Metro de Lisboa: O Mais Ineficiente do Mundo

| Partilhar
«O Metro de Lisboa é dos metropolitanos mais caros em todo o Mundo. Segundo um estudo recente de uma consultora internacional especializada em transportes, a que o Diário Económico teve acesso, o Metro de Lisboa é mesmo o mais caro em termos de custos operacionais de exploração em 2005, entre um conjunto de mais treze sistemas de metropolitano analisados em todo o Mundo.» [Diário Económico, via Norteamos]

Relembramos que os habitantes de todo o país continuam a financiar o Metro de Lisboa, enquanto que os transportes de urbanos de Braga, Coimbra e muitas outras cidades são pagos pelos seus utilizadores e pelos respectivos municípios.

70 comentários:

  1. Pedro Morgado essa tua miserável sanha anti-Lisboa já cheira mal.

    Não te esqueças que a r«tua porcalhota cidade, pertencente ao porcalhoto Norte, se alambazou com uma Faculdade de Medicina e um Centro de Investigação, com o dinheiro dos meus impostos, enquanto cidades na Região de Lisboa, Sintra, Setubal, etc,,. há anos que não vêem um cêntimo de investimento publico.

    Não preciso do dinheiro dos teus impostos para nada. Vai comparar o volume de Impostos pagos pelos habitantes de Lisboa com os da tua porcalhora região, região de gentalha porcalhota.

    Nesta coisa de investimentos por região, Lisboa é manifestamente prejudicada, especialmente em região à região dos porcalhotos, o norte.

    Lisboa é, neste momento contribuinte liquido para o resto do país !

    E um exemplo disso é o Metro, cuja expansão se anda a arrastar por décadas em detrimento dos Lisboetas !

    Não preciso, enquanto Lisboeta que me orgulho de ser (!!) do vosso dinheiro de porcalhotos, nem preciso de vocês !

    Lisboa não precisa de vocês, e se tens dúvidas, faça-se assim : cada região fica com o dinheiro que produz !

    ResponderEliminar
  2. Agora reparo que uma parte da informação deste vem desse monumento à Labreguice que é o Norteamos !

    Esses gaijos esquecem-se que o Metro dos bimbalhocos custou para aí 20 vezes mais, que andam em autoestradas e não as pagam, qie a maior parte do investimento publico é sugado por eles, em detrimento de toda a região à volta de Lisboa !.

    Realmente os Nortistas são uma gentalha que mete nojo !

    ResponderEliminar
  3. mais caro para todos os portugueses e mais parato para os liboetas. compare-se o preço dos bilhetes entre metro de lisboa e porto.
    Assim se poderá ter uma ideia real de que preços esperar em "metros" que venham a ser construido noutras cidades portuguesas.

    ResponderEliminar
  4. Que tom! que deselegância! Meus senhores, não transformem opiniões em factos, nem factos em opiniões.
    Se continuarem assim aos berros, não há discussão possível.
    Respeitem a vossa inteligência, por favor.

    ResponderEliminar
  5. Pese a parte dos insultos, concordo totalmente com o comentario do "Lisboeta", e preciso nao esquecer principios como a solidariedade entre todas as regioes do pais, e na verdade, reflectindo um pouco, Lisboa governa.se a si...

    ResponderEliminar
  6. osso, não percebi essa dos preços. Fui agora ao site do andante e posso dizer-te que no Porto pagaria menos por uma assinatura mensal de duas zonas (que dá para viajar em praticamente todas as zonas do Porto-cidade) que ainda por cima é intermodal do que aquilo que pago em Lisboa por um passe exclusivamente para o metro e só dentro da cidade (e que nos últimos três anos já aumentou quase 4€). Às vezes vou a Odivelas e lá tenho eu de pagar um bilhete... Quando ando de autocarro, também.

    E acho que às vezes vocês não têm bem a noção da vida tremenda que o pessoal que mora nos arredores de Lisboa tem. Eu não me incluo nessa lista porque tenho a sorte de morar mesmo no centro, mas tenho amigos que moram fora. Para alguns, a sorte deles é que têm pais que trabalham em Lisboa, porque, caso contrário, compensar-lhes-ia bem mais alugar um quarto em Lisboa enquanto estão a estudar. Em termos de transportes públicos, a margem sul é extremamente mal servida, por exemplo. O metro deles cobre almada e pouco mais. Tenho um amigo que mora na Moita que chegou a contar-me que para ir para o Garcia da Orta lhe compensava mais vir para Lisboa com os pais e depois apanhar o comboio da Fertagus (vir para Lisboa de transportes públicos também não valia muito a pena porque a camioneta demora bastante tempo e só há uma de hora a hora durante grande parte do dia).

    E uma coisa é verdade: na área metropolitana de Lisboa está concentrada um quarto da população portuguesa. Sinceramente não sei quem é que sai a ganhar em termos de impostos que não são aplicados na própria zona: a AML ou o resto do país.
    E não é como se Lisboa não tivesse carências. Continuando com o exemplo do metro, o metro de Lisboa tem quase 50 anos e tem pouco mais metade da extensão da linha do metro do Porto. Eu sei que o metro do Porto é maioritariamente à superfície, mas não deixa de ser interessante notar a diferença, ainda por cima quando a zona ocidental de Lisboa praticamente não está coberta e a ligação aos concelhos vizinhos é residual. A carris é qualquer coisa... Há escolas públicas em Lisboa onde chove lá dentro! Há hospitais que estão degradados e a rebentarem pelas costuras. Em Lisboa também se espera meses por uma consulta no médico de família e horas sem fim nas urgências (uma amiga minha, com uma pielonefrite, esperou 6 horas nas urgências no outro dia). A maior parte das instituições de ensino superior em Lisboa são do tempo do Estado Novo ou até mais antigas (veja-se o exemplo da faculdade de Belas Artes, que está literalmente a cair - há poucos meses até um vidro acertou numa aluna). O Conservatório Nacional está completamente degradado (infelizmente não é só o Salão Nobre, que tantas vezes já apareceu na tv) - há 10 anos atrás chegaram a cair pedaços do tecto de salas de aula e ainda não houve remodelações profundas.

    ResponderEliminar
  7. Quantos hospitais existem em Lisboa? Quantas escolas secundária, Universidades e afins...Como é que o governo financia os vossos trans. públicos e voçês pagam mais? A periferia de Lisboa tá mal servida? Azar soubessem ser mais organizados, era o que faltava um pais a crescer só na capital!!! Queixam-se, mas lá vão levando a vidinha com salários mais altos, todo o tipo de serviços públicos, sem sap a fechar, sem hospital unico, velho e lotado e um outro na gaveta à um porrada de anos, etc,etc,etc...
    O primeiro comentário aqui posto só revela o nivel de intelécto dessa gente que por ser da capital se acha superior... Pois desta cidade muita história se escreveu ainda nós não eramos pais, ainda não se tinha dado a expulsão dos mouros... Não maltratem uma cidade euma região que tem o que de melhor existe num país ( cultura, tradição, orgulho nacional, e a boa comida, sim boa comida, porque por aí só se paga muito pa comer poucos e mail confecionado)...

    ResponderEliminar
  8. Só porcuriosidade... alguém me diz um edificado maisantigo que a Sé de Braga que exista em Lisboa?
    Mas por favos não me respondam (como alguns lisboaetas me responderam) que era o Castelo de S. Jorge ou o Mosteiro do Jerónimos... Já agora se tiveram... digam-me um mais antigos que as ruinas de Bracara Augusta ou então do Balneário pré romano, ou da fonte do idolo...

    ResponderEliminar
  9. Sara,
    1 viagem 2 zonas (metro Porto)=1.15€ (salvo erro; não pude confirmar pois o site estava inacessível)

    1 viagem 2 zonas (metropolitano Lisboa)= 1.05€ (é de considera que é uma viagem muito mais extensa, que possibilida a vinda da zona mais periférica da rede até ao centro)

    Considero também ser relevante que o metro em lisboa é todo subterrâneo, sendo por isso muito mais caro. Uma vez mais isso não se reflete nos preços...

    ResponderEliminar
  10. Convido o anónimo que fala dos saps das zonas limitrofes de lisboa, sem saber, a ir a Sintra ver com os proprios olhos !

    Sintra é o 2º maior concelho do país, está a chegar aos 500 mil habitantes, é contribuinte liquido em termos de impostos!

    Sabe porque os saps não fecham em Sintra, com 500 mil habitantes ? Porque não existem !!!!!!!!


    Sintra, 2º maior concelho do país, não tem uma urgência ! Não tem um hospital sequer ! os centros de sáude de Sintra funcionam todos em prédios de habitação, sem acesso sequer para deficientes. Sintra não tem um centro de sáude feito de raiz para isso !


    Sintra tem 500 mil habitantes, é o 2º maior concelho do país, e está a 19 kms de Lisboa !

    Sintra não tem uma autoestrada !

    Não tem um cêntimo de investimento publico seja em que área fôr !

    E no entanto, Braga, apanha de uma penada uma faculdade de Medicina, em cima de uma universidade que já tinha e um centro de investigação !

    Já disse isto nesse pasquim bimbalhão online que é o Norteamos !

    Para os impostos que os Lisboetas pagam, seja em termos de IRS seja em termos de IRC, o metro já deveria de ter o dobro ou o triplo do tamanho, porque para que as pessoas na REgião de Lisboa possam ir trabalhar têm de sofrer bastante nos transportes !

    Não precisamos de ninguém muito menos das esmolas dos bimbalhões ! Queremos é que o dinheiro dos nossos impostos que pagamos com o nosso suor seja cá aplicado, não vos seja dado de bandeja !

    E por mim, enquanto Lisboeta, estou-me a borrifar que vocês aí gostem de nós ou não. Eu por mim nunca vos gramei !

    ResponderEliminar
  11. Sem querer tomar partido de ninguém, devo apenas dizer que estas atitudes de "vocês são uns bimbalhões" ou "porcos" ou outros insultos são ridículos... Somos todos pessoas civilizadas, certo?

    E já agora, Lisboeta, não fica nada bem vires para aqui impingir a tua opinião com insultos gratuitos; se queres conversar, aprendes a fazê-lo... a educação fica bem, sabias? Mesmo quando achamos que temos razão

    (isto não é apenas para o Lisboeta, mas sim para toda a gente cujo vocabulário mais usado consiste em insultos)

    APC

    ResponderEliminar
  12. Osso, 50% da linha de Lisboa tem pelo menos duas décadas... Espero bem que já tenha sido paga neste tempo todo ;) E 1,15 é para o Z3 (o site do metro do Porto está em baixo mas o do andante não ;) ).

    Anónimo, já agora, há galerias romanas em Lisboa. Estão inundadas durante a maior parte do ano, mas ali no início do Outono costumam bombear a água e durante dois dias há visitas guiadas. E se bem me recordo da minha visita ao Museu da Cidade quando andava na primária, há vestígios arqueológicos da presença dos fenícios. E outra coisa: Lisboa tem uma história sísmica longa que, como é óbvio, torna um pouco complicada a existência de grandes vestígios arqueológicos! Apesar disso tenho a ideia que sempre que se faz um buraco se encontra alguma coisa...

    Também gostaria que visitasse um qualquer hospital lisboeta para ver a bela confusão e saturação dos serviços (e nalguns casos, bem velhinhos e degradados). Em termos de urgências não são assim tantos, considerando a população de Lisboa (e arredores) e os centros hospitalares funcionarem em articulação (por exemplo, os dos capuchos fazem SU em s. josé), o que significa que não há tantas urgências quanto parece. Para além disso, nem todos os CS têm SAP's no período nocturno. Também vejo nas urgências doentes que não têm médico de família...

    As escolas secundárias até podem ser muitas em Lisboa, mas têm muita gente. Oito turmas com 30 alunos cada, por cada ano curricular (ou seja, 24 turmas numa escola do 10º ao 12º), não é pouco usual. Quantas escolas secundárias há por este país fora (e ainda bem que as há) que têm turmas com 5 ou 6 alunos? E quais é que são financeiramente mais viáveis? Seremos nós, os lisboetas, que gastamos mais por cada aluno? Seremos nós que saímos mais caros? Não me parece...

    Há faculdades em Lisboa que estão velhas, degradadas, pelas costuras. A história do Conservatório Nacional arrasta-se há pelo menos 10 anos e estamos a falar de algo que se não é monumento nacional devia ser (o Salão Nobre é lindíssimo e tem uma acústica fenomenal). Mas há outros exemplos: as faculdades de medicina de todo o país pedem/exigem/suplicam edifícios novos há imensos anos. Porém investiu-se rios de dinheiro na UM e na UBI, dando-lhes condições que nenhuma outra faculdade deste país conseguirá mesmo que lhes seja dado um edificiozinho novo. Porquê? Porque não só são mais antigas e degradadas, como estão a rebentar pelas costuras em todos os sentidos há anos. E mesmo a FML, que tem um edifício novo, já rebentou pelas costuras. Já não há hospitais suficientes e o edifício novo foi projectado para cerca de 150 alunos quando este ano já entraram mais do dobro... E há outros dois edifícios prometidos há anos, que já deviam estar a ser concluídos por esta altura, quando ainda nem o concurso para o projecto abriu. Seremos mesmo os mais beneficiados no meio disto tudo? Lisboa tem cerca de 3000 alunos de medicina... Temos assim tanta coisa??? Em Braga nem 500 alunos são e têm mais do que as duas faculdades de Lisboa somadas. Dada a situação actual, a probabilidade de, no futuro, vir a ser atendido por um médico formado numa das faculdades de Lisboa é bastante grande, por isso convinha que as condições também fossem muito boas...

    O salário cá até pode ser mais alto (se é mais alto também pagamos mais impostos, não?), mas os custos de vida são assim para o caro. Veja-se o preço do aluguer de um apartamento ou a especulação imobiliária. Veja-se o preço dos parques, o preço dos passes que incluam mais do que um tipo de transporte, os serviços, os bens de 1ª necessidade, etc. Não resulta necessariamente numa melhor qualidade de vida. A única diferença é que aqui há uma maior concentração de oferta de emprego, mas eu diria que alguém que tenha um emprego garantido vive "mais à vontade" fora de Lisboa.

    Já disse aqui no blog uma vez que a minha família é minhota. Tenho o privilégio único de poder ver as coisas boas e más de cada sítio. Quando me dizem que a culpa dos maus acessos em Lisboa é da "nossa" falta de organização, eu respondo que muitos dos vossos problemas locais/regionais se devem a uma completa ingerência das autarquias que gastam rios de dinheiro em obras megalómanas, festas e afins completamente inúteis e cujos benefícios para a população são nulos. Em Lisboa é óbvio que isto também acontece, mas é maior, tem mais gente e tem (tinha) mais dinheiro, logo não é tão notório.

    ResponderEliminar
  13. Lisboa já faz dois mil e tal anos era uma mera vila pescatoria. E BRAGA A CAPITAL DO REINO SUEVO. enfim.

    ResponderEliminar
  14. Gostava de saber como é que Braga podia ser a capital do reino Suevo há "dois mil e tal anos" LOLOL

    ResponderEliminar
  15. Ía comentar esta lisbonetice aguda mas acho que não vale a pena.

    ResponderEliminar
  16. "Quantas escolas secundárias há por este país fora (e ainda bem que as há) que têm turmas com 5 ou 6 alunos? E quais é que são financeiramente mais viáveis? Seremos nós, os lisboetas, que gastamos mais por cada aluno? Seremos nós que saímos mais caros? Não me parece..."

    Se calhar devíamos ir todos para Lisboa... foge!
    Era mais rentável!

    ResponderEliminar
  17. "A Área Metropolitana de Lisboa, em Portugal, e o norte de Espanha entre a Catalunha e Castela-Leão são as regiões ibéricas com o maior rendimento familiar per capita, revela um estudo dos institutos de estatísticas dos dois países.
    Tanto a região de Lisboa como o norte espanhol, com excepção da Galiza e Astúrias, apresentam rendimentos familiares entre 10 e os 13 mil euros, valor bastante superior à média portuguesa, que se situa entre os 6 mil e os 8 mil euros."


    http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=627499&main_id=

    "Hoje foram divulgados os últimos valores para as regiões portuguesas e também dos restantes Estados-membros conhecidos por NUTS-2, segundo a nomenclatura europeia.
    O Norte de Portugal está em 57,4 por cento (61,5 em 2002) do PIB comunitário; Algarve em 78,7 (81,1); Centro a 61,3 (63,0); Lisboa 104,3 (111,8); Alentejo 66,4 (66,5); Açores 61,1 (63,1) e Madeira 90,4 (89,6).
    Das quatro regiões espanholas mais pobres, apenas a da Extremadura continua mais afastada do que Portugal, como um todo, da média europeia: 61,6 por cento em 2002 e 63,8 em 2003."


    http://jn.sapo.pt/2006/05/18/ultimas/Regi_es_mais_pobres_de_Espanha_.html

    Sirvam-se!

    Discussão desvirtuada! Contra má educação e ignorância, silêncio...

    I rest my case!

    ResponderEliminar
  18. lí e re-lí a estúpidez, burrice e todas as bacoradas que um tal "lisboeta" disse. para ele como nortenho não bracarense, da cidade, mas bracarense de distrito digo-lhe uma coisa se a burrice pagasse impostos todos incliundo os parasitas lisboetas estariamos bem.
    por muito que custe se houvesse uma regionalização, esperao que haja, morriam todosde fome.

    ResponderEliminar
  19. Nortenho, parasitas são vocês que não têm onde cair mortos. Se não fossem os impostos dos Lisboetas vocês ainda andavam de Burro, que é como quem diz, às cavalitas uns dos outros !

    Mas qual Regionalização ! Farto de andar a sustentar chulos a norte do Mondego ando eu ! Peçam a porra da Independência ! Isso sim teriam todo o meu apoio !

    ResponderEliminar
  20. Está tudo bebado!!!
    Afinal os pirolitos de todo o país tem razão. A riqueza está toda mal distribuida, as desgraças são mais que muitas e todos os pacóvios anteriores tem razão.
    Fechem a tasca para balanço e deitem os tasqueiros à sargeta.
    Toninho Regadas

    ResponderEliminar
  21. O Pedro Morgado diz que os habitantes de todo o país financiam o Metro de Lisboa, mas esqueceu-se de dizer quem financia o Metro da Tripalheira, as auto-estradas sem portagem do norte, o Centro de Investigação de Nanotecnologia de Braga, a nova Faculdade de Medicina de Braga, os muitos milhões que são enterrados por ano na região norte para a construção de estradas, etc, etc..

    Em Lisboa temos a CRIL por fechar há 10 anos, temos o IC19 para alargar há uns 20, temos a IC16 por fazer há uns 15, as obras na Linha de Sintra por acabar há 10, um novo Hospital que substitua os decrépitos hospitais centrais há uns 30, e por aí fora...

    ResponderEliminar
  22. Meus Deus!!!
    O que é que se passa aqui???

    Bem, "lisboeta", tu és de uma baixeza enorme! Envergonhas qualquer alfacinha com essa tua linguagem. Felizmente há uma "Sara", para não pensarmos que sois todos uns energúmenos!

    Quanto a transportes públicos - o assunto desde post - tanto Lisboa como o Porto estão no mesmo saco: são pagos por TODOS para seviço de ALGUNS! Logo não há aqui nenhuma guerra "Porto-Lisboa", porque como disse, nesse campo, estão no mesmo saco!

    A questão é que, sendo uma cidade tão populosa, tendo Lisboa 1/4, 1/3 ou até 1/2 da população portuguesa, não devería a sua câmara municipal ter também os recursos para finaciar os seus tranportes públicos?

    Afinal ficar com a derrama (10% do IRC) de empresas como a PT, EDP, GALP, BRISA, LUSOPONTE, BANCA... e ainda com a antiga contribuição autárquica (actual IMI) de 1/4, 1/3 ou mesmo 1/2 da população portuguesa, tudo somado deve dar uma boa maquia, não?

    A questão é que os transportes urbanos, repito urbanos, não deveríam ser pagos em TODAS as cidades pelas respectivas autarquias? E deixar os grandes investimentos: hospitais, universidades, escolas, etc, esses sim, serem responsabilidade do governo?

    Gisela

    ResponderEliminar
  23. A categoria do "Lisboeta" define-se pela falta de educação e pela falta de nível dos seus comentários...

    Sem mais comentários.

    ResponderEliminar
  24. Sempre me irritou o bairrismo, seja ele qual for, mas desconhecia este bairrismo lisboeta. Desde já proponho que se faça uma subscrição pública nacional (em que todos contribuam com a sua quota parte, inclusive aqueles que não têm nem CRIL, nem IC's e a quem andam a fechar os hospitais) para ajudarmos a nossa pobre capital fechar a CRIL, a alargar o IC19, a fazer a IC16, a acabar as obras na Linha de Sintra, a construir o novo Hospital que substituir os decrépitos hospitais centrais, e por aí fora... Tão necessitada que é a nossa Lisboa e a gente que não o sabia!

    ResponderEliminar
  25. Adoro ver Alfaces atiçados, dá-me prazer sempre que leio uma noticia que os manda abaixo e que exulta tudo aquilo que o Português do local mais remoto sabe. Algo que apenas os Alfaces pensam que não é verdade, mas que o é. Odeio o centralismo a que este país está devotado e toda a gente sabe qual a região que cria riqueza e que sustenta este país. Chama-se Região Norte e isso deixa os Alfaces doentes...eheheh
    Parebéns caro Pedro...manda mais desses....

    ResponderEliminar
  26. Sara, sei qual é o site do metro do porto.
    o preço por circular em uma ou duas zonas é o mesmo. Por isso para podermos fazer uma boa comparação com o metro de lisboa que apenas tem 2 zonas compara-se o Z3 com as 2 zonas lisboetas.
    A questão temporal não altera nada pois se está paga há que fazer obras de manutenção e de beneficiação.

    ResponderEliminar
  27. De facto esta gentinha de Lisboa é mesmo provincina...e ser provinciano não consiste em viver na provínvia (algo que ainda está cabeça de muitos saudosistas) mas ter horizontes fechados sobre si mesmo.a maioria das pessoas que vivem em Lisboa (são mais do que os Lisboetas que lá nasceram) resumem a vidinha deles a trabalho e a uma vida miserável em qualquer dormitório a léguas do centro.Não conhecem sequer metade do país e aquilo que conhecem resume-se ao caminho entre Lisboa e Portimão (via auto-estrada já que nem se dignam a visitar o Alentejo) não conhecem absolutamente nada sobre a própria cidade demonstrando uma terrível ingnorância.e pior do que isso é que os mais "provincianos" são aqueles que deixaram a terra natal pensando que iriam ter o el dorado...puro engano.esses ainda são mais fundamentalistas e os governos estão cheios deles (ex vi Armando Vara, etc).
    este Lisboeta que vem para aqui desbaratar o pouco latim que deve ter aprendido na Porcalhota ali para os lados dA Amadora (sim, porque a Amadora é conhecida por porcalhota) não deve conhecer Braga, nem o Porto, nem trás os montes, nem Aveiro, nem a Guarda, nem nada!
    dou-lhe um conselho:viaje,cultive-se e pode ser que os seus filhos venham a ser pessoas minimamente inteligentes.
    p.s. já agora na terra da "pimbalhada" não dizemos "a gente vamos"...
    Passe bem!

    ResponderEliminar
  28. «não devería a sua câmara municipal ter também os recursos para finaciar os seus tranportes públicos?

    Afinal ficar com a derrama (10% do IRC) de empresas como a PT, EDP, GALP, BRISA, LUSOPONTE, BANCA... e ainda com a antiga contribuição autárquica (actual IMI) de 1/4, 1/3 ou mesmo 1/2 da população portuguesa, tudo somado deve dar uma boa maquia, não?»

    Esse é um problema paralelo ao da regionalização. A CML só tem poderes dentro do seu concelho. Seria interessante trazer alguma dimensão política, de organização e investimento, às grandes áreas metropolitanas. E que se façam mais (ou COMURBs, na versão com menos concelhos).

    Mas é verdade que o Pedro, por vezes, se ilude e cai neste provincialismos. Braga tem recebido investimentos. As zonas há volta de Braga não, ou muito pouco. Lisboa tem recebido investimentos, as zonas periféricas não. Já o Porto, que até é um concelho territorialmente pequeno, tem recebido bastantes investimentos...e as zonas periféricas não se podem queixar. Mas isso é uma pequena fracção do Norte. Acho que alguma da discussão que tem havido aqui advém de alguma confusão entre conceitos... Uns entendem Lisboa como Lisboa.. outros como Área Metropolitana de Lisboa - coisas muito distintas.

    ResponderEliminar
  29. Já que os nortistas criam tanta riqueza (só se fôr a dormir), façam assim : governem-se com ela que nós governamo-nos com a nossa.

    Repito : A Região de Lisboa, (quando falo de Lisboa, falo da Região de Lisboa, região onde me orgulho de ter nascido) é contribuinte liquida em relação ao resto do país.

    Aqui há empresas de todo o género, industrias de todo o tipo, comercio, serviços, turismo, logo não precisamos da "riqueza" que os nortistas têm a mania que produzem.

    Para quem se admira que haja bairrismo Lisboeta, fique a saber que há, e ainda bem. Devia de haver era mais, para sermos roubados menos.

    ResponderEliminar
  30. Números da economia lisboeta:
    - PIB: 38% Pib Portugês
    - Impostações: 20.000M€
    - Exportações: 6.000M€
    - Taxa de cobertura: 30% (défice de 70%)
    - Saldo da balança comercial sobre o PIB regional= -23%
    - Saldo da balança comercial sobre o PIB nacional= 9%
    - Peso da região de Lisboa no défice comercial portuguÊs = >100%

    Em resumo, Lisboa representa a totalidade do défice comercial externo (sem Lisboa, Portugal era excedentário). Cerca de 23% do PIB de Lisboa sai todos os anos do país. O que torna a região de Lisboa a região com o maior défice externo do mundo,

    Diga-se ainda que as exportações da região de Lisboa são quase totalmente explicadas pela Galp e à Autoeuropa. Uma é protegida pelo Estado, a outra subsidiada por aquele...

    Como sobrevive esta região? Só existe uma forma: Lisboa paga o seu défice externo com os impostos cobrados às outras regiões...

    Sem Lisboa a emperrar o país, eramos todos bem mais ricos...

    desmintam com números reais se forem capazes.

    ResponderEliminar
  31. Mais ainda: Lisboa tem uma economia, promovida pelo estado, baseada essencialmente em serviços e bens não transacionáveis internacionalmente. O grande cliente das maiores empresas lisboetas é o próprio estado e o resto do país que, devido ao centralismo, a ele é obrigado a recorrer por imposição estatal. Exemplos: toda a parafernália de serviços do estado concentrados em Lisboa; 300 mil funcionários públicos cujos salários são lá pagos e que mensalmente constituem uma enorme injecção de dinheiro na economia local lisboeta; a enorme despesa pública portuguesa - metade do PIB - maioritariamente gasta em Lisboa em serviços comprados pelo estado à pleíade de empresas que por lá polulam em volta dele; o claro privilégio em matéria de grandes investimentos patrocinados pelo mesmo estado. Se precisarem de exemplos eu começo pelos futuros - novo aeroporto mais ponte - nem sequer preciso dos do passado.

    Quem faz crescer o PIB, são as indústrias exportadoras do Norte e Centro. Se quiserem provas podem ir ao site do INE. Apesar disso têm menor PIB per capita porque 50% é sugado pela economia parasitária de Lisboa em forma de impostos.
    A separação - não independência, porque fomos nós no Norte que começamos com isto, seria o melhor que nos poderia acontecer. Depois os lisboetas, sem a sua grande fonte de receita - os impostos nacionais - que vendessem os seus bens não transaccionáveis internacionalmente uns aos outros.
    Os funcionários públicos e o estado, apesar da simulação nos boletins e vencimento e nas facturas, não paga impostos. os impostos reais são pagos pela economia privada. O volume de impostos pago por Lisboa é uma falácia estatística. Retirem o peso do estado aos impostos lisboetas e depois falamos.

    ResponderEliminar
  32. Esse tal de Lisboeta deve ser um parolinho que nunca saiu de Portugal....coitado....ignorância é triste

    ResponderEliminar
  33. "cada região fica com o dinheiro que produz !" - é isso mesmo! cada região fica com o dinheiro que produz e não paga impostos a Lisboa. Reinveste-os no seu próprio território. No continente safavam-se 3, a saber: Norte, Algarve e Centro. As únicas com verdadeira economia privada sujeita à competição internaciona.

    ResponderEliminar
  34. Os lisboetas e portistas até podem achar que têm razão, mas não têm, nos dois casos está mais que visto que se enterra muito dinheiro nestas duas localidades, seja em metros, seja em casas da música, seja para financiar as empresas públicas de transportes, (STCP, CARRIS) as do resto do país recebem apoios que por vezes nem para comprar um autocarro dá, e quando dizem que o norte é beneficiado nas portagens, devem virar-se para o Porto, esses que continuam a ter auto-estradas de borla, quando já são uma região muito desenvolvida, vamos na A11 de Braga até Ribeira de Pena paga se 7.50 euros, como pode o nosso país a ter estas desigualdades.

    http://wwwbragablog.blogspot.com

    ResponderEliminar
  35. Castro, poderia colocar o local de onde retirou essa informação? Estou a procurar fazer um estudo sobre o nosso país e esses dados serão importantes. Obrigado.

    ResponderEliminar
  36. Basta-lhe procurar no site do instituto nacional de estatística ou em qualquer local que tenha as contas nacionais. está lá tudo.

    ResponderEliminar
  37. os lisboetas não existem, são uma mistura da ralé que fugiu da civilização e nasceu essa escória.
    como por exeplo o "LISBOETA" que quando não têm nada de utile constutivo para dizer dizem mal do norte, que é como diz o "Rui Costa" cospem no prato que comem.
    mas deixo um apelo aos nortenhos não façamos deste blog um lugar onde a escumalha tenha onde dizer algo.

    ResponderEliminar
  38. Oh lisboeta, não é por nada mas para além de mal educado não sabes escrever... Nortistas não, nortenhos se faz favor!

    ResponderEliminar
  39. Este Blog desenterrou as toupeiras das grandes metrópoles e logo as minhocas acéfalas ficaram com o prurido da regionalite.
    Bardamerda com os transportes que temos em todo o país, subsidiados ou não pelo governo.

    ResponderEliminar
  40. Tudo dito. Toninho a presidente.

    ResponderEliminar
  41. Normalmente, os lisboetas não dizem mal da malta cá do Norte.
    Quem diz mal, são os nortenhos ou os seus descendentes directos,que emigraram e, para darem um ar de intelectualidade saloia, assumem posturas de tal gabarito.

    Um dia, um desses tipos, quando veio cá cima à terra, estava no campo a falar com os amigos e, não se lembrava do nome de um instrumento agrícola que estava no chão. Calcou os dentes do referido instrumnto, levou com o cabo no focinho e exclamou: - porra para o engaço!!
    Esta é bem velhinha, mas continua actual.

    ResponderEliminar
  42. Sr. Sérgio Goncalves, os habitantes do Porto são portuenses. Portistas são aqueles prendados pela natureza, como eu, que gostam do FC Porto.

    Esse lisboeta, pela pinta, lembra-me uns artistas que aparecem nos blogues do Porto. Eles não querem saber de nada nem de ninguém, mas estão em todo o lado. São como as varejeiras.

    ResponderEliminar
  43. Ainda por cima confunde Porto com Norte...

    ResponderEliminar
  44. Eu nasci em Lisboa numa zona infestada de industria pesada por todo o lado.

    Ainda os bimbalhocos andavam a pastar porcos, a puxarem arados e a contarem pelos dedos e já a Região de Lisboa tinha industria pesada (não eram barracos onde se punham os putos a fazer sapatos) de todo o tipo, dentro da cidade, fora da cidade, na margem sul e na margem norte.

    Eu trabalho numa empresa que é das unicas com presença na China, nos EUA, no Brasil, na Inglaterra e, brevemente, na India. Estou num parque de empresas que trabalham maioritariamente com o mercado externo.

    Repito : os bimbalhões que fiquem com o produto da venda de cuecas e de peugas que eu não preciso do dinheiro deles. E também não preciso do Estado para nada.

    Mas o que eu vejo é os bimbalhões todos os dias a mendigarem junto do poder esmolinhas para poderem andar de borla em autoestradas e pontes à custa de todos nós.

    Vocês fartam-de de produzir (de lingua) mas todas as estatísticas dizem isto : são a região mais miserável da Europa !

    ResponderEliminar
  45. Bem, mas será este lisboeta a imagem de todos os outros? Eu prefiro pensar que não, que lá para o lados da capital há gente informada, culta e menos preconceituosa. Prefiro pensar assim. Os comentários deste senhor só mostram a sua ignorância perante a região do norte. Não me diga que pensa, como alguns conhecidos meus lisboetas, que nós vivemos no meio do monte a pastar as vaquinhas e que não sabemos o que são estradas, centros comerciais e indústrias? Aconselho-o a passar por cá. Venha ver e cultive-se. Olhe que ficar sempre no mesmo sítio faz mal e emburrece as pessoas.

    ResponderEliminar
  46. este lisboeta julga que lá por escrever muitas inanidades a realidade se altera. é um facto: vocês são parasitas da economia nacional. confirma-o o INE. o sector que mais contribui para o vosso PIB é o imobiliário. sector que não cria riqueza verdadeira. a maior parte do seu valor é especulativo. nem vai ser preciso esperar muito tempo para assistir ao ruir do edifício económico lisboeta. o que se está a passar no mercado americano e europeu prenuncia-o. quando tiverem empresas como a Bial e a EFACEC, a primavera software, a crtical ou laboratórios como o ICBAS ou IPTIMUP terão algum futuro. outro factor que vos arruinará será o fim dos fundos europeus que finalmente - e felizmente!! - estão a chegar ao fim. porque depois de se terem aboletado com a maior parte e agora drenarem o que resta em vosso favor com o estratagema dos PIN que - imagine-se - são quase todos na vossa região, terão que viver à vossa própria custa porque nós não estaremos mais dispostos a sustentar-vos com os nossos impostos. essa economia parasitária tens os dias contados e lisboa voltará ao que era nos anos 70/80. uma cidade miserável, cheia de calaceiros, com taxistas boçais que guiavam taxis com o chão roto.

    ResponderEliminar
  47. Já viram quão simples é para alguém recorrer ao insulto quando está escondido por detrás de um pseudónimo, sabendo que nunca poderá ser responsabilizado pelo peso das suas palavras e que não terá que responder perante as pessoas que ofende? Aposto que o "Lisboeta" não fala assim perante o patrão na empresa internacional onde trabalha, mesmo que este seja nortenho!

    ResponderEliminar
  48. Bimbalhoco castro, mete-te na carroça ou põe-te em cima de um conterrâneo teu e vem de burro, cá abaixo que eu mostro-te industrias farmacêuticas, empresas de software, a maior empresa de software do país, e a unica cotada na bolsa está em Lisboa, e laboratórios ( não feitos com os dinheiros dos meus impostos, nem dos teus ).

    Mostro-te a minha empresa, que está a desenvolver software para o Metro de Xangai.

    Mostro-te empresas na área da robótica, na área da engenharia.

    Repito-te : não precisamos nem nunca precisámos dos vosso miserável guito. Ganhamos o dobro de vocês, pagamos o dobro de impostos, pagamos-te os electricos rápidos, as estradas, as pontes, os ipatimups, e essa merda toda.

    Vem e vou-te mostrar junto ao tejo onde está a ser construido o maior laboratório de investigação português, em várias áreas, com dinheiro de privados. De privados de Lisboa.

    E sabes porque é que não há PINs na tripalheira ? Porque vocês não têm praias. Têm banheiras infectas, com a refinaria de matosinhos ( que foi construida por nós, por privados cá de baixo, a pedido do salazar) a despejar a trampa em cima de vocês.

    Olha lá : vocês ainda vão para a praia com o garrafão do tintol e tomam banho de calças arregaçadas ?

    Quem anda a ganir pelos fundos europeus são vocês, porque só assim é que conseguem fazer frente aos galegos, que estão várias décadas à vossa frente, com o dinheiro dos alemães e do pessoal cá de baixo.

    A questão é esta, já que falas de estatisticas : eu olho para os estudos e que vejo ? Vejo que vocês andam com uma mão atrás e outra à frente, são a região mais miserável da europa e não passam de uns miseréveizecos com a mania que são alguém.

    ResponderEliminar
  49. José Castro Rodrigues22 de janeiro de 2008 às 15:49

    ó rapazinho, se queres mesmo falar comigo pessoalmente estou até disposto a encontrar-me contigo. e pode mesmo ser em lisboa. faço-te um desafio: deixa a concha da cobardia e do insulto fácil, identifica-te e marca o local e a hora. vale?

    ResponderEliminar
  50. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  51. E mete o norte e os "homens do norte" pela peida acima !

    ResponderEliminar
  52. Ui, que em Liboa é só civismo! Depois nós do norte é que somos provincianos!!! Ah ah ah.

    ResponderEliminar
  53. lisboeta: tu não passas de um daqueles falhados que depois de mais uma frustração a que assististe no penico da 2ª circular vai sublimar o ressabiamento para o parque eduardo vii sodomizando os miúdos da casa pia. típico dessa piolheira.

    o desafio está de pé: sai debaixo da pedra onde te escondes se fores capaz.

    ResponderEliminar
  54. Matutei se daria troco às postas deste lisboeta, mas troco de quê? Ele vive neste terreiro onde cada um tem a sua crise existencial. Foram-lhe retirando a importância ao eido e então começou a dissertar sobre aquilo que não tem...flauta.

    PS: Cuidado com os alemães para quem trabalhas porque já sabem que tu andas às postas quando deverias estar devolta dos parafusos.

    Toninho Regadas

    ResponderEliminar
  55. SONAE DEVE SER DE LISBOA...

    ResponderEliminar
  56. Cá para mim este lisboeta deve é ser de Setúbal!!! Afinal ele não diz ser de uma região industrializada?
    Ana Matias

    ResponderEliminar
  57. Eu cá acho que este lisboeta é, na realidade, uma gaja! Ou, se é homem, é a GAJA de um negrão qualquer da Amadora.
    Qual grande empresa, qual o quê. Tu pá, estás num centro de dia qualquer a aproveitar a internet grátis para os idosos.
    Vai mas é arrumar carros para arranjares dinheiro para voltares para a Amadora.

    Jorge F.

    ResponderEliminar
  58. este lisboeta e do caraças.
    para tua informação lisboeta o maior grupo empresarial portugues esta cá em cima(SONAE), a empresa que mais exporta esta cá em cima (quimonda) a maior universidade do pais esta cá em cima (Universidade do Porto), a maior empresa do sector farmaceutico esta cá em cima (Bial), a maior empresa do sector de bebidas e distribuição das mesmas esta ca em cima (Unicer), o ainda maior banco privado portugues esta cá em cima (BCP).

    lisboeta pensa antes de escrever babuzeiras e não e a insultar o pessoal que vais ter razão.

    Formiga

    ResponderEliminar
  59. Até pode ser caro a nível de custos operacionais para o estado mas para quem o usa é de graça!


    um bilhete de metro em Lisboa custa 0.6€ para ir, por exemplo da Expo ao Chiado!

    Agora para ir de Guimarães às Taipas, de camioneta são 1,65€

    só sei que o metro é bom é para quem lá vive e para quem lá vai...

    ResponderEliminar
  60. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  61. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  62. Qualquer comentário não assinado cujo conteúdo seja considerado ofensivo será removido.

    ResponderEliminar
  63. Já agora "Lisboeta"... Metro de Xangai?? a "Critical Software" faz software para a NASA!! E quanto ao centro de investigação... porque é que achas que o Primeiro Ministro Espanhol pediu especificamente para o Centro Ibérico ser cá por cima? Por causa das vistas não?

    ResponderEliminar
  64. Não consigo entender como é que em Lisboa, numa empresa tão importante, há disponibilidade de tempo para fazer tantos comentários neste blog durante o horário de trabalho...

    É em Lisboa que se trabalha?

    ResponderEliminar
  65. "Osso, 50% da linha de Lisboa tem pelo menos duas décadas... Espero bem que já tenha sido paga neste tempo todo"

    Cara Sara, infelizmente, neste momento a dívida do Metro de Lisboa corresponde a 2,4% do PIB, são 3.800 milhões de euros de dívida, e um défice anual de exploração de 160 milhões de euros.

    Este valor é pago por todos os portugueses. Ao mesmo tempo, fecham-se os hospitais no interior. Quais as prioridades?

    Como já referi aqui:
    http://norteamos.blogspot.com/2008/01/dupla-tica-metro.html

    e também aqui:
    http://antiprovinciano.blogspot.com/2007/05/passivo-do-metro-de-lisboa-equivale-22.html

    ResponderEliminar
  66. Sérgio Gonçalves, a informação que pediu ao Castro foi compilada por mim (que a apanhou em algum comentário meu no Norteamos / Blasfemias), e retirada do INE (dados de 2005).
    http://www.ine.pt/prodserv/Edi_Bolso/pdf/2005/lisboa/Territorio_Lisboa05.pdf

    Uma vez que nunca tinha sido publicada, mas pelos vistos tem circulado por aí, tomei a liberdade de finalmente a publicar no Norteamos (até porque sei que o visita frequentemente).

    http://norteamos.blogspot.com/2008/01/regio-de-lisboa-tem-dfice-comercial.html

    ResponderEliminar
  67. o lisboa, ta caladinho filho da puta antes que leves no focinho

    ResponderEliminar
  68. se formos por esse caminho ó lisboeta, nos ja tinhamos civilização e vocês andavam em cima de camelos. Mais valia nao termos conquistado nada nessa zona porca, assim continuavam a montar camelos e a vestir burcas

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores