Deixando esta questão agora de parte, gostaria apenas de lhe falar um pouco sobre assessoria de imprensa que, tecnicamente se trata da gestão da comunicação entre uma instituição e um dos seus públicos, neste caso a imprensa. Quando um profissional de comunicação é contratado para esta função é seu dever representar perante a imprensa a sua entidade patronal, estabelecendo uma relação que seja a mais adequada para ambas as partes. Um assessor de imprensa é pago para, neste contexto, fazer o melhor pela entidade que representa, usando a comunicação para garantir a sua boa imagem. Isto é um facto, o assessor de imprensa é assumidamente parcial, é esse o seu dever. Mas na parcialidade também cabe a honestidade, e muita. O que dizer então do jornalismo actual, que por trás da bandeira do rigor e da isenção se deixa levar pelos interesses maiores dos seus financiadores?
    Assessoria de imprensa não é necessariamente sinónimo de manipulação ou calculismo, exige sim, capacidade de estratégia e de conhecimento do campo em que se opera e das regras que o regem.
    Sejamos razoáveis, uma coisa é demonstrar o descontentamento perante um facto, atribuir responsabilidades e, se possível, agir em conformidade para alterar o que nos incomoda, outra é "matar o mensageiro".



    Continuação

    ResponderEliminar
  39. Cara MS...

    Julgo que fui claro, se não percebeu, ou não quis perceber, o problema é seu.

    Não sei pq é que continua a "bater" na questão da legalidade (???!!) e honestidade da actividade de assessoria de imprensa. Julgo que ninguém aqui a pôs em causa. Sim, toda a gente sabe que é uma actividade assumidamente parcial, em defesa do seu cliente/patrão, por isso me deu vontade de rir qd JPM disse que não pretende "vender gato por lebre".

    Qt ao resto, os seus argumentos são fracos e inócuos e preocupam-se apenas em defender JPM, como se algum ataque pessoal lhe tivesse sido feito. E não foi. Apenas foram colocadas questões sobre opções estratégicas de comunicação. "Quem vai à guerra..." ou "quem anda à chuva...", certo?

    GS

    ResponderEliminar
  40. Caro Gs,

    é só para lhe fazer um pequeno e último apontamento (é que, felizmente, eu, tenho mais o que fazer). Se me dei ao trabalho de aprofundar um pouco mais a questão sobre a assessoria de imprensa é porque o próprio afirmou «qt a ser mais honesta, adivinharia que não sabe do que fala.». Por isso, sim, o senhor «pôs isso em causa». Atenção à memória... Ah! E às incongruências...
    Qt ao ataque pessoal ao Sr. JPM, não é essa a leitura que faço do que tenho lido, mas parece-me um "ataque", se assim quiser entender, às suas actividades profissionais.
    Mas, meu caro, nestas andanças, deve sabê-lo melhor que eu, tanto se diz bem como mal. Eu optei por simplesmente dizer bem daquilo que efectivamente me parece ser feito com competência, apelando à abstracção e contextualização adequada do que é o trabalho deste Senhor no contexto de todos os serviços prestados por uma Autarquia e que, nem sempre têm a eficácia que se lhes exige.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  41. As obras na variante sul são terceiro-mundistas. A incompetência domina e a falta de respeito pelos cidadãos prevalece.
    FS

    ResponderEliminar
  42. Muitos parabéns sr JPM.

    Um mérito ninguém lho tira: parece que todpos leêm o seu canal informativo.

    Bem ou mal as notícias chegam. Com isenção porquer são apenas informativas, daí ser um canal informativo. Pena é que alguns teimem em deitar abaixo o que outros fazem!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores