Lembra-se Disto? (Prólogo)

| Partilhar
A linguagem política está a tornar-se demasiado efémera. É duro constatar que as campanhas eleitorais são pouco mais do que um desfile de mentiras embrulhadas em charme. Ainda que mal tratada, a memória é um elemento essencial para o debate público.

No livro De Profundis, José Cardoso Pires faz a apologia da memória, porque «sem memória esvai-se o presente que simultaneamente já é passado morto.» Poucas cidades terão tantos problemas de amnésia como Braga. Em termos urbanísticos, o confronto com o passado é evitado em cada esquina que se destrói para semear betão e asfalto. Na política, o passado, ainda que recente, reescreve-se com uma cadência assustadora e as crises gerem-se com afirmações que, como diria o outro, são pura gelatina política.

Porque o jornalismo regional se tem furtado a fazê-lo, o Avenida Central propõe-se recuperar algumas das nossas memórias mais marcantes. Ao longo dos próximos tempos, vamos desembrulhando alguns dos «tesourinhos deprimentes», das notícias mais surpreendentes e dos momentos mais interessantes do nosso Minho. Lembrem-se Disto, vão ao baú das recordações e enviem os vossos contributos para avcentral@gmail.com.

6 comentários:

  1. Acho bastante curiosa esta ideia... Vou continuar a acompanhar...
    Qualquer coisa de interesse também envio...

    ResponderEliminar
  2. Daniel,

    O contributo será bem vindo.

    Abraço,
    PM

    ResponderEliminar
  3. Oh Pedro, não tenho elementos documentais à mão, mas aquela ideia de estender a linha férrea de Maximinos até São Pedro D'Este, apresentada por um dos antigos candidatos do PSD à Câmara de Braga, Miguel Macedo, não era má de todo... Já tínhamos os carris para o eléctrico...

    ResponderEliminar
  4. Ah, a propósito, também era interessante a proposta feita por outro candidato do PSD, para resolver uns problemazitos com uma minoria étnica instalada no concelho: a Câmara Municipal devia comprar uma quinta, vedada, nos arredores do concelho, e instalar lá todos os seus membros...

    ResponderEliminar
  5. E quando os responsáveis do PS achavam que ar condicionado nos autocarros era um desperdício e uma maluqueira do PSD? Ou quando instalar faxes nas escolas era inútil?

    ResponderEliminar
  6. Essa de instalar a minoria étnica numa quinta cercada, acho uma excelente ideia. O MM como bom cigano que é também deveria ser lá enfiado...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores