Ideias para Braga: Quinta dos Peões

| Partilhar


Que ideias para a Quinta dos Peões?
O blogue Avenida Central lança mais um desafio a todos os seus leitores.
Envie as suas propostas para que as possamos publicar e discutir neste fórum.

22 comentários:

  1. A Quinta dos Peões deveria ser aproveitada para a construção de um enorme parque de estacionamento destinados aos estudantes universitários. Alem de ser desejavel a salvaguarda de uma grande parte do terreno para a futura estação de metro. Em qualquer caso e na falta de melhor solução deve continuar como está.

    ResponderEliminar
  2. (Não vou comentar o delicioso post anterior, vou fazer de conta que não sei que o parque da UM é o maior da cidade e o maior parque de estacionamento escolar de todo o vasto Portugal).

    Na mesma onda desportiva, contente e brincalhona, e até porque o McDonalds já lá está embutido e até tem parque infantil (!), deixo a ideia de se construir ali um KFC ou mesmo um BurgeKing.

    E um espaço verde, um jardim a sério em Braga?
    Com árvores, com água a correr.
    Um recanto bucólico-pastoril a fazer lembrar o Minho da nossa infância.

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  3. qual jardim, qual arvores a correr. Acorda para a objectiva realidade do século vinte e um.
    É necessario sim uma enorme ode ao cimento bracarense. É necessario sim UM ARRANHA CÉUS. ENORME, SO FICARIA SATISFEITO COM O MAIOR DA IBERIA.
    PARA QUE O FUTURO DÊ HOSSANAS À NOSSA EPOCA, PARA QUE O CULTO SEJA AO NOSSO TEMPO e ÀS NOSSAS MAIORES OBRAS: A FUTURA BRAGA-BABEL E A NOVA ARENA BRACARA-ROMANA.

    BRAGA CAPITAL EUROPEIA DO NOVO MODERNISMO

    ResponderEliminar
  4. E porque não devolver aos alegrienses o campo de futebol que lhe fora tirado, para a construção do novo hospital,emporrando-os para o campo de gualtar? Aproveitando a zona envolvente para criar espaços verdes que em Braga cada vez mais são uma escassez...

    ResponderEliminar
  5. Na minha opinião Braga está cheia de espaços verdes, basta reparar na quantidade de espaços verdes que surgem no chão da nossa cidade provenientes de um qualquer fluxo nasal expelido pela boca de tantos "Bracarenses preocupados" com o bem-estar da cidade

    ResponderEliminar
  6. Que tal fazer uma reprodução do Castelo de Guimarães?

    ResponderEliminar
  7. Aquilo que eu penso que estaria correcto fazer-se:
    numa 1ª parte seria incluir o troço do Rio Este que passa entre a variante do fojo e a quinta no projecto a propor.
    Seria uma mais valia para a caracterização do terreno, do projecto e dessa área. Reforça o simbolismo da natureza e é (mais) um incentivo à despoluição deste.

    Em 2º poderia pensar-se uma parte da Quinta como parque urbano, como inicialmente se tinha pensado.

    Em 3º, e já que se está muito próximo da Universidade, fazer no topo poente um Centro de Congressos de pequena/média escala.

    [assim à primeira vista é o que me parece melhor]

    ResponderEliminar
  8. Proponho que se faça uma torre de Babel, construída até ao infinito, que seja vista pelo menos a 50Km de distância e na base uma placa evocativa com a seguinte incrição "Homenagem de MM á cidade de Braga".

    ResponderEliminar
  9. a Universidade do Minho carece de uma zona verde onde se possa estar agradavelmente... Seria uma boa aposta....

    ResponderEliminar
  10. Bem deixem-se de ser liricos. Aquele terreno é do Névoa e por issosó vai dar cimentoSó deve estar à espera que apareça ai um grupo económico que queira fazer uma superficie comercial, Agora que junto da Universidade com aqueles choupos, bastava desviar o ESTE e teríamos em Braga "O Choupal". Poderiamos então cantar: Do Choupal até à Arcada...A musica é do fado coimbrão. Agora, por favor ponham lá qualquer coisa. Acabem rapidamente com aquela "Zona Verde" e sobretdo acabem com o gatódromo que não deixa dormir ninguem.

    ResponderEliminar
  11. Claramente, uma estação de metro subterrânea com um jardim à superficie - estilo estação de Telheiras em Lisboa.

    No parque podia ser incluido um motel, para os esforçados estudantes poderem descomprimir do stress dos exames.

    E tenho dito!

    ResponderEliminar
  12. «a Universidade do Minho carece de uma zona verde onde se possa estar agradavelmente... Seria uma boa aposta....»

    Sim pois, dentro da UM não faltam espaços "vazios". Longas extensões de relvado. O problema é que é só relva mesmo... Mas para isso basta aproveitar os espaços que já existem (para além daqueles em que apenas existe mato). Jardina-los muito bem jardinados e pronto. Não é preciso Quinta dos Peões para servir a "UM" de um espaço verde.

    ResponderEliminar
  13. Urbanize-se!

    Construam-se imensos prédios, quais cogumelos! Já se sabe que, em cada um deles, pelo menos dois apartamentos reverterão a favor da Câmara braguesa.

    ResponderEliminar
  14. Bem algumas dúvidas. Aquela fracção de edifícios entre o canal, o terreno da Britalar (arborizado) e a rua que desemboca na variante, não eram o Ministério da Cultura fazia a prova do Milho. É que são falta inclui-los.
    Depois a fracção de terreno (uma espécie de triângulo), entre a rua do MacDonal's e a rotunda pequena, é d'outro proprietário, pelo menos foi o que ouvi falar.

    Agora ideias. Bem, a única ideia que agora me surge para o local é o parque urbano. Talvez alguns edifícios para albergar serviços ligados à universidade mas externos a esta.
    Mas por favor, se edificarem mais, não façam fachadas em betão/cimento, a cidade tresanda a betão que até provoca indisposição. Fachadas em betão, regra geral, são feias. Utilizem o vidro, o metal, ou conjugações com material natural da região (barro e granito).

    ResponderEliminar
  15. Correcção. Onde se lê: "não eram o Ministério da Cultura fazia a prova do Milho. É que são falta inclui-los." deveria ser "não eram onde o Ministério da Cultura fazia a prova do Milho. É que se são falta inclui-los."

    ResponderEliminar
  16. «Utilizem o vidro, o metal, ou conjugações com material natural da região (barro e granito).»

    Fabuloso. Vamos lá fazer prédios de barro. Isto às vezes chega a um non sense assustador...

    ResponderEliminar
  17. e porque não um parque Eduardo VII,em segunda edição.Clientes não devem faltar........

    ResponderEliminar
  18. Meus amigos, estou a precisar de uma arrecadação para arrumar umas tralhas... Importam-se ke use a vossa sala de estar? Sim, é que a Quinta tem dono, o Névoa comprou-a ao Ministério da Agricultura tutela´do por Cavaco... Já agora, o ke diz o Reitor do protocolo que o antecessor assinou com o Névoa? como habitualmente, não diz nada... E a Associação Académica, ke tem para lá prometida a sede, quando começa a construí-la? Tantas perguntas e ninguém diz nada...

    ResponderEliminar
  19. Afinal, ainda niguém conhece o ptojecto do hotel Mellia ke ali vai ser construído, mas já toda a gente diz mal... De ke e fazem as cidades: só de parques verdes? E de prédios, não? Não tem o campus de Gualtar da UM, a kem cabe dar o exemplo, a maior densidade de construção da cidade de Braga?!!! MAIS PERGUNTAS...

    ResponderEliminar
  20. Estou ilucidado e desta vez fico descansado. Ninguém propôs uma substação para a REN interromper alí o canal inestético de torres que depois cruzam zonas residenciais da cidade. Já deu para entender porque é que, um homem de Bouro e com um olho fica multimilionário em Braga enquanto o diabo esfrega o outro. Se o Camões cá voltasse diria da terra que me viu nascer de passagem: "terra de muitas e desbragadoas gentes".

    ResponderEliminar
  21. Discussão sobre um campo privado. Onde é que estamos. Atão aquilo não é do Sr. Neblina?
    Está tudo borracho. O Sr. tem todo o dreito de lá botar a estátua do conigo Melo. A estudantada até ficava melhor servido do que os meninos do colégio Diogo, sempre são mais, além disso sempre que quisessem botar uma cunha pra um exame já tinham ali o home das cunhas, e passavam. A beleza do local só ficaria alterada pelas bifanas amaricanas, o melhor era trocar pelas ostias da cunfraria do s. bento ou do Sameiro, parece que no Bom Jesus ele não mexe.
    Está tudo borracho

    ResponderEliminar
  22. Por que não contratar um grande e famoso arquitecto...até pode ser mesmo um tal Frank Gery...e que se faça uma coisa em grande que ponha a cidade no Mapa... o que era Bilbao antes do Gugenheim?
    o que Souto Moura fez com um estádio de futebol já mostrou o que uma grande obra de arquitectura pode fazer pela cidade

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores