Braga Qu'Eu Gosto 4 | Theatro Circo

| Partilhar
Teatro Circo
© jsome1

Manuela Azevedo e os Clã vão actuar em Braga no próximo dia 17 de Novembro. O concerto que uma das melhores vozes nacionais vai dar Theatro Circo é o mote para dedicar um post à melhor sala de espectáculos do Minho e uma das mais bonitas do país. A recuperação do Theatro Circo foi a obra mais relevante levada a cabo pelo executivo bracarense nos últimos 10 anos. O produto final é uma aprazível sala de espectáculos com um cartaz capaz de fazer inveja a alguns dos maiores centros de cultura do país.

O Theatro Circo, projectado pelo Arquitecto Moura Coutinho, começou a a ser construído em 1911, tendo sido inaugurado em 21 de Abril de 1915. Em 1958, «os espectadores foram convidados a assistir na varanda do Salão Nobre à enorme violência exercida pela policia sobre o povo adepto da Oposição Democrática liderada pelo General Humberto Delgado».

O Theatro Circo é mais um capítulo da Braga Qu'Eu Gosto.

8 comentários:

  1. Sim, é uma excelente sala de espectáculos (projectada por Moura Coutinhoou ou não fosse Braga a cidade dos arquitectos:Carlos Amarante, André Soares, Moura Coutinho,Soutto Moura...) que não fica nada a dever às grandes salas de Lisboa ou Porto. Está talv~es com uma programação demasiado elitista, mas penso que com o tempo as coisas poderão melhorar sem nunca cair no populismo.

    ResponderEliminar
  2. De facto o Theatro Circo é um espaço excepcional, referência obrigatória para quem mostra a cidade! Sempre que falo de Braga a amigos de outras cidades, falo do Theatro Circo! Apenas lamento o facto de ter de "ficar pela conversa" devido aos preços que se particam neste espaço!

    Acho natural e bastante louvável que se queira apresentar um cartaz de qualidade para todos os gostos! Só tenho pena que não seja para todos os bolsos...

    ResponderEliminar
  3. Representa a reafirmação cultural de Braga no panorama nacional.

    ResponderEliminar
  4. Falta-lhe um bocadinho assim!...

    Refiro-me ao empecilho que é o Túnel, à saída da grande entrada magestosa.

    Retira-lhe importância, visibilidade, não se aprecia o edifício como deve de ser, e dificulta e assassina em parte a convivência do lado exterior.

    O que é pena, se pensarmos por exemplo no Teatro S. João no Porto, e no Teatro Rivoli.

    Espero que haja MESMO vontade em mudar isso.

    ResponderEliminar
  5. Sobre o Theatro Circo, parece-me que o que está comentado já diz os mínimos... Em boa hora, Mesquita Machado tomou a decisão de devolver esta casa à cidade e ao país. Em boa hora escolheu o melhor porogramador e em boa hora procede ao devido financiamento da sua sua programação!
    Permitam-me só um reparo, quanto aos preços da bilheteira. A títutlo de exemplo: o próximo concerto das "Au Revoir Simone" custa em Braga 10 euros (10); numa sala de Lisboa que dá pelo nome "Santiago Alquimista" custa... 20 euros. O dobro!
    Se compararem os preços de Braga com os de qualquer outra sala do país, vão sentir a diferença...
    JPM

    ResponderEliminar
  6. Caro JPM,

    Tenho que concordar consigo. A cultura é, infelizmente, mais cara do que o desejável, mas em Braga têm-se feito esforços para torná-la mais acessível.

    ResponderEliminar
  7. Sim, a Joana tem que estar um pouco mais atenta... Concordo que há espectáculos cujos ingressos não são acessiveis a todos, mas temos que considerar que 30 euros para ver Laurie Anderson ou 40 para a Gal Costa são justos e não foram impedimento para duas salas lotadas. Por outro lado, os espectáculos do Burla - Festival do Burlesco, não ultrapassaram os dez euros, quantia que não está muito longe de uma ida ao cinema para, a maior parte das vezes, sair de lá com a impressão que mais valia ter ficado em casa.
    Se, então, decidirmos dar uma olhada pelas outras salas do país, a conclusão é só uma: os ingressos do Theatro Circo são os mais baratos, mesmo comparados com salas um pouco, digamos que "improvisadas".
    A sério, há muitos bilhetes a 7, 8 ou 10 euros. Para os espectáculos mais caros, enfim, se calhar vale a pena fazer alguns sacrifícios, só depende do gosto, possibilidades e prioridades de cada um...

    ResponderEliminar
  8. Devem mm andar um pco distraídos, e só mais um exemplo a juntar aos já citados, Josh Rouse dia 27 no Theatro a 15€ tal como Clã a 17, e na aula magna em Lisboa a 25€ e 20€ respectivamente.
    A programação é um pouco elitista mas o espaço não é para "qualquer um", muito menos para artistas de "massas" até pq tem, se não estou em erro, apenas 900 lugares.
    Saudações

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores