Ainda o Portocentrismo

| Partilhar
JPM, comentando este post, escreveu o seguinte:

«Se a construção do hospital fosse da responsabilidade directa do Município de Braga já estaria aberto há muito ao público. Ou tem dúvidas?»

Concordo. É exactamente por isso que me custa ver avançar uma Regionalização em que o Porto vai acabar por fazer ao Norte o que Lisboa tem feito ao país...

20 comentários:

  1. Caro Pedro,
    O comentário de JPM dá-me vontade de rir... Se a CM está tão cheia de vontade que o novo hospital abra porque continua a compactuar, num silêncio cúmplice, com o Ministro dos atrasos?
    Quem ler o comentário fica a pensar que a CMB é, de facto, um posso de dinamismo e empreendedorismo, só que não se percebe porque o parque norte ainda está na gaveta, porque o parque da ponte está como está, porque o teatro do circo demorou 12 anos a ficar pronto...

    F C

    ResponderEliminar
  2. Pedro!
    Se me é permitido gostaria de fazer-te uma sugestão. E se lançasses aqui um debate sobre a regionalização que queremos. É que neste campo parece que estou de acordo contigo. E naquela de democracia participativa seria bom que os cidadãos se pronunciassem sobre o figurino da regionalização e não votarem num referendo sobre a regionalização que nos propoem

    ResponderEliminar
  3. independentemente da culpa que a câmara possa ter no atraso do hospital espero bem que o investimento nortenho não fique todo no Porto. Considero que o Norte só tem pernas para andar se estiver unido e não com várias "individualidades" ou centralizado.
    Porto, Braga, Guimarães, e várias outras cidades estão demasiado próximas para não terem uma estratégia conjunta de desenvolvimento.

    ResponderEliminar
  4. Para de atacar o Porto para puxar a brasa para Braga. O PORTO é MUITO MAIOR que braga.

    ResponderEliminar
  5. Sou-do-contra,
    Tenho repetido que defendo uma regionalização a 6 (com AMP e Norte).

    Anónimo (12.33),

    Claro que é muito maior. Não é minha tónica contrariar factos. Apenas pretendo uma regionalização que seja um motor de desenvolvimento.

    ResponderEliminar
  6. Ao anónimo das 12.33. Naõ se compara o imcomparável. Já todos sabemos que o Porto é muito maior que Braga. O que os Bracarenses não querem é que Braga seja uma futura COLÒNIA do Porto.

    ResponderEliminar
  7. O município do Porto tem 233000 habitantes e uma área de 41.66 km2, o município de Braga tem 174000 habitantes e uma área de 183.51 Km2. A área metropolitana do Porto tem 1.200.000 habitantes e o Minho 1.000.000 habitantes, dos quais mais de 800.000 hab estão no Distrito de Braga.

    Onde é que o Porto é muito maior que Braga?

    Em área não o é.

    Em termos de população é maior, mas não há uma diferença abismal...

    ResponderEliminar
  8. Só que é isso que vai ser. Também não deve andar muito preocupada com isso porque nunca anda preocupada com nada. Se andasse há muito que além do famoso hospital já teria reivindicado centro hospitalar oncológico, maternidade,etc. Esperemos que venha a ter metro do Porto porque ele está aqui às portas do futuro ex-distrito de Braga.

    ResponderEliminar
  9. Uma regionalização que mantenha as Freguesias consoante estão, as Câmaras com os mesmos poderes e que sirva unicamente para criar mais uma classe política no Porto (e respectivos tachos) não serve os interesses deste país...

    Temos que racionalizar os recursos, reduzir ao número de freguesias (ou até extingui-las), ao número de Câmaras e investir em todo o território e não só Lisboa e Porto.

    Esta regionalização não é mais de que uma cedência ao poderoso Lobby do Porto que ambiciona, à custa do Norte, equiparar-se a Lisboa.

    ResponderEliminar
  10. Eu sou de Braga mas nou sou tão convicto das capacidades da câmara fazer e acontecer. Para além de equipamentos já referidos junto outro: Parque para Empresas de Base Tecnológica. O presidente da Câmara está tão por dentro que pensava poder ser na quinta dos peões (anedota da década). Guimarães ao de manso e sem ser capital do software já tem, Trofa vai ter, Aveiro idem, Coimbra i Parque está no terreno. Segundo o Presidente da AIMinho, Braga não tem nem terá, os terrenos são todos Rodrigues&Névoa. Como o senhor se mostra também céptico na hipótese Vila Verde/Amares, presumo que Braga vai incubar empresas para o Avepark. Esperteza saloia...e a culpa é do portocentrismo. Afinal estamos todos à boa maneira de Braga a tagarelar no desert e o Porto aqui tão perto.

    ResponderEliminar
  11. Caro anónimo,

    Neste momento já está em construção um centro de incubação de empresas de Base Tecnológica no Fojo.

    O promotor é a PME Portugal e, para que saiba, até foi considerado pelo Governo como um Projecto de Interesse Nacional.

    A poucos metros irá ser construído também o famoso Instituto Ibérico Luso-Espanhol, que metade do país ambicionava.

    Como vê, Braga não está tão atrasada como pensa.

    O problema é que parques vazios, há às dezenas por esse país fora.

    Construir mais parques à toa sem acessos e sem algo que atraia as empresas é que pode não ser boa política...

    ResponderEliminar
  12. "Concordo. É exactamente por isso que me custa ver avançar uma Regionalização em que o Porto vai acabar por fazer ao Norte o que Lisboa tem feito ao país..."

    Mesmo que aconteça isso, penso que iremos desta para melhor.
    Tudo é melhor do que estar Lisboa a controlar Braga. Pelo menos o Porto é mais perto e está mais a par da região ja que faz parte da região norte.

    Acho que a sermos contra a regionalizaçao entao é que isto nunca mais melhora.

    ResponderEliminar
  13. Sou um defensor convicto da instituição das regiões administrativas. Todavia sou contra os centralismos regionais.

    Defendo um modelo em que a administração periférica do estado central se deslocalize pelas diferentes cidades da região e onde também os orgão e outras instituições regionais também se distribuam pelas diversas cidades. A título de exemplo e no que respeita ao Norte, a sede da Junta Regional ficaria, naturalmente, no Porto, mas a Assembleia Regional poderia funcionar em Braga.

    Cumprimentos,

    Regionalização
    .

    ResponderEliminar
  14. A regionalização só vai servir para atrofiar ainda mais Braga.Será bom que se comece a pensar em AUTONOMIA PARA O MINHO

    ResponderEliminar
  15. Caro anónimo defensor do dinamismo autárquico do Mesquita,

    Só se esqueceu de dizer que o dois projectos cairam aos trambolhões no colo do edil. O que falta é uma postura proactiva.
    No entanto, aquilo que melhore caracteriza a gestão do mesquita nestes últimos anos é o desleixo e a falta de criatividade.

    Quanto à regionalização, sou adepto da descentralização administrativa. Penso que o modelo do então Secretário de Estado, Miguel Relvas, era profíuo, no entanto não há descentralização que funcione ou resulte sem vontade política e sem recursos. Para mim aí reside a pedra de toque da questão.

    Cumprimentos,
    F C

    ResponderEliminar
  16. Ok, o Pedro quer uma região do Minho, ou Norte sem Porto ostracizando Trás-os-Montes and so on..

    Mas o que o Pedro não esclarece é qual dos cenários viáveis prefere: uma região Norte ou a não regionalização?

    ResponderEliminar
  17. Para o Almerindo

    Tens razão em não querer ser uma colónia do Porto, mas talvez já não te importas que os outros sejam uma colónia de Braga ou será que para ti o Minho é Braga.

    ResponderEliminar
  18. Caro F C
    Cão que ladra não morde...

    A Câmara prefere agir mais e falar menos. Algo que as vezes também critico, mas tudo o que foi e é possivel fazer para atrair infra-estruturas para o concelho de Braga, a Camara Municipal tem um papel preponderante e de sucesso, pelos resultados que estão à vista... O Hospital está garantido, o LIN está garantido e certamente não ficará por aqui...

    O terá sido a oposição a propor e fazer para que estes investimentos e infra-estruturas venham cá ter... como tudo o que se faz é sempre tudo ideia da oposição...

    ResponderEliminar
  19. Está animado o debate!
    Sou pela regionalização e tenho duas propostas. Uma razoavel outra maluca à luz dos tempos, mas quem sabe no futuro...
    A 1ª hipostese seriam 5 regiões: Duas grandes áreas metropolitanas de Lisboa e Porto e as regiões Norte, Centro e Sul.
    A 2ª hipotese é a criação da região Galética que abrangesse a antiga Galécia, isto é o Entre Douro e Minho, Trás-os-Montes e a Galiza, o resto poderia ficar como está.

    ResponderEliminar
  20. Voto na segunda!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores